Trabalhos Científicos

  • Poster Grupo A - 22/09/2011
    (Clique aqui para visualizar os trabalhos)

    Montagem - dia 22/09, das 09:00 as 10:00 horas

    Apresentação dia 22/09 das 14:00 as 17:00 horas

    Desmontagem dia 22/09, das 17:00 as 18:00 horas

    Código Título Autor
    PA-01 Multidisciplinariedade na atenção à saúde do idoso (MASI)

    Multidisciplinariedade na atenção à saúde do idoso (MASI)

    Martins TO*, Oliveira TRC, Martins MVPS

    Idosos; multidisciplinariedade; saúde bucal

    Objetivo: o Programa Multidisciplinaridade na Atenção à Saúde do Idoso - MASI/UFU, tem como objetivo colaborar com a qualidade de vida dos idosos, por meio da integração das diferentes áreas envolvidas, composta por uma equipe multidisciplinar da Faculdade de Odontologia, da Escola Técnica de Saúde (Estes), médicos, enfermeiros, geográfo, psicólogos e nutricionistas. Conscientes de que a demanda da saúde bucal em nosso país é imensa para qualquer faixa etária e considerando o idoso, os serviços oferecidos ficam mais a desejar em virtude do sistema de saúde não ter sido preparado para recebê-lo. Então, o programa voltou-se para três frentes diferentes e interligadas com intuito de melhor atender a demanda e conhecer a realidade do idosos hospitalizados, institucionalizas e atendidos no ambulatório da geriatria. As ações multidisciplinares integradas, nos permite trocar experiências, informações, habilidades pela convivência dos diferentes ambientes de atividades, elaborar estudos, capacitações, promover ações educativas e preventivas. Conclusão: portando, o desenvolvimento do programa multidisciplinar é importante, pois promove melhorias nas condições biopsicossociais, proporcionando longevidade com qualidade aos idosos.
    Taciana Oliveira Martins
    PA-02 Leiomiossarcoma de alto grau na mandíbula: relato de caso

    Leiomiossarcoma de alto grau na mandíbula: relato de caso

    Ferreira JCB*, Mendonça EF, Rege ICR

    Leiomiossarcoma; mandibula; cavidade oral

    Objetivo: O propósito deste estudo é apresentar um caso de leiomiossarcoma primário de alto grau na mandíbula tratado com reconstrução óssea cirúrgica com fíbula. Relato do Caso: Paciente do gênero masculino, 64 anos, cor branca, encaminhado para atendimento no Hospital Araújo Jorge para diagnóstico de lesão com 6 meses de evolução, dolorosa, na mandíbula do lado esquerdo, com discreto aumento de volume. Os exames radiográficos revelaram imagem radiotransparente e osteolítica localizada na região dos dentes 33 ao 38 com destruição da cortical basilar. A tomografia Computadorizada cone bean revelou uma lesão com dimensões 2,0 x1,8 x 1,5cm. O exame histopatológico revelou células neoplásicas marcadas por pleomorfismo celular e mitoses típicas e atípicas, sugerindo uma neoplasia de origem mesenquimal. Posteriormente foi realizada a técnica imunohistoquímica, a qual confirmou a presença de um leiomiosarcoma primário de mandíbula com alto grau primário. O caso foi tratado por mandibulectomia parcial tegumentar com reconstrução osteoseptocutânea de fíbula livre. As margens da lesão, linfonodos e glândula submandibular, mostraram-se livres de neoplasia. Resultados: O diagnóstico precoce e o tratamento adotado permitiram um bom prognóstico e a reabilitação do paciente. Conclusão: O Leiomiossarcoma é uma lesão extremamente agressiva, e o prognóstico está associado a um diagnóstico precoce e acurado.
    Jean Carlos Barbosa Ferreira
    PA-03 Lesão periférica de células gigantes: relato de casos clínicos

    Lesão periférica de células gigantes: relato de casos clínicos

    Canuto MIC*, Pinto LV, Farias AL

    Lesão de células gigantes; diagnóstico; tratamento

    A lesão periférica de células gigantes é um processo proliferativo não neoplásico, de ecologia obscura, porém a literatura relata a ocorrência, relacionada a trauma, irritação local, restos de dentes decíduos e permanentes.
    Apresenta-se clinicamente como um crescimento nodular, séssil ou pendiculado, de coloração vermelho escuro, assintomático, de superfície lisa ou rugosa.
    O diagnóstico é pela característica clínica, e o exame radiográfico mostra imagem de reabsorção óssea em forma de "taça" no rebordo alveolar.
    O exame histopatológico é imprescindível para se realizar o diagnóstico definitivo, mostrar um estroma conjuntivo de fibroblastos com várias células gigantes, vasos sangüíneos e capilares.
    O tratamento é cirúrgico com curetagem no osso para evitar recidivas.
    O propósito é apresentar 02 (dois) painéis com casos clínicos de pacientes que procuraram o Projeto de Diagnóstico do Curso de Odontologia da UniEvangélica de Anápolis - GO.
    Os casos foram diagnosticados, feitos as cirurgias e exames histopatológicos.
    Marcos Ítalo Carvalho Canuto
    PA-04 Cistos de retenção - mucocele: relato de casos clinico

    Cistos de retenção - mucocele: relato de casos clinico

    de Oliveira I*, Pinto LV

    Cistos de retenção; mucocele

    Os cistos de retenção são cisto que resultam do acumulo de saliva ou muco no interior do ducto excretor de uma glândula, ou nos tecidos circunvizinhos. As mucoceles são lesões benignas e enquadram-se no tipo de cisto de retenção mucoso, formada pela obstrução de pequenas glândulas mucosas da cavidade bucal ou por extravasamento de saliva através do rompimento do ducto, isto se dá através de traumas ou inflamação da região da mesma. As mucoceles apresentam-se clinicamente por uma tumefação ou bolha, flácida a palpação, de coloração igual à mucosa adjacente ou de cor azulada, dependendo de sua profundidade pode ser assintomática, sua região de maior incidência e na parte interna do lábio inferior, acometendo mais o sexo feminino. Este trabalho visa à apresentação de dois casos clínicos de mucocele do Curso de Odontologia da UNIEVANGELICA da cidade de Anápolis¬-GO, o tratamento de ambos os casos foi feito através de cirurgia com remoção total do cisto, inclusive da glândula envolvida sendo que o acompanhamento do paciente foi feito em apenas um dos casos, sua terapêutica medicamentosa foi apenas para o controle de dor, através de paracetamol liquido, 30 gotas em caso de dor. O tratamento apresentou um bom pós operatório sendo o tratamento feito por completo.
    Ícaro de Oliveira
    PA-05 A percepção do cirurgião-dentista frente à fitoterapia no tratamento de patologias bucais na cidade de Anápolis-GO

    A percepção do cirurgião-dentista frente à fitoterapia no tratamento de patologias bucais na cidade de Anápolis-GO

    Farias AL*, Reis LBM, Canuto MIC

    Plantas medicinais; tratamento; patologias bucais

    A fitoterapia é uma forma de tratamento que se caracteriza pela utilização de plantas medicinais com atividade comprovada e suas diferentes formas farmacêuticas. O cirurgião-dentista deve saber que a fitoterapia existe e vem sendo utilizada no tratamento de várias patologias, inclusive bucais é respaldada pelo Conselho Federal de Odontologia através da Resolução CFO 82/2008. Objetivou-se com a pesquisa investigar a percepção dos cirurgiões-dentistas da cidade de Anápolis-GO quanto a utilização da fitoterapia como recurso terapêutico na odontologia. Realizou-se uma pesquisa de campo de caráter quantitativo. A amostra foi composta por 51 Cirurgiões Dentistas, 33 atuantes no serviço privados e 18 em Unidades Básicas de Saúde da Família na cidade de Anápolis-GO. O instrumento de coleta de dados foi um questionário com questões abertas e fechadas. Os dados obtidos foram tabulados no software Microsoft Excel 2007 e analisados por meio de estatística descritiva. O projeto de pesquisa passou pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UniEVANGÉLICA tendo sido aprovado pelo protocolo nº 6261/2010. Nos resultados obtidos observou-se que os cirurgiões-dentistas não tiveram embasamento teórico que abordasse conceitos referentes à fitoterapia na sua formação profissional, apesar disso acham viável a inserção da fitoterapia na odontologia, porém ainda não estão preparados para agregarem em sua atividade profissional esta forma de terapia. Não houve diferença estatística significante na percepção da fitoterapia entre os profissionais que atuam no serviço público dos que atuam na rede privada.
    André de Lima Farias
    PA-06 Contribuição da tomografia computadorizada de feixe cônico no planejamento de exodontia de terceiros molares inferiores

    Contribuição da tomografia computadorizada de feixe cônico no planejamento de exodontia de terceiros molares inferiores

    Araújo RV*, Sousa TO, Capeletti LR

    Terceiros molares; tomografia computadorizada de feixe cônico; exodontia

    Exodontia de terceiros molares é o procedimento cirúrgico mais comum realizado pelo Cirurgião-Dentista (CD) e, como outros procedimentos, pode incorrer em possíveis complicações. No caso de dentes inferiores, a lesão do nervo alveolar inferior pode gerar dano sensitivo local temporário ou até mesmo permanente, requerendo um planejamento criterioso. A radiografia panorâmica é comumente utilizada como exame complementar de escolha para planejamento deste tipo de cirurgia. Entretanto ela apresenta limitações inerentes à técnica, como a formação de imagens fantasmas e a sobreposição de estruturas anatômicas na imagem final (bidimensional). Para obter informações tridimensionais de tecidos duros, o CD pode optar pela tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC). Na Odontologia tem sido crescente a utilização de TCFC pela sua qualidade de imagem, relativa baixa dose de radiação e por ser um exame de rápida execução. Desta forma os autores têm como objetivo discutir a contribuição da TCFC no planejamento de exodontia de terceiros molares inferiores, exemplificando situações clínicas com imagens de TCFC obtidas de um banco de dados secundário. Serão expostos dois casos de TCFC da região de terceiros molares inferiores que inferem acerca da real contribuição e dos critérios de indicação da TCFC para o planejamento da exodontia. O exame de TCFC pode contribuir para um planejamento cirúrgico mais seguro, minimizando complicações em casos específicos, porém a complexidade de cada caso deve ser sempre considerada, não devendo a TCFC ser solicitada indiscriminadamente.
    Renan Veiga Araújo
    PA-07 Avaliação in situ da efetividade de uma espuma fluoretada de pH neutro na remineralização de lesão de cárie artificial.

    Avaliação in situ da efetividade de uma espuma fluoretada de pH neutro na remineralização de lesão de cárie artificial.

    Castro LP*, Delbem ACB, Danelon M

    Cárie dentária; fluoreto; espuma fluoretada

    As espumas fluoretadas oferecem menor risco de ingestão de (F) devido à sua consistência e porque uma menor quantidade do produto é necessária para a aplicação. Até o momento não há estudos avaliando sua capacidade em remineralizar lesões de cárie. O objetivo do presente estudo in situ foi avaliar a capacidade de uma espuma fluoretada neutra em remineralizar lesões incipientes de cárie. Blocos de dentes bovinos foram selecionados através da microdureza superficial e divididos em três grupos experimentais: 1) grupo controle (sem tratamento); 2) tratamento com gel fluoretado neutro (2% NaF, DFL) e 3) tratamento com espuma fluoretada neutra (1,23% NaF, FGM). A aplicação dos produtos foram realizadas no início de cada fase, que durou três dias, com um período de descanso de quatro dias entre elas. Dez voluntários utilizaram dispositivos palatinos com quatro blocos cada. Dois blocos foram removidos 30 minutos após a aplicação de F para análise do fluoreto de cálcio (CaF2) formado. Os dois blocos restantes foram utilizados para análise de microdureza superficial e longitudinal e o CaF2 retido. Os resultados obtidos através das análises de microdureza superficial e longitudinal mostraram que não houve diferenças estatísticas entre os produtos fluoretados. A quantidade de CaF2 formado e retido foi maior nos blocos tratados com a espuma do que com o gel. Conclui-se que não há diferenças na capacidade em remineralizar lesões incipientes de cárie das espumas fluoretadas em comparação aos géis fluoretados. Apoio financeiro: FGM Produtos Odontológicos.
    Luciene Pereira de Castro
    PA-08 Eficácia de dentifrício de baixa concentração de flúor suplementado com hexametafosfato na desmineralização do esmalte

    Eficácia de dentifrício de baixa concentração de flúor suplementado com hexametafosfato na desmineralização do esmalte

    Kondo KY*, Sassaki KT, Camara DM

    Fluorose; flúor; fosfatos

    A ingestão involuntária de dentifrício por crianças menores de seis anos de idade é um fator de risco para o desenvolvimento da fluorose dentária. Uma maneira de reduzir o índice de fluorose é diminuir a concentração de fluoreto no dentifrício e suplementá-lo com cálcio e/ou fosfato, mantendo a mesma efetividade de um dentifrício padrão. Este trabalho avaliou in vitro a suplementação de dentifrício com hexametafosfato de sódio(HMP) associado a um dentifrício de baixa concentração de flúor (250 µgF/g) sobre a desmineralização do esmalte. Blocos de esmalte foram submetidos a repetidas ciclagens de pH alternadas sendo tratados diariamente com dentifrícios contendo 250 µgF/g, 250 µgF/g associado a concentrações de 0,5%,1% e 3% HMP; foram utilizados também um dentifrício sem adição de F e HMP (placebo), um comercial (Crest, de 1100 µgF/g) e dentifrícios na concentração de 0,5%,1% e 3% de HMP, somente.Os dentifrícios de 0,5% e 1% de HMP quando associados a 250 µgF/g, apresentaram um efeito semelhante ou maior quando comparado ao dentifrício padrão (Crest), já os dentifrícios de 250 µgF/g, dentifrícios na concentração de 0,5%,1% e 3% de HMP e 3% de HMP quando associados a 250 µgF/g apresentaram pouco efeito sobre o processo de remineralização do esmalte. Os resultados foram submetidos ao teste estatístico mais adequado para cada variável (p<0,05).Conclui-se que é possível reduzir a concentração de F a 250 µgF/g e obter uma ação comparável de um dentifrício comercial sobre a desmineralização do esmalte bovino através da suplementação com HMP nas concentrações de 0,5 e 1%.
    Karina Yuri Kondo
    PA-09 Abscesso em face após instalação de implantes dentários: relato de caso

    Abscesso em face após instalação de implantes dentários: relato de caso

    Vasconcelos LO*, Batista JD, Rocha FS

    Abscesso; infecção; implantes

    As infecções na região maxilofacial possuem uma apresentação clínica bastante variável dependendo das condições gerais do paciente e grau virulência do agente infeccioso. Geralmente elas são de origem odontogênica, entretanto, outros fatores podem estar relacionados. Será apresentado o caso de um paciente, 45 anos, gênero masculino, que compareceu no pronto-socorro do HC-UFU com aumento volumétrico na região submandibular direita. O paciente foi submetido a uma cirurgia para instalação de 5 implantes mandibulares há aproximadamente 20 dias, evoluindo com dor e aumento volumétrico progressivo. O paciente apresentava bom estado geral, porém com dispnéia e disfagia. Ao exame clínico extrabucal observou-se aumento volumétrico na região submandibular direita, com sinais flogísticos bem evidentes. No exame intrabucal observou-se a presença do dente 38 com doença periodontal, elevação do soalho lingual e uma úlcera na região do rebordo do lado direito. Devido à disfagia, dispnéia e evolução da infecção para o espaço submandibular esquerdo, optamos pela drenagem cirúrgica sob anestesia geral. Foram realizadas duas incisões submandibulares e uma submentoniana, havendo drenagem abundante de pús, além da exodontia do 38. Após a drenagem, foram colocados drenos de borracha e instituída antibioticoterapia com clindamicina, associada à soroterapia de suporte. Após 3 dias removeu-se os drenos e o paciente recebeu alta uma semana após a drenagem. Atualmente o paciente encontra-se em boas condições de saúde e radiograficamente não foram observadas alterações nas áreas dos implantes.
    Leandro de Oliveira Vasconcelos
    PA-10 Associação de técnicas: clareamento em consultório e clareamento de moldeira

    Associação de técnicas: clareamento em consultório e clareamento de moldeira

    Quagliatto LMM*, Quagliatto PS, Soares PV

    Clareamento; consultório; moldeira

    Relato do caso: paciente jovem, 21 anos, com dentes extremamente escurecidos (cor A4), e apresentando tecido gengival sadio, ausência de cáries e de dentina exposta. Após exame clinico e prolilaxia optou-se pela técnica combinada de clareamento (em consultório e de moldeira). Foram executadas 3 aplicações de 15 minutos do Mix One Supreme, na mesma sessão clínica. No 2º dia, o paciente iniciou a utilização do Mix Day(Peróxido de Hidrogênio 6%) por dois períodos de meia hora ao dia (durante 14 dias). Foi realizada mais uma sessão clínica com o Mix One Supreme, também com 3 aplicações de 15 minutos sem ativação. Executou-se também o polimento e aplicação de flúor ao final do tratamento clareador, passos extremamente importantes e indispensáveis. Como resultado final, a coloração que antes era A4 tornou-se A1. Após um período de aproximadamente 7 meses, observou-se que a coloração A1 dos dentes se manteve e o paciente não apresentou problemas de sensibilidade. Conclusão: conclui-se que a escolha de materiais de fácil manuseio, associado a um emprego correto das técnicas foram decisivos para a positiva resolução do caso.
    Laura Machado Martins Quagliatto
    PA-100 Hemimandibulectomia e a importância da reconstrução: relato de caso clínico

    Hemimandibulectomia e a importância da reconstrução: relato de caso clínico

    Toledo IC*, Rocha JRM, Junior BC

    Hemimandibulectomia; reconstrução; enxerto

    Introdução: a busca de novas técnicas cirúrgicas, pós ressecção em mandíbula, tem sido uma constante, visando a reabilitação do paciente. Observa-se que o tratamento cirúrgico de tumores avançados de mandíbula determina grandes seqüelas funcionais, estéticas e psicológicas. Com um conhecimento avançado, os profissionais podem ser mais agressivos na remoção do tumor enquanto há oportunidade para reabilitação e devolver ao paciente um convívio social adequado. Objetivo: apresentar um caso de um paciente que procurou o ambulatório de cirurgia e traumatologia Buco-Maxilo-Facial da Universidade Federal da Bahia com queixa "meu rosto está aumentando". Relato do caso: após avaliação com exame clínico, imaginológico e anatomopatológico foi diagnosticado Ameloblastoma sólido. Foi realizado hemimandibulectomia com reconstrução mandibular imediata para posterior reabilitação com implantes dentários. No momento paciente encontra-se em acompanhamento pós operatório de 3 anos, com resultado estético e funcional dentro do planejamento esperado juntamente com seu convívio social restabelecido.
    Ítalo Cordeiro de Toledo
    PA-11 Cirurgia paraendodôntica: relato de caso clínico

    Cirurgia paraendodôntica: relato de caso clínico

    Nery MS*, Vieira AC, Pereira RP

    Endodontia; apicectomia; obturação retrógrada

    Introdução: a cirurgia paraendodôntica é um conjunto de procedimentos com o objetivo básico de tratar lesões perirradiculares decorrentes de complicações do tratamento endodôntico ou seu insucesso. Relato de caso: incisivo lateral superior, portador de prótese coronária e retentor intrarradicular, com diagnóstico sugestivo de granuloma periapical. O tratamento da lesão perirradicular foi realizado através da curetagem, apicectomia, retropreparo com inserto de ultrassom e retro-obturação com MTA. O exame histopatológico confirmou a suspeita diagnóstica. O caso foi proservado por 01 ano.
    Marine Soares Nery
    PA-12 Detecção molecular do HPV em carcinoma espinocelular de boca: relato de caso clínico

    Detecção molecular do HPV em carcinoma espinocelular de boca: relato de caso clínico

    Barbosa FC*, Vêncio EF, Dias Filho AA

    Carcinoma espinocelular bucal; HPV; tumor maligno

    O carcinoma espinocelular bucal (CEC) é um tumor maligno epitelial com característica invasiva local, tendo como principal agente etiológico o tabagismo. Apesar de controversa, a infeção pelo papilomavirus humano (HPV) tem sido associada como fator carcinogênico. Neste trabalho, um caso clínico de CEC pobremente diferenciado é relatado com detecção molecular do HPV. Uma mulher de 83 anos de idade, feoderma, apresentou lesão exofítica séssil, localizada na mucosa jugal, cor esbranquiçada, consistência endurecida medindo 2 cm de diâmetro. Paciente relata sintomatologia dolorosa à mastigação com 20 dias de evolução e tabagismo e etilismo há 20 anos. A biopsia excisional mostrou neoplasia epitelial maligna pouco diferenciada apresentando positividade para citoqueratina 14. O exame de PCR mostrou presença de HPV no tumor. O paciente encontra-se bem após um ano de acompanhamento. Neste trabalho, um caso CEC bucal com infecção pelo HPV é apresentado.
    Fernanda da Costa Barbosa
    PA-13 Prevalência de traumatismos dentários e fatores associados em escolares de doze anos do município de Goiânia-GO

    Prevalência de traumatismos dentários e fatores associados em escolares de doze anos do município de Goiânia-GO

    Araújo JA*, Nunes MF, Vieira AS

    Traumatismos dentários; prevalência; epidemiologia

    O traumatismo dentário (TD) é considerado um problema de saúde pública, porém há poucos estudos sobre a sua relação com fatores sociais no Brasil. O objetivo do estudo foi determinar a prevalência de TD e fatores sociodemográficos associados em escolares de 12 anos de Goiânia-GO, em 2010. Realizou-se um estudo de prevalência com dados da ampliação do levantamento epidemiológico de saúde bucal para Goiânia, utilizando a metodologia das duas últimas Pesquisas Nacionais de Saúde Bucal do Ministério da Saúde (SB Brasil 2003 e 2010). A amostra probabilística e aleatória foi de 2.605 escolares de 39 escolas públicas e privadas. Através do teste do Qui-quadrado testou-se associação do TD com variáveis sociodemográficas (gênero, cor/raça, escolaridade da mãe, tipo de escola e localização da escola por Distrito Sanitário - DS); nível de significância de 5% Programa SPSS 17.0. No total da amostra, 17,2% tiveram experiência de TD. Cerca de 13% com fratura de esmalte, 3,8% de esmalte e dentina, 1% de esmalte e dentina com exposição pulpar e 0,05% avulsão do dente. Dos escolares com experiência de TD, 57,8% eram meninos e 17,2%, meninas (p=0,003); 75,7% de escolas públicas e 17,2% de escolas privadas (p=0,028). Entre os DS houve diferença estatística (p=0,029), sendo o Noroeste ? com indicadores socioeconômicos mais baixos ? o de maior prevalência (20,1%).
    Conclui-se que as fraturas de esmalte foram o tipo de TD mais prevalente e que houve associação com fatores sociodemográficos nos escolares pesquisados, evidenciando a influência da desigualdade social na saúde bucal da população.
    Júlia Arantes Araújo
    PA-14 Influência da extensão da lesão cervical e tipo de carregamento no padrão de distribuição de tensões e deformação

    Influência da extensão da lesão cervical e tipo de carregamento no padrão de distribuição de tensões e deformação

    Pimenta VCO*, Soares PV, Zeola LF

    Extensometria; elementos finitos; abfração

    Introdução: a redução de estrutura dental é fator modulador da rigidez do elemento dental. Objetivo: analisar a influência da lesão cervical e carregamento no comportamento biomecânico de pré-molares inferiores (PMI), empregando método de elementos finitos e extensometria. Material e método: foram padronizados 10 PMI e simulado ligamento periodontal. A deformação da estrutura dental de cada amostra foi analisada em 10 fases distintas e seqüenciais: H-dente hígido, LR- lesão rasa (0,5 mm de profundidade), LM-média (1,0 mm), LP-profunda (1,5 mm) e R-lesão restaurada, em cada fase foram aplicadas duas cargas: C- carga no longo eixo e I- inclinada simulando contato pré-maturo. Dois extensômetros foram fixados na face vestibular e mesial de cada amostra. As amostras receberam carregamento de 0-250N a 0,5 mm/min, com ponta metálica de Ø=3 mm. Foram gerados 5 modelos 2D, lineares, elásticos, que representavam os 10 grupos experimentais. Empregou-se critério de Von Mises. Resultados: extensometria (μS): HC- 722,9 (224,7)Ba, HI- 527,7 (299,9)Ba, LRC- 634,0 (236,9)Ba, LR- 743,9 (192,2)Ba,LMC 854,4 (240,1) Ba, LMI- 834,4 (426,6)Ba, LPC- 1306,4 (286,3)Aa, LPI- 1286,0 (361,4)Aa, RC- 651,8 (259,0)Ba, RI- 590,3 (244,1)Ba As lesões restauradas apresentaram distribuição de tensões similar ao dente hígido. Conclusão: quanto maior a extensão da lesão, maior a concentração de tensões e deformação da estrutura dental. A restauração adesiva recupera a rigidez da estrutura na ausência de carregamento inclinado.
    Vanessa Cristina Oliveira Pimenta
    PA-15 Planejamento reverso em implantodontia

    Planejamento reverso em implantodontia

    Lima RFC*, Correa MA, Barbosa MD

    Planejamento reverso; protocolo; carga imediata

    O Objetivo deste trabalho é relatar um caso clínico de protocolo de carga imediata realizado com planejamento reverso.
    Paciente do sexo masculino, portador de prótese total superior e inferior com insatisfação da prótese total inferior que não apresenta boa estabilidade. Foi planejado a execução de uma protocolo para solucionar a queixa do paciente.
    Foi realizada toda a sequência de confecção de uma prótese total convencional. Foi feita a duplicação da prótese total inferior que se transformou no guia cirúrgico. Baseado no guia cirúrgico foram instalados 5 implantes na mandíbila, distribuídos na região entre forâmes, seguindo o protocolo de Branemark.
    Concluída a fase cirúrgica, foi realizada a moldagem usando o guia cirúrgico como auxiliar para a transferência.
    Na fase laboratorial a protocolo foi confeccionada já tendo referência da posição dos dentes baseado no guia de transferência.
    Realizou-se a instalação da protocolo fazendo os ajustes oclusais necessários.
    Podemos concluir que através de uma técnica rápida e previsível os resultados estéticos e funcionais foram alcançados, atingindo a expectativa do paciente.
    Renata de Freitas Carvalho Lima
    PA-16 Cirurgia minimamente invasiva com função imediata

    Cirurgia minimamente invasiva com função imediata

    Barbosa MD*, Correa MA, Lima RFC

    Cirurgia sem retalho; função imediata; estética

    A instalação de implantes com carga imediata é apresentada como uma alteração do protocolo original dos implantes osseointegrados que recomenda um período de reparo tecidual de três a seis meses. O objetivo deste painel é apresentar um caso clínico onde a resolução terapêutica encontrada foi o emprego de implantes com cargas imediatas atendendo aos anseios estéticos e funcionais da paciente.
    Paciente L. X. 52 anos, sexo feminino apresentou-se para tratamento da arcada superior com implantes osseointegrados, com perda de todos os dentes superiores devido a doença periodontal.
    No presente trabalho, foi realizado o exame clínico e radiográfico da paciente, para planejamento do tratamento com instalação de 9 implantes. Para o exame topográfico foi realizado um guia para o estudo da localização dos implantes, este guia posteriormente foi transformado em guia cirúrgico. A cirurgia foi realizada sem retalho e foram realizados 9 implantes. Imediatamente após o procedimento cirúrgico os pinos de transferência foram instalados, e a moldagem dos implantes e das estruturas adjacentes com silicona de adição foi então realizada. Após 24 horas foi instalada a prótese com satisfação total da paciente.
    Esta técnica apresenta grandes avanços nos conceitos biológicos e clínicos q permitem ainda mais a utilização de implantes como meio para uma melhor qualidade de vida de pacientes edêntulos.
    Mariela Dornas Barbosa
    PA-17 Erosão dental relacionada à bulimia - diagnóstico e procedimento reabilitador funcional e estético: relato de caso

    Erosão dental relacionada à bulimia - diagnóstico e procedimento reabilitador funcional e estético: relato de caso

    Tizzo LS*, Novais VR, Simamoto Júnior PC

    Erosão dental; bulimia; interdisciplinalidade

    Objetivo: este trabalho objetivou estimular a conscientização dos profissionais da importância de identificar e propor tratamentos inter e multidisciplinares para as alterações bucais, por meio do relato de caso clínico de paciente com história de bulimia nervosa que resultou em complicação dental. Relato do caso: paciente do sexo feminino, 34 anos, procurou a Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia apresentando como queixa a necessidade de reabilitação estética dos dentes anteriores. A paciente possuía aparência magérrima e fragilizada (altura de 1,68 metros; peso: 49 kg; índice de Massa Corporal (IMC): 17,36). Ao exame clínico intra-oral foi possível identificar erosões com alteração nas faces palatina, incisal e vestibular dos incisivos superiores, que se apresentavam lisas e polidas. Foi proposto como plano de tratamento procedimento restaurador direto adesivo, possibilitando preservação da estrutura dental, com menor tempo clínico e custo reduzido. Inicialmente confeccionou modelos de estudo e montagem em articulador semi-ajustável para posterior enceramento diagnóstico e estudo das funções. Foram realizadas restaurações diretas com resina composta respeitando as etapas de condicionamento com ácido e hibridização das estruturas dentais. Finalizados os procedimentos restauradores, realizou-se ajuste oclusal, restabelecendo a guia anterior, propiciando conforto e função à paciente. Orientações com relação ao retorno para controle periódico foram realizadas, para que pudesse ter melhor acompanhamento clínico sistêmico e intra-oral da paciente.
    Laís Santos Tizzo
    PA-18 Extração de terceiro molar invertido: relato de caso

    Extração de terceiro molar invertido: relato de caso

    Oliveira SS*, Batista JD, Rocha FS

    Terceiro molar; cirurgia oral

    Dentes inclusos são aqueles que mesmo completamente desenvolvidos não irromperam na cavidade bucal, encontrando-se cobertos por tecido ósseo e/ou por mucosa. Os terceiros molares inferiores são os dentes mais frequentemente inclusos e a causa mais comum da não erupção é a falta de espaço, uma vez que são os últimos dentes a erupcionar. Com relação à angulação dos terceiros molares em comparação ao segundo molar, podemos classifica-los como verticais, mesioangulares, horizontais, transalveolares e invertidos, sendo essa última bastante rara. O objetivo desse trabalho é apresentar o caso clínico da paciente MCS, gênero feminino, 56 anos, que compareceu na Faculdade de Odontologia da UFU com queixa de dor na região mandibular direita. A paciente relatou que há 1 semana observou um ?pedaço de osso? na gengiva que dificultava o uso da prótese removível inferior. Ao exame clínico intra-oral observou-se edentulismo total, exposição de tecido duro na região posterior da mandíbula do lado direito e a mucosa adjacente com sinais flogísticos. Foi solicitado exame radiográfico periapical onde pode-se observar o dente 48 em posição invertida no ramo mandibular, associado a um espessamento do folículo pericoronário. Diante da exposição ao meio bucal, trauma em decorrência do uso da prótese total e espessamento do folículo observado na imagem radiográfica, optou-se pela exodontia do dente 48 sob anestesia local. O procedimento ocorreu sem intercorrências e no pós operatório foi observada boa cicatrização. O caso tem proservação de dois anos e atualmente a paciente se encontra sem queixas.
    Soraya da Silva Oliveira
    PA-19 Reimplante tardio e luxação intrusiva lateral de dentes permanentes em paciente traumatizado: relato de caso clínico

    Reimplante tardio e luxação intrusiva lateral de dentes permanentes em paciente traumatizado: relato de caso clínico

    Vilarinho AC*, Reis SMAS, Costa CRR

    Reimplante; luxação intrusiva; traumatismo

    O reimplante dental é a manobra de reinserir o dente, traumaticamente removido, no seu alvéolo. Quando um dente é avulsionado, o reimplante imediato é o procedimento ideal, porém nem sempre é uma realidade clínica. A luxação intrusiva, por sua vez, é o deslocamento excêntrico do dente, ocasionando um esmagamento do alvéolo. No presente trabalho é relatado o caso de avulsão e luxação intrusiva lateral de incisivos centrais permanentes superiores em um mesmo paciente. O reimplante foi realizado após 8 horas de permanência fora da boca e o dente que se apresentava com luxação intrusiva foi reposicionado digitalmente. Os elementos foram imobilizados por contenção semi-rígida com fio de aço do tipo Twist Flex e o paciente foi acompanhado durante um ano. Foram realizadas radiografias periapicais analisando-se a técnica endodôntica utilizada, os tecidos periodontais, a integridade radicular e os fundamentos que justificam a reimplantação tardia, mesmo em casos de longa permanência extrabucal. Ao final de 3 meses, os dentes encontravam-se sem mobilidade e o elemento que sofreu luxação respondeu positivamente ao teste de vitalidade pulpar. Os resultados deste caso nos levam a concluir que o reimplante dental, mesmo que tardio, e a manipulação delicada do elemento intruído, são procedimentos conservadores, que visam eliminar danos estéticos, sociais e psicológicos para o paciente.
    Anaisa Cristina Vilarinho
    PA-20 Plantas medicinais mais utilizadas na terapêutica periodontal no Nordeste

    Plantas medicinais mais utilizadas na terapêutica periodontal no Nordeste

    Ponte ED*, Cunha GH, Lobo PLD

    Plantas medicinais; periodontia

    A utilização das plantas como fontes de medicamentos para o tratamento de enfermidades remonta a idade antiga. Entretanto, observou-se nas últimas décadas um aumento da comercialização dos medicamentos fitoterápicos, ocorrendo paralelamente um interesse crescente da indústria farmacêutica por estudos científicos de novas substâncias com ação terapêutica. O objetivo deste trabalho foi realizar uma pesquisa com a finalidade de verificar as plantas mais utilizadas pela população nordestina. Para tanto, fez-se uma pesquisa no Programa Farmácias Vivas, que possui unidades em cidades do Ceará, Piauí, Maranhão e Rio Grande do Norte e no banco de dados dos mesmos, no período de 2001 a 2011. Constatou-se que são inúmeras as plantas medicinais existentes no Brasil, e muitas se encontram no semi-árido brasileiro, o que facilita o aproveitamento do potencial curativo dos vegetais para o tratamento das doenças periodontais. Espécies como o cravo-da-índia, romã, malva, eucalipto, própolis, neem, alecrim-pimenta, entre outras, são indicadas nos casos de gengivite e cárie, e lideram o índice de procura pela população. Programas preventivos e curativos têm estimulado a avaliação de diferentes extratos de plantas para o controle do biofilme dental. O Brasil é um país que possui grande potencial para a Fitoterapia, devido sua biodiversidade. Esse potencial, associado ao conhecimento tradicional das plantas medicinais e à tecnologia pode ser utilizado de forma a garantir a eficácia e segurança dos medicamentos fitoterápicos.
    Emerson Dias Ponte
    PA-21 Manifestação bucal da hanseníase: relato de caso

    Manifestação bucal da hanseníase: relato de caso

    Vilela ALR*, Paulo LFB, Gomes CRMG

    Hanseníase; cavidade oral; lesão granulomatosa

    Relato do caso: paciente de 31 anos, gênero masculino, leucoderma, trabalhador rural com lesão em rebordo alveolar e em lábio presente há 4 meses. O paciente relatou ser etilista, tabagista e ter hábito de mascar capim. Relatou também que a lesão iniciou no rebordo e que estendeu para o lábio, apresenta tosse leve e negou qualquer alteração sistêmica. O exame extra-oral mostrou uma úlcera coberta com crosta escurecida no lábio superior, próxima ao filtro labial. No exame intra-oral foi possível perceber que a lesão do lábio se estendia para dentro da cavidade oral, com a presença de um cordão endurecido que unia a lesão extra-oral com uma área granulada com pontos mais avermelhados na região vestibular do rebordo alveolar. Foi sugerido o diagnóstico de Paracoccidioidomicose e realizada citologia exfoliativa da lesão. O laudo histológico revelou reação inflamatória crônica, sugerindo inflamação granulomatosa. Com o diagnóstico ainda não concluído, o paciente foi submetido a realização de biópsia incisional da lesão do rebordo que obteve resultado compatível com Hanseníase. Devido ao laudo histopatológico reavaliamos a condição cutânea do paciente e foram encontradas lesões de pele também compatíveis com a doença. O paciente foi encaminhado a um centro de tratamento da Hanseníase e está em acompanhamento de 6 meses.
    Ana Laura Rezende Vilela
    PA-22 Síndrome de Hallermann-Streiff: uma revisão de literatura

    Síndrome de Hallermann-Streiff: uma revisão de literatura

    Gonçalves PA*, Fonteles CSR, Amaral ES

    Síndrome de Hallermann-Streiff; pacientes especiais

    A síndrome de Hallermann ? Streiff é um distúrbio genético, extremamente, raro, com cerca de 150 relatos de caso na literatura mundial. A maioria dos casos ocorrem ao acaso, por motivos desconhecidos e podem ser o resultado de mutações ou alterações no material genético. A síndrome se caracteriza por indivíduos com baixa estatura, hipotricose, microftalmia, catarata congênita, nariz afilado, micrognatia, atrofia de pele e severas anomalias dentais. Complicações em potencial nos portadores da síndrome estão relacionadas com as vias aéreas superiores, diretamente associados com a forma do crânio, em particular o pequeno queixo, a boca e o nariz. As passagens aéreas estreitas podem resultar em dificuldades de alimentação e respiração. Problemas dentários são muito comuns, incluindo a presença de dentes natais e neonatais, dentes supranumerários, subdesenvolvimento do esmalte e dentina como também, falta, malformação e / ou alinhamento inadequado dos dentes. O presente trabalho objetiva descrever e discutir as diversas manifestações presentes nos portadores dessa síndrome, além de sugerir formas de tratamento adequadas para esses pacientes.
    Polyanna de Andrade Gonçalves
    PA-23 Atuação do odontolegista na identificação humana, da análise dos ossos do crânio a reconstrução facial: relato de caso

    Atuação do odontolegista na identificação humana, da análise dos ossos do crânio a reconstrução facial: relato de caso

    Lima SHR*, Daruge Júnior E, Rondon BCS

    Identificação humana; antropologia forense; odontologia

    A atuação do Odontolegista nos procedimentos de identificação humana é de grande importância, principalmente quando os métodos tradicionais não podem ser usados, sendo de igual importância, mesmo sem uma suposta vítima, pois o trabalho realizado diminui o leque de suspeitos, quando os dados são cruzados com banco de dados de pessoas desaparecidas. O presente trabalho objetiva mostrar a sequência de exame pericial do odontolegista, desde o recebimento de uma ossada humana desconhecida até a reconstrução facial. Uma ossada foi encaminhada para exame, e foi constatado que todos os ossos eram humanos e não havia duplicidade, indicando que se tratava de um único indivíduo, sendo que o crânio estava fragmentado em mais de 15 partes. Os ossos cranianos passaram para por processo de limpeza para melhor avaliação dos caracteres anatômicos. Após este processo os ossos foram montados em seus locais anatômicos corretos para exame antropológico, qualitativos e quantitativos, com o objetivo de estabelecer gênero, estimativa de idade, etnia e estatura. Foram encontradas lesões compatíveis com orifícios com arma de fogo, sendo três orifícios de entrada na região occipital e um orifício de saída na região supra orbital esquerda. Depois foram reconstruídas as partes ósseas faltantes para o processo de moldagem do crânio e estabelecimento dos pontos correspondente as espessuras de tecido mole. A reconstrução facial foi realizada de forma manual e depois de terminada, foi fotografada e, por meio o software CorelDraw foram colocados cabelos e sobrancelhas.
    Silas Henrique Rabelo de Lima
    PA-24 Restabelecendo a autoestima por meio da técnica de microabrasão

    Restabelecendo a autoestima por meio da técnica de microabrasão

    Conceição JM*, Aguiar SHMC, Camara DM

    Microabrasão; estética; fluorose

    Introdução: A autoestima e a qualidade de vida são essenciais para o desenvolvimento psicossocial da criança. Alterações na estética dental, tais como manchas ou fraturas, são responsáveis pela introspecção e a auto rejeição. Procedimentos com o intuito de remover manchas nos dentes têm sido muito requisitados. Dentre esses procedimentos, inclui-se a técnica de microabrasão do esmalte. A microabrasão do esmalte é um método que visa a remoção de descolorações no esmalte dentário, além de ser pouco invasiva, simples, rápida, eficaz e segura. Objetivo: relatar um caso clínico de um paciente A.L.T.S., sexo feminino, 11 anos de idade, melanoderma, com manchas brancas nos dentes sugestivas de fluorose dentária de grau 3, associada a trauma nos incisivos centrais superiores, durante a formação dentária. Material e Método: os dentes comprometidos foram submetidos a técnica de microabrasão com ácido hidoclorídrico a 18% e pedra pomes, realizadas em 4 sessões. Resultados: Ao final da última sessão, a paciente e seus responsáveis mostraram-se extremamente satisfeitos com o resultado estético alcançado por esta técnica, elevando consideravelmente a auto-estima da paciente.
    Juliana Mendonça da Conceição
    PA-25 Aprofundamento de vestíbulo superior e inferior com instalação imediata de prótese

    Aprofundamento de vestíbulo superior e inferior com instalação imediata de prótese

    Cunha PC*, Rocha FS, Batista JD

    Sulcoplastia; cirurgia pré-protética; cirurgia oral

    Cirurgias com finalidade protética são procedimentos realizados com o objetivo de facilitar a adaptação, retenção e manutenção de uma prótese na boca. As sulcoplastias para aprofundamento de vestíbulo geralmente são realizadas em pacientes com atrofia severa do rebordo alveolar devido à perda dental, entretanto, podem ser realizadas em pacientes com perda de profundidade de vestíbulo em decorrência de trauma na região maxilofacial. No presente relato é apresentado um caso clínico de um paciente do gênero masculino, feoderma, que foi encaminhado para o serviço de CTBMF da UFU para correção cirúrgica do vestíbulo maxilar e mandibular devido a traumatismo dentoalveolar severo. Ao exame clínico observou-se ausência dos elementos 22,21,11,12,33,32,31,41,42 e 43 associada a uma perda significativa de profundidade de vestíbulo nas regiões afetadas. Radiograficamente observou-se perda óssea, porém com altura suficiente para a vestibuloplastia. Optou-se pela realização de um aprofundamento de sulco vestibular, com epitelização secundária e instalação imediata de próteses removíveis provisórias. A técnica de Sulcoplastia por Epitelização secundária é um procedimento simples, pouco traumática, possível de ser realizado em consultório apresentando resultados satisfatórios. A associação dessa técnica com a instalação de próteses imediatas aumenta o sucesso da técnica uma vez que diminuem as chances de recidiva.
    Paola Costa Cunha
    PA-26 Correção ortodôntico-cirúrgica de paciente padrão III com assimetria facial

    Correção ortodôntico-cirúrgica de paciente padrão III com assimetria facial

    Oliveira LV*, Almeida GA, Lelis ER

    Assimetria facial; ortodontia; cirurgia ortognática

    Paciente do gênero feminino, leucoderma, 20 anos de idade, procurou tratamento ortodôntico devido assimetria facial evidente para o lado esquerdo e ausência de selamento labial espontâneo. A paciente apresentava má oclusão Classe III de Angle com atresia dos arcos dentários, mordida cruzada anterior e posterior unilateral esquerda, desvio da linha média superior para direita (1,5 mm) e inferior para esquerda (4 mm). A maxila apresentava-se deficiente no sentido ântero-posterior e com excessivo aumento vertical no lado direito, enquanto que a mandíbula e o terço ântero-inferior encontravam-se acentuadamente aumentados. Os incisivos superiores apresentavam-se vestibularizados (±5,5º) e os inferiores verticalizados (±6º). A fase pré-cirúrgica do tratamento ortodôntico consistiu de expansão da maxila assistida cirurgicamente com a utilização do expansor de Haas e alinhamento e nivelamento dentário. A cirurgia ortognática envolveu: avanço da maxila com impacção superior (Le Fort I), principalmente do lado direito; redução do prognatismo mandibular e correção de sua assimetria; e, mentoplastia com avanço e redução em altura. Após correções cirúrgicas foi realizada mecânica de elásticos de Classe III e de intercuspidação. Foi obtida uma boa estética facial com correção da assimetria e agradável suavização do perfil. A dimensão transversal da maxila foi restabelecida, foi alcançada uma boa relação dentária entre as arcadas e o posicionamento dentário possibilitou condição favorável para a obtenção de guias excursivas funcionais.
    Lilian Vieira Oliveira
    PA-27 Calculando honorários odontológicos

    Calculando honorários odontológicos

    Sousa VR*, Yarid SD, Gomes DM

    Honorários; cirurgiões-dentistas; custos e lucros

    Objetivo: este trabalho tem o objetivo de analisar a preparação administrativa dos cirurgiões-dentistas do município de Jequié-Ba; avaliar quais fatores devem ser utilizados na determinação de seus honorários, baseando-se nos critérios éticos e legais para elaboração desses valores; e identificar suas maiores dificuldades. Material e método: foi aplicado um questionário com quatro perguntas para trinta e nove profissionais de um universo de sessenta cirurgiões-dentistas atuantes no município de Jequié-Ba e inscritos no Conselho Regional de Odontologia da Bahia. Resultados: após a tabulação dos dados da pesquisa verificou-se que 46,15% estão satisfeitos com sua renda mensal; 30,77% sabem quanto custa sua hora clínica; 48,72% calculam seus honorários. Quanto ao método usado no cálculo dos honorários 20,51% calculam baseados no faturamento, considerando as despesas fixas, variáveis e o tempo de trabalho, 12,82% utilizam tabelas disponíveis pela CRO/ABO, planos odontológicos ou pela própria clinica, 5,13% não utilizavam nenhum método de cálculo, 2,56% não sabiam como calcular, 2,56% utilizavam métodos e bases digitais, e 53,84% não responderam. Conclusão: grande parte dos profissionais do município de Jequié-Ba, apresentou deficiência no conhecimento a respeito dos padrões e métodos éticos e legais utilizados para o cálculo dos honorários.
    Vanessa Rocha Sousa
    PA-28 Avulsão dental nas práticas esportivas e procedimentos de reimplante: os educadores sabem o que fazer?

    Avulsão dental nas práticas esportivas e procedimentos de reimplante: os educadores sabem o que fazer?

    Simoneti LF*, Squillace JM, Furquim BA

    Avulsão; reimplante; esportes

    -Objetivo:
    O objetivo deste trabalho foi pesquisar o nível de conhecimento dos profissionais de educação física e educadores do ensino fundamental de escolas públicas e privadas da cidade de Tangará da Serra-MT frente à avulsão dental e aos procedimentos de reimplante, despertando uma visão holística, contribuindo para salvar o elemento dentário. Visto que as práticas desportivas nas escolas contribuem para um crescente aumento de casos de traumatismo dental, estes profissionais pesquisados estão intimamente relacionados as vítimas de avulsão dental e não possuem o conhecimento necessário para prestar os primeiros socorros e realizar o reimplante dental, não contribuindo para um prognóstico favorável.
    -Materiais e Métodos:
    Foram entrevistados 130 professores, por meio de um questionário de múltipla escolha, enfocando os conhecimentos de socorro imediato nos casos de avulsão dental.
    -Resultado:
    Os dados demonstraram que 72% dos entrevistados não sabem o que é avulsão. A respeito do meio de armazenagem do dente avulsionado, o leite foi eleito por 30% dos pesquisados como melhor meio de armazenagem, porém o soro fisiológico é o mais indicado, sendo apenas escolhido por 7% dos entrevistados.
    -Conclusão:
    Conclui-se que a maioria dos entrevistados desconhece a avulsão dental nas práticas desportivas e os procedimentos de reimplante, bem como a abordagem a vítima de avulsão.
    Luis Fernando Simoneti
    PA-29 Hiperplasia epitelial focal em paciente idoso: o valor da biópsia como diagnóstico e tratamento

    Hiperplasia epitelial focal em paciente idoso: o valor da biópsia como diagnóstico e tratamento

    Macedo TBC*, Castro LA, Barbosa FC

    Hiperplasia epitelial focal; doença de Heck; papiloma vírus humano

    A Hiperplasia Epitelial Focal (HEF), ou doença de Heck, é uma entidade patológica rara, de caráter benigno, que se caracteriza pela presença de múltiplas pápulas e nódulos sésseis distribuídos pela mucosa bucal, especialmente nos lábios, mucosa jugal e língua. A HEF acomete usualmente crianças e adultos jovens com ascendência indígena e está associada à infecção pelo papilomavírus humano. No presente trabalho, relatamos o caso de um homem de 60 anos, feoderma, procedente do Maranhão, que foi encaminhado para avaliação de lesões nodulares múltiplas em lábio superior e lesão solitária em borda lingual direita. O nódulo lingual, mais volumoso, medindo aproximadamente 12 mm, recebia freqüentes traumas mastigatórios e dificultava a alimentação. Embora o paciente negasse ter ascendência indígena, o aspecto característico das lesões bucais levou ao diagnóstico clínico HEF. Assim, com finalidade de confirmação diagnóstica e de eliminar o desconforto mastigatório, foi realizada a biópsia excisional da lesão lingual. O exame histopatológico evidenciou proliferação epitelial com acantose proeminente, presença de coilócitos e eventuais células mitosóides. Esses achados microscópicos foram compatíveis com a hipótese clínica de HEF. Após 12 meses, não se observou recidiva da área operada, tendo o paciente relatado sensível melhora na sua função mastigatória. As lesões labiais mantiveram aspecto inalterado. Esse caso ressalta a rara ocorrência de HEF em paciente idoso e o benefício da excisão cirúrgica de lesões que estejam interferindo com a estética ou função mastigatória.
    Taysa Borges Cardoso Macedo
    PA-30 Reabilitação oral estética por meio de transformação dental com ênfase da integridade do aparelho estomatognático

    Reabilitação oral estética por meio de transformação dental com ênfase da integridade do aparelho estomatognático

    Porto AKV*, Sousa SJB, Soares CJ

    Transformação dental; resina composta; oclusão

    As agenesias dentais são condições freqüentes tendo uma predileção pelo gênero feminino em uma proporção de 3:2 sendo o acometimento de incisivos laterais uma condição de difícil tratamento que compromete a oclusão do paciente. Paciente do gênero feminino 22 anos de idade compareceu a clinica integrada da FOUFU se queixando de desconforto da ATM e insatisfação estética, ao exame clínico se verificou a ausência dos incisivos laterais superiores, mordida profunda e instabilidade oclusal sem guias canina, foi então proposto ajuste oclusal e transformação dental dos caninos em incisivos laterais. Para tanto foi montado os modelos em articulador semi-ajustavel para mapeamento do ajuste, em seguida foi realizado o ajuste, buscando uma guia de função em grupo. Após o termino do ajuste iniciou-se o tratamento cosmético, primeiramente encerou o modelo, selecionando a necessidade de desgaste e confeccionou um Mok-up, a cor A2 foi selecionada para os caninos e A1 para os incisivos centrais, em seguida foi realizado isolamento absoluto, condicionamento ácido por 30s e hibridização da estrutura dental com adesivo convencional de 2 passos, e só então foi inserido a resina composta sendo todas de cor para esmalte, o acabamento foi feito com disco sof-lex e o polimento com pontas de silicone e pasta diamantada. A realização do ajuste da oclusão foi importante para o sucesso clínico do tratamento proporcionando maior estabilidade oclusal e longevidade ao caso, sendo o ajuste estético altamente satisfatório ao devolver uma harmonia estética do sorriso e aumentando a auto-estima da paciente.
    Ana Karoline Vilela Porto
    PA-31 Organograma digital para prescrição radiográfica em odontologia

    Organograma digital para prescrição radiográfica em odontologia

    Oliveira JB*, Nery Neto I

    Radiologia; radiografia dentária; prescrição eletrônica

    Objetivo: O objetivo deste trabalho foi desenvolver um organograma, através da lista do Gráfico SmartArt (Microsoft Power Point 2007), a partir da literatura atualizada, para auxiliar o cirurgião dentista na decisão de indicar o exame radiográfico mais adequado nas diversas situações clínicas. Material e método: Inicialmente, foi realizada uma pesquisa bibliográfica sistemática sobre prescrição radiográfica nos bancos de dados eletrônicos do Pubmed e Bireme com o objetivo de selecionar guias de prescrição radiográfica em Odontologia. Três quadros foram elaborados a partir dos guias. Um para crianças, o segundo para adolescentes e o terceiro para pacientes adultos. Resultados: Os quadros foram a base para o desenvolvimento de um organograma realizado através da lista do Gráfico SmartArt (Microsoft Power Point 2007) associado ao recurso hiperlink e finalizado como documento eletrônico de extensão pdf.
    Conclusão: A partir da metodologia adotada foi possível elaborar um organograma intuitivo e interativo para prescrição radiográfica em odontologia, onde é possível encontrar o exame radiográfico mais indicado de acordo com a faixa etária e condição clínica de cada paciente.
    Jéssica Barra de Oliveira
    PA-32 Associação entre maloclusão na dentição permanente e fatores sociais em escolares

    Associação entre maloclusão na dentição permanente e fatores sociais em escolares

    Vasconcelos DN*, Freire MCM, Nunes MF

    Epidemiologia; escolares; maloclusão

    OBJETIVO: Conhecer a prevalência de maloclusão dentária em escolares de 12 anos e sua associação com fatores sociais no município de Goiânia-GO, em 2010. MATERIAL E MÉTODO: Estudo transversal com o delineamento da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal do Ministério da Saúde (Projeto SB BRASIL 2010). Foram examinados 2.075 escolares (taxa de resposta=79,65%), selecionados aleatoriamente em 39 escolas das redes pública e privada de ensino do município. Os exames bucais foram nas escolas, sob luz natural, com a utilização do Índice de Estética Dental- DAI. Os fatores sociais foram o sexo, a cor ou raça dos escolares, a escolaridade da mãe e o tipo de escola (pública e privada). Aprovado no Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Goiás (Parecer no 226/2010). Para comparação entre os grupos utilizou-se o teste qui-quadrado. RESULTADOS: A prevalência de maloclusão foi de 39,4% (n=818). As freqüências do DAI foram: 20,1% (n=417) definida; 10,6% (n=219) severa e 8,8% (n=182) muito severa. A maloclusão foi mais frequente em escolares na rede pública (78,4%) que na rede privada (21,6%); da cor ou raça não branca e entre as mães com menor escolaridade; com diferença estatisticamente significativa também por Distrito Sanitário (p=0,000). CONCLUSÃO: A prevalência de maloclusão dentária foi superior a um terço do total de escolares com predomínio dos níveis definida e severa. A relação com fatores sociais demostra a importância no planejamento das ações voltadas à vigilância em saúde da população no município.
    Daniela Nobre Vasconcelos
    PA-33 Descrição de técnica para reprodução de gomas de mascar em análise de marcas de mordida.

    Descrição de técnica para reprodução de gomas de mascar em análise de marcas de mordida.

    Figueiredo B*, Silva RHA, Flores MRP

    Odontologia legal; marcas de mordida; goma de mascar

    Um dos campos de atuação do especialista em Odontologia Legal é o estudo de marcas produzidas por mordidas humanas, cuja base científica consiste na premissa da individualidade da dentição e na presunção de sua reprodução nos mais diferentes locais de suporte, que podem ser animados ou inanimados, como objetos, alimentos e, até mesmo, uma goma de mascar deixada em uma cena de crime. Esta última possui a capacidade de registrar as superfícies oclusais dos dentes posteriores, contendo informações únicas do indivíduo. Essas características apresentadas pelos dentes e pelo arco dental podem ser de grande valia na inclusão ou exclusão de um suspeito. Qualquer prova material só possui valor probatório quando for corretamente registrada e preservada. Nesse sentido, o estudo da goma de mascar como evidência torna o trabalho do perito ainda mais minucioso, devido às suas características elásticas e de fácil deformação, o que favorece alterações e, consequentemente, sua invalidação pericial e judicial. O objetivo desse trabalho foi a descrição de uma técnica para a reprodução da goma de mascar em silicona de adição e de condensação, adaptando um procedimento inicalmente descrito para a duplicação de próteses, por meio da inclusão em alginato utiilizando um duplificador ou outro objeto adaptado para esse fim. Verificou-se que tal processo pode ser de fácil execução, garantindo a preservação da prova real e a reprodução fiel do material questionado, permitindo ao perito odontolegista uma análise minuciosa e precisa das gomas de mascar quando constituem elemento de análise pericial.
    Beatriz Marque de Jesus Figueiredo
    PA-34 Osteoma central em corpo mandibular

    Osteoma central em corpo mandibular

    Oliveira VR*, Rocha FS, Santos GS

    Osteoma; cirurgia; mandíbula

    Osteomas são tumores benignos circunscritos compostos de osso maduro, compacto ou medular. Aparentemente, sua etiologia é desconhecida, entretanto, alguns autores sugerem que sua origem seja traumática, infecciosa ou uma alteração do desenvolvimento. Podem ser classificados em três grupos: central, periférico e extra-ósseo. Possuem crescimento lento e, geralmente, são diagnosticados acidentalmente devido à falta de sintomatologia dolorosa. O tratamento de escolha é a remoção cirúrgica, sendo muito discutido o tipo de abordagem e a técnica utilizada. Este trabalho relata um caso clínico de osteoma central em corpo mandibular direito identificado durante avaliação odontológica de rotina, cujo tratamento instituído foi a remoção cirúrgica sob anestesia local.
    Vinícius Rodrigues de Oliveira
    PA-35 Ulotomia como opção de tratamento em caso de erupção tardia dos incisivos centrais superiores: relato de caso clínico

    Ulotomia como opção de tratamento em caso de erupção tardia dos incisivos centrais superiores: relato de caso clínico

    Silva SAS *, Souza JB, Vieira LAC

    Ulotomia; erupção dentária; incisão

    Ulotomia é a incisão na gengiva com imediata exposição do bordo incisal ou da superfície oclusal recobrindo dentes não irrompidos seja por atraso de erupção, fibrose gengival, dentes parcialmente irrompidos ou cistos de erupção. A técnica consiste em anestesia infiltrativa por vestibular com a complementação de intrapapilar quando necessário, demarcação da incisão com sonda exploradora, incisão linear látero-lateral sobre o bordo gengival fibroso, remoção das fibras e limpeza da ferida. Paciente A.P.G.S.S, gênero feminino, de 8 anos de idade, compareceu à Faculdade de Odontologia/UFG com a queixa de ausência dos elementos 11 e 21. Durante a anamnese, constatou-se a ausência de alterações sistêmicas e não houve relato de fatores que pudesse resultar em tal retardo, como por exemplo, a ocorrência de trauma local ou perda precoce do dente decíduo. Dessa forma, foi realizado a ulotomia já sendo possível observar o bordo incisal dos incisivos centrais. A ulotomia constitui uma terapia conservadora importante para a erupção de alguns dentes, devendo haver o correto planejamento e a indicação adequada, sendo imprescindíveis os exames clínico e radiográfico para a execução do procedimento na clínica odontológica.
    Soray Alvarinda Sousa da Silva
    PA-36 Fechamento de diastema ântero-superior por meio de aparatologia corretiva parcial

    Fechamento de diastema ântero-superior por meio de aparatologia corretiva parcial

    Rezende MMF*, Almeida GA, Lelis ER.

    Tratamento ortodôntico; diastema; aparelho fixo parcial

    Paciente do gênero feminino, leucoderma, 47 anos de idade, procurou tratamento ortodôntico queixando-se de diastema entre os incisivos centrais superiores após tentativas insatisfatórias de fechamento por cosmética. A paciente apresentava perfil convexo, má oclusão Classe I de Angle, diastema ântero-superior com perda óssea nesta região e discrepância de Bolton, por excesso de massa dentária inferior. Apresentava uma relação satisfatória das bases ósseas e os incisivos superiores e inferiores relativamente bem posicionados. O plano de tratamento estabelecido consistiu de instalação de barra palatina e arco lingual de Nance para ancoragem dos molares superiores e inferiores respectivamente, aparelho corretivo fixo de canino a canino em ambos os arcos dentários, desgastes interdentários na região ântero-inferior seguido de intrusão e retração deste segmento e concomitante remoção da resina existente no diastema ântero-superior e seu subsequente fechamento. O resultado estético obtido foi satisfatório, permitindo a eliminação total do diastema e uma boa reparação do defeito ósseo pré-existente, acompanhado de desejável acomodação da papila gengival.
    Marina Monteiro Figueiredo Rezende
    PA-37 Estudo de prevalência de distúrbios psíquicos menores no contexto da atenção básica

    Estudo de prevalência de distúrbios psíquicos menores no contexto da atenção básica

    Rego KS *, Costa JA, Oliveira MEM

    Saúde mental; prevalência

    Introdução: Distúrbios Psíquicos Menores (DPM) é uma expressão utilizada para designar sintomas tais como: insônia, fadiga, irritabilidade, esquecimento, dificuldade de concentração e queixas somáticas. Material e método: realizou-se um estudo epidemiológico descritivo no Bairro George Américo, Feira de Santana-BA. O instrumento de coleta de dados foi composto por questões sobre variáveis sociodemográficas, hábitos de vida e o SRQ-20. A população estudada foi composta por pessoas com idade ≥ 18 anos que consentiram participar do estudo após a leitura e assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Foram entrevistadas 73 pessoas. Resultados: a prevalência de DPM detectados por meio do SRQ-20 foi de 30,1%. No que diz respeito à idade, 58,9% tinham idade igual ou maior que 40 anos entre essas a prevalência de DPM foi de 39,5%. Entre as pessoas que referiram nunca ter fumado a prevalência foi de 20,8% entre os fumantes foi de 41,7%. Detectou-se elevada prevalência de suspeitos de DPM entre as pessoas com idade ≥ 40 anos e entre os fumantes. Entre as variáveis analisadas a idade mostrou ter maior significância estatística com p= 0,036, o hábito de fumar apresentou valor de p= 0,054. Conclusão: os resultados apontam para necessidade de ações voltadas para a saúde mental na atenção básica e estimulam a continuidade das atividades desenvolvidas.
    Keila da Silva do Rego
    PA-38 Faceta cerâmica unitária: solução para dente escurecido

    Faceta cerâmica unitária: solução para dente escurecido

    Cardoso MRGD*, Takano AE, Oliveira MBRG

    Cerâmica; cor; estética dentária

    O avanço dos materiais restauradores e das técnicas adesivas vem possibilitando soluções estéticas e conservadoras para casos de escurecimento dental. Paciente G.T., sexo feminino, 25 anos, compareceu à clínica com a queixa de escurecimento do elemento 11. Na anamnese a paciente relatou já ter sido submetida a clareamento intracanal, sem sucesso. No exame radiográfico constatou-se tratamento endodôntico satisfatório e presença de pino de fibra de vidro. Planejou-se então reabilitação com faceta cerâmica Empress Esthetic. O preparo foi executado com auxílio de guias de silicone para orientação da quantidade de desgaste no substrato escurecido. A seleção de cor foi definida através do uso de escala VITA e fotografias. Após fase laboratorial, a prova da faceta foi realizada com gel hidrossolúvel, para verificação de ajuste e adaptação no preparo e harmonia com os dentes adjacentes, de contorno, cor e forma. A cimentação foi realizada com Choice 2 Veneer Cement, na cor A1. O conhecimento sobre a quantidade de desgaste e a determinação do sistema cerâmico e cimento resinoso apropriados possibilitaram o mascaramento do substrato escurecido e foram determinantes para sucesso do resultado.
    Mariana Rodrigues Gil Daher Cardoso
    PA-39 Controle a longo prazo de 445 implantes em 60 pacientes submetidos a enxerto autógeno da crista ilíaca

    Controle a longo prazo de 445 implantes em 60 pacientes submetidos a enxerto autógeno da crista ilíaca

    Prado FZX*, Ribeiro Filho SA, Oliveira JC

    Enxerto autógeno; crista ilíaca, implantes

    Os defeitos ósseos são uma conseqüência comum após a perda dentária e quase sempre constituem fatores importantes na limitação dos procedimentos que visam devolver ao paciente suas condições básicas de estética e função. A resolução desses inconvenientes tem sido realizada por meio de procedimentos de enxertia, que visam especificamente à reconstrução dos tecidos perdidos, permitindo desta forma a reabilitação integral do paciente. O uso do osso ilíaco como material de enxertia é indicado quando grande quantidade de tecido ósseo é necessário e as áreas doadoras intrabucais são incapazes de suprir esta necessidade. Este estudo foi realizado em clínica particular na cidade de Goiânia, Goiás, Brasil entre os anos de 2001 à 2009, com 60 pacientes, sendo os procedimentos cirúrgicos realizados pela mesma equipe, composto por dois cirurgiões dentistas, um médico ortopedista e outro anestesista. Os pacientes selecionados tinham maxilas extremamente reabsorvidas, sendo, portanto, excluídos de qualquer planejamento reabilitador convencional. Dos 445 implantes instalados neste período, 172 implantes, em 21 pacientes, receberam próteses com carga imediata (38,65%), e destes, apenas 6 implantes (3,48%) falharam em um único paciente durante período do estudo.  Os outros 273 implantes receberam próteses após 5 meses de cicatrização, com perda de apenas 7 implantes (2,56%) em um único outro paciente. O índice de sobrevivência geral foi de 97,07%, com proservação de 9 anos.
    Felipe Zago Xavier do Prado
    PA-40 Restabelecimento da harmonia dentofacial com facetas diretas em resina composta: relato de caso

    Restabelecimento da harmonia dentofacial com facetas diretas em resina composta: relato de caso

    SILVA CO*, CARDOSO PC, SOUZA JB

    resinas fotopolimerizáveis; estética; harmonia dentofacial.

    Introdução: a utilização das resinas fotopolimerizáveis para reconstruções estéticas e contornos cosméticos representa um desafio na prática odontológica, devido à sua alta complexidade, principalmente no que se refere à sobreposição da expectativa do paciente com o resultado obtido. Objetivo: apresentar um relato de caso clínico, em que o uso de resina composta direta possibilitou alcançar maior mimetismo do aspecto natural dos dentes. Relato do caso: a paciente K.P.G.G.C., com 28 anos de idade, apresentou queixa quanto à estética de seu sorriso, manifestando insatisfação com a cor das resinas nos dentes 11, 12, 21 e 22. Essa insatisfação se agravou após tratamento clareador. Ao exame clínico, observou-se fratura da restauração de resina no ângulo mesial do dente 11, desadaptação marginal e descoloração das resinas nos dentes 11, 12, 21 e 22, realizadas como contorno cosmético. Procedeu-se a escolha da cor da resina composta (4 Seasons Clear Trans e Bleach XXl Enamel - Ivoclar Vivadent; Vitalescence Pearl Frost - Ultradent), remoção das resinas deficientes com pontas diamantadas, controle de umidade do campo operatório com fio para retração gengival e isolamento relativo. Realizou-se novas restaurações cosméticas nos incisivos laterais e incisivos centrais. Após os ajustes das relações oclusais, realizou-se o acabamento imediato, e em sessão posterior, o polimento final. A uniformidade obtida entre as cores e as formas dos dentes da linha de sorriso conferiu maior harmonia dentofacial à paciente, garantindo sua satisfação com o planejamento estético proposto, sua execução e seu resultado.
    Claudiôner de Oliveira e Silva
    PA-41 Validação do questionário de conhecimento sobre cariologia (QCC)

    Validação do questionário de conhecimento sobre cariologia (QCC)

    Ferreira NP*, Cury JA, Sousa ML

    Métodos; cárie dentária; estudantes de odontologia

    Introdução: é recorrente o uso de questionários como instrumento de pesquisa, os quais devem atender aos princípios de validez e fidedignidade. Objetivo: descrever a validação do Questionário de Conhecimento sobre Cariologia (QCC) para avaliar o ensino de Cariologia durante o transcorrer do curso de graduação da FOP/UNICAMP. Material e método: o trabalho foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa local e aprovado sob o protocolo nº 006/2010. O QCC apresenta 45 questões do tipo Verdadeiro ou Falso, sendo contempladas questões abrangentes e específicas das áreas básica, clínica e de saúde coletiva relacionadas à temática (15 questões cada). A validação do instrumento ocorreu a partir da aplicação do mesmo a 120 respondentes, em cinco fases: 1) validação de face (avaliação por 10 especialistas), 2) validação de conteúdo (através de pré-teste); 3) validação de critério (critério externo utilizado: fluxo curricular); 4) validação de constructo (cirurgiões-dentistas e não cirurgiões-dentistas); e, 5) análise de reprodutibilidade/confiabilidade (re-teste após espaço intervalar de 20 dias). Resultado: ao final do presente estudo o QCC foi adequadamente validado, sendo, ainda estabelecido um protocolo de validação de instrumentos de pesquisa.
    Naiara de Paula Ferreira
    PA-42 Fratura tipo blow-out pura em paciente pediátrico

    Fratura tipo blow-out pura em paciente pediátrico

    Barbosa JPO*, Mambrini LM, Batista JD

    Fratura blow-out pura; paciente pediátrico; blow-out

    As fraturas do tipo Blow-out em soalho orbitário são classificadas como puras (quando limitadas ao soalho orbitário) e impuras (onde além do soalho orbitário, há o envolvimento do rebordo orbitário). Neste relato, apresentamos um caso de fratura Blow-out pura em uma criança de 10 anos, vítima de uma colisão com um colega, atingindo a região do globo ocular esquerdo. Um dia após o trauma, o paciente compareceu ao ambulatório de CTBMF com edema mínimo na região periorbitária esquerda e ausência de degrau ósseo. Não apresentou queixas quanto à acuidade visual sugerindo assim ausência de fratura. Uma radiografia dos seios da face foi realizada não sendo observado sinal sugestivo de fratura. No acompanhamento de sete dias, o paciente relatou visão dupla. Ao exame clínico foi observada uma limitação dos movimentos do globo ocular esquerdo, condição clínica que sugere fratura do soalho orbitário. Foi solicitada tomografia da região onde foi possível identificar uma fratura limitada ao soalho orbitário esquerdo, com herniação de tecido mole para o interior do seio maxilar. O tratamento realizado foi a reconstrução do soalho com tela de titânio. No pós-operatório imediato foi observado o restabelecimento dos movimentos oculares e atualmente o paciente está de alta do serviço.
    João Pedro Oliveira Barbosa
    PA-43 Personalização e cimentação de pino de fibra de vidro: relato de caso

    Personalização e cimentação de pino de fibra de vidro: relato de caso

    Paula MS*, Bitencourt E, Fonseca RB.

    Pino; cimentação

    As técnicas de uso de pinos de fibra de vidro requerem menor desgaste de estrutura dentária, além de proporcionar adesão e boa estética. Para maior resistência os pinos devem ser bem adaptados às paredes do canal radicular evitando-se espessa linha de cimento. O objetivo deste trabalho é relatar a resolução de um caso de fratura do dente 11 através de restauração com resina composta, após técnica de reembasamento e personalização do pino de fibra de vidro. Com remoção do material obturador e durante prova do retentor intrarradicular, observou-se canal com diâmetro superior ao pino, sendo necessário o reembasamento do mesmo. O reembasamento do pino foi efetuado em 4 passos: tratamento superficial com peróxido de hidrogênio 24% por 1 minuto, aplicação de silano, aplicação de adesivo autopolimerizável do sistema fusion duralink e revestimento com resina foto microhibrida Natural Look cor A1. Após o isolamento do canal com gel hidrossolúvel o pino com resina foi inserido no canal, e assim que retirado foi fotopolimerizado por 60 segundos. A etapa precedente à cimentação constitui em condicionamento ácido do canal por 15 segundos, lavagem e remoção da umidade, aplicação do primer e adesivo do sistema fusion. A cimentação foi feita com cimento resinoso autopolimerizável para enfim ser realizada a restauração com resina composta. O tratamento proporcionou maior segurança em termos de resistência do conjunto dente-pino-restauração, além dos benefícios estéticos e biomecânicos com o uso de materiais similares à estrutura dentária.
    Marcella Silva de Paula
    PA-44 Relato de reabsorção radicular externa no tratamento ortodôntico: aspectos clínicos e odontolegais

    Relato de reabsorção radicular externa no tratamento ortodôntico: aspectos clínicos e odontolegais

    Nunes CHT*, Fernandes MM, Lima SHR

    Responsabilidade civil; reabsorção radicular; ortodontia

    Introdução: reabsorções radiculares externas, ou de superfície, inflamatórias ou de substituição, podem ser vistas em pacientes antes, durante e/ou pós-tratamento ortodôntico, caracterizando-se por serem assintomáticas e descobertas radiograficamente. Objetivo: apresentar um caso clínico que envolveu reabsorção externa e severa, enfatizando aspectos clínicos e odontolegais. Relato de caso: paciente de 19 anos, caucasoide, sexo feminino, quebrou a relação com profissional ortodontista e procurou outro, relatando que se encontrava em tratamento a mais de 4 anos. Realizou-se exame clinico com o novo profissional, constatando mobilidade grau I em incisivos centrais superiores, ausência de padrão regular na colagem das peças do aparelho ortodôntico e que existiam batentes de mordida de resina composta, localizados em cervical palatina de incisivos superiores, instalados desde o inicio pelo primeiro ortodontista. A nova terapêutica ortodôntica proposta consistiu na troca completa do aparelho ortodôntico fixo, um acompanhamento radiográfico periapical da região de incisivos a cada 45 dias e posterior uso das devidas contenções. Também foram observados aspectos odontolegais relevantes como alternativas desse novo tratamento e seus riscos, bem como obtido o consentimento. Conclusão: o caso apresentado foi de grande utilidade para destacar a importância dos aspectos clínicos e odontolegais prescritos pelo ortodontista, como uma ananmese completa, abordando o uso de contenção e presença nas consultas de manutenção, bem como investigações radiográficas pré, trans e pós tratamento ortodôntico.
    Carlos Henrique Trojaner Nunes
    PA-45 Uso de dessenssibilizante previamente ao clareamento dental: relato de caso

    Uso de dessenssibilizante previamente ao clareamento dental: relato de caso

    Elias PGA *, Fonseca RB, Souza JB

    Clareamento; estética; dessenssibilizante

    O clareamento dental baseia-se na penetração pela estrutura dental de moléculas de oxigênio advindas dos peróxidos de carbamida ou hidrogênio, o qual dissolve pigmentos por oxidação. O uso de dessensibilizantes que obliterem túbulos formando uma barreira protetora é considerado fator redutor do desempenho dos agentes clareadores. O objetivo deste relato de caso é apresentar as etapas/resultados da técnica de clareamento dental realizado em consultório com o uso de dessensibilizante prévio. Paciente B.C.S., feminino, 22 anos, não fuma e nunca fez clareamento, foi submetida ao registro da cor inicial com espectrofotômetro (B3). Programou-se 2 sessões com intervalo de sete dias utilizando géis clareadores com peróxido de hidrogênio 35% no modelo de boca dividida (direita:Total Blanc H35; esquerda:Whitness HP Blue35), sem luz. Após proteção dos tecidos moles aplicou-se gel de NaF 2% (dessensibilizante) por 15 minutos, seguindo-se a aplicação do gel clareador nos caninos por 20 minutos, seguido por 25 min em todos os dentes. Ao final, houve nova aplicação de dessensibilizante. Na segunda sessão aplicou-se somente o total Blanc 35 por 10 minutos nos caninos e depois duas aplicações de 15 minutos em todos os dentes. Não houve episódios de sensibilidade na primeira sessão, e na segunda alguns dentes apresentador dor passageira. Ao final das duas sessões a coloração dos dentes alterou-se para B1. Assim, comprovou-se a não influência no resultado de cor do clareamento pelo uso prévio deste dessensibilizante, aliado a satisfação da paciente.
    Paula Gomes Abrahão Elias
    PA-46 Atendimento odontológico ambulatorial de paciente com válvula cardíaca metálica: relato de caso

    Atendimento odontológico ambulatorial de paciente com válvula cardíaca metálica: relato de caso

    Mendes GAM*, Moreira FCL, Oliveira BS

    Válvulas cardíacas; endocardite; hemostasia

    Pacientes com válvulas cardíacas metálicas apresentam alto risco de desenvolverem Endocardite Infecciosa, pois as mesmas contribuem para o favorecimento da colonização de bactérias. Além disso, esses pacientes necessitam fazer uso de medicação anticoagulante, o que confere aos mesmos o risco de hemorragia no caso de procedimentos invasivos. Dessa forma, o objetivo desse trabalho é relatar o atendimento ambulatorial de um paciente com válvula cardíaca metálica. Paciente do gênero masculino, 56 anos, procurou atendimento odontológico queixando-se de dor e mobilidade dentária. Na anamnese, o paciente relatou ter sido submetido, há dois anos, a uma cirurgia de troca valvar com a implantação de uma válvula aórtica metálica, além de fazer uso de medicação anticoagulante Marevan (Warfarina). Ao exame intraoral foi observada a presença de doença periodontal avançada. Após análise de radiografia panorâmica foi estabelecido o plano de tratamento de raspagem e alisamento dentário dos dentes bem implantados e exodontia dos elementos condenados, em uma única sessão. Foi realizada a adequação medicamentosa pré e pós operatória do paciente, além de profilaxia antibiótica (2g de Amoxicilina duas horas antes do procedimento). Foi solicitado também ao paciente um exame de estudo da hemostasia no dia do procedimento. Foi realizada raspagem dos dentes inferiores, exodontias dos dentes (13-14-15-16-17-24-25-26-28) e para auxiliar na hemostasia utilizaram-se esponjas hemostáticas. Não houve intercorrências no trans e pós operatório e a abordagem mostrou-se indicada e eficaz.
    Gustavo Adolfo Martins Mendes
    PA-47 Clareamento dental de dentes vitais escurecidos por traumatismo dento - alveolar

    Clareamento dental de dentes vitais escurecidos por traumatismo dento - alveolar

    Santos DJS*, Quagliatto PS, Guimarães CM

    Clareamento; traumatismo; estética

    Introdução: a concussão é a forma mais branda do traumatismo dento-alveolar apresentando clinicamente uma leve sensibilidade ou sendo ate imperceptível. No entanto, histologicamente há rompimento de fibras e, frequentemente, hemorragia no ligamento periodontal e hemorragia intra-pulpar. Neste caso, a lise celular de hemácias no interior do tecido pulpar libera hemossiderina provocando o escurecimento dental. Quando este compromete a estética e conseqüentemente a auto-estima do paciente, é necessária a intervenção profissional, sendo o clareamento o tratamento de escolha e as facetas laminadas um tratamento alternativo. Relato do caso: a paciente do gênero feminino F.C.S. de 26 anos, se apresentou a clínica integrada da FOUFU com queixa estética de escurecimento dental. Ao exame clinico verificou-se vitalidade pulpar nos elementos 11 e 21, porém, os mesmos apresentavam-se com escurecimento e discreta reabsorção radicular estabilizada, tendo como história prévia o traumatismo dental ocorrido na infância. Foi proposto então um clareamento dental conjugado entre a técnica de consultório e a moldeira com necessidade ou não de micro-abrasão, sendo realizado primeiramente o clareamento com moldeira individual por 14 dias com peróxido de carbamida a 16%, e posteriormente o clareamento de consultório empregando peróxido de hidrogênio a 35% por 45 minutos. Ao término do clareamento, a paciente foi reavaliada e a necessidade de micro-abrasão descartada. Obteve-se assim uma coloração natural e homogênea melhorando a harmonia estética da paciente e aumentado assim, sua auto-estima.
    Damilys Joelly Souza Santos
    PA-48 Recuperação do perímetro do arco dentário em infra-oclusão severa de segundo molar decíduo superior: relato de um caso

    Recuperação do perímetro do arco dentário em infra-oclusão severa de segundo molar decíduo superior: relato de um caso

    Póvoa AA*, Póvoa VMA, Lenza MA

    Infra-oclusão; anquilose; molar decíduo

    A infra-oclusão de molares decíduos é uma anomalia que ocorre devido à anquilose dentária, fazendo com que os dentes envolvidos sejam progressivamente encobertos pelo rebordo alveolar em crescimento. Em casos severos, o dente envolvido pode estar completamente submerso no rebordo alveolar e causar transtornos ao desenvolvimento da oclusão. O presente trabalho tem como objetivo demonstrar, em um relato de caso clínico, uma alternativa para a recuperação do perímetro do arco em caso de infra-oclusão de segundo molar decíduo superior com mésio-angulação do molar permanente adjacente. Paciente T.R., 9 anos de idade, compareceu a consultório particular para avaliação ortodôntica. No exame clínico constatou-se espaço na mesial do dente 26 com mésio-angulação do mesmo, sugerindo perda precoce do 65. No exame radiográfico evidenciou-se que o elemento decíduo encontrava-se totalmente submerso no rebordo alveolar, bloqueando o elemento 25. Foi então planejada a confecção de barra transpalatina com fio 0,8mm de TMA com ativação em segunda ordem para correção da posição do 26. Foi utilizado, como recurso de ancoragem, fio de aço 0,019?x0,025? do lado oposto, saindo da banda do 16 e colado com resina composta às superfícies vestibulares do 54 e 55. Após 3 meses, conseguiu-se a completa verticalização do 26 com recuperação do perímetro do arco dentário, sendo então a paciente encaminhada para exodontia do 65. Assim, pode-se concluir que a intervenção oportuna em casos de infra-oclusão severa com perda de perímetro do arco é essencial para o correto desenvolvimento da oclusão do paciente.
    Ane Andrade Póvoa
    PA-49 Avaliação da eficiência dos tratamentos odontológicos realizados para controle de DTMs, em população de universitários

    Avaliação da eficiência dos tratamentos odontológicos realizados para controle de DTMs, em população de universitários

    Majadas MFF*, Simamoto-Júnior PC, Fernandes-Neto AJ

    Desordens tempomandibulares; RDC/TMD; tratamento

    Objetivo: Avaliar a eficácia do protocolo terapêutico para pacientes portadores de disfunção temperomandibular (DTM).
    Material e métodos:Seis alunos da Universidade Federal de Uberlândia foram avaliados e diagnosticado portadores de Dor Miofascial após aplicação do Research Diagnostic Criteria (RDC/TMD). A primeira etapa do tratamento foi o uso de placa de estabilizadora da articulação. O período de uso desta placa foi pré-estabelecido em 30 dias para nova reavaliação com RDC. A segunda etapa do tratamento constituiu na realização do ajuste oclusal por desgaste seletivo. Decorridos 30 dias da conclusão deste procedimento, todos os alunos foram re-examinados como base no RDC, e os dados coletados foram organizados e analisados por meio de análise estatística descritiva.
    Resultados: Após utilização da placa estabilizadora da articulação, 3 participantes (50%) apresentaram remissão do quadro de Dor Miofascial, e em geral observou-se diminuição da quantidade de músculos dolorosos à palpação. Após ajuste oclusal, apesar de um participante ter mantido diagnóstico de Dor Miofascial (16,6%), todos alcançaram algum nível de melhora com este esquema terapêutico. Quanto à classificação do nível de dor à palpação, observou-se que embora alguns participantes tenham relatado dor em determinado músculo nos três exames realizados, esta dor apresentava diminuição gradativa de intensidade ao longo do tratamento.
    Conclusão: o protocolo de tratamento proposto proporcionou benefícios a todos os participantes deste estudo, variando apenas o nível de melhora alcançado individualmente.
    Marina de Freitas Fratari Majadas
    PA-50 Odontologia baseada em evidências científicas: implante, função e estética imediata

    Odontologia baseada em evidências científicas: implante, função e estética imediata

    Silva DP*, Corrêa MA, Barbosa MD

    Implante; função imediata

    Introdução
    A correção da ausência de um dente anterior na maxila é um dos casos mais complexos de reabilitação em odontologia, sabendo que a perda do osso alveolar é inerente a extração o mesmo remodela havendo reabsorção horizontal e vertical. Para evitar esta situação e preservação dos tecidos de suporte dento alveolar o implante imediato com função e estética, consolida-se como forma de tratamento quebrando paradigmas.
    Material e método
    Paciente leucoderma com fratura no dente 22; foi realizado exodontia com fratura da tábua óssea vestibular; notar extensão vertical da fratura; colocação do implante, observar diástese vestibular (gap); posteriormente, foi realizado um enxerto de tecido conjuntivo, finalmente, provisório e sutura com fio reabsorvível.
    Resultado
    Observa-se como resultado a preservação dos tecidos periodontais com volume e anatomia compatíveis com saúde periodontal.
    Conclusão
    Enfim, a indicação do implante imediato mostra-se previsível, mesmo em situações onde as condições clinicas são desfavoráveis para a instalação de implantes, tudo isso baseado em evidências clinicas e científicas.

    Referências bibliográficas:
    Carl E. Misch; Implantes dentários contemporâneos, 28: 429-448,2006.
    Implant News; vol.01:19-20,2004.
    Douglas Pereira da Silva
    PA-51 Avaliação periodontal de pacientes internados em UTI e a relação da doença periodontal com a pneumonia nosocomial

    Avaliação periodontal de pacientes internados em UTI e a relação da doença periodontal com a pneumonia nosocomial

    Paiva PM*, Roriz VM, Guerra DN

    Saúde bucal; doenças periodontais; pneumonia nosocomial

    Objetivo: Os objetivos deste estudo PILOTO foram avaliar a condição periodontal dos pacientes internados numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI), verificar os cuidados com higiene oral nestes e averiguar a relação da doença periodontal (DP) com pneumonia nosocomial (PN). Material e método: Foram selecionados 42 pacientes nos quais foram realizados diagnóstico clínico de pneumonia nosocomial e exame periodontal. Determinou-se o Índice de Sangramento Gengival (IG) e o nível de inserção periodontal, sendo os exames periodontais realizados em 11 pacientes. Resultados: Os resultados mostraram que 29 dos pacientes eram do gênero masculino e 13 do gênero feminino. A permanência dos pacientes na UTI variou de 01 dia a 14 dias, com média de 3,6 dias de internação. Observou-se que 23,4% dos pacientes (42) internados desenvolveram pneumonia nosocomial, 08 dos 11 examinados periodontalmente apresentaram periodontite, e desses, 02 desenvolveram PN. O restante dos pacientes apresentou gengivite. De um total de 513 sítios periodontais avaliados nos 11 pacientes, 189 apresentaram sangramento à sondagem, sendo o IG de 36,8%. A higienização oral era feita utilizando solução de bicarbonato de sódio ou Cepacol®. Conclusão: Pôde-se concluir que em nenhum paciente internado na UTI foi observada saúde periodontal, uma vez que todos possuíam gengivite ou periodontite, com maior incidência desta última. E não foi possível estabelecer relação positiva entre DP e PN, sendo necessários mais estudos longitudinais com um número mais expressivo de pacientes.
    Priscylla Mendes de Paiva
    PA-52 Transformação de dentes conóides e resolução de opacidades restritas com restaurações diretas: relato de caso

    Transformação de dentes conóides e resolução de opacidades restritas com restaurações diretas: relato de caso

    Oliveira BM*, Santos GAGRM

    Opacidade; conóide; estética

    Introdução: a estética é um conceito altamente subjetivo e relacionado a fatores sociais, culturais e psicológicos. A valorização da estética na sociedade suscita na odontologia a busca por materiais e técnicas que visem a devolução da harmonia e aparência natural para um sorriso comprometido ou insatisfatório. Desarmonias de forma e tamanho, bem como a presença de diastemas, são situações normalmente associadas a incisivos laterais conóides. Essa anomalia atinge cerca de 1% da população e tem um impacto segregativo considerável, o que gera um desconforto para o paciente. As opacidades do esmalte são condições clínicas encontradas com relativa freqüência. A etiologia dessas opacidades é variada, podendo ser oriundas de uma desmineralização causada por cárie, do uso excessivo de flúor ou de hipoplasia/hipomineralização do esmalte. Relato do caso: paciente B.C.S., 15 anos, gênero feminino, leucoderma, procurou atendimento na clínica odontológica da Universidade Católica de Brasília, com queixa estética do seu sorriso. No exame clínico, verificou-se que os incisivos laterais superiores apresentavam tamanho reduzido e formato conóide e os incisivos centrais apresentavam opacidade restrita em esmalte. A fim de solucionar a queixa principal da paciente, o objetivo do presente relato de caso é apresentar uma associação das técnicas diretas de estratificação para corrigir as manchas profundas de opacidade e da guia de silicona para reanatomizar os incisivos laterais conóides, restituindo a estética do sorriso da paciente de maneira previsível e conservadora.
    Bianca Martins de Oliveira
    PA-53 Desinfecção total da boca com raspagem em estágio único: protocolo de tratamento não cirúrgico da periodontite

    Desinfecção total da boca com raspagem em estágio único: protocolo de tratamento não cirúrgico da periodontite

    Souza ES*, Paiva EMM, Guardiola CJA

    Periodontite; tratamento

    As periodontites são doenças infecciosas causadas por uma variada microbiota patogênica presente em diferentes nichos. A terapia periodontal não cirúrgica tem se mostrado efetiva para a redução das bolsas periodontais e controle da inflamação. O tratamento convencional é realizado por sessões de raspagem e alisamento radicular dividindo a boca em sextantes ou quadrantes, finalizando em várias semanas. Este intervalo de tempo pode resultar em re-colonização de bolsas já instrumentadas. Neste sentido foi proposta uma nova abordagem de tratamento periodontal não-cirúrgico de boca total, sendo a raspagem completa realizada em dois dias consecutivos, associada ou não ao uso de antissépticos. Objetivo ? apresentar o protocolo de descontaminação total da boca em estágio único adotado pelo Projeto de Extensão Atendimento Ambulatorial a Pacientes Portadores de Doença Periodontal Avançada ? APPA da Universidade Federal de Goiás construído a partir de uma busca em base de dados, Pubmed, usando os descritores ?full mouth desinfection? e ?periodontitis?. O protocolo compreende: triagem dos pacientes por meio de um exame periodontal com registro simplificado ? Periodontal Screening and Recording- PSR; exame clínico e radiográfico; orientação de higiene oral; raspagem e alisamento radicular dentro de um período de 24h, higiene da língua com gel de clorexidina a 1%, gargarejo e bochecho com clorexidina a 0,12%. Conclusão - A desinfecção total da boca em estágio único pode ser eficiente em mostrar resultados positivos e em curto prazo em comparação com a terapia convencional.
    Érika Santos Souza
    PA-54 Assistência odontológica a paciente hospitalizado portador de Síndrome de Patau

    Assistência odontológica a paciente hospitalizado portador de Síndrome de Patau

    Viana KA*, Costa LRRS, Euzébio LF

    Síndrome de Patau; odontologia hospitalar; trissomia do 13

    Introdução: Síndrome de Patau é a terceira trissomia autossômica mais frequente entre os nativivos. Os portadores apresentam más formações múltiplas, atraso grave no crescimento e desenvolvimento, e prognóstico reservado. Durante a hospitalização desses pacientes, o cirurgião-dentista atua a fim de prevenir complicações decorrentes da pobre higiene oral, reduzindo o risco de infecções, promovendo conforto e buscando melhor qualidade de vida. Objetivo: descrever a atuação do cirurgião-dentista na assistência à saúde de lactente portador de síndrome de Patau. Relato do caso: paciente, sexo masculino, prematuro (idade gestacional: 35 semanas), nascido no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás, apresentava artéria umbilical única, criptorquidia, hipoplasia de corpo caloso, polidactilia, micropênis, provável agenesia de globo ocular, estenose de traquéia, insuficiência respiratória e alterações cardíacas. Ao exame físico extraoral foi observada fenda labial bilateral. Ao exame intraoral, notou-se fenda palatal bilateral completa, presença de secreção amarelada aderida em cavidade oral. Em virtude das más formações necessitou de oxigenoterapia com Hood, monitorização cardiorrespiratória contínua e nutrição enteral, o que dificultava a limpeza da cavidade oral pelo cuidador. Foi realizada higienização oral duas vezes ao dia, utilizando gaze embebida em solução fisiológica 0,9% pela equipe de Odontologia do referido hospital até os 52 dias de vida, momento do óbito. Conclusão: essa abordagem ilustra a importância do cirurgião-dentista no atendimento a pacientes hospitalizados.
    Karolline Alves Viana
    PA-55 Carcinoma adenóide cístico: relato de caso

    Carcinoma adenóide cístico: relato de caso

    Garcia CC*, Rocha MA, Franco T

    Tumor de glândula salivar; neoplasia maligna; carcinoma

    Relato de caso de paciente de 34 anos, gênero masculino, melanoderma, trabalhador da construção civil, se queixava de lesão em boca que causava grande desconforto. O paciente relatou que notou a lesão há aproximadamente 2 meses, é tabagista, não etilista, e não tinha realizado nenhum outro tratamento da lesão. No exame clínico intra-oral foi possível perceber um aumento volumétrico palatino na região posterior esquerda de maxila, região de pré-molar a túber de maxila, coberta por uma mucosa lisa, brilhante, de coloração semelhante à mucosa. O dente 26 apresentava mobilidade e os demais dentes da região estavam ausentes. O exame radiográfico mostrou uma alteração osteolítica, que abrangia a distal do canino até a tuber maxilar, incluindo a região de seio maxilar. A hipótese diagnóstica foi de neoplasia maligna. O paciente foi submetido a biópsia incisional da lesão, que após a análise histopatológica, concluiu o diagnóstico de Carcinoma Adenóide Cístico. O paciente foi encaminhado para o Hospital do Câncer, realizou cirurgia de remoção do tumor, e ainda receberá terapia oncológica adjuvante.
    Carolina do Carmo Garcia
    PA-56 Dessensibilização de criança com paralisia cerebral na clínica odontopediátrica: relato de caso

    Dessensibilização de criança com paralisia cerebral na clínica odontopediátrica: relato de caso

    Trajano RKN*

    Paralisia cerebral; odontopediatria; dessensibilização psicológica

    O paciente portador de necessidades especiais é todo individuo que apresenta desvios de padrões de normalidade, identificáveis ou não, e que por isto necessitam de atenção e abordagens especiais por um período de sua vida ou indefinidamente. Este trabalho tem como objetivo apresentar aos profissionais da área odontológica um relato de caso clínico abordando uma metodologia diferenciada no atendimento ambulatorial a um paciente com paralisia cerebral, a sensibilização, abordagem psicológica e apresentação de técnicas que o profissional poderá usar ao se confrontar com dificuldades e impossibilidades no atendimento.
    A abordagem de uma criança portadora de necessidade especial deve se basear na avaliação do efeito psicossocial da doença e na importância das técnicas para se criar o vinculo entre o profissional-pais-criança, antes da instituição efetiva do tratamento.
    Nesta abordagem lançamos mão da comunicação verbal, com linguagem simples e coloquial e algumas vezes lúdica, onde a paciente entendia de forma clara o que nós explicávamos. As técnicas falar-mostrar-fazer , bem como o reforço positivo, e distração e dessensibilização foram utilizada para reduzir o medo e a ansiedade.
    Renata Kelly Nogueira Trajano
    PA-57 Organização da demanda à assistência em saúde bucal pela estratégia saúde da família

    Organização da demanda à assistência em saúde bucal pela estratégia saúde da família

    Santos LFS*, Nunes MF, Souza DS

    Equidade; demanda; acesso.

    Objetivo: analisar a percepção dos cirurgiões-dentistas (CD), atuantes na Estratégia Saúde da Família (ESF) de Goiânia-Go em relação à Ficha de Promoção de Equidade em Saúde Bucal (FSB) implantada em 2009. Material e método: estudo quali-quantitativo com 93 CD das ESF e CD distrital do local onde se iniciou a implantação da FSB. Foram utilizados entrevista e questionário auto-aplicável sobre as percepções acerca da FSB; dados demográficos e histórico da FSB. Foi feito análise de conteúdo e estudo descritivo utilizando o SPSS-17. Resultados: taxa de resposta de 82,8%; a maioria do sexo feminino, possuem idade média de 35 anos, atuam em média a 2,6 anos na ESF. Na formação geral há predominância da formação na área clínica. Todos os CD da ESF relataram conhecer a FSB, a maioria (68%) dos profissionais afirma existir um protocolo para a aplicação da FSB e terem recebido treinamento juntamente aos Agentes Comunitários de Saúde. Mais da metade afirmou que, antes de utilizarem a FSB, já possuíam critérios para a organização da demanda; 66% considera que esta promove parcialmente a equidade no atendimento clínico; a maioria dos profissionais utiliza a FSB para priorizar o atendimento clínico em Saúde Bucal; citaram os critérios que consideram importantes para seleção da demanda e relataram as percepções sobre as causas da não adesão à FSB por alguns profissionais; relataram os aspectos positivos e negativos da FSB. Conclusão: a FSB apresenta-se como um instrumento adequado e equânime de organização da demanda odontológica desde que seja submetida a algumas modificações.
    Ludmilla Fernandes Estevam Santos
    PA-58 Fechamento de diastemas com utilização de facetas indiretas conservadoras em cerâmica: relato de caso

    Fechamento de diastemas com utilização de facetas indiretas conservadoras em cerâmica: relato de caso

    Cunha LAC*, Santos-Filho PCF, Veríssimo C

    Facetas indiretas; fechamento de diastemas; cerâmicas

    Procedimentos estéticos em dentes anteriores são amplamente utilizados em casos de mal posicionamento dentário e presença de diastemas. Paciente do sexo masculino, 23 anos de idade, compareceu a clínica integrada insatisfeito com uma transformação dental feita em resina composta nos dentes 13, 12, 11, 21, 22 e 23. As restaurações se apresentavam com manchamento superficial e fraturas. Após a remoção das mesmas foi proposto um fechamento de diastemas e transformação dental com a utilização de facetas indiretas em cerâmica. Inicialmente foi feito um clareamento dental com peróxido de hidrogênio a 38% (Opalescence ? Boost). Os dentes receberam um preparo conservador com remoção apenas das áreas de maior retenção com uma ponta diamantada 2243. Em seguida os dentes foram moldados com auxílio de um fio retrator 00 e material de moldagem a base de silicone de condensação. As facetas em cerâmica feldspática foram confeccionadas na cor A1 e após o ajuste proximal e cervical, as mesmas foram condicionadas com ácido fluorídrico a 10% por 2,5 minutos seguidos da aplicação do silano. Os dentes foram condicionados com ácido fosfórico a 37% por 30 segundos seguidos da aplicação do sistema adesivo (Single Bond 2 ? 3M ESPE). Por fim a cimentação foi feita sob isolamento relativo utilizando um cimento resinoso convencional dual (All Cem ? FGM). Após a cimentação, foi feito o ajuste oclusal e estético das facetas. A utilização de facetas indiretas conservadoras em cerâmica se mostrou uma técnica eficaz e satisfatória do ponto de vista estético e da conservação da estrutura dental.
    Laryssa Assis Campos da Cunha
    PA-59 Linfoma não-Hodgkin de grandes células B em cavidade oral

    Linfoma não-Hodgkin de grandes células B em cavidade oral

    Vieira DF*, Mendonça EF, Sousa TO

    Linfoma não-Hodgkin; cavidade oral; diagnóstico

    Os linfomas são neoplasias malignas dos tecidos linfóides que comumente podem acometer trato gastrintestinal e região de cabeça e pescoço. O subtipo mais prevalente é o linfoma de células B, sendo o de grandes células difusas a variante mais observada nesse heterogêneo grupo de tumores. Os autores propõem apresentar um caso clínico de linfoma e discutir aspectos do processo de diagnóstico desta lesão em uma paciente do sexo feminino, leucoderma, 38 anos, que realizou tratamento endodôntico dos dentes 42, 43 e 44 sem definição diagnóstica. Havia sintomatologia de desconforto na região, com seis meses de evolução. Diante deste quadro clínico a paciente procurou a Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Goiás, para diagnóstico e tratamento. Exame clínico intra-bucal evidenciou tumefação localizada na região do dente 43, exames radiográficos periapical e panorâmica indicaram lesão osteolítica no processo alveolar e tomografia computadorizada confirmou lesão de aspecto difuso com rompimento de cortical vestibular. Biópsia incisional foi realizada e o diagnóstico microscópico foi de lesão linfoproliferativa de natureza incerta. Avaliação imunohistoquímica confirmou o diagnóstico final de linfoma difuso de grandes células B. A paciente foi encaminhada para o Hospital Araújo Jorge para o estadiamento clínico da lesão e posteriormente foi submetida a tratamento quimioterápico padrão para linfoma. Atualmente a paciente encontra-se em controle e livre de doença.
    Denise Ferreira Vieira
    PA-60 Identificação de ossada por meio de documentação odontológica: relato de caso

    Identificação de ossada por meio de documentação odontológica: relato de caso

    Terada ASSD*, Silva RHA, Guimarães MA

    Odontologia legal; identificação humana; documentação odontológica

    A Odontologia Legal está intimamente relacionada com a identificação humana em situações onde outros meios de determinação da identidade não são indicados ou não sejam aplicáveis. O presente trabalho objetivou ressaltar a importância da documentação odontológica na identificação humana, por meio de um relato de caso. Uma ossada foi encontrada em canavial e em consequência da destruição generalizada dos tecidos moles, a datiloscopia não foi possível e a identificação odontolegal foi a indicada. Pela análise antropológica, verificou-se o seguinte perfil: sexo masculino, caucasiano, idade entre 19 e 26 anos, estatura entre 1,85 a 1,94cm e destreza manual destro. Foram encaminhados para a análise pericial odontológica o crânio e a mandíbula, sendo observada que a vítima havia realizado tratamento ortodôntico, com a existência de um suspeito, a documentação odontológica foi encaminhada pelos familiares. Confrontando as informações da documentação dentária com as particularidades odontológicas encontradas no exame post-mortem foram verificados pontos relevantes de coincidência, suficientes para afirmar, com fundamento técnico-científico, que o corpo encontrado era realmente pertencente à pessoa desaparecida. Conclui-se que, considerando a particularidade do processo que envolve a identificação de corpos nesse estado, a técnica de identificação odontolegal utilizando a documentação odontológica possui relevância clínica e pericial, tornando-a um método de baixo custo e com resultados confiáveis, quando realizado por pessoal especializado na área de Odontologia Legal.
    Andrea Sayuri Silveira Dias Terada
    PA-61 Cárie dentária e acesso de pré-escolares ao serviço de saúde bucal de um município do estado da Bahia.

    Cárie dentária e acesso de pré-escolares ao serviço de saúde bucal de um município do estado da Bahia.

    Santos JF*, Casotti CA, Lopes MS

    Cárie dentária; prevalência; saúde bucal

    Objetivo: conhecer o estado de saúde bucal e o acesso aos serviços odontológicos de crianças com idade de 18 a 60 meses matriculadas em creches públicas do município de Jequié-BA. Material e método: trata-se de um estudo epidemiológico, transversal, censitário no qual foi encaminhado aos pais e/ou responsáveis pelas crianças uma cópia do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) e do questionário semi-estruturado. O exame clínico da cavidade bucal das crianças foi conduzido de acordo com os códigos e critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS). Utilizou-se espelho bucal plano e, sonda periodontal modelo OMS e espátula de madeira. Os exames foram realizados no local onde a criança estuda, respeitando as normas de biossegurança. Os dados foram transcritos em uma ficha clínica e a seguir digitados, tabulados e analisados nos programas Epibuco e Epi-info. Resultados: foram examinadas 561 crianças. A prevalência da doença cárie foi 12,75%; 35,85%; 46,29% e 65,09% e a média do ceo-d foi 0,55(±1,75), 1,30 (± 2,44), 1,56 (±2,48), 2,43 (±2,64) respectivamente para as idades de 18 a 35 meses, 03, 04 e 05 anos. Quanto ao acesso aos serviços de atenção a saúde bucal, 85,3% dos examinados não passou por consulta odontológica. Conclusão: foi possível concluir que as crianças matriculadas nas creches públicas de Jequié-BA apresentam alta prevalência da doença cárie, baixo acesso aos serviços odontológicos e que políticas de saúde devem ser implantadas visando melhorar o estado de saúde bucal destes indivíduos bem como ampliar o acesso ao tratamento odontológico.
    Juciara França dos Santos
    PA-62 Influência dos ângulos de distorção das limas NiTi manual e rotatória na forma final do batente apical

    Influência dos ângulos de distorção das limas NiTi manual e rotatória na forma final do batente apical

    Teixeira DNR*, Biffi JCG, Giovani AP

    Batente apical; deformação; instrumentação rotatória

    Este trabalho visa avaliar a deformação do batente apical como reflexo do comportamento das limas durante a instrumentação em função dos vetores de força sofridos por estas, devido às curvaturas próprias do canal radicular. Um tratamento endodôntico adequado requer uma instrumentação na qual se mantenha o máximo possível a curvatura do canal sem deformação do batente apical. Foram utilizados 40 incisivos centrais inferiores, com apenas um canal, divididos em 2 grupos, sendo o grupo 1 instrumentado com a técnica manual e o grupo 2 com a rotatória. Após a realização de radiografias pré e pós-instrumentação, para se verificar a variação do ângulo de distorção das limas no sentido vestíbulo-lingual (frontal) e mésio-distal (lateral), como também as formas finais do batente apical obtidas após desgaste do apical, utilizou-se o programa ImageTool. Foi aplicado Coeficiente de Correlação por Postos de Spearman que mostrou não haver correlações entre variação de ângulos e deformação em nenhuma das técnicas, e por meio do teste U de Mann-Whitney foram encontradas diferenças na deformação e variação dos ângulos laterais (0,011 e 0,000 respectivamente) sendo os maiores valores para a técnica manual, p<0,05. A instrumentação rotatória com limas ProTaper se mostrou mais eficiente na manutenção da curvatura radicular produzindo também, menor deformação no batente apical.
    Daniela Navarro Ribeiro Teixeira
    PA-63 Tratamento de fratura coronária complicada utilizando colagem de fragmento e proteção pulpar direta: relato de caso

    Tratamento de fratura coronária complicada utilizando colagem de fragmento e proteção pulpar direta: relato de caso

    Faria FG*, Silva GR, Soares CJ

    Trauma dental; colagem de fragmento; proteção pulpar direta

    O trauma dental é muito comum em pacientes jovens e suas sequelas estão relacionadas com a escolha e execução de um plano de tratamento adequado. Casos complexos com danos coronários extensos demandam integração das propriedades biológicas com as características mecânicas dos materiais restauradores. Este trabalho relata o caso de um paciente que alcançou resultados favoráveis utilizando-se de procedimentos clínicos envolvendo a associação de colagem de fragmento com proteção pulpar direta para uma fratura coronária complicada em dente anterior. Após um ano de acompanhamento, os exames clínicos e radiográficos demonstram que o protocolo clínico adotado foi bem sucedido e proporcionou excelente resposta pulpar e periodontal. Considerando o tempo de acompanhamento e a extensão da fratura, o tratamento proposto para o caso levou a bons resultados funcionais e estéticos. Sendo assim, este caso demonstra uma alternativa eficaz, conservadora e de baixo custo para um tratamento bem sucedido de trauma dental.
    Fernanda Gabriela de Faria
    PA-64 Análise facial e montagem de modelo em articulador com posição natural de cabeça em planejamento de cirurgia ortognática

    Análise facial e montagem de modelo em articulador com posição natural de cabeça em planejamento de cirurgia ortognática

    Prado LP,* GasperinI G, Lellis AR

    Planejamento em cirurgia ortognática; posição natural de cabeça; correção de deformidades dentofaciais

    Introdução: as anomalias dentofaciais geram uma série de repercussões ao sistema estomatognático do paciente, com comprometimento funcional e estético. A cirurgia ortognática tem por objetivo a correção dessas desproporções. O sucesso na resolução desses casos depende de um cuidadoso plano de tratamento que geralmente requer atuação combinando ortodontia e cirurgia ortognática objetivando resultados funcionais satisfatórios, estáveis e estéticos. Para corrigir discrepância esquelética e má oclusão severa são imprescindíveis a determinação correta do diagnóstico e a elaboração do plano de tratamento, para isso utiliza-se normalmente análise em modelos montados em articulador semi-ajustável, utilizando normalmente como referência o plano de Horizontal de Frakfurt(PHF) e análise facial em posição natural de cabeça(PNC). Objetivo: apresentar casos clínicos de pacientes, que o plano horizontal de Frankfurt não condiz com a PNC. Resultados: pacientes podem apresentar uma variável de 4,5 a 16°de discrepância. Isso nos mostra que, se o planejamento de uma cirurgia ortognática for realizado em PNC, a montagem em articulador também deve ser em PNC, pois, se o articulador estiver montado em PHF a movimentação dos modelos e confecção de guias cirúrgicos, poderá apresentar no resultado final um posicionamento horizontal e vertical da maxila e/ou mandíbula insatisfatório, diferente do que foi planejado. Conclusão: A analise facial e a montagem do articulador semi-ajustável devem ser realizados usando a mesma referencia horizontal, ou PNC ou PHF, se forem diferentes entre si poderá acarretar erros de posicionamento.
    Lucianna de Freitas Prado
    PA-65 Prevalência das dificuldades de sucção em recém-nascidos prematuros na UTI do Hospital Materno Infantil de Goiânia

    Prevalência das dificuldades de sucção em recém-nascidos prematuros na UTI do Hospital Materno Infantil de Goiânia

    França ECL*, Costa LRRS, Souza CB

    Prematuridade; fonoaudiologia; unidade de terapia intensiva

    Objetivos: Descrever a prevalência das dificuldades de sucção de recém-nascidos prematuros (RNPT) submetidos à intervenção fonoaudiológica na UTI do Hospital Materno Infantil (HMI), Goiânia-GO, de abril de 2009 a maio de 2010, e os resultados dessa intervenção. Material e Métodos: Estudo transversal retrospectivo com análise quantitativa de 79 prontuários. Resultados: A maioria da amostra foi composta de RNPT moderados (61,3%), sexo masculino (53,2%), baixo peso ao nascer (59,5%), recebendo suporte ventilatório (96,2%) e sonda orogástrica (100%), apresentando insuficiência respiratória (93,7%), infecção neonatal (78,5%) e doença de membrana hialina (72,2%). Observou-se dificuldades na sucção não nutritiva: sucção fraca (71,2%), sem ritmo (89,0%), vedamento labial (74,0%) e canolamento de língua (74,0%) inadequados, pressão intra-oral (75,3%) e padrão de sucção (82,9%) inadequados, piora do desconforto respiratório (73,4%), batimento de asas do nariz (75,9%), queda de saturação (81,0%), fadiga (100%). A intervenção fonoaudiológica em 74% dos casos levou a sucção nutritiva com força moderada (76,4%), pressão intra-oral (88,9%), vedamento labial (88,9%) e canolamento de língua (91,7%) adequados, ritmo e padrão inadequados (76,7%) e coordenação sucção/deglutição/respiração (84,3 %). Conclusão: A intervenção fonoaudiológica promoveu possibilidades de experiências orais determinantes do desenvolvimento miofuncional do sistema estomatognático. É importante o cirurgião-dentista com atuação em UTI estar atento a essas alterações para colaborar com a equipe multiprofissional.
    Ellia Christinne de Lima França
    PA-66 Avaliação do conhecimento sobre síndrome da apnéia obstrutiva do sono por parte de cirurgiões-dentistas e pacientes

    Avaliação do conhecimento sobre síndrome da apnéia obstrutiva do sono por parte de cirurgiões-dentistas e pacientes

    Bezerra ES*, Dutra L, Silva FPL

    Conhecimento; apnéia; cirurgião-dentista

    Este trabalho tem como objetivo conhecer o grau de informação da SAOS por parte dos profissionais da saúde e pacientes. Identificar o nível de conhecimento de diagnóstico dessa síndrome, suas conseqüências para o paciente e se esse profissional sabe tratá-lo adequadamente. Estabelecer os níveis de conseqüência pela falta de tratamento ou tratamento inadequado para os pacientes e determinar que tipo de tratamento foi utilizado e a que profissionais esses pacientes recorreram. Foram entrevistados 266 pessoas e 60 cirurgiões-dentistas (CDs) da cidade de Anápolis, correspondendo respectivamente à 1% da população anapolina e 10% dos profissionais cadastrados no Conselho Regional de Odontologia, definindo o grupo amostral. E os profissionais foram abordados em clínicas, consultórios e unidades de saúde da família, sendo eles clínicos gerais ou especialistas em ortodontia e prótese. Podemos concluir que o nível de diagnóstico dessa síndrome é muito precário, uma vez que o assunto é pouco conhecido pela população e até mesmo pelos profissionais da saúde. As conseqüências para esses pacientes podem ser severas uma vez que essa síndrome tem um índice de morbidade considerável quando não tratada e os profissionais de modo geral, quando se deparam com esse tipo de paciente, não sabem orientá-lo, encaminhá-lo e tratá-lo adequadamente. Quanto ao tratamento utilizado, observou-se que a maioria da população quando apresenta sintomas não procura tratamento e os pacientes geralmente recorrem ao otorrinolaringologista.
    Emília da Silva Bezerra
    PA-67 Odontoidoso: mão amiga

    Odontoidoso: mão amiga

    Almeida TYL*, Franciso KMS, Gomes DM

    Odontogeriatria; educação em saúde; saúde bucal

    Objetivo: o presente estudo tem como objetivo relatar a experiência do projeto de extensão "Odontoidoso: Mão Amiga" da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Material e método: as atividades são desenvolvidas na Fundação Leur Brito (FLB) e no NEPO (Núcleo de Extensão e Pesquisa em Odontologia)/UESB. Na FLB são realizadas atividades de educação em saúde e prevenção das doenças bucais; capacitação dos cuidadores sobre o envelhecimento e saúde bucal; atividades lúdico-educativas como gincanas, atividade teatral, jogos, música; levantamento epidemiológico das condições bucais dos idosos e o acompanhamento e supervisão de higienização bucal. No NEPO/UESB é realizado o atendimento clínico integral, incluindo a reabilitação bucal. Além disso, foi organizado um grupo de estudos o qual aborda conteúdos sobre Odontogeriatria por meio da apresentação de seminários com posterior discussão e palestras ministrados por profissionais de diferentes áreas. Resultados: este trabalho possibilita importante contato dos alunos com os pacientes geriátricos, tornando aqueles capazes de perceber as necessidades e contribuir para uma melhor qualidade de vida destes, que representam uma parcela cada vez maior da população brasileira, além de viabilizar o desenvolvimento de pesquisas sobre a terceira idade. Conclusão: a aproximação dos acadêmicos com a realidade profissional, torna possível a ampliação dos conhecimentos teóricos e práticos relacionados à Odontogeriatria, o que vem complementar a ausência de tal disciplina na matriz curricular do curso de Odontologia da UESB.
    Thagid Yasmin Leal Almeida
    PA-68 Cisto epidermóide: diagnóstico e tratamento

    Cisto epidermóide: diagnóstico e tratamento

    Silva DC*, Bellotti A, Vêncio EF

    Cisto não-odontogênico; cisto epidermóide; mucosa jugal

    Introdução: cistos epidermóides são cistos benignos de desenvolvimento que podem acometer qualquer região do corpo, sendo mais frequentes em regiões que ocorre a fusão de elementos embrionários. Cerca de 80% dessas lesões acometem o ovário ou a região escrotal e somente 7% são encontrados na região de cabeça e pescoço. A ocorrência desses cistos na cavidade oral é extremamente rara (1,6%), sendo o assoalho da boca a área mais comumente afetada. No entanto podem ser encontrados na língua, lábios e mucosa bucal. São lesões nodulares, subcutâneas, borrachóides e flutuantes de difícil diagnóstico quando se utiliza apenas exame clínico e exames de imagem convencionais, sendo indicados exames de imagem específicos como a Ultrassonografia, a Tomografia Computadorizada e a Ressonância Magnética. O aspecto histopatológico revela uma cavidade limitada por epitélio escamoso estratificado queratinizado que lembra epiderme e a luz cística é preenchida por ortoceratina. Objetivo: relatar um caso raro de Cisto Epidermóide acometendo mucosa jugal, bem como ressaltar a importância do cirurgião-dentista no diagnóstico e tratamento dessas lesões. Relato do caso: paciente do gênero masculino, 46 anos de idade, leucoderma que apresentou-se ao Centro Goiano de Doenças da Boca da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Goiás com lesão subcutânea, nodular e móvel em mucosa jugal do lado direito com evolução de 10 anos. A lesão foi tratada com excisão cirúrgica sob anestesia local e segue em acompanhamento há 6 meses.
    Donizete de Castro e Silva
    PA-69 Perda precoce e mantenedor de espaço estético fixo

    Perda precoce e mantenedor de espaço estético fixo

    Faleiro ST*, Jesuino FAS

    Mantenedor de espaço estético fixo; perda precoce

    A perda precoce dos dentes decíduos anteriores é relativamente comum e está associada a cáries múltiplas e principalmente a traumas acidentais. Dentre as consequências pode ocorrer inclinação dos dentes adjacentes, retardo ou aceleração da erupção do permanente e o desenvolvimento de uma má-oclusão, além de criar influências negativas do ponto de vista psicológico também. Substituir os dentes decíduos, perdidos precocemente, por aparelhos protéticos é de grande importância reestabelecendo-se a função e a estética. Apresentamos o caso de um paciente do sexo masculino; 2 anos de idade; com dentadura decídua completa; que sofreu um traumatismo levando à perda dos elementos 51, 52 e 53. Com base nos dados clínicos e idade do paciente, optou-se pelo uso de um mantenedor de espaço estético fixo, que foi confeccionado usando os dentes avulsionados 52 e 53 e um dente de estoque para o 51, sendo esses sustentados pro um arco palatino fixo com bandas nos molares decíduos e fio ortodôntico pesado.
    Sibelle Teodoro Faleiro
    PA-70 Laminados cerâmicos: opção de tratamento para as reabilitações estéticas.

    Laminados cerâmicos: opção de tratamento para as reabilitações estéticas.

    Magalhães JB*, Zavanelli AC, Zavanelli RA

    Laminados cerâmicos, reabilitação oral, estética

    O desenvolvimento dos materiais restauradores principalmente nos quesitos propriedades estéticas e mecânicas associado a técnicas adesivas requerem, cada vez mais, mínimo desgaste da estrutura dental para compor restaurações extremamente finas, mas com alta resistência, apoiada principalmente na cimentação adesiva. Ainda assim, retentores com maior grau de desgaste da estrutura dental são necessários para atender a necessidade de prover ao remanescente dental retenção e resistência e alcançar os requisitos estéticos. O planejamento estético reverso ou enceramento diagnóstico deve demonstrar a necessidade de correção do posicionamento 3D dos dentes envolvidos no tratamento estético. Sendo assim, o objetivo deste trabalho é apresentar uma reabilitação oral estética cujo planejamento estético considerou a indicação de laminados cerâmicos confeccionados em IPS e.max envolvendo procedimentos nos dentes 13 ao 23. Ao final das etapas clínicas para a execução do tratamento constatou-se que o excelente resultado estético obtido deve-se a um planejamento adequado às necessidades de diferentes tipos de preparo, e assim obter restaurações extremamente naturais e imperceptíveis.
    Jaqueline Barbosa Magalhães
    PA-71 Diagnóstico de cárie secundária: influência do sistema receptor de imagem e do material restaurador

    Diagnóstico de cárie secundária: influência do sistema receptor de imagem e do material restaurador

    Malagutti I*, Domingos AC, Cruz AD

    Cárie; diagnóstico; radiografia digital

    Objetivo: este trabalho teve como objetivos comparar diferentes sistemas receptores de imagem no diagnóstico de lesões simuladas de cárie secundária, bem como avaliar a influência do material restaurador na detecção das mesmas. Material e método: para tanto, 40 dentes posteriores foram submetidos a preparos cavitários do tipo mésio-ocluso-distal e foram realizadas perfurações simulando lesões de cárie. Posteriormente, os dentes foram restaurados com 5 tipos diferentes de resinas compostas (Filtek Z250®, TPH Spectrum®, Charisma®, Herculite XRV®, Tetric Ceram HB®). As radiografias interproximais foram adquiridas por sistemas receptores de imagem distintos, sendo eles dois filmes, Insight e Ektaspeed Plus (Kodak Dental System, USA), e três sensores digitais do tipo placa de fósforo: DenOptix® (Gendex Dental X-ray Division, USA) e Digora® com placa branca e azul (Soredex, Finland). As imagens foram analisadas por 10 avaliadores por meio de um sistema de escores e a acurácia do diagnóstico foi avaliada utilizando-se a área sob a curva ROC (Az). Resultados: observou-se que o sistema Digora® com placa azul permitiu maior precisão no diagnóstico das lesões simuladas de cáries e que a resina Herculite possibilitou um melhor desempenho na detecção das mesmas (p<0,05). Conclusão: concluiu-se que o sistema receptor de imagem utilizado, bem como o tipo de material restaurador, podem aumentar a precisão do diagnóstico de cáries secundárias.
    Igor Malagutti
    PA-72 Identificação humana por meio de radiografias póstero-anterior para análise do seio frontal: relato de caso

    Identificação humana por meio de radiografias póstero-anterior para análise do seio frontal: relato de caso

    Rondon BCS*, Daruge Júnior E, Lima SHR

    Identificação humana; radiologia; sobreposição de imagens

    As radiografias da face em norma frontal permitem a análise de uma grande variedade de estruturas anatômicas e, entre elas, os seios frontais. As formas geométricas do seio frontal são peculiares a cada indivíduo, sendo muito útil na identificação humana, principalmente com sobreposição de imagens. Este trabalho mostra uma identificação positiva por meio da comparação de radiografias PA de uma suposta vítima com a de um crânio desconhecido encontrado. O crânio apresentava, na região de ossos nasais, uma placa de redução de fratura, assim como havia a imagem de uma placa do mesmo tipo na radiografia da suposta vítima. Foi realizada a radiografia PA do crânio. Ambos os exames radiográficos foram fotografados, assim como o crânio e as imagens foram trabalhadas no software CorelDraw. A análise do crânio revelou presença de orifício na região supra-orbitária direita compatível com orifício de entrada de projétil de arma de fogo. Analisado os contornos formados pelos seios frontais, notou-se coincidência em suas peculiaridades. Feito a sobreposição dos contornos dos seios frontais e das bordas superiores das órbitas, apurou-se perfeito alinhamento das estruturas. Realizado a sobreposição das imagens radiográficas da placa de redução de fratura, da suposta vítima e do crânio, igualmente paurou-se perfeito alinhamento. Sobreposta a imagem fotográfica do crânio e a radiografia da suposta vítima, repetiu-se os resultados apurados. Conclui-se que o odontolegista pode fazer a idientificação com muita propriedade e firmeza, mesmo além da área de atuação da Odontologia.
    Bruna Carolina Santos Rondon
    PA-73 Confecção de prótese tipo protocolo em zircônia: relato de caso clínico

    Confecção de prótese tipo protocolo em zircônia: relato de caso clínico

    Dias PC*, Lima JBG, Lima JHF

    Zirkonzahn; MAD/MAM; zircônia

    O Zirkonzahn é um sistema manual de fresagem para a fabricação de próteses dentárias em zircônia, que podem ser indicado para qualquer tipo de preparo. Ele gera uma prótese que apresenta como características ser altamente biocompatível, não causar alergia ou pigmentação em contato com a gengiva e apresentar resistência a flexão maior que 1200MPa. O objetivo deste trabalho é a apresentação das etapas de confecção de uma prótese em zircônia, através do relato de um caso tipo protocolo superior esculpido pelo sistema Zirkonzahn MAD/MAM. Realizou-se a duplicação dos protocolos provisórios do paciente para obtenção de um padrão de resina para então ser realizado o processo de fresagem, no qual o contorno externo e os detalhes da prótese foram feitos com broca 4L e o contorno interno e acabamento final com brocas 2L e 1L. Em seguida, a zircônia foi imergida em liquido para pigmentação por 5s, colocada sobre luz infravermelha para fixação do pigmento e então levada ao forno para ser sinterizada. A prótese então foi montada em articulador semi-ajustável e depois instalada na boca do paciente. Concluiu-se que o processamento MAD/MAM confere ao sistema Zirkonzahn maior modernidade e precisão, além de possibilitar provar na boca do paciente as subestruturas resinosas antes da fresagem, assim qualquer reparo ou repetição pode ser feito sem grandes custos ou esforços. O resultado final, além de superior se traduz em uma maior qualidade estética e resistência, se comparado às tradicionais próteses em metalocerâmica.
    Pâmella Coelho Dias
    PA-74 Avaliação da relação entre procedimentos odontológicos e comportamento infantil

    Avaliação da relação entre procedimentos odontológicos e comportamento infantil

    Melo RB*, Moreira Neto JJS, Abreu DF

    Dor; desconforto; procedimentos odontológicos

    Introdução: É grande o percentual de crianças que apresentam problemas de comportamento em uma clínica Odontológica. Tem-se observado que determinados tipos de procedimentos odontológicos têm gerado, com maior freqüência, distúrbios no comportamento infantil. Objetivo: avaliar se existe relação entre os procedimentos odontológicos e o comportamento infantil. Trata-se de um estudo observacional, analítico e transversal realizado em crianças na Clínica de Odontopediatria do curso de Odontologia da Universidade Federal do Ceará. Material e Método: Foi utilizado para aferição de dor e desconforto: o questionário CFSS-DS, a classificação de Frankl, a escala visual analógica, a escala SOM (sons,olhos e movimento), a escala de ansiedade da face, e aferição dos batimentos cardíacos da criança. A amostra foi estratificada de acordo os procedimentos clínicos, grupo 1: procedimentos invasivos e grupo 2: procedimentos não invasivos. Resultados: a amostra segundo o questionário CFSS-DS ficou caracterizada como de pouco medo para os dois grupos. Foi encontrado maior desconforto para procedimentos invasivos na Escala Analógica Facial, Escala Analógica Visual e Escala SOM e não foi encontrado um padrão para os batimentos cardíacos que nos permita tecer um comentário pertinente.Conclusão: Com os resultados obtidos demonstra-se que existe uma grande diferença comportamental por parte das crianças em procedimentos invasivos quando comparados aos procedimentos não invasivos, fato esse que torna os procedimentos invasivos tão complicados em pacientes pediatricos.
    Radamés Bezerra Melo
    PA-75 Relato de vivência dos acadêmicos de Odontologia no PET - Saúde de Jequié-BA

    Relato de vivência dos acadêmicos de Odontologia no PET - Saúde de Jequié-BA

    Farias IMAO*, Francisco KMS, Pereira IFS

    Atenção básica; saúde bucal; educação em saúde

    OBJETIVO: Este trabalho tem como objetivo relatar as estratégias utilizadas por bolsistas do Curso de Odontologia da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, vinculados ao Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET-Saúde) de Jequié, durante as campanhas de vacinação em duas Unidades de Saúde da Família (USF). MATERIAIS E MÉTODOS: Nas reuniões do grupo PET foi identificada a necessidade da realização de ações preventivas e de promoção de saúde bucal durante as de campanhas de vacinação, devido ao grande fluxo de pessoas. Com este propósito foram planejadas oficinas direcionadas aos pais e às crianças. Como recursos foram confeccionados materiais educativos como: caixas de sensações, macromodelos da boca e escova, desenhos educativos para pintura, exibição de vídeos educativos, palestras, apresentação de teatro de fantoches, escovação supervisionada e aplicação de flúor. RESULTADOS: No primeiro ano de atuação do grupo, os acadêmicos de Odontologia desenvolveram ações voltadas para promoção e prevenção da saúde bucal junto à população assistida. As ações executadas proporcionaram aos pais e às crianças, o aprendizado dos conhecimentos sobre a saúde bucal, bem como da correta técnica da escovação e do uso do fio dental. CONCLUSÃO: Percebeu-se que a população reconheceu a importância da adoção de hábitos alimentares saudáveis, além de sugerirem outros temas a serem abordados em outras ocasiões. As atividades realizadas propiciaram um aumento da interação entre ESF, grupo PET e comunidade, contribuindo para o processo de formação dos acadêmicos.
    Isa Mara Andrade Oliveira Farias
    PA-76 Tumores odontogênicos em uma população brasileira: um estudo de 420 casos

    Tumores odontogênicos em uma população brasileira: um estudo de 420 casos

    Martins AFL*, Vêncio EF, Arantes DAC

    Tumores odontogênicos; epitélio odontogênico

    Dados epidemiológicos de cistos e tumores odontogênicos tiveram mudanças com a mudança da classificação da OMS em 2005. No presente estudo, é descrito o aspecto clinicopatológico de tumores odontogênicos em uma população brasileira. Dados como gênero, idade, e localização, foram analisados. A classificação histopatológica seguiu a da OMS, 2005. Tumores odontogênicos representaram 5,88% de 7142 lesões diagnosticadas pelo Laboratório de Patologia Bucal da Universidade Federal de Goiás, Brasil. O gênero mais afetado foi igualmente distribuído entre os sexos, com 207 femininos e 204 masculinos. A média de idade dos indivíduos foi 30,21, indo de 6 a 86 anos. A mandíbula foi o sítio mais afetado com 281 casos (66,9%). O tumor mais freqüente foi o odontogênico queratocístico (35,4%, 163), seguido pelo ameloblastoma (24,1%, 98) e odontoma (17,7%, 76). Entre o ameloblastoma, 67,6% (46) foram do tipo sólido e 30,9% (40) do tipo unicístico. A mandíbula foi o local mais prevalente para ameloblastoma e tumor odontogênico queratocístico, representando 79,59 e 74,39, respectivamente. Maxila foi o sítio mais afetado para tumor odontogênico cístico calcificante e odontoma.
    Número Comitê de Ética ? PRPPG: 486 ? Processo 098-2008
    Allisson Filipe Lopes Martins
    PA-77 Odontotectomia intencional para reabilitação com implantes: relato de caso

    Odontotectomia intencional para reabilitação com implantes: relato de caso

    Araújo LBE*, Rocha FS, Batista JD

    Odontectomia; implantes; próteses

    Introdução: A odontectomia parcial intencional é uma técnica cirúrgica que visa à remoção parcial de um elemento dentário em casos que sua total remoção poderia estar associada a maior risco de fratura óssea, danos às estruturas adjacentes, ou ainda piora do prognóstico da reabilitação oral. Atualmente, os implantes dentários tem se tornado uma opção bastante usual em detrimento do uso de próteses removíveis, mesmo em casos de atrofia óssea. Em razão da importância do tecido ósseo para o processo de osseointegração dos implantes e consequente o sucesso da reabilitação, torna-se imprescindível que o profissional busque a preservação do tecido ósseo durante a manipulação do mesmo. Objetivo: é relatar um caso clínico de odontectomia parcial intencional do dente 45 incluso, localizado em posição horizontal próximo ao forame mentoniano do lado esquerdo, em paciente com mandíbula atrófica que fará reabilitação com implantes dentais.
    Liz Bárbara Esteves Araujo
    PA-78 Perfil dos docentes do curso de Odontologia da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB

    Perfil dos docentes do curso de Odontologia da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB

    Pereira IFS*, Yarid SD, Oliveira DA

    Corpo docente; perfil; odontologia

    OBJETIVO: O presente trabalho tem como objetivo traçar o perfil profissional dos docentes de Odontologia na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia ? Campus Jequié-BA no ano de 2010. MATERIAIS E MÉTODOS: A pesquisa foi realizada no campus de Jequié da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), no ano de 2010. Aplicou-se um questionário baseado em estudos de metodologia semelhante a 36 docentes da instituição, escolhidos aleatoriamente. As entrevistas foram realizadas após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa. Os dados foram analisados e os resultados expressos em gráficos e tabelas. RESULTADOS: A maior parte da população estudada era do sexo masculino com idade entre 26 e 39 anos, casados, naturais do estado da Bahia e graduados em instituições públicas. Sobre a pós-graduação, 20 professores apresentaram mestrado, 12 possuem especialização, 11 são doutores, sendo que nenhum dos pesquisados possuía pós-doutorado. CONCLUSÃO: A pesquisa permitiu identificar o perfil predominante do profissional docente representado por indivíduos relativamente jovens, casados, que residem na Bahia e que foram motivados a serem professores, principalmente por gostarem de ensinar e pela necessidade constante de atualização. O corpo docente em sua maioria são mestres que possuem especialização na área.
    Igor Fernandes de Souza Pereira
    PA-79 Enxerto de cimento ósseo à base de polimetilmetacrilato na região anterior da maxila em reabilitação oral sobre implante

    Enxerto de cimento ósseo à base de polimetilmetacrilato na região anterior da maxila em reabilitação oral sobre implante

    Bernades KO*, Torres EM, Ruiz LFN

    Polimetilmetacrilato; implante dentário; estética

    A estética em implantodontia é um grande desafio, pois a perda de dentes promove remodelação dos tecidos ósseo e gengival com descontinuidade do rebordo residual em relação a dentição natural. O presente trabalho tem como objetivo descrever um caso clínico de reabilitação estético-funcional, no qual foi utilizado um enxerto de cimento ósseo à base de Polimetilmetacrilato (PMMA) para favorecer o perfil emergencial da prótese sobre implantes. Paciente FI, 19 anos, buscou tratamento odontológico para confecção de prótese sobre os implantes 12 e 22, previamente instalados, devido a perda dos dentes 11, 12, 21 e 22. Na anamnese, relatou estar insatisfeita com a estética da prótese removível provisória em uso. Ao exame clínico, verificou-se redução acentuada do volume tecidual na região a ser reabilitada. Ao exame radiográfico, os implantes apresentavam-se estáveis. Foi realizado enxerto de PMMA e tecido conjuntivo para devolução do contorno tecidual e suporte labial. Uma prótese fixa provisória sobre os implantes foi utilizada para obtenção de adequado perfil de emergência. A prótese final foi confeccionada com infra-estrutura em zircônia e revestimento estético em cerâmica. A paciente mostrou-se satisfeita com o resultado obtido. Conclui-se que a integração de diversas especialidades da Odontologia muitas vezes é indispensável para o sucesso das reabilitações com implantes.
    Karina de Oliveira Bernades
    PA-80 Liberação de flúor dos cimentos ortodônticos Sumo e Permaband D: estudo in vitro

    Liberação de flúor dos cimentos ortodônticos Sumo e Permaband D: estudo in vitro

    Soares NS*, Pithon MM, Souza RA

    Compósito ortodôntico; cimento de ionômero de vidro; liberação de flúor

    Objetivo: testar a hipótese que há diferença no desempenho de cimentos ortodônticos entre si quanto a liberação de flúor. Materiais e Métodos: Os materiais foram divididos em 3 grupos: 2 cimentos de ionômero de vidro (CIV) utilizados para cimentação de anéis ortodônticos: Grupo S (Sumo, OrthoSource) e Grupo P (Permaband D, OrthoSource) e 1 compósito ortodôntico: Grupo C (Concise, 3M Unitek), como controle. A liberação de flúor foi medida durante 28 dias (1h, 24h, 1, 3, 7, 14, 21 e 28 dias), através de eletrodo íon seletivo conectado a um analisador de íons. A análise de variância e comparação múltipla (ANOVA) e teste de Kruskal-Wallis foram utilizados para avaliação entre grupos (p < 0.05). Resultados: Os resultados evidenciaram que os materiais atingiram o pico máximo de liberação de flúor com 24h após presa inicial. Houve diferença estatística entre os grupos S e P com o grupo C em todos os tempos avaliados (p < 0.05). Houve diferença estatística entre os grupos S e P em todos os tempos avaliados (p > 0.05), exceto com 28 dias. Conclusão: A hipótese foi aceita. O CIV convencional Sumo apresentou um desempenho melhor quando comparado ao CIV reforçado com resina Permaband D, entretanto a liberação de flúor de ambos os CIVs foram significativas para o período avaliado.
    Natália dos Santos Soares
    PA-81 Perfurações radiculares: prevenção, diagnóstico e tratamento

    Perfurações radiculares: prevenção, diagnóstico e tratamento

    Irineu FV*, Paes FR, Arruda M

    Endodontia; perfurações radiculares; MTA

    Introdução: o tratamento endodôntico é sempre desafiador em função das dificuldades técnicas e pela complexa anatomia interna dos canais radiculares. E os acidentes são inconvenientes que podem acontecer. A perfuração radicular representa um desses acidentes, e consiste na comunicação da câmara pulpar ou dos canais radiculares com o tecido periodontal. Essa iatrogenia dificulta o prognóstico e pode levar ao insucesso da terapia endodôntica. Dessa forma a prevenção torna-se primordial para evitar as perfurações radiculares e deve-se atentar para aspectos relevantes como: estudo prévio da radiografia de diagnóstico; anatomia dental; posição na arcada dentária; dentes com coroas metálicas totais; o uso de instrumentos flexíveis. Objetivo: discutir e apresentar aos CDs um protocolo para prevenção, diagnóstico e tratamento das perfurações, englobando a analise de cada caso em particular, mostrar o uso inovador do localizador apical no diagnóstico, verificar a presença ou ausência de infecção, a extensão da perfuração, o tempo decorrido para o selamento, o risco do paciente à doença periodontal, e escolher um material reparador que promova um excelente selamento, favorecendo a cementogênese e osteogênese, visto interferir diretamente no prognóstico.
    Flávio Verri Irineu
    PA-82 Influência da quantidade de fibra de vidro curta adicionada em adesivo puro ou resina composta flow no modulo flexural

    Influência da quantidade de fibra de vidro curta adicionada em adesivo puro ou resina composta flow no modulo flexural

    Bitencourt EMC*, Fonseca RB, Bernades KO

    Propriedades Físicas; resistência de materiais; Bis-Fenol A-Glicidil Metacrilato

    Objetivo: O uso de fibras amplia propriedades mecânicas em materiais resinosos. Este trabalho avaliou o módulo flexural em barras de resina composta fotopolimerizável flow (RF) e adesivo puro (AP), reforçadas com fibra de vidro (FV).
    Material e Método: Foram confeccionadas barras de RF e AP, reforçadas com fibra de FV curta (3mm), variando: o tipo de material para impregnação das fibras (AP e RF) e a quantidade de fibra de vidro adicionada (0%, 10%, 15%, 20% e 30%). Pela interação entre os fatores em estudo (2x5) dez grupos experimentais foram criados (N=10), produzindo barras (10x2x1mm) testadas em resistência flexural de 3 pontos (0,5mm/min), e levadas ao MEV.
    Resultados: Os dados (MPa) submetidos aos testes ANOVA, Tukey e Tstudent demonstraram significância para interação entre fatores (p<0,05; letras maiúsculas comparam o mesmo material; letras minúsculas comparam as ?%? nos diferentes materiais) - para RF: 0% (2065,63 ± 882,15)Ba, 10% (4479,06 ± 3019,82)ABa, 15% (5694,89 ± 2790,3)Ab, 20% (6042,11 ± 3392,13)Ab, 30% (2495,67 ± 1345,86)Bb; para AP: 0% (1090,08 ± 708,81)Cb, 10% (7032,13 ± 7864,53)BCa, 15% (19331,57 ± 16759,12)ABa, 20% (15726,03 ± 8035,09)ABa, 30% (29364,37 ± 13928,96)Aa. As imagens em MEV mostraram melhor molhamento superficial e interação entre fibras e adesivo puro.
    Conclusões: Existe interação entre material resinoso e quantidade de fibra. A partir de 15% de fibras, a mistura com adesivo puro amplia o módulo flexural em maior proporção que para resina flow, resultado do melhor molhamento das fibras.
    Érika Maria Carvalho Bitencourt
    PA-83 Osteossarcoma condroblástico com característica microscópica infiltrativa peculiar

    Osteossarcoma condroblástico com característica microscópica infiltrativa peculiar

    Teixeira MFBMA*, Vêncio EF, Watanabe S

    Osteossarcoma condroblástico; ligamento periodontal; seio maxilar

    O osteossarcoma condroblástico é um tumor ósseo maligno, caracterizado pela formação de tecido osteóide ou condróide. Lesões nos ossos maxilares apresentam melhor sobrevida que aqueles localizados em outros ossos do organismo. Podem invadir estruturas adjacentes, provocando remoção cirúrgica mutilante. Neste estudo, dois casos de osteossarcoma condroblástico são apresentados com característica microscópica invasivas. Caso 1: paciente 35 anos de idade, feminino com queixa principal de ?caroço na gengiva?, relata tumefação na região do dente 36 há dois meses com dormência no lábio e bochecha. Ao exame clínico, o dente 36 apresentava-se com mobilidade e, radiograficamente, imagem difusa e apagamento do espaço periodontal e reabsorção radicular. Caso 2: paciente 48 anos de idade, feminino, com queixa de crecimento indolor e rápido na maxila anterior. A imagem radiográfica mostra lesão difisa sem limites definidos. Em ambos casos, a biopsia incisional revelou células pleomórficas e bizarras, formando lóbulos cartilaginosos e produção de osteóide com invasão tumoral do ligamento periodontal e mucosa do seio maxilar.
    Maria de Fátima Batista Medeiros Alves Teixeira
    PA-84 Uso da medicina tradicional chinesa no manejo da dor em pacientes com disfunção temporomandibular

    Uso da medicina tradicional chinesa no manejo da dor em pacientes com disfunção temporomandibular

    Franco FRV*, Souza MV

    Medicina tradicional chinesa; disfunções temporomandibulares; dores orofaciais

    Objetivo: Mostrar a sequência dos procedimentos de atendimento em um paciente com disfunção temporomandibular (DTM) tratado com a Medicina Tradicional Chinesa (MTC). Materiais e Métodos: Técnicas da MTC: acupuntura, moxabustão, auriculoterapia e ventosaterapia. Os materiais são: agulhas descartáveis de calibre 0,25 x 30 mm, moxa bastão de artemísia, sementes de vacária para auriculoterapia, agulhas hipodérmicas hinaishin de calibre 6mm, ventosas de vidro refratário. Resultados: Essas técnicas da MTC, como prática integrativa e complementar na odontologia, vêm agregar novos valores e ser aliadas do dentista no tratamento de diversas alterações do aparelho estomatognático, bem como no controle das dores orofaciais e nas DTM. Conclusão: O objetivo foi alcançado com sucesso, demonstrando que a sequência dos procedimentos de atendimento em um paciente com DTM através do uso da MTC é uma ferramenta útil, eficaz e de baixo custo, proporcionando um alívio imediato das dores e uma melhora dos sintomas durante o transcorrer da primeira intervenção.
    Faraína Rodrigues Vasconcelos Franco
    PA-85 Otimização da estética em dente anterior fraturado

    Otimização da estética em dente anterior fraturado

    Cruz MA*, Santos KQ, Oliveira KC

    Estética dentária; restauração dentária permanente; dentística

    Paciente 21 anos, sexo masculino, com histórico sucessivo de traumas no incisivo central superior direito há mais de 8 anos, apresentava clinicamente uma colagem de fragmento com alteração de cor na interface dente/fragmento. O tratamento proposto foi a remoção do fragmento e confecção de uma restauração direta com resina composta. Previamente realizou-se o clareamento de consultório (Whiteness HP Maxx/FGM) à base de Peróxido de Hidrogênio a 35% em uma única sessão. Após 15 dias iniciou-se o tratamento restaurador com a remoção do fragmento e confecção de bisel, seguido de um condicionamento ácido e aplicação de sistema adesivo (Ambar/FGM). Com o auxílio da guia de silicona confeccionou-se a concha palatina com a resina T-Yellow (Opallis/FGM), para devolver o policromatismo do dente utilizou-se as resinas DB2 (Opallis/FGM) para a confecção dos mamelões, Opaque Pearl (Opallis/FGM) para o aspecto opaco no halo, a resina T-Blue (Opallis/FGM) para o efeito de translucidez e por fim a resina E-bleach M (Opallis/FGM) dando o efeito do esmalte dental. O acabamento e polimento foi dado 2 dias após a restauração delimitando a área plana com lapiseira e desenhos para texturização superficial. O polimento foi realizado com discos de lixas flexíveis (Diamond Pro/FGM) de diferentes granulações, e discos de feltros (Diamond Flex/FGM) com pasta de polimento a base de óxido de alumínio (DIAMOND R/FGM). Após a finalização do tratamento, pode-se notar os seguintes resultados: Devolução da anatomia dental; Translucidez; Textura superficial; Opalescência e fluorescência; e Sorriso harmônico.
    Mila Araújo Cruz
    PA-86 Overdenture mandibulares implantorretida e mucossuportada: relato de caso

    Overdenture mandibulares implantorretida e mucossuportada: relato de caso

    Rodrigues LG*, Carvalho G, Araújo CU

    Overdenture; prótese; ERA

    Atualmente as próteses do tipo overdenture vêm ganhando popularidade como tratamento alternativo às próteses totais convencionais, permitindo a significante melhora das condições de estabilidade, bem como a retenção dessas próteses. Possui também características benéficas ao paciente como: melhor dissipação das cargas oclusais, manutenção do rebordo ósseo alveolar ao longo do tempo, aumento da eficiência mastigatória, e tem melhor aceitação psicológica do paciente. No caso clínico foi realizado a instalação de 3 implantes osseointegráveis com plataforma regular de hexágono externo na paciente A.M.A., objetivando um melhor paralelismo entre eles. Depois do período de osseointegração foi feita a reabertura dos implantes e a colocação dos cicatrizadores. Os pilares do tipo ERA (Extra Resiliente Abutment) foram selecionados e instalados, para que fosse possível o prosseguimento da fase de confecção da nova prótese total com posterior captura dos machos de processamento, podendo assim a prótese ser instalada na paciente. As overdentures mandibulares implantorretidas apresentam-se como um tratamento aceitável e previsível, proporcionando maior conforto, qualidade de vida e resgate da autoestima dos pacientes que integram este grupo.
    Lívia Graziele Rodrigues
    PA-87 Aspectos de interesse à identificação odonto-legal presentes em fotografias de sorrisos

    Aspectos de interesse à identificação odonto-legal presentes em fotografias de sorrisos

    Souza ML*, Cruz JPP, Pereira RM

    Odontologia legal; fotografias dentárias; identificação humana.

    Objetivo: Analisar as principais características odontológicas encontradas em fotografias de sorrisos com vistas à utilização em perícias de identificação humana. Para isto, realizou-se uma revisão de literatura, com apresentação e análise qualitativa de casos. Material e Método: Foram selecionados 36 sujeitos que tiveram seus sorrisos fotografados após o devido consentimento. Cada fotografia passou por uma análise a partir da qual foram descritas características e alterações marcantes observadas em arcos anteriores. Resultados: Foram destacados aspectos relacionados à apresentação geral das unidades dentárias no que diz respeito à disposição no arco, forma, cor, número, tamanho e proporção. Conclusão: Conclui-se que as fotografias de sorrisos apresentam um número considerável de informações passíveis de utilização nos casos de identificação humana. Além disso, foi possível perceber a necessidade de mais estudos sobre o assunto.
    Michele Luz de Souza
    PA-88 Contribuição da tomografia computadorizada de feixe cônico no estudo da anatomia do primeiro molar inferior permanente

    Contribuição da tomografia computadorizada de feixe cônico no estudo da anatomia do primeiro molar inferior permanente

    Teixeira SR*, Estrela C, Porto OCL

    Anatomia dentária; primeiro molar inferior; tomografia computadorizada de feixe cônico

    Objetivo: Estudou-se o número de raízes e canais em primeiros molares inferiores permanentes em uma subpopulação Brasileira com o auxílio da tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC). Material e Método: Foram selecionados 51 pacientes, 21 homens e 30 mulheres, com idade variando entre 13 a 73 anos, encaminhados ao serviço de radiologia por diferentes razões de diagnóstico. Ao todo, 102 molares inferiores permanentes tiveram a sua anatomia analisada por dois especialistas em radiologia odontológica, previamente calibrados. As imagens das TCFC foram obtidas por meio do sistema i-CAT. A amostra envolvida não apresentava dentes com história de cárie dentária, tratamento endodôntico e/ou ortodôntico ou distúrbio de desenvolvimento dentário. Resultados: Observou-se que 96 dentes (94,12%) apresentavam 2 raízes e apenas 6 (5,88%) 3 raízes. Todos os dentes exibiam raízes separadas. Dos 102 dentes analisados, 84 (82,35%) possuíam 3 canais e 18 (17,64%) 4 canais. Dois canais foram observados na raiz mesial em 100% (102 dentes) dos casos, enquanto que na raiz distal 90 dentes (88,24%) exibiram 1 canal e 12 (11,76%) 2 canais. Raízes supranumerárias foram observadas em apenas 6 molares (5,88%), todos em pacientes do gênero feminino. Conclusão: Os resultados evidenciaram uma elevada prevalência, em uma subpopulação Brasileira, de primeiros molares inferiores permanentes com 3 raízes e 3 canais. O exame de tomografia computadorizada de feixe cônico pode ser uma valiosa ferramenta para o estudo da anatomia de dentes permanentes.
    Sarah Rozette Teixeira
    PA-89 Reconstrução fixa metalo-cerâmica dento-gengival sobre implantes: follow-up de 50 meses

    Reconstrução fixa metalo-cerâmica dento-gengival sobre implantes: follow-up de 50 meses

    Carvalho WK*, Franciscone CE, Carvalho PI

    Implantodontia; prótese dental; cerâmica

    As reabilitações protéticas atuais almejam a estética e a função na busca da perfeição, recuperando, além dos dentes ausentes, as estruturas de suporte ósseo e gengival perdidas. Os avanços na técnicas cirúrgicas permitem a recuperação dos defeitos de tecidos duros e moles, à custa de procedimentos cirúrgicos invasivos e desgastantes, tanto para o profissional quanto para o paciente. Algumas vezes, a forma anatômica não é totalmente recuperada, persistindo o defeito. Para essas situações e também para pacientes que não podem ou não aceitam se submeter a cirurgias, técnica de incorporação de cerâmica rosa às próteses fixas (Prótese Fixa Metalo-Cerâmica Dento-Gengival) é uma alternativa de tratamento, possibilitando a recuperação dos defeitos ósseo e gengival, tanto em altura como em largura. O objetivo desse trabalho e divulgar a possibilidade técnica da reconstrução dento-alveolar em porcelana, através do relato de casos clínicos, acompanhados em até 50 meses. A partir desse relato de caso, pode-se chegar à conclusão de que as expectativas dos pacientes e profissionais envolvidos no tratamento foram alcançadas e que a técnica de reconstrução dento-gengival mostrou-se possível de ser realizada com segurança e resultado funcional e estético.
    Wanderley Kenedy de Carvalho
    PA-90 Avaliação do estresse de estudantes de Odontologia e dos fatores estressores relacionados ao atendimento infantil

    Avaliação do estresse de estudantes de Odontologia e dos fatores estressores relacionados ao atendimento infantil

    Silva RLS*, Oliveira FS, Castro AM

    Estresse; atendimento odontológico infantil; alunos de odontologia

    O nível de estresse influencia negativamente a qualidade e a execução do trabalho clínico, independente das habilidades cognitivas e técnicas. O objetivo deste estudo foi avaliar o estresse do aluno e os fatores estressores relacionados ao atendimento odontológico infantil. O instrumento para a coleta de dados foi um questionário auto-aplicado. Para a avaliação do estresse foi utilizado o Inventário de Sintomas de Estresse para Adultos de Lipp e para a avaliação dos fatores estressores uma lista com os possíveis eventos ou situações estressoras. O questionário foi obtido antes da primeira clínica de odontopediatria e no final do semestre. Do total de 40 alunos, 25 (62,5%) participaram das duas etapas, sendo 88% do gênero feminino com idade média de 20,88 anos. Comparando os dados obtidos, os resultados mostraram que a maioria dos alunos gostava de crianças. Quando questionados sobre se gostariam de atender crianças e a identificação com a especialidade houve um aumento de 20% e de 8% de respostas negativas, respectivamente. Constatou-se a presença de estresse em 88% e 96% dos alunos, sendo que 52% estavam na fase de resistência. Com relação aos fatores estressores, os relacionados ao paciente, como o manejo do comportamento e os que não aceitam o tratamento foram os que obtiveram maiores índices nas duas etapas, respectivamente, 88% e 72% e 84% e 92%. Não houve diferença estatisticamente significante. Concluiu-se que é alto o nível de estresse dos alunos e que os fatores relacionados ao paciente são os principais estressores no atendimento odontológico infantil.
    Roosevelt Leandro Sousa Silva
    PA-91 Tratamento da mordida aberta e curva reversa anterior na dentadura decídua, mista e permanente

    Tratamento da mordida aberta e curva reversa anterior na dentadura decídua, mista e permanente

    Butzke AS*, de Lucca PCC, Collet CMFB

    Mordida aberta; trespasse vertical; curva reversa anterior

    Introdução: a mordida aberta anterior é uma má oclusão vertical de causa multifatorial, que afeta a parte funcional e estética do sorriso. Podemos defini-la como um trespasse vertical negativo entre a borda incisal dos incisivos superiores e inferiores e pode apresentar curva reversa anterior como reflexo da intrusão dos incisivos. Objetivo: o objetivo deste trabalho é apresentar casos clínicos mostrando alternativas de protocolos de tratamento para dentadura decídua, mista e permanente. Os protocolos de tratamento propostos são: remoção de hábitos, aparelhos fixos, aparelhos removíveis e facetas nos incisivos superiores.
    Aline de Siqueira Butzke
    PA-92 Tratamento ortodôntico/cirúrgico ortognático para correção de sorriso gengivoso acentuado

    Tratamento ortodôntico/cirúrgico ortognático para correção de sorriso gengivoso acentuado

    Lacerda JM*, Almeida GA, Lelis ER

    Ortodontia; cirurgia ortognática; sorriso gengivoso

    Paciente leucoderma, do gênero feminino, com 32 anos de idade, apresentando má-oclusão Classe I de Angle, com exposição excessiva de tecido gengival durante o sorriso, dolicocefálica, perfil mole convexo, maxila protruída, mandíbula levemente retruída, sobremordida profunda e incisivos laterais superiores conóides. Foi realizado alinhamento e nivelamento superior com arcos segmentados (7-4, 3-3, 4-7); ligeira intrusão ântero-superior com arco base de TMA .017?x.022? e vestibularização do segmento anterior; alinhamento e nivelamento inferior; cirurgia ortognática, envolvendo segmentação da maxila em três partes, impacção e retrusão maxilar, com ênfase à pré-maxila e ligeiro avanço mandibular; e, ao término da intervenção ortodôntica, reanatomização dos incisivos laterais superiores. O tratamento mostrou-se efetivo, proporcionando significativa melhora na estética da face, linha do sorriso ao nível das cervicais dos dentes ântero-superiores e obtenção de guias excursivas funcionais.
    Julianne Mortoza Lacerda
    PA-93 Tratamento de fratura bilateral de mandíbula através do acesso trans-massetérico

    Tratamento de fratura bilateral de mandíbula através do acesso trans-massetérico

    Limirio PHJO*, Furtado LM, Batista JD

    Fratura; mandíbula; trans-massetérico

    Introdução: dentre as fraturas mandibulares, as fraturas condilares são as mais comuns, podendo ser intra ou extracapsulares. Alguns estudos mostram que as fraturas extracapsulares, quando tratadas de forma conservadora podem resultar em alterações funcionais importantes. Sendo assim, nestes casos, o tratamento aberto seria o tratamento de escolha. Embora a abordagem retromandibular de Hinds seja rotineiramente executada, o acesso transmassetérico pode oferecer um campo cirúrgico adequado, permitindo exposição satisfatória dos segmentos ósseos fraturados para colocação do material de fixação interna. Relato de caso: paciente vítima de acidente motociclístico, atendido no Hospital de Clínicas da UFU, apresentado fratura bilateral de côndilo e fratura exposta de parassínfise mandibular. Clinicamente foi observada dispnéia moderada com retroposicionamento da mandíbula e ferimento corto-contuso na região submentoniana. No tratamento de urgência foi realizada fixação da fratura parassinfisária com placas e parafusos do sistema 2.0 mm. No pós-operatório observou-se estabilidade de oclusão das próteses dentárias e ausência da dispnéia. Doze dias após o tratamento inicial de urgência, o paciente foi novamente levado ao centro cirúrgico para redução das demais fraturas. Foi realizado acesso transmassetérico bilateralmente, redução e fixação das fraturas condilares utilizando placas e parafusos do sistema 2.0 mm. No pós-operatório, o paciente apresentou estabilidade oclusal, abertura bucal satisfatória e boa movimentação mandibular.
    Pedro Henrique Justino Oliveira Limirio
    PA-94 Resistência adesiva de resinas compostas a base de metacrilato e silorano nos diferentes substratos dentários

    Resistência adesiva de resinas compostas a base de metacrilato e silorano nos diferentes substratos dentários

    Araújo IS*, Silva GR, Soares CJ

    Adesão; silorano; resistência adesiva

    Introdução: é importante se obter adequada união entre materiais restauradores e estruturas dentais. Objetivo: avaliar a resistência adesiva (RA) considerando-se 2 fatores em estudo: 1- Substrato dentário (n=10) (dentina e esmalte e 2- tipo de resina (n=10): silorano (G1) (Filtek P90 + adesivo autocondicionante silorano) e metacrilato (G2) (Filtek Z350 XT + adesivo autocondicionante de metacrilato (Clearfil SE Bond). Material e método: utilizou-se 20 molares humanos (CEP-213/10); 10 por substrato. Cada dente recebeu os dois tipos de resina (restauração 4mm de altura x 3mm de largura e comprimento). Para análise da adesão em dentina e esmalte, foram utilizadas as superfícies oclusal e vestibular respectivamente, obtendo-se aproximadamente 4 palitos/restauração. A RA (Força (N)/área (mm)), foi obtida após 24 horas da confecção da restauração, por meio do ensaio de microtração. A análise estatística foi realizada com ANOVA two-way e teste de Tukey (p<0,05) . Resultados: os resultados (MPa) em esmalte e dentina foram respectivamente: G2: 35,13(10,18)Aa e 26,29(6,81)Ab e G1: 15,49(6,52)Ba e 9,05+3,50Ab. A adesão imediata em esmalte parece ser mais eficiente do que em dentina para ambos os tipos de resina, sendo que a resina a base de metacrilato apresentou maior resistência de união do que a silorano. Logo, em dentina, o tipo de resina composta não influenciou nos valores de RA. Conclusão: resina a base de silorano apresenta menor adesão ao esmalte dentário do que resina a base metacrilato e em dentina, a RA independe do tipo de material restaurador.
    Isabela Sousa de Araújo
    PA-95 Estudo sobre o conhecimento de antimicrobianos prescritos rotineiramente em Odontologia

    Estudo sobre o conhecimento de antimicrobianos prescritos rotineiramente em Odontologia

    Moreira FCL*,Almeida FM, Dias AD

    Antimicrobianos; odontologia; anti-infecciosos

    Introdução: o Portal Farmaconline é um sítio eletrônico destinado a informar e colher informações dos odontólogos que o acessam na internet. Objetivo: verificar os conhecimentos dos profissionais de Odontologia sobre os medicamentos que devem ser prescritos aos pacientes quando portadores de um quadro infeccioso. Material e método: foi realizada uma pesquisa de opinião pelo Portal Farmaconline (http://www.farmaconline.ufg.br) por meio do software de Sistema de Gerenciamento de Conteúdo, solicitando aos visitantes responder qual o antimicrobiano que pode ser utilizado rotineiramente em Odontologia, frente a um caso infeccioso. A enquete foi publicada no dia 14/03/2011 e os dados aqui presentes foram colhidos na data de 13 de junho de 2011. Resultados: de um total de 4.831 (quatro mil oitocentos e trinta e um) inscritos no Farmaconline, 173 (cento e setenta e três) pessoas se dispuseram a participar de forma espontânea da enquete. 43,93% responderam que o antimicrobiano que achavam ser regularmente prescritos nos casos indicados em Odontologia foi a ciprofloxacina, seguida da roxitromicina (27,17%) e da espectinomicina (10,98%). Diante dos dados e da literatura científica obtida, pode-se concluir que a grande maioria dos votantes desconhecem a roxitromicina como macrolídeo e também como uma alternativa às penicilinas no tratamento das infecções odontogênicas nos pacientes alérgicos a elas e que, mesmo desconhecendo os princípios ativos apresentados, não houve interesse em se saber para que eram destinados, apesar da grande disponibilidade de dados que a internet oferece.
    Francine do Couto Lima Moreira
    PA-96 Estudo comparativo de três métodos de extração de RNA de amostras gengivais de pacientes com periodontite severa

    Estudo comparativo de três métodos de extração de RNA de amostras gengivais de pacientes com periodontite severa

    Neves ALR*, Franco EJ, Andrade, RV

    Periodontia; biologia molecular; RNA

    Introdução: as doenças periodontais severas são caracterizadas por um processo inflamatório que leva a destruição dos tecidos de suporte dentário. Esse processo inflamatório é causado pela resposta do hospedeiro frente à colonização de bactérias na superfície dentária em conjunto com outros fatores que interferem na resposta do hospedeiro. Além disso, grau de patogenicidade e agressividade da mesma esta diretamente relacionado à expressão diferencial de diversos genes. Objetivo: padronizar a extração de RNA, visando o estudo da diferenciação gênica, extraído a partir de amostras de pacientes portadores de doenças periodontal. Material e método: foram coletadas 3 amostras de tecido gengival de 1mm² de áreas detectadas com doença periodontal. As amostras foram extraídas pelos métodos TRIZOL (Invitrogen®) no segundo, o kit NucleoSpin® RNA II (MACHEREY-NAGEL®) sem DNase e no terceiro, o Rneasy Mini Kit (Qiagen®) com adição da DNase I (Qiagen®). Os fragmentos de RNA foram separados por eletroforese em gel de agarose 1% e amplificados, sendo visualizados em gel. Após a verificação da qualidade o cDNA foi sintetizado utilizando transcriptase reversa para futura análise da expressão gênica por qRT-PCR. Resultados: os dados aqui obtidos permitiram verificar que o método de extração com o Rneasy Mini Kit (Qiagen®) foi o mais eficiente, possibilitando o desenvolvimento de novas perspectivas na área da pesquisa científica, e consequentemente um desenvolvimento de marcadores moleculares que poderão auxiliar diagnóstico precoce da doença periodontal.
    Ana Luiza Rabelo das Neves
    PA-97 Documentação odontológica aceita como prova legal por juízes de varas cíveis brasileiras

    Documentação odontológica aceita como prova legal por juízes de varas cíveis brasileiras

    Sousa ELSM*, Yarid SD, Santos MM

    Responsabilidade civil; odontologia legal; ética profissional

    Introdução: Cada vez mais tem sido verificada a importância do prontuário odontológico com a finalidade de evitar possíveis processos judiciais movidos contra cirurgiões-centistas. Objetivo: realizar a análise da visão do Magistrado Brasileiro de Varas Cíveis a respeito da aceitação de filmagem (VHS) em substituição à documentação odontológica convencional como prova em litígios que o cirurgião-dentista possa sofrer. Material e Método: Analisaram-se os dados de 137 questionários respondidos pelos Magistrados. Resultados: Observou-se haver aceitação da filmagem (VHS) em substituição à maioria dos documentos que compõem o prontuário odontológico. Conclusão: Concluiu-se que a filmagem (VHS) é aceita como prova legal em substituição à documentação convencional, não havendo, no entanto, consenso quanto ao tempo que deverá permanecer armazenada tal documentação.
    Érica Luiza Santana Moreira Sousa
    PA-98 Restabelecimento das dimensões ósseas alveolares por meio da regeneração óssea guiada. Relato de caso clínico

    Restabelecimento das dimensões ósseas alveolares por meio da regeneração óssea guiada. Relato de caso clínico

    Nogueira EB*, Melo LGN, Almeida MWLBG

    Reabsorção óssea; regeneração óssea guiada

    Introdução: após a perda dentária, inicia-se um processo crônico e irreversível de atrofia do rebordo alveolar. Alterando, de forma significativa, as dimensões do rebordo e inviabilizando, posteriormente, a reabilitação protética da região. Assim, procedimentos cirúrgicos têm sido recomendados para reconstrução de defeitos de rebordo. Objetivo: o objetivo deste trabalho foi avaliar a eficácia do uso de uma hidroxiapatita óssea bovina particulada (Bio-Oss) e enxerto ósseo autógeno associados à membrana de colágeno para restabelecimento das dimensões do rebordo edêntulo. Relato do caso: paciente do gênero feminino apresentou-se na clinica integrada da UNIP com queixa principal relacionada à falta de dentes na região de pré-maxila. A região apresentava-se com ausência dos dentes 13-23 e havia perda significativa de espessura óssea. Diante do quadro clínico apresentado, foi proposto a reconstrução da região com enxerto de osso autógeno e hidroxiapatita bovina, associados à uma membrana de colágeno, segundo os princípios da regeneração óssea guiada (ROG). Após o período de cicatrização, a paciente foi reabilitada com prótese parcial fixa para restabelecimento dos elementos 13-23. Pôde-se observar, ao final do tratamento, total restabelecimento das dimensões do rebordo alveolar e obtenção de um perfil de emergência protético adequado. Conclusão: pode-se concluir que o uso de uma hidroxiapatita óssea bovina particulada (Bio-Oss) e enxerto ósseo autógeno associados à uma membrana de colágeno foi eficaz para restabelecimento das dimensões do rebordo edêntulo.
    Elaine Batista Nogueira
    PA-99 Facetas cerâmicas: resistência e estabilidade de cor

    Facetas cerâmicas: resistência e estabilidade de cor

    Lasmar RV*, Cardoso PC, De Lucca PC

    Cerâmica; sorriso; estética

    Introdução: as cerâmicas têm se destacado no mercado odontológico pela alta resistência ao desgaste, estabilidade de cor e características óticas semelhantes à estrutura dental. Desta forma, desarmonias estéticas anteriores podem ser solucionadas com os sistemas cerâmicos atuais com o mínimo ou nenhum desgaste de estrutura dental. Objetivo: apresentar a resolução estética e funcional de um paciente de 35 anos que apresentou-se com resinas compostas deficientes quanto à cor, forma e textura superficial, lateral conóide e presença de diastema. Relato do caso: após exame clínico, radiográfico e obtenção de fotografias intra e extra-oral, realizou-se o moldagem da condição inicial. Após remoção das resinas compostas deficientes, realizou-se moldagem com silicona por adição pela técnica simultânea com duplo fio. Os laminados, Empress Esthetic, foram posicionados com pasta de prova. O resultado satisfatório da prova definiu o cimento a ser utilizado. A cimentação foi realizada com RelyX Venner, cor +1. A execução criteriosa do protocolo de planejamento, moldagem, etapa laboratorial e prova dos laminados e cimentação foram determinantes para sucesso estético funcional do caso clínico apresentado.
    Rildo V. Lasmar
  • Poster Grupo B - 23/09/2011
    (Clique aqui para visualizar os trabalhos)

    Montagem - dia 23/09, das 09:00 as 10:00 horas

    Apresentação dia 23/09 das 14:00 as 17:00 horas

    Desmontagem dia 23/09, das 17:00 as 18:00 horas

    Código Título Autor
    PB-01 Gengivo estomatite herpética aguda e recidivante: relato de casos clínicos

    Gengivo estomatite herpética aguda e recidivante: relato de casos clínicos

    Silva SCT*, Pinto LV, Silveira MS

    Estomatologia; herpes; tratamento

    Introdução: Os herpes vírus humano (HHV) representam um amplo grupo de vírus DNA que possuem algumas características biológicas comuns, normalmente associadas a diversas doenças da boca (Chiarelli et al 2008). A infecção pelo herpes vírus humano muitas vezes leva sinais e sintomas orais, sendo um desafio para o diagnóstico e geralmente de tratamento difícil. Aspectos Clínicos: a infecção primária herpes vírus-I geralmente acomete crianças de 1 a 6 anos e eventualmente no adolescente ou no adulto jovem, uma vez que nestes períodos da vida, há várias oportunidades para o contágio (Borasks 1996). São Aspectos Clínicos Gerais: mal estar, febre, cefaléia, anorexia, nervosismo, dores articulares e linfodenopatia. Na mucosa bucal apresenta boca dolorida, salivação abundante e fétida, gengiva marginal vermelha edemaciada e sangrante, vesículas claras com halo eritematoso e depois úlceras rasas de fundo amarelado e doloridas. Vários fatores reativam o vírus como a febre, exposição a raios solares, tensão emocional, gravidez, cansaço, estresse e doenças crônicas. No lábio herpes aparece com início súbito, depois eritema, sensação de dormência, as vezes coceira, durante 3 a 4 dias, no local surgem vesículas claras de halo eritematoso que se rompem formando úlceras rasas doloridas ao toque e que saram entre 7 a 14 dias. O diagnóstico se faz pela história clínica, exame clínico, cultura para o HSV, raspagem para imunofluorescência ou evidenciação citológica. O tratamento para a gengivo estomatite herpética aguda consiste em analgésticos, Aciclovir e Digluconato de Clorexidina 0,12% (Borasks 1996).
    Samara Carla Trigueiro Silva
    PB-02 Odontoma composto: relato de dois casos clínicos

    Odontoma composto: relato de dois casos clínicos

    Ellwanger LG*, Pinto LV, Azenha NS

    Odontoma composto; diagnóstico; cirurgia

    Segundo a Organização Mundial de Saúde(OMS) ,odontoma é o tipo mais comum de tumor odontogênico, sendo definido como uma malformação benigna (harmatoma), em que as células alcançam completa diferenciação, atingindo o estágio, no qual todos os tecidos dentais estão representados .Radiograficamente, os odontomas compostos se caracterizam como um conjunto de estruturas semelhantes aos dentes, de forma e tamanho variáveis, envoltos por uma zona radiolúcida, sua imagem patognomônica constituída de dois ou mais dentículos de pequeno tamanho. Normalmente são assintomáticos e diagnosticados através de exames radiográficos de rotina, por estarem associados à falta de erupção de um dente permanente.Estão comumente localizados na região anterior da maxila.São detectados mais comumente nas duas primeiras décadas de vida, não existindo predileção por gênero.Sua etiologia e indeterminada, porém a mais aceita relaciona-se a traumas, infecção ou pressão no local da formação causando perturbação no mecanismo genético e controlador do desenvolvimento dentário. O tratamento indicado para odontoma consiste na remoção cirúrgica,a qual é facilmente executada, uma vez que são separadas do osso adjacente por cápsula fibrosa de tecido conjuntivo(que também deve ser retirada na cirurgia). Dessa forma não é esperado a recidiva da lesão, o que oferece um excelente prognóstico do tratamento.O propósito desse trabalho é apresentar dois painéis com casos clínicos de pacientes que procurarm o Projeto de Diagnóntico do Curso de Odontologia da UniEvangélica de Anápolis-GO.
    Luana Gabrielle Ellwanger
    PB-03 Utilização de localizadores foraminais pela não visualização do ápice radicular em paciente com fratura mandibular

    Utilização de localizadores foraminais pela não visualização do ápice radicular em paciente com fratura mandibular

    Furquim BA*, Tirintan FC, Simoneti LF

    Localizadores foraminais; fratura

    -Objetivo:
    O objetivo deste trabalho foi relatar um caso clínico de um paciente submetido ao tratamento endodôntico do elemento 36 por lesão cariosa crônica, com o ápice radicular envolvido por placas de fixação interna rígida devido à fratura mandibular.
    -Materiais e Métodos:
    A não visualização do ápice radicular é um desafio no tratamento mesmo com o desenvolvimento de novas técnicas na odontologia atual, como o uso de localizadores foraminais, que proporciona a endodontia sucesso e um prognóstico favorável, auxiliando o cirurgião dentista a obter uma odontometria precisa e um tratamento seguro. Muitas vezes elementos dentais são envolvidos nos traços de fraturas mandibulares sendo que a redução e fixação dessas fraturas são realizadas com placas de titânio e parafusos ósseointegraveis, porém, eventualmente as placas de fixação interna rígida perfuram ou sobrepõem os ápices radiculares dos dentes envolvidos, dificultando uma futura intervenção odontológica. Assim o uso de localizadores foraminais aliados a uma correta terapêutica tem-se demonstrado eficaz na abordagem ao paciente.
    -Resultados:
    Seguindo estes princípios foram utilizados dois localizadores foraminais de marcas distintas (NovApex e Bingo) com o intuito de mensurar a eficácia e precisão na odontometria dos canais radiculares.
    -Conclusão:
    Conclui-se que não houve diferença nas medidas de ambas as marcas de localizadores foraminais indicando o sucesso do tratamento comprovado radiograficamente com a regressão da lesão periapical.
    Bruna Alves Furquim
    PB-04 Correção cirúrgica de sequela de fístula orocutânea de origem dentária no hospital regional da Ceilândia-DF

    Correção cirúrgica de sequela de fístula orocutânea de origem dentária no hospital regional da Ceilândia-DF

    Braga EC*, Paula DS, Sinatra LS

    Abscesso; fístula orocutânea; hiperplasia

    Introdução: abcessos que canalizam através da pele e possuem drenagem por fístula orocutânea podem ocorrer em virtude de doenças periodontais,periapicais ou mesmo como manifestação de osteomielites mandibulares,representando um desafio diagnóstico.Desta forma,torna-se de importante que o profissional realize um exame minuncioso,adicionando exames complementares,auxiliando no diagnóstico e posteriormente instituição de terapêutica efetiva. Objetivo: relatar intervenção em paciente M.O.C.L,sexo feminino,40 anos,melanoderma,encaminhada ao Serviço de Cirurgia Oral e Traumatologia Bucomaxilofacial do HRC para avaliação de um tumor maligno na mandíbula com evolução de 4 meses. Relato do caso: após exame clínico e radiográfico,observou-se que a lesão exteriorizada na pele da região submandibular direita tratava-se de uma fístula orocutânea hiperplásica de origem infecciosa do dente 48.A conduta terapêutica instituída foi extração do dente 48 e prescrição medicamentosa antimicrobiana profilática e terapêutica com Cefalexina 500mg, uso de Ibuprofeno 600mg e Paracetamol 500mg,além das orientações e cuidados pós-operatórios.Aguardou-se 21 dias para regressão do processo infeccioso e melhora da região,optando posteriormente pela correção cirúrgica da seqüela deixada pelo processo,e conseqüente melhora na estética facial. Conclusão: sesse modo, conclui-se que o conhecimento da etiopatogenia das lesões, utilização de recursos, como exames radiográficos, e atuação de forma multidisciplinar são de extrema importância para ser dado um diagnóstico certo e tratamento adequado, evitando danos estéticos e funcionais.
    Elisa Candida Braga
    PB-05 Colagem de fragmento: como avaliar?

    Colagem de fragmento: como avaliar?

    Almeida LN*, Cardoso PC, Souza JB

    Fratura dentária; colagem dentária; estética

    Os traumatismos dentários apresentam-se como situações desafiadoras ao cirurgião-dentista devido à necessidade do restabelecimento da estética, função e características do elemento dentário. Para a reabilitação de dentes fraturados, a colagem de fragmento se mostra uma alternativa viável e vantajosa por ser fácil, rápida e manter características estruturais do dente como brilho, cor e textura superficial. Alguns aspectos são determinantes para a avaliação do fragmento: (1) cor; (2) presença de trincas e microfraturas; e (3) adaptação. Nem sempre o fragmento é viável para a realização da colagem, mas este sempre deve ser considerado, pelo fato de simplificar o tratamento e diminuir a quantidade de material restaurador. O objetivo deste trabalho é apresentar dois casos clínicos, com enfoque na avaliação do fragmento dental e utilização do mesmo para restabelecimento estético-funcional do elemento fraturado. No primeiro caso clínico observou-se uma fratura coronária do dente 21, sem exposição pulpar e sem envolvimento do espaço biológico. Ao posicionar o fragmento, observou-se a falta de adaptação ao remanescente dentário e, portanto, optou-se pela restauração com compósitos. No segundo caso clínico houve fratura oblíqua sem exposição pulpar dos dentes 11 e 21. A adaptação satisfatória, ausência de trincas e microfraturas, e manutenção da coloração do fragmento favoreceram a colagem que foi realizada com sistema adesivo e resina flow. O sucesso e longevidade do procedimento de colagem estão diretamente ligados à avaliação correta do aproveitamento do fragmento.
    Letícia Nunes de Almeida
    PB-06 Remoção de canino incluso associado a presença de odontoma

    Remoção de canino incluso associado a presença de odontoma

    Saito CS*, Furtado LM, Rocha FS

    Odontoma; remoção cirúrgica

    Odontoma é um tipo de tumor odontogênico benigno misto, composto por vários tecidos dentários como esmalte, dentina, cemento e polpa. Podem ser classificados em compostos quando os tecidos dentários se apresentam de forma organizada ou complexos, quando apresentam desorganização tecidual. Geralmente são assintomáticos, porém, podem estar associados à retenção de dentes decíduos, presença de dentes supranumerários, não-erupção de permanentes, bem como inflamação e infecção. Neste trabalho, apresentamos o caso clínico de um odontoma complexo associado ao dente 33 não erupcionado. O paciente CRS, 45 anos, sexo masculino compareceu à clínica de Especialização em Implantodontia da UFU para planejamento e reabilitação com implantes. Após exames clínico e radiográfico, observou-se a presença de uma massa radiopaca irregular localizada na região do dente 33, que se apresentava retido e em posição horizontal. O tratamento instituído foi a remoção cirúrgica do odontoma e do dente 33 sob anestesia local.
    Cristiane da Silva Saito
    PB-07 Tumor odontogênico localmente agressivo: relato de um caso raro na maxila

    Tumor odontogênico localmente agressivo: relato de um caso raro na maxila

    Quinto ALF*, Vêncio EF

    Fibroma odontogênico central

    O fibroma odontogênico (FO) é um tumor benigno caudado por uma proliferação ectomesenquimal, caracterizada pela presença de tecido fibroblástico e quantidades variáveis de epitélio odontogênico. Existem duas variantes, a central e a periférica, sendo que a lesão central é rara, tendo apenas 70 casos publicados na literatura inglesa. Acomete principalmente o gênero feminino com localização predominante na maxila. Neste trabalho, um caso clínico de fibroma odontogênico central com comportamento local invasivo é relatado com revisão da literatura. Paciente do gênero feminino, 29 anos de idade apresenta lesão radiolúcida multiloculada com limites precisos, estendendo-se da face mesial do dente 13 à distal do dente 15 com perfuração óssea palatina e reabsorção radicular nos dentes 13 e 44. O diagnóstico clínico foi de lesão central de células gigantes. Paciente foi submetida à tratamento endodôntico pré-operatório. A lesão foi enucleada, preservando-se os dentes envolvidos na lesão. A peça foi então enviada para exame anatomopatológico, que revelou restos epitéliais odontogênicos entre uma matriz de tecido mixóide, sem atipias celulares nem mitoses compatível com FO. A paciente encontra-se em acompanhamento clínico-radiográfico há 4 anos sem sinais de recidiva até o momento. Neste trabalho, um caso de FO com comportamento clínico agressivo é apresentado e os aspectos clinicopatológicos são discutidos.
    Any Lúcia Florentino Quinto
    PB-08 Sistêmicos cerâmicos atuais: qual usar?

    Sistêmicos cerâmicos atuais: qual usar?

    Moreira, BC*, Cardoso, PC, Lopes LG

    Cerâmica; estética; sorriso

    As cerâmicas possuem propriedades como resistência ao desgaste, estabilidade de cor, excelente resultado estético, adaptação marginal satisfatória, durabilidade e biocompatibilidade. A literatura apresenta diferentes classificações para os sistemas cerâmicos, o que gera muito confusão para o clínico no momento da seleção da cerâmica. Atualmente, a classificação mais utilizada é Cerâmica: Condicionável: Feldspática convencionais; Vidro-ceramizadas reforçadas por leucita (Empress, Empress Esthetic ) e Vidro-ceramizadas reforçadas por dissilicato de lítio (Empress E Max, Empress 2) e Não ? condicionável: Alumina infiltrada por vidro (In Ceram, Procera) ; Alumina densamente sinterizada (In Ceram Al, Procera Alumica), Zircônia (Y-TZP) (Lava). A seleção do sistema cerâmico está diretamente ligada com a cor do substrato. O objetivo deste trabalho é apresentar dois casos clínicos, um com substrato claro e o outro com pino metálico, e as estratégias para reabilitação, enfatizando o tipo de cimento resinoso e a seleção do sistema cerâmico. A partir de diagnóstico, planejamento e execução adequada da técnica de preparo, moldagem e cimentação, foi possível alcançar um resultado satisfatório, devolvendo harmonia e equilíbrio para o sorriso dos pacientes.
    Bruna Castro Moreira
    PB-09 Perfil do egresso do curso de Odontologia da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

    Perfil do egresso do curso de Odontologia da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

    Palmeira LMV*, Yarid SD, Ribeiro MC

    Odontologia; estudantes de odontologia; odontólogos

    OBJETIVO: Os objetivos do presente estudo foram identificar o perfil profissional dos cirurgiões-dentistas egressos do curso de Odontologia da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB - Campus de Jequié, determinar a atuação desses profissionais, constatar se há a adoção de medidas educativo-preventivas de caráter coletivo por parte deles e avaliar o grau de satisfação profissional.
    MATERIAL E MÉTODO: O instrumento de coleta de dados foi um questionário semi estruturado contendo questões objetivas e subjetivas enviado por correio eletrônico.
    RESULTADOS: A análise dos resultados revelou que a média de idade dos egressos era de 24 anos. Dos participantes da pesquisa, 58,3% considerou bom o curso de graduação e 83,4% disse que escolheriam novamente a Odontologia como profissão. Os resultados demonstraram que 58,3% dos profissionais atuam principalmente na rede pública e em consultório de outro dentista pagando porcentagem por procedimento. A maioria realiza ações educativo-preventivas de maneira coletiva.
    CONCLUSÂO: Conclui-se que as características profissionais dizem respeito ao resultado de um processo de formação. Os profissionais sentem-se realizados profissionalmente e apontam a má remuneração como uma das maiores dificuldades encontradas no exercício da profissão.
    Láiza Michele Vieira Palmeira
    PB-10 Perfil da violência contra crianças e adolescentes segundo registros do IML de Feira de Santana-Ba, 2007 A 2010

    Perfil da violência contra crianças e adolescentes segundo registros do IML de Feira de Santana-Ba, 2007 A 2010

    Silva MLCA*, Musse JO, Costa MCO

    Violência; lesões; manifestações

    Objetivo: o objetivo deste trabalho foi caracterizar o(s) tipo(s) de violência impetrada contra crianças, adolescentes e adultos jovens e analisar o perfil das vítimas e agressores, segundo as variáveis sócio-demográficas e manifestações clínicas orofaciais. Material e método: estudo epidemiológico de corte transversal, do tipo descritivo utilizando dados secundários coletados no Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Feira de Santana- Ba, no período de 2007 a 2010. Resultados: os resultados da pesquisa totalizaram 72 casos, 100% destes correspondendo à violência física. As vítimas apresentaram idades entre 2 a 21 anos; não houve preferência por sexo; 50 (72,5%) eram faiodermas e 44 (67,7%) naturais de Feira de Santana-BA. Em 15 (20,8%) casos, houve registro do suposto agressor, não havendo registro da idade e profissão. O instrumento contundente foi o mais utilizado durante as agressões. O lábio foi o sítio da face mais atingido, 54 (58,7%); dentre as manifestações clínicas, a mais frequente foi os traumas dentários 32 (27,4%). Conclusão: os resultados desta pesquisa denotam a necessidade de implementação de programas preventivos da violência nas áreas de saúde e de segurança pública direcionados à faixa etária.
    Mona Lisa Cordeiro Asselta da Silva
    PB-100 Tratamento precoce de má oclusão de classe III com o uso da tração reversa

    Tratamento precoce de má oclusão de classe III com o uso da tração reversa

    Portes GV*, Castro A

    Tratamento de classe III

    Objetivo: demonstrar um caso clínico de sucesso, com o uso da máscara facial nos tratamentos precoces de classe III esquelética. Relato do caso: paciente K. K., 6 anos, sexo feminino, com retrognatismo maxilar e perfil côncavo, procurou tratamento ortodôntico para correção do seu padrão facial e dentário. Com o uso do disjuntor palatino durante 15 dias, conseguiu-se uma expansão rápida da maxila. Posteriormente foi colocado em uso de 24 horas por dia a máscara facial do tipo petit para tração reversa durante 6 meses, onde foi constatado o descruzamento de mordida, após foi planejado o uso da máscara facial somente para dormir, para estabilização do padrão de oclusão. Um acompanhamento anual foi realizado durante 4 anos, até q todos os dentes permanentes estivessem presentes. Após esse período, verificou-se a estabilidade da correção conseguida. Com o uso da máscara facial foi obtido um padrão oclusal e facial adequado, com o aumento do SNA, redução do SNB, rotação horária da mandíbula e diminuição do ângulo nasolabial. É de extrema importância a cooperação do paciente no uso do aparelho, pois este é o fator determinante para o sucesso do tratamento. Conclusão: o uso da tração reversa é interessante quando se tem a cooperação do paciente no uso do aparelho, pois este é o fator determinante para o sucesso do tratamento.
    Glauco Vasconcelos Portes
    PB-11 Tratamento cirúrgico de ameloblastoma: ressecção parcial de mandíbula e reconstrução com enxerto autógeno

    Tratamento cirúrgico de ameloblastoma: ressecção parcial de mandíbula e reconstrução com enxerto autógeno

    Siqueira ICR*, Gasperini G, Moreira LS

    Ameloblastoma, Transplante Autólogo, Microcirurgia

    Relato do caso: paciente, 50 anos, gênero masculino, foi encaminhado ao Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás, apresentando queixas de assimetria facial, dores em região mandibular e dificuldades de alimentação, com evolução em 10 meses. Ao exame clínico, aumento de volume em região mandibular lado esquerdo, endurecido à palpação, sem sinais de infecção, com cerca de 10cm, em seu maior diâmetro. Ao exame intra-oral, observa-se apagamento do fundo de vestíbulo mandibular esquerdo, com mucosa apresentando coloração eritematosa, se estendendo de região de dente 34 a 38, com deslocamento do elemento 38. Paciente nega perda de sensibilidade da região mandibular. Na tomografia computadorizada, nota-se lesão hipodensa, com aspecto multilocular em região inferior de ramo mandibular esquerdo, estendendo de borda superior à borda inferior do corpo mandibular, com expansão e rompimento de corticais ósseas. Paciente foi submetido à ressecção em bloco do ameloblastoma e reconstrução através de enxerto autógeno microvascularizado de fíbula com anastomose vascular e síntese óssea por miniplaca de ligas de titânio, fixadas com parafusos. Após dois meses em acompanhamento ambulatorial, paciente não apresentou rejeição ao enxerto e obteve melhora no contorno da anatomia facial, fornecendo melhor planejamento para reabilitação oral futura.
    Isabel Cristina Rodrigues de Siqueira
    PB-12 Abscesso com fístula associado a dente com anomalia de desenvolvimento: relato de caso.

    Abscesso com fístula associado a dente com anomalia de desenvolvimento: relato de caso.

    Manzan AFS*, Estrela C, Maia AA

    Fístula; dens in dente; tratamento endodôntico

    A associação de terapêutica endodôntica via ortograda com procedimento cirúrgico foi utilizada para o tratamento de um abscesso com fístula associado a um dente com anomalia de desenvolvimento. A paciente M.S., sexo feminino, 10 anos de idade, foi encaminhada do Centro Goiano de Doenças da Boca ao Departamento de Endodontia da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Goiás com duas lesões exofíticas, avermelhadas, localizadas vestibularmente ao dente 12. Após avaliação radiográfica, observou-se a invaginação de estrutura de esmalte estendendo até o terço cervical do canal radicular e uma evaginação de tecido dentário que originava na junção cemento esmalte e se projetava em direção mesial e apical. O tratamento consistiu em 3 etapas distintas. Inicialmente, foi realizada a remoção da invaginação de esmalte para se obter o acesso endodôntico via convencional. Após o esvaziamento e preparo do canal radicular, hidróxido de cálcio foi utilizado como medicação intracanal. Em um segundo momento, a projeção dentinária mésio apical foi removida cirurgicamente. O dente foi mantido com medicação intracanal durante 5 meses e 20 dias até que se completasse a formação de tecido ósseo apicalmente e na região interproximal mesial. Por último, a obturação do canal radicular foi realizada com um plug de Agregado de Trióxido Mineral na região apical e cones de guta-percha associado a cimento endodôntico no restante do canal.
    Ana Flávia Sérgia Manzan
    PB-13 Carcinoma de células escamosas originado em cisto radicular: relato de caso

    Carcinoma de células escamosas originado em cisto radicular: relato de caso

    Arantes BM *, Vêncio EF, Arantes Filho WM

    Carcinoma de células escamosas; cisto odontogênico; malignização

    A maioria dos carcinomas intra-ósseos originam da camada epitelial dos cistos odontogênicos. São extremamente raros e denominados carcinomas odontogênicos. Poucos casos descrevem associados a cistos radiculares. Neste trabalho, um caso de carcinoma de celulas escamosas em cisto radicular é descrito. Paciente do gênero masculino, 29 anos, leucoderma, procurou o consultório odontológico queixando-se de secreção purulenta na região anterior da mandíbula. Ao exame clínico observou-se ausência de dor, discreta tumefação e deslocamento dentário. A radiografia panorâmica mostrou imagem radiolúcida, com limites bem definidos, com diagnostico clinico de cisto radicular. Microscopicamente, observou-se cavidade cística revestida por epitélio estratificado pavimentoso displásico com áreas de proliferação epitelial em gota e pérolas córneas. As células do revestimento epitelial apresentam-se pleomórficas, com razão núcleo-citoplasma alterada e nucléolo proeminente. Notou-se inúmeras figuras mitóticas e invasão do tecido ósseo. O exame imunoistoquímico mostrou células citoqueratina-positivas distribuídas no tecido conjuntivo subjacente. O diagnóstico final foi carcinoma de células escamosas em cisto radicular. O paciente foi orientado quanto à medicação e alimentação e encaminhado para o cirurgião de cabeça e pescoço. Este relato sublinha a importância de submeter qualquer tecido mole extirpado no tratamento de cistos odontogênicos para avaliação histológica.
    Bárbara Morais Arantes
    PB-14 Odontologia legal e perícia civil em acidente automobilístico: relato de caso

    Odontologia legal e perícia civil em acidente automobilístico: relato de caso

    Flores MRP*, Silva RHA

    Odontologia legal; perícia civil; responsabilidade civil

    Um dos campos de atuação do especialista em Odontologia Legal é a perícia em foro civil, que pode ser exemplificada pela análise odontolegal em casos de danos odontológicos decorrentes de acidentes e/ou traumas, bem como a análise de tratamentos odontológicos realizados, envolvendo a responsabilidade civil. Desta forma, a prova pericial insere-se no rol das previsões legais voltada a levar ao Estado-Juiz, bem assim aos litigantes e seus procuradores, o convencimento sobre a verdade dos fatos apresentados em situação de divergência entre os jurisdicionados. O objetivo do presente trabalho é, por meio de um relato de caso, demonstrar a atuação da Odontologia Legal no âmbito civil, especificamente na análise dos danos odontológicos decorrentes de acidente automobilístico. O exame pericial consistiu nas seguintes etapas: entrevista com as partes, exame clínico odontológico, exame radiográfico e análise de toda a documentação junto aos autos, para posterior elaboração do laudo pericial. Foi verificada a ausência do elemento dental 21, substituído por uma prótese parcial removível provisória, bem como imagem radiolúcida sugestiva de fenda óssea na região da linha média da maxila. Conclui-se que a figura do especialista em Odontologia Legal é de extrema importância em lides judiciais envolvendo danos odontológicos, a fim de contribuir no esclarecimento de fatos próprios da Odontologia.
    Marta Regina Pinheiro Flores
    PB-15 A importância do perfil e da relação interprofissional da equipe da estratégia saúde da família (PSF)

    A importância do perfil e da relação interprofissional da equipe da estratégia saúde da família (PSF)

    Sá RT*, Carvalho ML, Arcieri RM

    Programa saúde da família; perfil profissional; relacionamento

    *Objetivo: Conhecer o perfil de oito equipes do PSF e cinco equipes de saúde bucal de cinco municípios de pequeno porte da região Noroeste do Estado de São Paulo, Brasil; identificar a intensidade do relacionamento entre a equipe, o interesse, a satisfação e a motivação dos profissionais do PSF bem como conhecer o perfil e a realidade de trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde.
    *Materiais e Métodos: O estudo foi passado pelo comitê de ética FOA/UNESP/02187/2005 foi quanti-qualitativo e os dados foram obtidos por meio de entrevistas utilizando-se um roteiro semi-estruturado e a tabulação foi realizada no Programa EPI-INFO 2000 versão 6.04.Os dados foram apresentados em gráficos.
    *Resultados: As equipes do PSF eram constituídas de pessoas jovens (entre 18 e 29 anos), com alta rotatividade de seus membros (menos de um ano de trabalho) e residentes no município onde trabalhavam e todos os profissionais (participaram deste estudo 78 profissionais) apresentaram dificuldades no relacionamento com seus pares na equipe do PSF. A falta de experiência, integração e motivação dos membros das equipes comprometiam as suas ações na comunidade. Os ACS, elo entre os usuários e o SUS, manifestaram o desejo de serem mais valorizados pelo gestor.
    *Conclusão: Foi constatado nos resultados, a dificuldade dos profissionais em relacionar-se na equipe do PSF, sendo importante analisar o perfil do ingressante do PSF nesta equipe . Há a necessidade de capacitar as equipes para que a mesma seja integrada nas ações de caráter multiprofissional.
    Rodrigo Tavares de Sá
    PB-16 Análise da rugosidade das superfícies dos corpos de prova e influência sobre os tecidos peri-implantares

    Análise da rugosidade das superfícies dos corpos de prova e influência sobre os tecidos peri-implantares

    Coleto MC*, Fernandes-Neto AJ, Simamoto-Júnior PC

    Cerâmicas odontológicas; polimento; rugosidade

    Objetivo: avaliar a rugosidade superficial de duas cerâmicas odontológicas utilizadas como pilares protéticos de implantes dentários e a influência dessa rugosidade sobre os tecidos peri-implantares devido a colonização bacteriana sobre a superfície desses materiais.
    Material e método: foram confeccionados 60 corpos de prova das cerâmicas odontológicas Starlight e Noritake, divididos em seis grupos (N=10). Cada grupo foi submetido a um tipo de tratamento superficial: Glaze, Glaze Natural e Acabamento e Polimento. Os parâmetros de rugosidade (Ra, Rq, Rsk e Rku) foram obtidos através da análise superficial no aparelho Rugosímetro Surf Test SJ- 301.
    Resultados: a análise dos parâmetros de rugosidade superficial para as cerâmicas Noritake apresentou distribuição normal, sendo submetida ao teste ANOVA one-way. Os parâmetros da cerâmica Starlight e a interação desses parâmetros em ambas as cerâmicas com o tipo de tratamento superficial não apresentaram distribuição normal, sendo analisadas pelo teste Kruskall ? Wallis.
    Conclusão: os tratamentos de superfície que geraram uma lisura superficial mais favorável, possuindo os menores valores de rugosidade superficial, foram o Glaze e o Glaze Natural, já os grupos submetidos às técnicas de Acabamento e Polimento apresentaram diferenças estatisticamente significantes para os demais grupos em ambas as cerâmicas, apresentando os maiores valores de rugosidade superficial (Ra).
    Maiara Rezende Coleto
    PB-17 Uso do termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE) por cirurgiões-dentistas na cidade de Jequié- Bahia

    Uso do termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE) por cirurgiões-dentistas na cidade de Jequié- Bahia

    Almeida ODS*, Yarid SD, Silva CA

    Consentimento livre e esclarecido; odontologia legal; ética odontológica.

    Objetivo: analisar o uso do TCLE por Cirurgiões Dentistas em atividades clínicas. Material e Método: aplicou-se um questionário com quatro perguntas concernentes à problemática para 62 Cirurgiões Dentistas inscritos no CROBA e que exercem atividades clínicas em Jequié-BA. Resultados: participaram da pesquisa 65% dos Cirurgiões Dentistas supracitados, destes, 75,6% julgou conhecer o TCLE e 24,4% não o conhecem. Ao avaliar qual resolução que trata do TCLE, verificou-se que 75,6% dos participantes não responderam a questão, e 17,1% responderam corretamente se tratar da resolução 196/96. 80,5% considera importante a utilização do TCLE nas atividades clínicas e 51,2% dos participantes não utilizam. Conclusão: foi possível concluir que a maioria conhece o TCLE, julga importante, mas não utiliza na prática clínica.
    Onily Duarte Silva de Almeida
    PB-18 O perfil do aluno de odontologia da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB

    O perfil do aluno de odontologia da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB

    Alves JV*, Yarid SD, Oliveira DL

    Estudantes de odontologia; educação em odontologia; aspectos socioeconômicos

    Objetivo: Determinar o perfil do aluno do curso de Odontologia da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia-UESB.
    Metodologia: Foram aplicados questionários aos alunos matriculados no curso de odontologia da UESB.
    Resultados: Os principais resultados apontam que, dos 57,14% (n = 80) dos alunos que responderam ao questionário, 71,25% são do sexo feminino; 95% são solteiros, com idade média de 22 anos; 67,5% estudaram o segundo grau todo em escola privada; 42,5% escolheram a odontologia por vocação e por ser uma profissão liberal; 86,25% usam a internet como principal meio de atualização; 50% declararam que pretendem realizar projetos de iniciação cientifica e/ou monitoria; 68,75% pretendem fazer especialização após a graduação e 76,25% pretendem iniciar sua carreira profissional no setor público.
    Conclusão: Os discentes de odontologia da UESB são na sua maioria mulheres, jovens, solteiros, com renda familiar de até 05 salários mínimos, oriundos de escola privada, preferem técnicas de ensino-aprendizagem tradicionais, concordam com o tempo de duração do curso, estão satisfeitos com o corpo docente da Universidade, desejam se especializar e aponta o serviço público como a principal intenção de primeiro emprego.
    Janaina Viana Alves
    PB-19 Solução estética funcional com coroas de resina indireta

    Solução estética funcional com coroas de resina indireta

    Moraes LS*, Cardoso PC, Chaves RM

    Estética; compósito indireto; pinos de fibra de vidro

    O desenvolvimento de materiais restauradores e o aperfeiçoamento de técnicas mais conservadoras de rápida execução aumentaram a eficácia dos procedimentos clínicos proporcionando maior longevidade às restaurações e restabelecimento da função e estética do sorriso. Este trabalho relata um caso clínico de uma paciente do gênero feminino, 12 anos, que se apresentou à Clínica Integrada da Universidade Federal de Goiás descontente com a estética de seu sorriso. A paciente foi encaminhada para o Projeto Sorria para a vida onde recebeu atendimento odontológico. Ao exame clínico, foi observado perda de estrutura dentária remanescente na face distal do elemento 11 (classe IV) em função de um trauma dentário e lesões de cárie classe III nos elementos 11, 21 e 22. Com base na análise radiográfica, verificou-se a presença de tratamento endodônticos satisfatórios. Como conduta terapêutica, optou-se pela colocação de pinos de fibra de vidro nos elementos 11 e 21 e confecção de coroas unitárias com compósitos indireto Signum (Heraues Kulzer). Conclui-se que a utilização de pinos de fibra de vidro associado ao compósito indireto Signum possibilitaram excelente resultado estético-funcional, devolvendo harmonia e equilíbrio do sorriso e face.
    Letícia Sousa Moraes
    PB-20 O medo de crianças em relação ao tratamento odontológico

    O medo de crianças em relação ao tratamento odontológico

    Martins FPT*, Franscico KMS, Casotti CA

    Comportamento infantil; medo; questionários

    OBJETIVO: O presente estudo tem como objetivo demonstrar fatores que circundam o medo relacionado ao tratamento odontológico relatado por pais ou responsáveis por crianças com idade entre 18 a 60 meses, matriculadas em creches públicas do município de Jequié-BA. MATERIAL E MÉTODO: Trata-se de um estudo epidemiológico, transversal, censitário no qual foi encaminhado aos pais ou responsáveis pelas crianças, uma cópia do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e de um questionário semi-estruturado. RESULTADOS: O estudo contou com a participação de 394 pais ou responsáveis. Aproximadamente a metade destes (187; 47,46%) relatou que as crianças apresentavam medo relacionado ao tratamento odontológico, e destas 95 (50,80%) eram do sexo feminino. As causas do medo entre as crianças foram mencionadas pelos pais ou responsáveis da seguinte forma: da dor (28,64%), da agulha (39,01%), de uma exodontia (17,28%) e de outros motivos (15,06%). Em relação ao motivo da ida das crianças ao dentista, 79,18% das crianças nunca foram ao dentista, 5,20% por dor de dente, 6,51% por prevenção, 4,99% por dente escurecido e 4,12% por outros motivos. Em relação à contenção durante o tratamento odontológico, foi relatado por 19,32% dos pais ou responsáveis que seus filhos, em algum momento durante o mesmo necessitaram do procedimento. Destes, 52,63% apresentaram um comportamento de nervosismo. CONCLUSÃO: O relato dos pais ou responsáveis demonstra que o medo do tratamento odontológico por parte das crianças está relacionado a fatores como a dor, à agulha, assim como o procedimento de contenção.
    Farley Pablo Teixeira Martins
    PB-21 Idosos e lesões do complexo bucomaxilofacial: um estudo epidemiológico

    Idosos e lesões do complexo bucomaxilofacial: um estudo epidemiológico

    Azevedo MN*, Vêncio EF, Costa ALT

    Epidemiologia; idosos; maxila

    Introdução: A longevidade mundial tem aumentado, principalmente em países em desenvolvimento pela melhora da qualidade de vida da população. Estudos epidemiológicos em idosos são escassos. Objetivo: apresentar um levantamento epidemiológico de lesões do complexo bucomaxilofacial em idosos (> 60 anos de idade) em uma população brasileira. Material e Método: fichas anatomopatológicas foram revisadas em um período de 54 anos (1956-2010). Dados referentes à idade, gênero, localização e histopatologia de pacientes foram registrados. As lesões foram classificadas em categorias em lesões inflamatórias, inflamatórias granulomatosas, císticas, tumores odontogênicos, tumores benignos e tumores malignos. Resultados: De um total de 7.142 lesões diagnosticadas, 11,5% (821) acometeram pessoas idosas. Houve um predomínio do sexo feminino em 60,4% (496) dos casos. Os pacientes foram distribuídos numa faixa etária entre 60 e 95 anos de idade, sendo que a mais atingida foi de 60 a 69 anos de idade com 68,5%. A maxila foi o local mais atingido com 27,1%, seguido pela mandíbula com 23,8%. A categoria mais comum foi a inflamatória representando 60%, seguida pelos tumores malignos com 8,7%. Dentro da categoria inflamatória, a hiperplasia por trauma foi o tipo microscópico mais freqüente de 77,8%. Tumores malignos foi a segunda categoria mais freqüente com 8,7%, tendo o carcinoma espinocelular representado em 86%. Conclusão: a maxila foi o local mais atingido, com as lesões inflamatórias e os tumores malignos as categorias mais frequentes, destacando-se a hiperplasia traumática e o carcinoma espinocelular.
    Monarko Nunes de Azevedo
    PB-22 Detecção de Treponema spp. em infecções endodônticas secundárias

    Detecção de Treponema spp. em infecções endodônticas secundárias

    Tolentino PHMP*, Gomes BPFA, Nóbrega LMM

    Endodontia; retratamento; microbiologia

    Introdução: microrganismos que resistem ao preparo químico-mecânico, ou contaminam o canal radicular após o tratamento através de infiltrações coronárias, são os principais responsáveis pelos insucessos endodônticos, predominando as bactérias facultativas gram-positivas. Entretanto espécies anaeróbias estritas e gram-negativas vêm sendo detectadas por métodos moleculares. Treponemas são microrganismos anaeróbios estritos gram-negativos relacionados com a etiopatogenia de doenças periapicais e vem sendo relacionado também com infecções endodônticas. Objetivo: investigar a presença de Treponema denticola, T. amylovorum, T. maltophilum, T. medium, T. pectinovorum, T. socranskii, T. vicentii e T. lecithinolyticum em 40 dentes com insucesso endodôntico e lesão periapical através de nested-PCR. Material e método: As amostras foram coletadas usando cones de papel absorvente estéreis e o DNA extraído para realização de nested-PCR, com primers universal e específicos. Resultados: em 56,5% das amostras pelo menos uma espécie foi detectada. T. denticola e T. maltophilum foram as mais prevalentes (30%). Foi encontrada correlação entre T. lecithinolyticum e presença de retentor intra-radicular (p<0,05). Associação positiva (p<0,05) foi observada entre T. denticola, T. maltophilum, T. medium. Conclusão: a ocorrência de diferentes espécies do gênero Treponema pode indicar uma maior complexidade da microbiota dos insucessos endodônticos.
    Pedro Henrique Moreira Paulo Tolentino
    PB-23 Influência de cimentos auto-adesivos na retenção de pinos à dentina radicular

    Influência de cimentos auto-adesivos na retenção de pinos à dentina radicular

    Lopes CCA*, Novais VR, Roscoe MG

    Cimento auto-adesivo; retentor intra-radicular; resistência de união

    Objetivo: O processo de fixação de pinos é decisivo para o sucesso clínico da restauração de dentes tratados endodonticamente. Este trabalho avaliou o efeito dos tipos de cimentos na resistência de união (Ru) de pinos de fibra de vidro à dentina intra-radicular. Material e Método: Quarenta raízes bovinas foram tratadas endodonticamente, obturadas com cimento à base de hidróxido de cálcio e aliviadas imediatamente com brocas específicas para o pino Exacto nº 2 (Ângelus). O tratamento de superfície dos pinos foi realizado com Peróxido de Hidrogênio 24% e foram fixados com 4 cimentos auto-adesivos (n=10): Bis-Cem (BC), G-CEM (GC), RelyX Unicem (UN) e Breeze (BZ). As raízes foram seccionadas, obtendo 2 fatias de 1mm de espessura por terço radicular: cervical (C), médio (M) e apical (A), que foram submetidas ao teste de push-out. Os dados foram submetidos à ANOVA em esquema de parcela subdividida e teste de Tukey (p>0,05). Resultados: Os valores de resistência de união (MPa) foram: UN/C:40,6±8,8; M:37,0±11,6; A:42,9±15,5; BC/ C:15,40±11,72; M:6,9±7,3; A:11,8±10,8; GC/ C: 1,4±1,8; M:1,5±2,3; A:2,1±1,9; BZ/ C:7,8±3,6; M:6,3±3,6; A:6,0±4,7. Conclusão: A Ru não foi afetada pela profundidade do canal. A Ru de GC foi estatisticamente inferior a dos demais cimentos testados. O cimento UN apresentou valores estatisticamente superiores aos demais cimentos em toda a extensão da dentina radicular. Apoio: Fapemig N° CDSAPQ 02400-09.
    Camila de Carvalho Almança Lopes
    PB-24 Bulimia: desgaste ácido dentário tratado com materiais adesivos

    Bulimia: desgaste ácido dentário tratado com materiais adesivos

    Basílio-Jr RA*, Silva WO

    Bulimia; adesivos; desgaste ácido

    Introdução: A erosão ácida é a dissolução irreversível dos tecidos dentais, devido a um processo químico decorrentes da atuação de ácidos, sem o envolvimento de bactérias, e que pode ocorrer em ambas as dentições. O consumo de substâncias ácidas ou o refluxo do suco gástrico provocado por vômitos autoinduzidos, comum em pacientes com bulimia, são os responsáveis pela dissolução dentária. Objetivo: relatar um caso clínico no qual, após o tratamento da bulimia, foram realizados procedimentos adesivos estéticos, para a reabilitação oral total da paciente.
    Rames Abrahão Basilio Jr
    PB-25 Condrossarcoma maxilar: relato de caso

    Condrossarcoma maxilar: relato de caso

    Oliveira VM*, Loyola AM, Paulo LFB

    Condrossarcoma; neoplasia maligna; ossos gnáticos

    Introdução: condrossarcoma é um tumor ósseo maligno que acomete a região de cabeça e pescoço em 1 a 10% das vezes. Nos tumores de fossa nasal e seios paranasais, a obstrução nasal é o sintoma mais frequente, podendo existir acometimento oral, orbitário e intra-craniano. Relato de caso: paciente do gênero masculino, 30 anos de idade com queixa de aumento volumétrico na região maxilar esquerda com 3 meses de evolução. Ao exame extra-oral foi possível notar uma tumoração assintomática no terço médio esquerdo da face. Na avaliação intra-oral notou-se um aumento volumétrico na região posterior esquerda da maxila, mais evidente na face vestibular do rebordo alveolar com ausência de sinais flogísticos e movimentação dentária. O exame radiográfico revelou uma área de radiopacidade mista sem delimitações precisas que invadia o seio maxilar. Baseado nos achados clínicos e radiográficos a hipótese de displasia fibrosa foi levantada e um exame de tomografia computadorizada foi solicitado para definir a extensão da lesão. Um mês após a solicitação o paciente evoluiu com considerável aumento da lesão, mostrando uma assimetria facial bem evidente. O exame tomográfico revelou uma lesão que ocupava o seio maxilar e causava reabsorção da cortical óssea. Baseado no comportamento agressivo da lesão optou-se pela realização de biopsia incisional que foi compatível com condrossarcoma. O paciente foi submetido a hemimaxilectomia e terapia adjuvante com radioterapia e quimioterapia. Após um ano de acompanhamento o paciente não apresenta sinais de metástase e recidiva da lesão.
    Vanessa Mota de Oliveira
    PB-26 Relato de caso: Angina de Ludwig

    Relato de caso: Angina de Ludwig

    Paiva BV*, Ferreira MS, Dib JE

    Angina de Ludwig; celulite

    Introdução: a Angina de Ludwig é um processo infeccioso que consiste em uma celulite do tecido conectivo cervical e assoalho da boca, normalmente de origem dentária. Pode ter outras causas, tais como traumas, extração dental, ou infecção por microorganismos oportunistas em pacientes com sistema imunológico comprometido, tais como: diabetes, lupus eritematoso sistêmico, nefropatias. No seu inicio há apenas edema e dor local, mas a infecção se difunde rapidamente levando a um aumento de volume significante na região de assoalho de boca, sendo que a característica mais importante é representada por uma celulite agressiva, tóxica, firme e aguda e que envolve os espaços fasciais submandibular e sublingual bilateralmente e, o espaço submentoniano. Normalmente apresentam colônias mistas de bactérias e por ser uma celulite, o conteúdo infeccioso encontra-se disseminado nos tecidos e há pouca ou nenhuma secreção. A patologia exige tratamento adequado e específico, sendo que não tratada ou quando o tratamento é retardado poderá levar a disseminação para os espaços faringo-maxilar, mediastino e pericárdio, complicações essas possivelmente fatais.
    Beatriz Vieira de Paiva
    PB-27 Documentação odontológica: do tradicional ao atual

    Documentação odontológica: do tradicional ao atual

    Azevêdo KS*, Yarid SD, Santos JF

    Documentação odontológica legal; informática odontológica; legislação odontológica.

    Objetivo: neste estudo buscou-se verificar a forma de organização, armazenamento da documentação utilizada e o tempo de guarda deste material por Cirurgiões Dentistas da cidade de Jequié - BA. Material e método: o presente trabalho foi desenvolvido após aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, UESB, campos de Jequié, sendo eleita a população de cirurgiões dentistas inscritos no CRO da Bahia atuantes neste município. Utilizou-se um questionário semi-estruturado, contendo 4 questões objetivas e 1 subjetiva, que foi respondido pelos cirurgiões dentistas na presença dos pesquisadores. Posteriormente, os dados coletados foram tabulados utilizando o programa Excel. Resultados: dos 39 cirurgiões-dentistas entrevistados, 85% afirmaram utilizar a documentação tradicional (papel), tendo como forma de armazenamento o uso de envelopes (59%). Os que responderam utilizar a documentação digital, 5,1% fazem uso do programa Dentalis e para armazenamento, 7,7%, afirmaram usar pen-drive, cd, DVD. Em relação ao tempo de guarda da documentação odontológica, a maioria dos profissionais (51,3%) afirmou guardar por mais de 10 anos. Conclusão: conclui-se que o tipo de documentação odontológica mais utilizada pelos cirurgiões-dentistas da cidade de Jequié-BA é o tradicional (papel), guardada por mais de 10 anos.
    Katarine de Souza Azevêdo
    PB-28 Manejo de dois casos de osteonecrose dos ossos maxilares relacionados ao uso de bisfosfonatos

    Manejo de dois casos de osteonecrose dos ossos maxilares relacionados ao uso de bisfosfonatos

    Nascimento MC*, Yamamoto FP, Silva BSF

    Osteonecrose; bisfosfonatos; tratamento

    Introdução: a osteonecrose dos ossos maxilares relacionada ao uso de bisfosfonatos (OMRB) é uma apresentação clínica relativamente recente. Sua patogênese ainda não foi elucidada, o que dificulta o estabelecimento de um protocolo terapêutico. Dessa forma, profissionais têm adotado protocolos de tratamento baseados na experiência em outras entidades, como a osteorradionecrose. Relato de caso: dois casos de OMRB, associados ao uso de ácido zoledrônico, em pacientes oncológicos atendidos no Hospital Universitário João de Barros Barreto em Belém, Pará. O primeiro paciente, de 31 anos, relacionou o aparecimento de OMRB à exodontia do dente 17, referindo tratamento com bisfosfonatos há 5 anos. Clinicamente, além da exposição óssea, este apresentava eritema dos tecidos moles adjacentes e área de supuração. O protocolo terapêutico para este caso foi o debridamento do osso necrótico associado à utilização metronidazol + amoxicilina por 10 dias e irrigação quinzenal com clorexidina 0,12% por 90 dias. Após 30 dias de tratamento, constatou-se regressão dos sintomas e estabilização do comprometimento ósseo. O outro paciente, de 62 anos, referiu o aparecimento da OMRB após trauma causado por uma prótese total inferior. Este fazia uso do medicamento há 3 anos. Neste caso, optou-se por um tratamento conservador, constituindo de irrigação com clorexidina 0,12%, quinzenalmente, por 90 dias. Durante o acompanhamento do referido caso, o paciente relatou regressão completa dos sintomas, mas não houve resolução da exposição óssea.
    Mila Cristine Nascimento
    PB-29 Avaliação do perfil diagnóstico após a implantação de programa de cuidados específicos às doenças estomatológicas

    Avaliação do perfil diagnóstico após a implantação de programa de cuidados específicos às doenças estomatológicas

    Alves NP*, Loyola AM, de Sá NV

    Carcinoma epidermóide; diagnóstico; prognóstico

    Introdução: o carcinoma epidermóide bucal (CEB) tem sido diagnosticado em estágio avançado, associado ao pobre prognóstico, que na maioria das vezes justifica-se pelo atraso no seu diagnóstico. Assim, é fundamental que todos os esforços sejam concentrados, a fim de favorecer diagnósticos precoces. Objetivo: avaliar o perfil de diagnóstico do câncer bucal na FOUFU, após a implantação do Programa de Cuidados Específicos a Doenças Estomatológicas, em que um dos objetivos é proporcionar maior oportunidade na detecção precoce do câncer bucal. Material e método: analisou-se 153 casos de (CEB) diagnosticados no Hospital Odontológico distribuídos em três períodos de investigação: antes (1993-199) e após (1999-2004 e 2008-2010) a instalação do programa. A análise considerou dados sóciodemográficos dos pacientes e clínico-patológicos das lesões. Resultados: em linhas gerais, o perfil dos diagnósticos do CEB manteve-se inalterado. Não se observou diferenças significativas entre o atraso no diagnóstico das lesões tanto relativo aos pacientes quanto aos profissionais nos três períodos estudados. Os casos acometeram preferencialmente homens, com picos etários na 6ª e 7ª décadas de vida, e localizados no soalho bucal e língua. A dimensão predominante das lesões ficou entre 2 e 4 cm, com predomínio de lesões maiores que 4 cm entre 2008-2010 (teste do Qui-quadrado, p = 0.0132). Além disto, o diagnóstico predominante incluiu lesões em estágios avançados. Conclusão: não houve uma significativa modificação do perfil do diagnóstico após a implantação do Programa de Cuidados Específicos a Doenças Estomatológicas.
    Natália Pereira Alves
    PB-30 Avaliação da condição de saúde bucal em pacientes especiais no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de Jequié Bahia

    Avaliação da condição de saúde bucal em pacientes especiais no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de Jequié Bahia

    Luz CO*, Santos LCS, Francisco KMS

    Paciente especial; medicamentos; saúde bucal

    Objetivo: avaliar a condição de saúde bucal em pacientes portadores de necessidade especiais cadastrados no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) do município de Jequié-BA e suas repercussões orais mais presentes e analisar se os medicamentos utilizados contribuem para uma determinada saúde bucal. Material e método: trata-se de um estudo epidemiológico, transversal, censitário no qual foi encaminhado aos pais e/ou responsáveis uma cópia do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) e aprovado pelo CEP (protocolo nº141/2010). O exame clínico da cavidade bucal foi conduzido por uma examinadora, de acordo com os códigos e critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS). Utilizou-se espelho bucal plano e, sonda periodontal modelo OMS. Os exames foram realizados no CAPS sob luz natural, respeitando as normas de biossegurança. Os dados foram transcritos em uma ficha clínica e a seguir digitados e analisados no programa Epibuco. Resultados: foram examinados 86 pacientes. A prevalência da doença cárie foi 98,83% e a média do CPO-D foi de 16,85 (±9,02). Em relação às manifestações periodontais por sextantes dos pacientes, observou-se a presença de bolsas profundas com maior destaque nos sextantes 1 e 2. A medicação predominante usada pelos indivíduos compreendia antipsicóticos (44,81%), ansiolíticos (19,92%). Não foi encontrada significância estatística entre o uso dos medicamentos separadamente e presença de doença periodontal ou cárie. Conclusão: a partir deste percebeu-se a necessidade de propor um plano de ação para melhorar a saúde bucal dos indivíduos do CAPS Jequié-BA.
    Cláudia Oliveira Luz
    PB-31 Avaliação da influência do polimento sobre a rugosidade superficial de infra-estruturas metálicas de próteses dentárias

    Avaliação da influência do polimento sobre a rugosidade superficial de infra-estruturas metálicas de próteses dentárias

    Rosa TM*, Guilherme AS

    Prótese dentária; materiais dentários; ligas metálicas

    Objetivo: avaliar a influência dos processos de polimento sobre a rugosidade superficial das próteses sobre implantes. Material e método: serão confeccionadas doze amostras a partir do processo de fundição, sendo que, seis amostras obtidas a partir da liga Ni-Cr e as outras seis, a partir do Co-Cr. Após, serão divididas em quatro grupos experimentais (G1 a G4) e cada grupo será constituído de três amostras de cada material (grupos G1 e G3 - amostras confeccionadas em Ni-Cr e grupos G2 e G4 - amostras confeccionadas em Co-Cr). A fundição e o polimento das amostras serão executados como preconizado pelo fabricante e o nível de rugosidade superficial será avaliado em rugosímetro digital. Os valores numéricos de rugosidade serão tabulados e sujeitos à análise de variância, e as médias significativas comparadas pelo teste de Tukey. Resultados: Ao estudar a qualidade superficial de amostras acabadas das ligas de níquel-cromo e cobalto-cromo pelo estudo da rugosidade superficial, observou-se que as médias de rugosidade superficial (Ra em µm) testadas não apresentaram diferenças estatísticas significativas. Conclusão: Tendo em vista os fatores avaliados neste estudo e considerando os resultados obtidos na leitura da rugosidade superficial entre as variáveis, concluiu-se que o polimento executado em ambas as amostras trouxe valores de rugosidade superficial compatíveis aos encontrados na literatura, não apresentando diferenças estatísticas significativas.
    Thaissa Mendonça Rosa
    PB-32 Ficha de promoção da equidade em saúde bucal

    Ficha de promoção da equidade em saúde bucal

    Souza DS*, Nunes MF, Santos LFE

    Equidade; estratégia saúde da família; acesso aos serviços de saúde

    Introdução: a Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia-Goiás implementou, desde agosto de 2009, a Ficha de Promoção da Equidade em Saúde Bucal (FSB), como uma forma de organizar a demanda. Objetivo: conhecer o processo de implantação desta ficha na percepção dos Cirurgiões-Dentistas Distritais (CDD). Material e método: estudo quali-quantitativo que visa analisar a aplicação da FSB. Foi utilizado um questionário com perguntas abertas e fechadas sobre o perfil desses profissionais e a percepção sobre implantação e utilização da FSB. Foi feita análise de freqüência e de conteúdo. Resultados: nove CDD responderam ao questionário. A FSB apresenta informações sobre doenças, condições referidas e saúde bucal. Para a elaboração desta ficha houve a participação de estudantes e docentes de odontologia e CD da Estratégia Saúde da Família (ESF). Ela foi previamente testada, houve treinamento, mas não existe protocolo formalizado. Alguns CDD consideram que a FSB deveria ser incorporada à Ficha A para utilização pela equipe e evitar duplicidade dos dados. Segundo os CDD muitos CD mostram-se resistentes em utilizar a FSB, pois além de gerar uma expectativa de atendimento, alguns pacientes não comparecem. Consideram que a FSB é uma iniciativa que busca promover à equidade do acesso à assistência odontológica, porém devem-se buscar constantemente outras formas e critérios. Conclusão: houve avanços na assistência em saúde bucal com a aplicação da FSB, mas há a necessidade de ampliar a discussão.
    Danielly Santana de Souza
    PB-33 Carcinoma ex-adenoma pleomórfico de glândula salivar menor: relato de caso clínico

    Carcinoma ex-adenoma pleomórfico de glândula salivar menor: relato de caso clínico

    Oliveira-Júnior DA*, Pereira CM, Carneiro DS

    Carcinoma ex-adenoma pleomórfico; glândula salivar menor; diagnóstico precoce

    Introdução: o carcinoma ex-adenoma pleomorfo (CXAP) é uma neoplasia rara das glândulas salivares que corresponde à transformação maligna do Adenoma Pleomorfo (AP), estando presente na mesma neoplasia dois componentes: o benigno ou adenomatoso e o maligno ou carcinomatoso. Os pacientes relatam a presença de uma massa por muitos anos que cresce repentinamente, com o aparecimento de outros sintomas. Relato de caso: paciente masculino apresentou-se queixando de dor no palato do lado direito. Ao exame físico foi encontrado um aumento volumétrico no palato duro, com difuso, consistência firme, com cerca de 8cm em seu maior diâmetro. Nos exames imageológicos constatou-se a presença de lesão de aspecto tumoral em região de seio maxilar invadindo base de crânio. Após biópsia incisional e exame histopatológico foi encontrada a presença de ilhas de células, com aspecto tubular, mimetizando ductos em meio a um estroma de tecido conjuntivo com aspecto polimorfo, mixomatoso, hialino o qual era compatível com a presença de um adenoma pleomórfico. Entretanto também foi observado em regiões periféricas áreas com presença de necrose isoladas e hipercromatismo em determinadas ilhas e cordões de células epiteliais sugerindo malignidade. Optou-se por outra biópsia mais profunda para descartar-confirmar o aspecto de malignidade. No segundo exame histopatológico foram encontradas áreas de necrose isoladas e hipercromatismo, pleomorfismo celular, atividade mitótica compatível com o diagnóstico de Carcinoma Adenóide Cístico chegando ao diagnóstico de CXAP. O paciente foi operado e está a oito meses em acompanhamento.
    Diones Antunes Oliveira Junior
    PB-34 Tratamento do ronco e da apnéia do sono: CPAP x AIO. Caso clínico

    Tratamento do ronco e da apnéia do sono: CPAP x AIO. Caso clínico

    Oliveira ME*, Brugnara DC

    Tratamento do ronco; apnéia

    Objetivo: demonstrar que quando existe uma equipe multidisciplinar, composta de Médicos e Odontólogos Habilitados, para examinar, avaliar e diagnosticar o(s) Distúrbio(s) do Sono. Material e Método: Por meio de exames polissonográficos comparando os aparelhos CPAP e AIO pode-se comprovar a eficácia do Tratamento do Ronco Primário e da SAHOS, com o aparelho PLG , melhorando os índices de comorbidades decorrentes, quando comparado ao uso do CPAP, porém existem inúmeros parâmetros clínicos e efalométricos que levaram ao resultado positivo. Conclusão: O estudo individualizado e multidisciplinar é o principal meio de diagnóstico e sucesso.
    Mauro Eduardo de Oliveira
    PB-35 Desempenho da solda a laser em diferentes diâmetros de estruturas de liga de titânio (ti6al4v)

    Desempenho da solda a laser em diferentes diâmetros de estruturas de liga de titânio (ti6al4v)

    Martins PO*, Simamoto Júnior PC, de Castro MG

    Solda laser; liga de titânio; resistência à tração

    Objetivo: avaliar o comportamento mecânico de liga de titânio em diferentes diâmetros submetidas ao processo de soldagem a LASER. Material e método: foram confeccionados 25 corpos de prova, separados em 5 grupos: Controle com diâmetro de 3,0 mm constituídos por barras intactas da liga sem solda; L2,5; L3; L4 e L5 com 2,5; 3,0; 4,0 e 5,0 mm de diâmetros, respectivamente, usinados em suas metades para posteriormente receberem solda. Estes foram posicionados em um dispositivo para padronização e submetidos ao processo de soldagem a LASER. Em seguida foram submetidos ao ensaio de tração e analisados em lupa estereoscópica. Os resultados foram submetidos à Análise de Variância (ANOVA) com índice de significância (p< 0,05) e o teste Tukey (α=0,05). Resultados: na análise da tensão, o grupo controle apresentou os melhores resultados, seguido dos grupos L2,5, L3, L4 e L5 os últimos apresentaram os piores resultados e nenhuma diferença estatística entre si. Na avaliação do percentual de redução o L2,5 apresentou o melhor resultado seguido por L3 e L4 e o L5 que apresentou o pior resultado. Na análise da porcentagem de área de solda os grupos L2,5 e L3 não apresentaram diferença estatística entre si, entretanto apresentaram maior porcentagem de área soldada que L4 e L5, que também não apresentaram diferença estatística entre si. Conclusão: para o percentual de penetração dos grupos experimentais L2,5 e L3 apresentaram melhores resultados quando comparados com os demais grupos quanto aos valores de tensão o primeiro apresentou melhores resultados que os demais.
    Polliana Oliveira Martins
    PB-36 Avaliação da microdureza do esmalte de dentes bovinos expostos a refrigerantes de limão convencional e de baixa caloria

    Avaliação da microdureza do esmalte de dentes bovinos expostos a refrigerantes de limão convencional e de baixa caloria

    Polonial IF*, Marra EO, Azevedo MR

    Microdureza; erosão; refrigerantes

    Objetivo: avaliar a microdureza do esmalte de dentes bovinos submetidos à imersão em refrigerantes de limão convencional e de baixa caloria. Material e Método: os espécimes foram imersos nas soluções 2 vezes ao dia, por 7 dias, com um intervalo de 12 horas. Foram utilizados 60 dentes, divididos aleatoriamente em 6 grupos com 10 dentes cada, de acordo com os seguintes tratamentos: Grupo 1 - imersão em água destilada (controle); Grupo 2 - refrigerante H2OH; Grupo 3 - refrigerante Aquarius Fresh; Grupo 4 - refrigerante Soda Limonada; Grupo 5 - Sprite Zero; Grupo 6 - Sprite. Os espécimes foram submetidos aos testes de microdureza em Microdurômetro FM 700, por meio da aplicação de uma carga de 50 Kg por 15 segundos, em cinco pontos selecionados aleatoriamente, na superfície do corpo de prova. Resultados: as médias de dureza obtidas foram, em Kg/mm2: controle - 321,18; H2OH-78,49; Aquarius Fresh-77,15; Soda Limonada-103,95; Sprite Zero-79,72 e Sprite-82,55. A Análise estatistica demonstrou diferença significativa entre a média de dureza do grupo controle e dos demais e entre a média da Soda Limonada e dos outros refrigerantes de limão. Os valores de pH foram: H2OH: 3,03; Aquarius Fresh: 3,35; Soda Limonada: 3,2; Sprite Zero: 2,94 e Sprite: 3,0. Conclusão: o esmalte dental, submetido aos refrigerantes de caráter ácido, sejam convencionais ou de baixa caloria sofre significativa redução da sua dureza superficial. Todas as bebidas mostraram-se potencialmente erosivas, uma vez que o pH de cada uma situou-se abaixo do nível considerado crítico para dissolução do esmalte.
    Isabela Fonseca Polonial
    PB-37 Produtos fitoterapêuticos presentes na composição de dentifrícios

    Produtos fitoterapêuticos presentes na composição de dentifrícios

    Oliveira MEM*, Brandão HN, Costa JA

    Odontologia; dentifrícios; fitoterapia

    Objetivo: este trabalho tem por objetivo pesquisar derivados de drogas vegetais presentes na composição de dentifrícios disponíveis no mercado. Material e método: para o desenvolvimento deste trabalho foi realizada pesquisa de campo em farmácias e supermercados de Feira de Santana-BA, seguida de revisão bibliográfica sobre a utilização na odontologia das espécies descritas nas embalagens. Resultados: foram encontrados 5 dentifrícios que descreviam na composição derivados de vegetais. As embalagens citavam as espécies: Eucalyptus globulus L.(eucalipto), Foeniculum vulgare M. (funcho), Melissa officinalis L (melissa), Citrus medica limonum (limão), Matricaria recutita L. (camomila), Zizyphus joazeiro Mart. (juá), Mentha s.p.(hortelã), Malva sylvestris L. (malva), Salvia officinalis L. (sálvia), Echinacea angustifolia H. (equinácea), Krameria triandra Ruiz e Pavon. (ratânia) e Commiphora myrrha E. (mirra). Na literatura consultada as espécies citadas possuem estudos que sugerem a utilização terapêutica destas na prática odontológica. Dados importantes não estavam presentes nas embalagens/rótulos de alguns produtos analisados como a concentração do derivado vegetal e a nomenclatura oficial botânica de espécie. A ausência destes dados pode implicar na confiabilidade do efeito terapêutico e segurança desses produtos. Conclusão: os achados desse trabalho reforçam a necessidade de realização de mais estudos in vitro e in vivo, de modo a se obter produtos fitoterapêuticos eficazes e seguros para uso odontológico.
    Monique Elaine Miranda de Oliveira
    PB-38 A formação da equipe de saúde da família para o cuidado em saúde na primeira infância: perfil da equipe de saúde bucal

    A formação da equipe de saúde da família para o cuidado em saúde na primeira infância: perfil da equipe de saúde bucal

    Carvalho SF*, Vieira AC, Queiroz MG

    Saúde da família; equipe de saúde bucal; saúde da criança

    Introdução: o Ministério da Saúde apresentou, em 2005, a Agenda de Compromissos com a Saúde Integral da Criança e Redução da Mortalidade Infantil (ACSICRMI), que propôs linhas de cuidado que orientam os profissionais para atenção integral à saúde da criança. Objetivo: avaliar a formação da Equipe de Saúde Bucal (ESB) para o cuidado com a saúde da criança até seis anos de idade. Também foram investigadas as ações desenvolvidas pela ESB e identificadas áreas com necessidades de treinamento e capacitação. Material e método: a pesquisa foi realizada por meio de um questionário semi-estruturado elaborado com base nas treze linhas de cuidado da agenda, totalizando 28 questionários respondidos, sendo 13 CD, 4 TSB e 11 ASB que compunham as 13 equipes completas. Resultados: notou-se que a maioria dos profissionais da ESB envolvidos na pesquisa são mulheres, sendo que, as cirurgiãs-dentistas (CD), em média possuem mais de 15 anos de formação e todas possuem curso de especialização. Em relação às linhas de cuidado da ACSICRMI, foi observado que as ações voltadas à atenção a criança portadora de deficiência e principalmente para a atenção a saúde mental não são realizadas pela maioria das ESB, o que coincide com a percepção dos profissionais quanto à necessidade de formação complementar para atuar na promoção da saúde nessas mesmas linhas. Conclusão: é reforçada a hipótese de que a formação profissional está deficiente para contemplar o atendimento integral da criança. É preciso, portanto, capacitá-los para o atendimento integral e multiprofissional, independente da condição apresentada pela criança.
    Suzany Ferreira de Carvalho
    PB-39 Ainda há espaço para as metalocerâmicas

    Ainda há espaço para as metalocerâmicas

    Andrade FM*, Silva GR, da Mota AS

    Metalocerâmica; reabilitação oral; estética

    Introdução: as cerâmicas dentais são conhecidas pela sua excelência em reproduzir artificialmente os dentes naturais. Recentemente, devido ao aprimoramento da tecnologia cerâmica, surgiram as restaurações livres de metal. Entretanto, as tradicionais metalocerâmicas ainda preenchem adequadamente os requisitos de alta resistência, longa sobrevida em meio bucal e estética favorável. Neste contexto, é fundamental conhecer a especificidade de cada sistema cerâmico disponível a fim de indicá-lo adequadamente às diversas situações clínicas. Objetivo: enfatizar execução de reabilitação integral e integrada de um caso. Relato de caso: paciente aos 50 anos de idade, portador de espaços edêntulos, trabalhos protéticos posteriores e restaurações diretas anteriores insatisfatórias, levando ao comprometimento da qualidade de vida nos âmbitos funcional e psicossocial, utilizando coroas metalocerâmicas. A repercussão sobre a qualidade de vida foi mensurada por meio de um instrumento validado pela Organização Mundial de Saúde e aplicado ao paciente antes e após o tratamento. A reabilitação proporcionou restabelecimento funcional e estético, harmonia do sistema estomatognático e melhoria da qualidade de vida da paciente.
    Flávia Mendes de Andrade
    PB-40 Tratamento restaurador atraumático: deve ser indicado?

    Tratamento restaurador atraumático: deve ser indicado?

    Maia AA*, Barata TJE, Manzan AFS

    Tratamento restaurador atraumático; saúde bucal; cimento de ionômero de vidro

    Introdução: o Tratamento Restaurador Atraumático (ART) representa uma filosofia de tratamento odontológico que alia medidas educativo-preventivas a uma intervenção minimamente invasiva quando necessária. Objetivo: descrever e discutir a técnica do ART, na dentição permanente, por meio de um relato de caso. Relato de caso: paciente A.M.C., sexo masculino, 12 anos de idade, procurou atendimento odontológico com queixa principal de problemas de relacionamento na escola devido à cárie. Ao exame clínico observou-se a presença de lesões cariosas nos dentes anteriores superiores, com ausência de sintomatologia dolorosa. O planejamento de tratamento integrado seguiu a filosofia do ART (medidas educativo-preventivas e restauradoras). O protocolo clínico da técnica restauradora consistiu da remoção de tecido cariado, utilizando-se apenas instrumentos cortantes manuais e na subsequente restauração com Cimento de Ionômero de Vidro. Durante o atendimento, o paciente não relatou nenhum desconforto, por isto a anestesia local não foi aplicada. Conclusão: diante dos resultados observados pôde-se verificar excelente aceitabilidade do tratamento restaurador pelo paciente, o qual apresenta fobia ao tratamento odontológico convencional, bem como recuperação de sua auto-estima por meio da reabilitação bucal. Ressalta-se, que acompanhamentos longitudinais são necessários com reforço contínuo das medidas educativo-preventivas.
    Amanda Araújo Maia
    PB-41 Diabetes mellitus altera o número de células e o arranjo das fibras colágenas na cartilagem do côndilo mandibular

    Diabetes mellitus altera o número de células e o arranjo das fibras colágenas na cartilagem do côndilo mandibular

    Araujo RV*, Marques MR, Capeletti LR

    Diabetes; insulina; côndilo mandibular

    Introdução: o Diabetes Mellitus (DM) é uma desordem metabólica que pode gerar alterações no meio extracelular modificando a estrutura de proteínas de vida longa como o colágeno, importante nos tecidos articulares. DM tem sido relacionada com doenças articulares degenerativas. Objetivo: avaliar a associação entre DM e disfunções da articulação temporomandibular. Material e método: foram utilizados 19 ratos Wistar adultos, divididos nos grupos controle, diabético e diabético tratado com insulina. DM foi induzido por streptozotocina (60 mg/kg) e o tratamento com insulina foi realizado 15 dias antes do sacrifício. Os côndilos foram removidos, fixados em metacarn e incluídos em Paraplast. Em cortes seriados sagitais as fibras colágenas foram evidenciadas pela coloração com Picrossirius em microscopia de polarização e quantificadas pelo sistema de multipontos M130 pontos proposto por Weibel (1963). A quantificação das células na cartilagem foi realizada pelo programa Image Pro Plus em campos aleatórios com aumento de 1000x. Resultados: na cartilagem condilar do grupo diabético houve redução no número de células e espessamento das fibras colágenas sem aumentar o número de fibras. No grupo insulina o número de células foi semelhante ao grupo controle e o número de fibras colágenas foi superior ao de todos os grupos. Conclusão: os dados sugerem que o DM promove remodelação das fibras colágenas e diminui a densidade celular na cartilagem condilar. O tratamento com insulina reverte os efeitos sobre o número de células e estimula a produção de colágeno.
    Renan Veiga Araújo
    PB-42 Restaurações estéticas e funcionais em paciente portador de perimólise: relato de caso clínico

    Restaurações estéticas e funcionais em paciente portador de perimólise: relato de caso clínico

    Sousa LK*,Silva GR, Simoto VRN

    Perimólise; restauração em resina composta; erosão dentária

    Introdução: perimólise envolve a dissoluções de tecidos mineralizados dos dentes, por processos químicos prolongados e freqüentes, que não envolve bactérias. Pacientes acometidos pela perimólise podem apresentar problemas estéticos e funcionais severos, sendo necessária a reabilitação.O planejamento e escolha da melhor alternativa de tratamento têm relação com a idade do paciente e severidade da lesão,mas a abordagem multidisciplinar é fundamental. O uso de resinas composta direta, sem desgaste da estrutura dentária é uma opção conservadora e de baixo custo para essa alteração. Relato de caso: paciente de 23 anos,com perimólise nos dentes anteriores e posteriores. A queixa principal era o comprometimento estético do sorriso, desgaste gradativo da coroas dos dentes e sensibilidade dental.O tratamento consistiu em tratamento gastroenterológico associado a restaurações diretas nos dentes anteriores e posteriores,considerando os aspectos estéticos e funcionais.A dimensão vertical de oclusão foi devolvida,em relação cêntrica,por meio da montagem dos modelos superior e inferior em articulador semi-ajustável. Na região anterio, a opção de escolha foi a técnica de mão livre. Uma placa interoclusal de uso noturno foi indicada para minimizar o desgaste das restaurações. Conclusão: a técnica escolhida apresentou resultados satisfatórios, pois restituiu função e estética, com procedimento conservador e de baixo custo. Entretanto, a abordagem multidisciplinar e o acompanhamento clínico longitudinal são fundamentais para o bom prognóstico do tratamento.
    Liriana Kristine de Sousa
    PB-43 Tratamento ortodôntico/protético/ortognático em paciente com deficiência de mandíbula e edêntulo superior.

    Tratamento ortodôntico/protético/ortognático em paciente com deficiência de mandíbula e edêntulo superior.

    Santos MR*, Almeida GA, Lelis ER

    Ortodontia; cirurgia ortognática; prótese

    Relato de caso: paciente do gênero feminino, melanoderma, 53 anos de idade, portadora de má-oclusão Classe II Divisão1 de Angle, com ausência total de dentes superiores e ausência parcial de dentes inferiores (molares e segundos pré-molares). Por meio de análises facial e cefalométrica, foi constatada severa deficiência de mandíbula e vestibularização dos incisivos inferiores. Plano de Tratamento: A vestibularização compensatória dos incisivos inferiores foi corrigida com aparelho fixo, e como ancoragem foram utilizados dois miniparafusos, um de cada lado em região posterior de rebordo alveolar. Previamente à cirurgia ortognática, foi confeccionada uma prótese total e fixada na maxila por meio de miniparafusos. Isso proporcionou uma referência para a fixação da mandíbula durante a cirurgia. A cirurgia ortognática envolveu uma osteotomia sagital para avançar a mandíbula. Os resultados foram considerados satisfatórios, com uma adequada oclusão e relação esquelética.
    Mariana Rodrigues Santos
    PB-44 Relato de perícia civil envolvendo abandono temporário de tratamento com próteses total e removível.

    Relato de perícia civil envolvendo abandono temporário de tratamento com próteses total e removível.

    Severo LS*, Fernandes MM, Daruge Júnoir E

    Responsabilidade civil; prótese total; prótese parcial removível

    Introduão: durante a atividade pericial odontológica, o perito se depara com a necessidade de avaliar diversas características, incluindo os aspectos externos que podem alterar ou dificultar o tratamento. Objetivo: relatar um caso pericial civil envolvendo a avaliação de próteses total e removível. Relato do caso:A reclamante compareceu ao Serviço de Assessoramento Pericial da Faculdade de Odontologia de Piracicaba/UNICAMP para exames periciais, em face à ação judicial de ressarcimento de danos. A periciada relatatou que procurou a reclamada para o tratamento de seis dentes inferiores, sendo que a clinica propôs uma reabilitação com prótese total superior e prótese parcial removível inferior, sendo essas entregues em dois meses, prazo este não respeitado. Depois de instaladas as próteses a periciada relatou sua insatisfação com as mesmas. A reclamada inicia nova confecção de próteses, neste ínterim, a periciada insatisfeita com o tratamento abandona o mesmo levando consigo as próteses com as provas em cera. A devolução das próteses foi feita pela advogada da periciada para finalização do tratamento. No intervalo entre a confecção das novas próteses a periciada procurou outro dentista, para novo tratamento, sendo que na entrega das próteses pela reclamada a periciada já tinha concluído novas próteses. Conclusão: o caso apresentado foi de grande utilidade para destacar a importância dos aspectos atinentes à responsabilidade do periciando (comparecer às consultas) que podem alterar o tempo de tratamento e o sucesso clínico do mesmo, assim como excluir a responsabilidade do profissional.
    Luciano Sanchotene Severo
    PB-45 Uso profissional da pasta Colgate Sensitive® : relato de caso clínico

    Uso profissional da pasta Colgate Sensitive® : relato de caso clínico

    Cetira Filho EL*, Moreira MMSM, Silva JC

    Arginina; sensibilidade da dentina

    Introdução: a hipersensibilidade dentinária é uma resposta dolorosa da dentina vital exposta a estímulos térmicos, químicos e mecânicos. Relato de caso: paciente A.M., 60 anos de idade, que apresentava um quadro de periodontite com recessões generalizadas na região anterior inferior. Durante a fase de manutenção, o paciente relatou que sentia dor de intensidade moderada durante alimentação quente ou fria. Após a raspagem coronária, houve o isolamento da região e o produto Colgate® Sensitive Pró-AlívioTM com Tecnologia Pro-ArginTM, para uso profissional, foi aplicado na região por meio de taça de borracha, de acordo com as recomendações do fabricante, polindo a superfície dentária duas vezes durante três segundos. O paciente foi reavaliado quatro dias após a aplicação do produto, tendo sido relatada uma significante melhora no quadro de hipersensibilidade dentinária. Uma revisão de literatura nas bases de dados PUBMED e Biblioteca Virtual em Saúde foi realizada no período dos últimos cinco anos e pode ser constatado que a pasta Colgate Sensitive Pró-Alívio® para uso profissional possui uma composição a base de arginina e de carbonato de cálcio. Estes compostos ajudam a formar uma camada rica em cálcio na superfície da dentina e no interior dos túbulos dentinários, selando-os e evitando a transmissão dos estímulos causadores da dor. Conclusão: é importante que o cirurgião-dentista atualize-se quanto às mais eficientes alternativas para o tratamento e controle da hipersensibilidade dentinária, de modo que o sucesso no tratamento seja atingido.
    Edson Luiz Cetira Filho
    PB-46 Prevalência de parestesia pós exodontia de terceiros molares inferiores entre CDs especialistas e clínicos gerais

    Prevalência de parestesia pós exodontia de terceiros molares inferiores entre CDs especialistas e clínicos gerais

    Lara PA*, Oliveira ES, Stefani CM

    Exodontia; parestesia; terceiro molar

    Objetivo: avaliar a prevalência de parestesia no pós-operatório das extrações de terceiros molares inferiores entre Cirurgiões-Dentistas especialistas em cirurgia bucomaxilofacial e clínicos gerais de cidades do estado de Goiás. Material e método: aplicou-se questionários a 20 clínicos gerais e 10 especialistas em Cirurgia bucomaxilofacial que realizam exodontia de terceiros molares inferiores na rotina clínica. Trata-se de uma pesquisa de campo, descritiva de abordagem quantitativa. Resultados: 56,6% dos profissionais afirmaram que já tiveram casos de parestesia, 36,6% não tiveram casos. Dentre os nervos alveolar inferior, bucal e lingual, o mais afetado pela parestesia foi o nervo alveolar inferior com 28,6% dos casos, seguido do nervo lingual com 23,3% e nervo bucal com 3,6% dos casos relatados. Conclusão: os cirurgiões-dentistas especialistas em cirurgia bucomaxilofacial possuem um histórico maior de parestesia e que em todos os casos a parestesia foi transitória, tendo a maior prevalência entre 1 e 6 meses.
    Polyane de Almeida Lara
    PB-47 Tratamento interdisciplinar ortodontia/implantodontia em paciente com dentadura permanente completa

    Tratamento interdisciplinar ortodontia/implantodontia em paciente com dentadura permanente completa

    Nunes IC*, Almeida GA, Lelis ER

    Tratamento ortodôntico; diastemas; implante.

    Objetivo: o objetivo deste trabalho é o relato de um caso clínico no qual a paciente foi tratada por meio da interdisciplinaridade entre ortodontia, implantodontia e periodontia. Relato do caso: Paciente do gênero feminino, leucoderma, cinquenta e dois anos de idade, procurou avaliação ortodôntica queixando-se da aparência estética de seu sorriso. Ela apresentava ligeiros sinais de recessão gengival, má oclusão Classe I de Angle, acentuados diastemas a partir de caninos superiores e inferiores, mordida cruzada entre 13 e 43, ausências dentárias somente dos terceiros molares, incisivos relativamente bem posicionados e relação das bases ósseas aceitável. Foi realizado planejamento ortodôntico com utilização de aparelho corretivo fixo com intuito de concentrar os espaços nas distais dos caninos, para reabilitar estes espaços com a instalação de um implante de pré-molar em cada quadrante, concomitantemente ao controle periodontal. Os implantes e suas respectivas próteses foram instalados durante o tratamento ortodôntico, resultando num total de doze pré-molares. Conclusão: os resultados foram considerados satisfatórios, com a obtenção de guias excursivas funcionais e sorriso estético.
    Isabela Cristina Nunes
    PB-48 Enxerto autógeno de tecido conjuntivo no tratamento de recessão gengival em cães nas raízes de pré-molares

    Enxerto autógeno de tecido conjuntivo no tratamento de recessão gengival em cães nas raízes de pré-molares

    Pereira ACS*, Dechichi P, Cherulli TL

    Enxerto autógeno; tecido conjuntivo; recessão gengival

    Introdução: enxertos autógenos de conjuntivo são efetivos no tratamento de recessões gengivais, porém o reparo gengival pode formar um epitélio juncional longo. Objetivo: avaliar o reparo tecidual em raízes de pré-molares expostas e recobertas com enxerto autógeno de conjuntivo. Material e método: em três cães machos, na tábua óssea vestibular das raízes mesiais dos 2os pré-molares inferiores, foram criados defeitos ósseos, nos quais foram colocados enxertos de conjuntivo (teste). As raízes distais representaram o grupo controle, onde foi realizado apenas o deslocamento e reposição do retalho. Após três meses, foram removidos dos animais segmentos do processo alveolar contendo os 2os pré-molares, do lado direito e esquerdo. Destes, foram obtidos cortes em sentido vestíbulo-lingual, com 5 μm, corados em HE e analisados ao ML. Resultados: no grupo teste observou-se crista óssea abaixo do nível, devido ao defeito ósseo induzido. A superfície radicular apresentou regiões de reabsorção externa reparada por cemento celular, inclusive na região do periodonto de inserção adjacente ao defeito. Na região enxertada, o conjuntivo mostrou-se rico em grossos feixes de fibras colágenas inseridos em cemento, indicando a formação de nova inserção na região do defeito ósseo. A gengiva marginal apresentou características normais e em algumas regiões foi observada proliferação discreta do epitélio juncional, em sentido apical. Conclusão: os resultados indicam que o enxerto autógeno de tecido conjuntivo favorece a formação de nova inserção conjuntiva, promovendo reparo satisfatório em recessões gengivais.
    Ana Carolina Silva Pereira
    PB-49 Laminados cerâmicos sem desgaste para finalização ortodôntica

    Laminados cerâmicos sem desgaste para finalização ortodôntica

    Gama MM*, Cardoso PC, Oliveira MBRG

    Facetas; estética ortodontia

    Introdução: facetas de porcelana representam uma solução estética e funcional de alta qualidade, pois possibilitam correções de forma, textura, cor e posição dos dentes, permitem harmonização ímpar com os elementos que compõem um belo sorriso. Objetivo: relatar uma sequência clínica de facetas laminadas cerâmicas em dentes anteriores com ênfase na conclusão do tratamento ortodôntico. Relato do caso: após exame clínico, radiográfico e obtenção de fotografias intra e extra-oral, realizou-se o mock-up com bis - acryl (Protemp 4, 3M, espe). Diante da aprovação do paciente, realizou-se moldagem pela técnica simultânea com duplo fio e enviada ao laborátorio juntamente com mapa cromático e fotografias do planejamento. Os laminados, Empress Esthetic, ET1, foram posicionados com pasta de prova. A cimentação foi realizada com Rely X Venner, cor A1. O resultado comprovou que o procedimento atinge altos índices de sucesso clínico e de satisfação estética e funcional do paciente.
    Marcela Moura Gama
    PB-50 Odontoma complexo em região anterior de mandíbula: relato de caso

    Odontoma complexo em região anterior de mandíbula: relato de caso

    Bueno FG*, Garcia RR, Rodrigues MS

    Odontoma complexo; impactação dentária; mandíbula

    Introdução: o odontoma é classificado como hamartoma (anomalia de desenvolvimento), podendo ser dividido em composto e complexo. Ambos são constituidos de esmalte, dentina, cemento e polpa em quantidades variáveis, sendo que o primeiro apresenta múltiplas estruturas semelhantes a um dente, enquanto que o segundo apresenta-se como uma massa única e aglomerada. O odontoma complexo e mais encontrado em maxila, principalmente em regiões posteriores, sendo a maior parte, detectada nas três primeiras décadas de vida por exame radiográfico de rotina, ou durante exame devido ausência de erupção dentária. Relato do caso: paciente A.L.B.T., gênero feminino, 7 anos, que apresentava a queixa de ausência de dentes inferiores. Ao exame clínico observou-se aumento de volume no fundo de vestibulo na região de incisivos inferiores. O exame radiográfico (panorâmica) apresentou imagem radiopaca, com halo radiolúcido, aproximadamente 3cm em seu maior diâmetro, e presença de incisivos inferiores impactados, estando os mesmos lingualizados em relação a lesão (tomografia computadorizada). Como hipotese diagnóstico foi proposto odontoma complexo e composto, sendo realizada remoção cirurgica sob anestesia geral, acesso em fundo de vestíbulo, ostectomia da cortical vestibular, divisão da lesão em vários fragmentos, removendo junto com a mesma um incisivo inferior deciduo impactado. Exame histopatológico confirmou a hipótese de odontoma complexo. A paciente esta sendo acompanhada quanto ao posicionamento dos incisivos inferiores para posterior cirurgia de tracionamento.
    Felipe Guedes Bueno
    PB-51 Avaliação da resistência à fadiga de elementos metálicos de próteses parciais removíveis

    Avaliação da resistência à fadiga de elementos metálicos de próteses parciais removíveis

    Santana Júnior AC*, Guilherme AS, Moraes BR

    Prótese parcial removível; ligas odontológicas; fadiga

    Objetivo: avaliar a resistência à fadiga das amostras de infra-estruturas metálicas de próteses parciais removíveis (grampos de retenção e oposição, conector maior e menor, apoios e selas) confeccionadas em liga de Co-Cr; analisar e comparar os locais de maior prevalência de fraturas dos componentes metálicos após o ensaio mecânico de resistência à fadiga. Material e método: foram confeccionadas 40 infra-estruturas metálicas de próteses parciais removíveis superiores e inferiores em liga de Co-Cr. As amostras foram obtidas aleatoriamente a partir de modelos de trabalhos disponibilizados por laboratórios comerciais da cidade de Goiânia, sendo que, os planejamentos das infra-estruturas metálicas obedeceram às classes de Kennedy. As amostras foram divididas em grupos e, após o ensaio mecânico, os números de ciclos obtidos foram tabulados para posterior análise estatística. Para o cálculo estatístico, foram considerados como unidade experimental os valores originais do número de ciclos até a fratura após o ensaio. Para testar a normalidade da distribuição das variáveis, empregou-se teste não paramétrico de Kolmogorov-Smirnov (p<0,05). A certificação da ocorrência de diferença estatisticamente significante entre os grupos ocorreu com emprego da ANOVA. Resultados: as médias dos grampos de retenção e de oposição, assim como dos conectores, apresentaram diferenças numéricas pouco significativas, o que conduz à interpretação de serem resistentes no desempenho do ciclo mastigatório. Os elementos que apresentaram média com diferenças significativas foram os apoios.
    Arnaldo Costa Santana Júnior
    PB-52 Tratamento de mordida aberta anterior pela intrusão de dentes posteriores utilizando miniparafusos

    Tratamento de mordida aberta anterior pela intrusão de dentes posteriores utilizando miniparafusos

    Bueno RS*, Almeida GA, Lelis ER

    Mordida aberta anterior; ancoragem esquelética; mini-implante

    Relato do caso: paciente leucoderma, do gênero feminino, com 13 anos e 6 meses de idade procurou avaliação ortodôntica apresentando padrão dolicocefálico, má oclusão Classe I de Angle, comatresia lateral da maxila, mordida aberta anterior, linha do sorriso com excesso gengival nos segmentos póstero-superiores, suave apinhamento nos incisivos inferiores e ausência de guias excursivas funcionais. A relação maxilomandibular era regular, com o terço ântero-inferior. Os incisivos superiores encontravam-se vestibularizados e protruídos, enquanto que os inferiores mostravam-se discretamente verticalizados. O plano de tratamento baseou-se em fechar a mordida aberta e alinhar e nivelar os dentes, tendo como premissa o controle vertical e a possível intrusão dos segmentos dentoalveolares póstero-superiores. Para tanto, a paciente foi submetida a uma expansão rápida da maxila por meio de um expansor colado, seguido de uma barra palatina afastada do palato e com um botão de acrílico na região de seu ômega. O alinhamento e nivelamento dentário foi realizado através de 03 arcos segmentados, associado a uma mecânica intrusiva nos segmentos posteriores da maxila, proveniente de mini-parafusos nas mesiais e distais dos primeiros molares superiores permanentes e elásticos 5/16?. Ao final do tratamento, a dimensão transversal maxilar foi alcançada, a mordida aberta corrigida e as guias excursivas funcionais restabelecidas.
    Renata Silva Bueno
    PB-53 Avaliação de metodologias de extração de DNA para caracterização do perfil microbiológico de pacientes com periodontite.

    Avaliação de metodologias de extração de DNA para caracterização do perfil microbiológico de pacientes com periodontite.

    Medeiros LD*, Jacomino EF, Barreto CC

    Periodontite severa; DNA bacteriano; metagenômica

    Introdução: a periodontite é uma infecção bacteriana mista, sendo uma das patologias orais mais comuns nos seres humanos que leva a degeneração das estruturas de suporte e proteção do dente podendo levar a perda dos mesmos. O processo inflamatório que ocorre no periodonto é conseqüência de um grande numero e variedade de Bactérias. Objetivo: realizar análise molecular do perfil microbiológico de pacientes com doença periodontal severa. Material e método: para a realização do mesmo, foram coletadas amostras de placa bacteriana de pacientes clinicamente saudáveis e de pacientes com doença periodontal severa. Destas amostras, o DNA bacteriano foi extraído utilizando-se 3 métodos. Resultado: foi observado que apenas o método que apresenta lise mecânica gerou DNA em quantidade e qualidade suficientes para amplificado por PCR utilizando os primers para amplificação do gene do RNAr de todas as espécies do Domínio Bacteria (primers: 27f/1492R). Conclusão: a caracterização de espécies de bactérias específicas encontradas no biofilme oral é complexo, uma vez que o número destes periodontopatógenos esta diretamente associado à severidade da doença; indicativo de saúde além de resposta a terapia pré e pós tratamento. A análise metagenômica da doença periodontal é de grande relevância para a caracterização da população microbiana de pacientes portadores da doença periodontal. Estes procedimentos permitirão estudar a diversidade microbiana podendo contribuir para um melhor diagnóstico, prognóstico e tratamento das doenças periodontais.
    Letícia Delfino de Medeiros
    PB-54 Cisto envolvendo dente permanente incluso e ápice de dente decíduo: relato de caso e discussão da histogênese

    Cisto envolvendo dente permanente incluso e ápice de dente decíduo: relato de caso e discussão da histogênese

    Gomes HS*, Batista AC, Ribeiro-Rotta RF

    Cisto folicular inflamatório; dentição decídua; enucleação cística

    Introdução: o Cisto Folicular Inflamatório (CFI), também denominado Cisto Dentígero Inflamatório (CDI), é um cisto odontogênico que envolve normalmente o ápice do dente decíduo infectado e o folículo pericoronário do permanente não-erupcionado. Seu diagnóstico é baseado nas características clínicas, radiográficas e microscópicas, no entanto sua histogênese ainda é controversa. Objetivo: apresentar um caso clínico de uma criança de 9 anos, gênero masculino, com um possível CFI, bem como discutir a terminologia e histogênese desta lesão. Relato do caso: ao exame clínico intra-oral evidenciou-se um aumento de volume na região dos dentes 74 e 75 e presença de extenso material restaurador na oclusal do 75. Os exames radiográficos periapical, oclusal e panorâmica revelaram uma lesão radiolúcida, unilocular, bem delimitada com margem radiopaca envolvendo a coroa do 35 e do ápice do 75. O tratamento realizado foi a enucleação da lesão e extração dos 74 e 75. Na avaliação microscópica notou-se cavidade cística revestida por epitélio e cápsula fibrosa intensamente infiltrada por células inflamatórias. Considerando os dados clínicos, radiográficos e microscópicos, 3 (três) possibilidades diagnósticas devem ser consideradas: 1.cisto radicular do decíduo envolvendo a coroa do permanente incluso, 2.cisto do folículo do dente permanente incluso associado a um dente decíduo infectado e 3.cisto dentígero de origem do desenvolvimento envolvendo o ápice do decíduo.
    Heloísa de Sousa Gomes
    PB-55 Fratura radicular horizontal cervical utilizando a decoronação como tratamento: caso clínico

    Fratura radicular horizontal cervical utilizando a decoronação como tratamento: caso clínico

    Melo RB*, Moreira Neto JJS, Lima FC

    Traumatismo dentário; fratura radicular horizontal cervical; decoronação

    Introdução: o traumatismo dentário é uma das urgências odontológicas que requerem um bom conhecimento por parte do profissional, pois, além do fator psicológico que envolve o paciente e seus familiares, existe uma grande complexidade, que ocorre em virtude das mais diversas situações clínicas e tratamentos para um melhor prognóstico. Entre os traumas dentais, a fratura radicular horizontal, que geralmente resulta de um impacto horizontal, é uma lesão concomitante da polpa, do ligamento, da dentina e do cemento, pouco comum quando comparada com os demais tipos de traumas dentais e, por tal fato, talvez, muitos profissionais não estejam preparados para administrar e realizar o correto e melhor manejo. Relato do caso: o caso clínico a ser abordado trata-se de uma Fratura Radicular Horizontal Cervical em uma paciente do sexo feminino, 12 anos de idade, que não ocorreu o reparo entre os fragmentos, mesmo com uma correta contensão rígida por 10 semanas. Assim, o caso evoluiu para a formação de tecido de granulação entre os fragmentos dentários, por tal fato foi optado pela decoranação como tratamento imediato. A paciente encontra-se atualmente com 3 anos de acompanhamento e a decoronação apresentando um resultado satisfatório, pois não há indícios de lesão periapical, nem de perda óssea. Conclusão: a decoronação está a funcionar como um bom plano de tratamento para uma posterior realização de um tratamento definitivo, com a utilização de um implante dentário.
    Radamés Bezerra Melo
    PB-56 O uso de compósitos no fechamento de diastemas: estética e função

    O uso de compósitos no fechamento de diastemas: estética e função

    Pacheco ACF*, Cardoso PC, Chaves P

    Diastema; estética

    Introdução: a presença de diastemas envolvendo os dentes anteriores interfere na harmonia estética do sorriso podendo causar desconforto ao paciente. Relato do caso: paciente K. L. M., 20 anos, a qual procurou atendimento odontológico, queixando-se da existência de espaços entres os dentes ântero-superiores. A partir das referências faciais, determinou-se as dimensões dentais ideais e, em seguida, realizou-se o procedimento de plástica periodontal para aumento do comprimento dos dentes. Após 60 dias e, previamente ao tratamento restaurador, realizou-se um ensaio restaurador em resina composta e a posterior moldagem deste ensaio para a confecção de um guia em silicona. A técnica restauradora direta foi realizada de forma estratificada, restabelecendo as características estéticas e funcionais dos dentes. Concluiu-se que o uso de resinas compostas diretas para fechamento de diastemas devolveu a harmonia do sorriso de forma CONSERVADORA, rápida e prática.
    Anne Carolinne Freitas Pacheco
    PB-57 Lentes de contato em cerâmica pura - alternativa estética para fechamento de diastemas? Relato de caso clínico

    Lentes de contato em cerâmica pura - alternativa estética para fechamento de diastemas? Relato de caso clínico

    Moura GF*, Quagliatto OS, Alves MR

    Lentes de contato; cerâmica; metal-free

    Introdução: as Lentes de Contato ou Facetas Laminadas constituem-se em alternativa de tratamento que oferece como vantagem principal nenhum ou mínimo desgaste da estrutura dental. O desgaste mínimo de estruturas sadias fez com que essa técnica de restauração seja indicada nos últimos anos. As cerâmicas, graças à sua biocompatibilidade, biomimetismo ao esmalte dental, estabilidade dimensional e de cor, lisura superficial tem sido considerada como o material protético de escolha por dezenas de anos. Relato do caso: fechamento de diastemas, transformações dentais e de harmonia do sorriso, por meio, de técnica de Lentes de Contato em Cerâmica Pura com mínimo desgaste dental. O caso clínico com proservação de oito meses é de um paciente do sexo masculino, 26 anos, com presença de diastemas na região anterior de canino a canino. Um modelo de estudo foi obtido e após o enceramento de diagnóstico foram planejadas seis Lentes de Contato, em cerâmica pura. As etapas do tratamento foram seguidas de acordo com o protocolo: análise dos elementos a serem restaurados, escolha do material restaurador, enceramento de diagnóstico, mínimo preparo ou asperização da superfície dental, moldagem, seleção de cores, ajuste e cimentação adesiva, acabamento e ajuste oclusal. Conclusão: foi possível reconstituir a forma dental e a harmonia do sorriso, por meio, de uma técnica minimamente invasiva, com características estéticas e funcionais.
    Guilherme Faria Moura
    PB-58 Fratura da cerâmica de cobertura de prótese implantossuportada: falha clínica ou laboratorial? Relato de caso

    Fratura da cerâmica de cobertura de prótese implantossuportada: falha clínica ou laboratorial? Relato de caso

    Barbosa CF*, Ribeiro-Rotta RF, Dias DR

    Falhas em próteses; prótese metalocerâmica; fratura da cerâmica.

    Objetivo: apresentar um caso clínico de fratura da cerâmica de cobertura de uma prótese fixa implantossuportada metalocerâmica e discutir as possíveis causas de insucesso. Relato de caso: paciente A.C.F., sexo feminino, 39 anos, compareceu a Faculdade de Odontologia da UFG para realizar uma reabilitação com implante na região do elemento 36. A instalação do mesmo foi realizada em abril de 2009. Foi planejada a reabilitação por meio de prótese unitária não segmentada parafusada. Em agosto de 2010 realizou-se a instalação da coroa metalocerâmica. Após 9 meses, a paciente fez o primeiro retorno, no qual a prótese foi removida e higienizada. Ao passar 6 dias a paciente retornou devido a fratura da porcelana. A superfície fraturada foi a disto-vestibular, e observou-se exposição total da infra-estrutura metálica. O aspecto da fratura sugeria falha de união da cerâmica com o metal. No entanto questiona-se o tempo de 9 meses para a ocorrência da falha, pois espera-se que uma falha devido a causas laboratoriais ocorra em tempo menor. Outros aspectos foram considerados, como a espessura da cerâmica, sobrecarga oclusal e diferenças no coeficiente de expansão térmica. A prótese foi removida e reenviada ao laboratório para a reaplicação da porcelana. Após 15 dias foi reinstalada. Conclusão: não é possível definir a causa exata da fratura de cerâmica de cobertura na pratica clinica. A reflexão do protesista e do técnico a cerca das possíveis causas da falha da prótese é fundamental para que esta não se repita.
    Cindy Ferreira Barbosa
    PB-59 Odontologia hospitalar: primeiras mudanças da inserção do cirurgião-dentista em uma unidade de terapia intensiva

    Odontologia hospitalar: primeiras mudanças da inserção do cirurgião-dentista em uma unidade de terapia intensiva

    Gomes TD*, Costa LRRS, Crispim LF

    Unidade de terapia intesiva; odontologia; pneumonia nosocomial

    Introdução: pacientes hospitalizados em unidades de terapia intensiva (UTI) possuem grande probabilidade de adquirir infecções nosocomiais associadas a inadequada higienização da cavidade oral, destacando-se a pneumonia associada a ventilação mecânica (PAV) e mucosites. Objetivo: o propósito deste trabalho é relatar a atuação dos residentes de Odontologia na UTI cirúrgica do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás (HCUFG). Relato do caso: A UTI cirúrgica do HCUFG está em funcionamento desde 2001, é composta de 08 leitos e visa os primeiros cuidados pós-operatórios de pacientes até sua estabilização e encaminhamento para outras clínicas do HCUFG. Até 2009, esta UTI não contava com cirurgião-dentista. Em 2010, cirurgiões-dentistas da área de urgência/emergência fizeram visitas a essa UTI, e em 2011 dois residentes da área de UTI iniciaram um trabalho contínuo nessa UTI com as seguintes atividades: promoção de cursos de capacitação em saúde bucal junto à equipe de enfermagem, construção de protocolos de higiene oral em pacientes intubados e ações de diagnóstico bucal. Obteve-se, assim, o fortalecimento do comprometimento e motivação da equipe de enfermagem; a possibilidade do diagnóstico/terapêutica multiprofissional e racionalização do uso de antimicrobianos e medicações. Conclusão: o presente relato demonstra os primeiros avanços advindos da inserção do cirurgião-dentista em UTI, contemplando mudanças comportamentais da equipe assistente e intervenções do cirurgião-dentista junto ao paciente crítico.
    Tiago Dias Gomes
    PB-60 Educação em saúde com gestante e puérperas

    Educação em saúde com gestante e puérperas

    Oliveira LD*, Reis LBM, Bezerra ES

    Promoção de saúde; odontologia; gestantes.

    Introdução: a saúde bucal coletiva tem apontado para a necessidade de mudanças no setor odontológico que implica no desenvolvimento de ações para promover saúde, rompendo com a restrita visão técnica e individualista do processo saúde-doença. Objetivo: promover saúde em um grupo de gestantes e puérperas da área adscrita da Unidade da Saúde da Família Jardim das Américas de Anápolis-GO. Material e método: tendo como base o Arco Maguerez iniciou-se pela compreensão da realidade da área; identificação do ponto-chave que foi um grande número de gestantes e puérperas; teorização, com a busca de literatura sobre o tema; elaboração de hipóteses de solução, com a elaboração de um projeto; seguido pela aplicação à realidade. Para participarem foram selecionadas seis famílias, o critério de seleção seguiu a condição-chave e um questionário que buscou a condição da saúde bucal da família. As atividades ocorreram nas casas das famílias, com participação do Agente Comunitário de Saúde, sendo relacionadas aos cuidados em saúde bucal e geral. Conclusão: a participação do público alvo ocorreu com muito interesse de todos. A interação entre equipe de saúde, gestantes, puérperas e acadêmicos foi de grande proveito para todos, possibilitando crescimento e reflexão na prática em saúde, sendo destacada a possibilidade de se formarem cirurgiões-dentistas com capacidade de relacionar odontologia com a realidade, possibilitando uma formação crítica permitindo o profissional torna-se um agente promotor de saúde.
    Lucas Daniel Oliveira
    PB-61 Influência da quantidade de fibra de vidro adicionada em adesivo puro ou resina composta flow na resistência flexural

    Influência da quantidade de fibra de vidro adicionada em adesivo puro ou resina composta flow na resistência flexural

    Bernades KO*, Fonseca RB

    Resistência flexural; material resinoso; fibras de vidro

    Introdução: o efeito das fibras no reforço de restaurações ou infra-estruturas, como pinos endodôntico, seu uso associado a partículas inorgânica, efeitos na polimerização e propriedades mecânicas têm sido estudados, demonstrando resultados promissores. Objetivo: este trabalho avaliou a resistência flexural em barras de resina composta fotopolimerizável flow (RF) e adesivo puro (AP), reforçadas com fibra de vidro (FV) curta (3mm), variando: o tipo de material para impregnação das fibras (AP e RF) e a quantidade de fibra de vidro adicionada (0%, 10%, 15%, 20% e 30%). Material e método: dez grupos experimentais foram criados (N=10); fatores em estudo: quantidade de FV picotada (5) e material resinoso (2). Barras (10x2x1mm) foram testadas em resistência flexural de 3 pontos. Resultados: os dados (MPa) submetidos aos testes ANOVA, Tukey e T de student (α=0,05) demonstraram significância para interação entre fatores com p<0,05. Para RF, observou-se: 0% (442,78 ± 140,65) Ca, 10% (772,81 ± 446,33) ABCa, 15% (854,78 ± 297,35) ABb, 20% (863,46 ± 418,05) Ab, 30% (459,55 ± 140,59) BCb. Para AP, observou-se: 0% (187,76 ± 120,37) Bb, 10% (795,48 ± 688,19) Ba, 15% (1999,91 ± 1258,65) Aa, 20% (1911,55 ± 596,88) Aa, 30% (2090,61 ± 656,79) Aa.Conclusão: pode-se concluir que os grupos AP com quantidades de 15, 20 e 30% de FV demonstraram os melhores resultados sem diferença estatisticamente significante entre si.
    Karina de Oliveira Bernades
    PB-62 Comportamentos diferentes de dois casos de paralisia de Bell

    Comportamentos diferentes de dois casos de paralisia de Bell

    Soares JS*, Rosa RR, Paulo LFB

    Paralisia de Bell; nervo facial; vírus herpes simples

    A paralisia de Bell é a causa mais comum de paralisia aguda unilateral motor do nervo facial. Possui etiologia incerta, contudo estudos demonstram associação com a infecção pelo vírus Herpes simplex. O diagnóstico é essencialmente clínico, afastando-se outras causas de paralisia facial periférica. Os sintomas começam a regredir vagarosa e espontaneamente de um a dois meses após o surgimento. Relatamos dois casos, no primeiro o paciente do gênero feminino de 47 anos, queixando-se de paralisia súbita do lado esquerdo da face ocorrido à uma semana. A paciente relatou ter sentido fortes dores na região retroauricular esquerda 3 dias antes. Ao exame clínico notou-se uma perda abrupta do controle muscular do lado esquerdo da face, resultando na incapacidade de sorrir, fechar o olho, piscar ou levantar a sobrancelha. A paciente já havia procurado atendimento médico, que prescreveu anti-retroviral sem melhora no quadro da doença. Não foi implementado nenhum tratamento específico e houve regressão total dos sintomas em 37 dias. No segundo caso, o paciente do gênero masculino, de 25 anos, queixava-se também de uma paralisia súbita de hemiface há 4 dias, já estava em acompanhamento médico e fazia uso de retrovirais e corticóide sistêmico, porém queixava-se de grande desconforto durante a fala e a mastigação. O paciente então foi encaminhado para sessões de fisioterapia e orientado quanto ao caráter de regressão espontânea dos sintomas. Porém, diferentemente do primeiro caso, o paciente encontra-se em acompanhamento há 5 meses e ainda não houve regressão total dos sintomas.
    Jussara Silva Soares
    PB-63 Diagnóstico e tratamento de múltiplos supranumerários em criança: relato de caso clínico

    Diagnóstico e tratamento de múltiplos supranumerários em criança: relato de caso clínico

    Prudente CCB*, Castro ADV, Moura LS

    Dente; supranumerário; criança

    Objetivo: relatar um caso clínico de uma criança apresentando múltiplos dentes supranumerários. Relato do caso: criança T.F.S, de 11 anos de idade, chegou à clinica de Especialização em Odontopediatria(ABO-GO) com queixa principal de atraso na erupção do inicisivo central superior direito (dente 11). Na anamnese e exame físico constatou-se bom estado de saúde geral. Foi então solicitado exames de imagem complementares (radiografias:panorâmica, periapicais e tomografia Cone Beam - TCB) pode-se notar a presença de 5 dentes supranumerários na maxila e 2 na mandíbula, estando o dente 11 impactado e com formação radicular completa. Em planejamento conjunto com ortodontista e a família optou-se pela remoção cirúrgica dos dentes supranumerários e localização da coroa do dente 11. Por se tratar de um tratamento extenso optamos por realizar o procedimento em ambiente hospitalar, sob anestesia geral. Todos os dentes supranumerários foram removidos sem intercorrencias e optou-se, no trans-cirúrgico, pela osteotomia e exposição da coroa do dente 11, sem a fixação de bráquete para tracionamento. A criança encontra-se em acompanhamento clínico com previsão de exame radiográfico de 60 dias após a cirurgia para avaliação de movimento eruptivo do dente impactado, que deve ser acompanhado a longo prazo. Conclusão: considerações como a importância do diagnóstico precoce de alterações no desenvolvimento dentário para evitar complicações futuras, assim como o uso da TCB para localização e planejamento cirúrgico, foram pontos importantes que o caso relatado pode nos mostrar.
    Cinthia Cristina Barbosa Prudente
    PB-64 Aumento de coroa estético e reposicionamento labial com cimento ortopédico

    Aumento de coroa estético e reposicionamento labial com cimento ortopédico

    Borges GJ*, Naldi LF

    Sorriso gengival; aumento de coroa clínica; cimento ortopédico

    Relato do Caso: Paciente gênero feminino, 23 anos, procurou a FO/UFG queixando-se de grande quantidade de gengiva ao sorrir. No exame clínico observou-se coroas curtas nos dentes anteriores superiores e uma depressão subnasal acentuada na qual o lábio superior se alojava no sorriso espontâneo e na fala. A paciente apresentava boa saúde periodontal, ausência de bolsas e adequada faixa de tecido queratinizado. Material e Método: Foram realizadas radiografias periapicais e telerradiografia de perfil. A altura mais adequada e esteticamente agradável da coroa clínica foi calculada com base na largura do dente e levando-se em consideração a expectativa da paciente. Observou-se que mesmo com o aumento de coroa dos dentes a exposição gengival ainda era acentuada no sorriso. Foi proposta a utilização do cimento cirúrgico ortopédico na depressão subnasal para conferir suporte e limitar a movimentação labial. Durante a cirurgia, realizou-se gengivectomia, osteotomia e osteoplastia. O volume ósseo excessivo foi removido e a distância de 2,5 mm entre a crista óssea vestibular e a nova posição da margem gengival foi criada. Após o aumento de coroa, o cimento ortopédico foi manipulado, posicionado e estabilizado. Foi feita sutura suspensória, posicionando-se a margem gengival no local desejado. No pós-operatório observou-se redução do sorriso gengival, melhor suporte e posicionamento labial. Conclusão: o aumento de coroa estético associado ao cimento ortopédico é uma técnica eficaz para tratamento de sorriso gengival onde se observa falta de suporte labial pela presença de uma depressão óssea subnasal acentuada.
    Germana Jayme Borges
    PB-65 Schwannoma solitário em cavidade oral: relato de caso

    Schwannoma solitário em cavidade oral: relato de caso

    Elias MRA*, Morais MO, Ferreira JCB

    Schwannoma; Schwann; tumor

    Introdução: Schwannoma é um tumor benigno raro, assintomático, derivado das células de Schwann. Manifesta-se como lesões solitárias, embora possam ser múltiplas, podendo estar associadas com neurofibromatose. Atinge em sua maioria jovens e adultos de meia idade com maior ocorrência na língua. Histologicamente possui dois padrões microscópicos distintos: Antoni A, formado por feixes de células fusiformes de Schwan e Antoni B que é acelular e menos organizado. O tratamento é a excisão cirúrgica do tumor. A recidiva é improvável tendo um prognóstico excelente. Relato do caso: paciente do gênero masculino relatou uma tumefação na região dos dentes 33, 34 e 35 com nove meses de evolução, de aproximadamente 2 centímetros, base séssil, coloração semelhante à da mucosa normal, consistente à palpação. As hipóteses de diagnóstico foram: granuloma periférico de células gigantes e tumor de glândula salivar. Realizou-se biópsia excisional da lesão e o diagnóstico final foi schwannoma. Os autores discutem aspectos clínico-patológicos referentes a esta neoplasia rara em cavidade oral.
    Marcela Ramos Abrahão Elias
    PB-66 Coristoma ósseo gengival: relato de um caso raro

    Coristoma ósseo gengival: relato de um caso raro

    Soares NR*, Paulo LFB, Rosa RR

    Coristoma; caso raro; cavidade oral

    Introdução: o termo coristoma descreve uma hamartia composta de tecido normal em uma localização anormal e são designados de acordo com os tecidos de que são derivados. Geralmente, o coristoma ósseo da cavidade oral apresenta um crescimento lento na língua e raros casos são relatados na mucosa jugal e no rebordo alveolar. Relato do caso: paciente de 37 anos, gênero feminino foi encaminhada para avaliação de um nódulo na gengiva inserida, na região de pré-molar superior direito, presente há aproximadamente 6 meses. A lesão tinha 15 mm de diâmetro, assintomática, mas causava desconforto durante mastigação. O exame clínico revelou um nódulo bem definido de superfície lisa, firme á palpação, sem sintomatologia no rebordo alveolar superior direito. Radiograficamente não foi possível observar nenhuma erosão óssea ou sequer alguma lesão endodôntica ou periodontal. Foi realizada uma biópsia excisional da lesão sob anestesia local, e o tecido foi encaminhado para avaliação histopatológica que revelou um nódulo submucoso bem circunscrito de tecido ósseo denso circundado por tecido fibroso recoberto por epitélio escamoso estratificado da superfície gengival. O diagnóstico foi compatível com coristoma ósseo. Em dois anos de acompanhamento a paciente não apresentou sinais de recidiva da doença.
    Nátilla Roberta Soares
    PB-67 Tumor de cavidade nasal com extensão para a boca: relato de um caso raro de melanoma amelanótico.

    Tumor de cavidade nasal com extensão para a boca: relato de um caso raro de melanoma amelanótico.

    Tavares RP*, Rosa RR, Servato JPS

    Melanoma; cavidade nasal; cavidade oral

    Relato do caso: Paciente de 63 anos, gênero masculino, melanoderma encaminhado devido aumento volumétrico em palato. Paciente relatou ser ex-tabagista, percebeu perda de peso nos últimos 3 meses e estava em tratamento devido a trombose nos membros inferiores. Não foi relatada nenhuma outra alteração sistêmica, nem o tempo de evolução da lesão. Ao exame intra-oral foi possível perceber uma massa tumoral presente em toda extensão do palato duro, de consistência borrachosa, coloração avermelhada e áreas recobertas com membrana branco-amarelada. A cavidade nasal também apresentava úlceras, e ao ser questionado, o paciente relatou episódios recorrentes de epistaxe há aproximadamente um mês. Foi realizada punção aspirativa da lesão que obteve um líquido escurecido, semelhante a sangue pisado. O paciente foi então submetido a exame de tomografia computadorizada que mostrou um tumor que ocupava a cavidade nasal e toda a extensão dos seios da face. Uma biópsia incisional foi feita na região de palato com resultado de neoplasia maligna de histogênese indeterminada. Após a imunohistoquímica, que foi positiva para melan A e S100, o diagnóstico foi concluído como melanoma amelanótico. O paciente foi encaminhado para tratamento, mas veio a óbito 3 semanas após, devido à doença.
    Rhanielly de Paula Tavares
    PB-68 Fibroma ossificante periférico em idoso: relato de caso

    Fibroma ossificante periférico em idoso: relato de caso

    Souza PBRN*, Lawall MA, Leitão ECV

    Processo proliferativo não-neoplásico; fibroma ossificante periférico

    Introdução: o Fibroma Ossificante Periférico (FOP) é uma lesão proliferativa reacional não neoplásica. Sua etiologia é incerta, mas está associada a fatores irritantes locais como: cálculo dental, próteses mal adaptadas, acúmulo de biofilme, raízes residuais, restaurações e outros agentes traumáticos. Há predileção pelo gênero feminino e maior prevalência em adultos jovens. Ocorre exclusivamente em gengiva, geralmente na região anterior de maxila ou mandíbula, apresentando-se como massa nodular, com cor variando de rosa a vermelho. O padrão microscópico é uma proliferação fibrosa associada à formação de material mineralizado. Relato do caso: paciente JON, 80 anos de idade, gênero masculino, procurou atendimento no Serviço de Estomatologia do Hospital Regional da Asa Norte - HRAN com queixa principal de crescimento na gengiva. Ao exame extra bucal não foram observadas alterações significantes. Ao exame intra bucal observou-se lesão nodular localizada em rebordo alveolar desdentado com cerca de 2cm de diâmetro, base séssil, coloração rosa com áreas eritematosas e consistência fibrosa. Segundo o paciente a lesão vinha crescendo a cerca de 4 anos. Foi realizada radiografia panorâmica e verificada presença de material radiopaco em meio a massa tecidual o que nos levou ao diagnóstico clínico de FOP. Optou-se pela biópsia excisional da lesão e através da análise anatomopatológica se obteve o diagnóstico definitivo de FOP. O paciente vem sendo acompanhado a um ano e não foram observados sinais de recidiva.
    Paloma Beatriz Rosa Nunes de Souza
    PB-69 Prevalência de carcinoma epidermóide no serviço de estomatologia do Hospital Regional da Asa Norte - HRAN

    Prevalência de carcinoma epidermóide no serviço de estomatologia do Hospital Regional da Asa Norte - HRAN

    Mariano LC*, Lawall MA, Leitão ECV

    Carcinoma epidermóide; epidemiologia; fatores de risco

    Introdução: o carcinoma epidermóide é uma neoplasia maligna caracterizada pela proliferação atípica de células epiteliais. É a lesão maligna mais comum em cavidade bucal representando cerca de 90% de todos os casos. O tabaco e o álcool, associados a uma predisposição genética, têm sido relatados como principais fatores de risco para seu desenvolvimento e uma maior prevalência é observada em homens de pele clara, geralmente com idade acima dos 60 anos. Objetivo: determinar o perfil epidemiológico dos casos de carcinoma epidermóide diagnosticados no Serviço de Estomatologia do HRAN. Material e método: foi realizado estudo retrospectivo baseado nos dados dos prontuários e nos laudos anatomopatológicos dos pacientes atendidos HRAN no período de 2008 a 2010. Resultados: foram reavaliados 21 casos diagnosticados como carcinoma epidermóide de boca e orafaringe no período de 2008 a 2010. Desses, 15 eram pacientes do gênero masculino (71%), com idade variando de 45 a 90 anos, sendo a faixa etária de 60 a 70 anos a mais atingida (28,6%). As regiões mais acometidas foram, em boca, a língua e o assoalho (33,3%), e a orofaringe (28,6%). Um total de 18 pacientes era fumante (85,7%) e 16 etilistas (76,2%), e desses, 16 faziam uso de tabaco e álcool (76,2%). Conclusão: nossos achados corroboram com os dados da literatura demonstrando um padrão clássico epidemiológico de apresentação de carcinoma epidermóide em boca e orofaringe e sua forte relação com o tabagismo e etilismo.
    Lucas Custódio Mariano
    PB-70 Periimplantite em paciente com histórico de doença periodontal: relato de Caso

    Periimplantite em paciente com histórico de doença periodontal: relato de Caso

    Santos DFE*, Paiva EMM, Borges GJ

    Periimplantite; periodontite; higiene Bucal

    Relato do caso: paciente do gênero masculino, 62 anos, chegou à clínica do Projeto 'Atendimento a Pacientes com Periodontite Avançada' da FO/UFG, apresentando quadro de periimplantite ao redor dos implantes orais instalados na região dos elementos 31, 32, 41 e 42 e periodontite crônica generalizada. O paciente não possuía nenhuma alteração sistêmica e relatou ter sido fumante por 11 anos, tendo interrompido o hábito há 3 anos. Ao exame clínico observou-se processo inflamatório nos tecidos ao redor dos quatro implantes, extensa perda de osso de suporte com exposição das roscas dos implantes e intenso acúmulo de cálculo e biofilme dental. Apesar da grande perda óssea os implantes não apresentavam mobilidade. Para confirmar o diagnóstico da periimplantite foram feitas radiografias periapicais e panorâmica. Os dentes com doença periodontal exibiam grande perda de inserção e grau de mobilidade variando de I a III. O índice de placa e sangramento gengival inicial foi de foram 90% e 83,3% respectivamente. Inicialmente foram realizadas sessões de raspagem supra e subgengival além de instrução de higiene oral e motivação do paciente para realizar adequado controle do biofilme. Na região dos implantes foi feita a remoção mecânica do cálculo com instrumentos adequados. Na sequência, foi feita a extração dos dentes 16, 17, 33, 38, 47 e 48, que apresentavam mobilidade de grau II e III. A raspagem supragengival e subgengival, a remoção de focos de infecção e extração dos dentes, somada à orientação de higiene bucal, promoveu diminuição significativa do índice de placa, cálculo e de sangramento gengival.
    Daniella Fernandes Estevam Santos
    PB-71 Relação profissional-paciente: uma abordagem bioética

    Relação profissional-paciente: uma abordagem bioética

    Maluf F*

    Autonomia; tolerância; bioética

    Introdução: a relação entre cirurgião-dentista e paciente, construída historicamente sob uma visão paternalista, começa a apresentar mudanças. Em um mundo onde a informação é difundida com tanta rapidez e está cada vez mais disponível a um número maior de pessoas, atitudes paternalistas que ferem a autonomia dos pacientes são menos comuns e menos aceitas pelos próprios pacientes que começam a exigir dos profissionais uma nova postura. Mais informados, os pacientes de hoje já não aceitam passivamente o tratamento proposto. Por meio do princípio da autonomia, as pessoas questionam acerca do planejamento traçado pelo dentista quanto a possíveis alternativas, diferentes materiais e prognósticos. A troca de informações é importante para um entendimento maior do próprio tratamento e permite ao paciente fazer escolhas sobre a condução dos procedimentos e se conscientizar das conseqüências de suas opções. Neste novo cenário, o profissional deixa de ser um mero executor técnico onipotente, com todo o conhecimento adquirido, e passa a exercer, já nos primeiros contatos, o papel de orientador do paciente. É importante que os profissionais de saúde tenham consciência de que o paciente não pode mais ser um sujeito passivo e inerte na prestação de serviços de saúde, mas, sim, o titular de direitos que, dentre outras coisas, conferem-lhe o poder de participar ativamente do tratamento.
    Objetivo: resgatar o valor do princípio da autonomia na relação profissional-paciente, de modo que a tolerância, a comunicação e o respeito estejam sempre presentes durante a atuação do cirurgião-dentista.
    Fabiano Maluf
    PB-72 Protocolo de tratamento de superfície de pino de fibra de quartzo com H2O2

    Protocolo de tratamento de superfície de pino de fibra de quartzo com H2O2

    Silva FP*, Menezes MS

    Pino de fibra de quartzo; H2O2

    Objetivo: este estudo avaliou a resistência de união (RU) entre pinos de fibra de quartzo (PFQ) e resina de preenchimento, em função do condicionamento de superfície do pino com peróxido de hidrogênio (H2O2), variando a concentração (24 e 50%) e tempo de aplicação (1, 5 e 10 min). Propõe também, avaliar qualitativamente, por meio de MEV, a morfologia de superfície dos pinos tratados com H2O2 nos diferentes protocolos de aplicação. Material e método: para avaliar a RU, 80 pinos foram divididos aleatoriamente em 7 grupos (n=10): controle (G1) tratado com silano e adesivo; (G2) tratado com H2O2 a 24% por 1 min; (G3) H2O2 a 24% por 5 min; (G4) H2O2 a 24% por 10 min; (G5) H2O2 a 50% por 1min; (G6) H2O2 a 50% por 5 min e (G7) H2O2 a 50% por 10 min. Os grupos experimentais receberam aplicação de silano e adesivo. O núcleo de preenchimento foi simulado com resina composta. As amostras com diâmetro de 1,0 mm foram submetidas a ensaio de microtração à velocidade de 0,5 mm/min até o rompimento dos espécimes. Os valores de RU foram submetidos à ANOVA(3x2) e teste Dunnett. Resultados: os grupos experimentais apresentaram valores de resistência de união semelhantes entre si e superiores ao controle. As imagens de MEV demonstraram que o tratamento de superfície com H2O2 remove parcialmente a resina epóxica dos pinos expondo as fibras de quartzo. Conclusão: conclui-se que o H2O2, altera a morfologia de superfície dos PFQ e aumenta a RU entre o pino e a resina de preenchimento.
    Fernanda Pereira Silva
    PB-73 Markenting na odontologia : razões para o paciente escolher uma clínica ou consultório odontológico

    Markenting na odontologia : razões para o paciente escolher uma clínica ou consultório odontológico

    Costa BN*, Filho IEM, Palmeira LMV

    Marketing em odontologia; consultório odontológico; pesquisa de mercado

    Introdução: o termo marketing as vezes é confundido erroneamente com propaganda e vendas. O marketing é definido como a função de entrega de satisfação ao cliente que adquire um produto qualquer. O consultório ou clínica odontológica podem ser definidos como uma empresa fornecedora de serviços à comunidade, que procuram esses serviços para satisfazerem as suas necessidades. Objetivo: fazer uma pesquisa com os consumidores de várias classes sociais, usuários do setor de serviços odontológicos, prestados em clínicas e consultórios particulares da cidade de Carazinho/RS com o intuito de identificar as razões pelas quais esses consumidores tem em escolher uma determinada empresa em detrimento de outra. Material e método: o estudo foi feito através de um questionário com questões objetivas e de fácil compreensão. Foram entrevistados 91 consumidores de serviços odontológicos na cidade, excluindo da pesquisa menores de 18 anos de idade. Resultados: a análise dos resultados revelou que os entrevistados procuram um determinado consultório especialmente por indicação(55,53%) e disseram que avaliam o serviço do seu atual dentista como bom(63,69%). Os resultados demonstraram que os entrevistados mudaram de consultório(62,68%) principalmente por causa de indicação(30%), preço concorrente menor(28%) ou serviço ruim (9%). Conclusão: com base nos resultados, o marketing se enquadra numa ferramenta de autopromoção, visando aumentar seus clientes e a suas receitas. Clientes satisfeitos dificilmente irão procurar um concorrente, mas com certeza irão atrair novos clientes para sua clínica ou consultório odontológico.
    Brenda do Nascimento Costa
    PB-74 Desigualdade entre a estética bucal que se tem e a desejada: percepção dos usuários das clínicas odontológicas da UNIFAL

    Desigualdade entre a estética bucal que se tem e a desejada: percepção dos usuários das clínicas odontológicas da UNIFAL

    Ferreira Júnior OM*, Lourenço EB, Lion MT

    Avaliação do sorriso; estética bucal; relações sociais

    Objetivo: avaliar a importância da estética bucal para os usuários das clínicas odontológicas da Universidade Federal de Alfenas e a influência da mídia neste conceito. Material e método: a pesquisa caracterizou-se como sendo do tipo exploratório-descritivo, dado que busca conhecer os fenômenos ou fatos, no caso específico deste estudo, a satisfação pessoal com estética bucal em todas as faixas etárias. Os dados foram coletados por meio de um formulário, baseado na ficha anamnésica já utilizada por Kreidler, composto por questões objetivas e discursivas que enfocaram opiniões pessoais sobre o sorriso, fatores de composição dento-faciais considerados antiestéticos e identificação de um modelo estético comum. Resultados: com os dados analisados torna-se claro a influência da estética na autoestima e nas relações interpessoais, mostrando também que existe uma forte influência da mídia nesta questão. Conclusão: comprovou-se que a maioria das pessoas não busca uma mudança radical apenas uma melhora de seu perfil dental e que deve se levar em conta a influência cultural do padrão de estética, pois nem todos têm o mesmo desejo e que o profissional deve interpretar o desejo de seu paciente quanto à forma cor, posição, elaborando um tratamento que resulte em satisfação plena do paciente.
    Osmar Martins Ferreira Júnior
    PB-75 Opinião dos alunos de odontologia sobre as pessoas com necessidades especiais

    Opinião dos alunos de odontologia sobre as pessoas com necessidades especiais

    Barbosa FF*, Oliveira FS, Castro AM

    Opinião; alunos; necessidades especiais

    Introdução: a preparação dos alunos para atuar com pacientes especiais pressupõe, além da formação técnica, a sensibilização e a predisposição ao atendimento. Objetivo: avaliar a opinião dos alunos de Odontologia sobre as pessoas com necessidades especiais antes e após o atendimento clínico. Material e método: do total de 40 alunos, 25 responderam dois questionários contendo oito questões abertas com exemplos de situações inclusivas referentes às deficiências física, mental e sensorial, e a justificativa para cada resposta, antes e após o atendimento dos pacientes com necessidades especiais. Todas as respostas foram categorizadas com distinção entre foco na pessoa e/ou nas ações inclusivas em: polarização positiva, (aprovação, disposição para contato pessoal ou profissional e para se adaptar/aprender), negativa (pena, preocupação, dúvida, apreensão, receio e medo/oposição à inclusão) ou sem polarização (situação normal/implantação de ações inclusivas). Resultados: os resultados do primeiro questionário mostraram um maior número de respostas com polarização positiva (n=97) e sem polarização (n=95) do que negativa (n=66), com foco na pessoa (n=258) do que nas ações inclusivas (n=26). No segundo, houve aumento do número de respostas com polarização positiva (n=113) e sem polarização (n=105), e uma redução do número de respostas com polarização negativa (n=46). A maioria dos alunos (84%) relatou que pretendia atender pacientes especiais após formarem. conclusaõ: foi possível concluir que os alunos estão predispostos ao atendimento de pessoas com necessidades especiais.
    Fernanda Ferreira Barbosa
    PB-76 Estimativa da idade através dos estágios de mineralização dentária em crianças e adolescentes de Jequié-BA

    Estimativa da idade através dos estágios de mineralização dentária em crianças e adolescentes de Jequié-BA

    Macena JA*, Cruz JPP, Dulque Neta D

    Estimativa de idade; estágios de mineralização; radiografias panorâmicas.

    Objetivo: comparar as idades reais com as dentárias, estimadas a partir dos estágios de mineralização obtidos em radiografias panorâmicas, de crianças atendidas na Faculdade de Odontologia da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Material e método: após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), foram analisados 50 prontuários de crianças, com idade entre 74 e 137 meses. As idades foram estimadas calculando-se as médias aritméticas das idades máximas e mínimas, a depender do estágio de mineralização dentária, com base na tabela de cronologia de mineralização dos dentes permanentes entre brasileiros, proposta por Nicodemos, Moraes e Médici Filho. Os dados foram analisados utilizando-se o teste t de Student e a correlação de Pearson. Resultado: o coeficiente de correlação para o total da amostra foi de 0,81, indicando uma alta correlação entre as variáveis estudadas, sendo esta significativa (p < 0,05). As idades estimadas não apresentaram diferença significativa quando comparadas com as idades reais (p = 0,089). Ao se comparar as diferenças de idades para cada sexo, também não foram encontrados achados estatisticamente significantes (p = 0,08). Além disso, ao se analisar os grupos por faixa etária (?70 ? 110 meses? e ?acima de 110 meses?), as diferenças não foram estatisticamente significantes (p = 0,08). Conclusão: sugere-se que o método de análise de radiografias panorâmicas para estimativa de idade fornece valores compatíveis com a idade real dos indivíduos estudados.
    Juliana Andrade Macena
    PB-77 Análise técnica de softwares para uso em odontologia

    Análise técnica de softwares para uso em odontologia

    Oliveira US*, Yarid SD, Costa ACS

    Odontologia; aplicação de informática médica; administração de consultório

    Objetivo: realizar uma análise técnica de softwares para administração e gestão em odontologia presentes no mercado. Material e Método: Foi realizada uma pesquisa através de sites da internet,testes de programas demonstrativos (versão que tem limitações de usabilidade ou de tempo de uso) e programas gratuitos.Foram avaliados os seguintes critérios: Interface, funcionalidades, segurança, impressão de documentos, e possíveis defeitos.Resultados: Foram identificados e analisados 08 softwares. Constatou-se que 85,71% dos softwares de gerenciamento de clinica analisados apresentaram recursos mínimos de funcionalidades (cadastro, pesquisa, previsão de honorários, relatórios, agenda, exibição de imagens), 60% possui interface considerada amigável, 60% apresenta boa satisfação com relação a segurança e 60% é pago, destes, a média de preço anual é de R$ 887,00. Conclusão: Pode-se concluir que as versões livres possuem recursos inferiores de funcionalidade que permita a correta administração e gerenciamento de consultórios odontológicos quando comparadas as versões pagas.
    Uallace da Silva Oliveira
    PB-78 Influência da clorexidina em relação ao tempo e meio de armazenagem na resistência de união de sistema adesivo.

    Influência da clorexidina em relação ao tempo e meio de armazenagem na resistência de união de sistema adesivo.

    Duarte JI*, Quagliatto PS, Dutra MC

    Camada híbrida; clorexidina; sistema adesivo

    Objetivo: o estudo objetivou avaliar a influência de concentrações de clorexidina (CHX) na resistência de união de sistema adesivo imediatamente (Ti) e após quatro meses de armazenagem (Ta). Material e método: terceiros molares humanos foram condicionados e divididos de acordo com o tratamento da dentina com CHX (n=10): C - controle; 0,12CHX - CHX 0,12%; 2CHX - CHX 2%. Os dentes foram restaurados com sistema adesivo Scothbond Multi-purpose (3M ESPE) e resina composta Filtek Z350 XT (3M ESPE), e subdivididos entre os meios de armazenagem (n=5): S - saliva artificial; O - óleo mineral. Palitos com seção de ±1,0mm2 foram confeccionados e a resistência de união obtida por meio de teste de microtração. Os valores (MPa) foram submetidos a análise de variância fatorial e teste de Tukey (α=0,05). Resultados: os resultados obtidos foram: Ti CS 46,5(10,9)Ba; 0,12CHXS 40,4(8,8)Ba; 2CHXS 38,5(11,1)Ba; CO 43,3(6,1)Ab; 0,12CHXO 49,9(6,6)Ab; 2CHXO 48,5(9,7)Ab; Ta CS30,7(5,1)Bb; 0,12CHXS 30,4(4,6)Bb; 2CHXS 26,7(3,6)Bb; CO 63,1(9,7)Aa; 0,12CHXO 52,5(11,1)Aa; 2CHXO 54,8(7,9)Aa (letras maiúsculas = diferença estatística para fator meio de armazenagem, e minúsculas para fator tempo). O modo de falha foi analisado por Teste Exato de Fisher que mostrou haver diferença significante. Conclusão: o uso de clorexidina não influenciou os valores de resistência de união, mas espécimes armazenados em saliva artificial apresentaram menores valores que aqueles em óleo mineral, devido ao processo de hidrólise da camada híbrida.
    Jéssica Idelmino Duarte
    PB-79 Pneumonia nosocomial associada à placa bacteriana em pacientes sob VM na UTI de um hospital em Tangará da Serra- MT

    Pneumonia nosocomial associada à placa bacteriana em pacientes sob VM na UTI de um hospital em Tangará da Serra- MT

    Marchiori LG*, Shida LS, Silva AF.

    Pneumonia nosocomial; placa bacteriana; prevenção

    Objetivo: analisar a incidência da pneumonia nosocomial dos pacientes internados na UTI sob ventilação mecânica, correlacionando a placa bacteriana à doença respiratória associada com a higienização precária. Este estudo pretende identificar bactérias colonizadoras da orofaringe que podem ocasionar doenças sistêmicas à distância nesses pacientes, principalmente a pneumonia nosocomial, uma das infecções hospitalares que mais acometem os pacientes hospitalizados. Material e método: utilizamos métodos para a coleta da placa bacteriana através de soabs estéreis e sonda aspirativa para verificação da espécie bacteriana prevalente. Conclusão: portanto, com esta pesquisa, pretendemos salientar a importância da presença do cirurgião-dentista na equipe multidisciplinar das UTIs, prevenindo a morbidade e mortalidade, diminuindo consequentemente o custo tanto para o paciente, quanto para o hospital.
    Layana Guia Marchiori
    PB-80 Intrusão de primeiro molar superior permanente em paciente na fase de dentadura mista, por meio de miniparafuso.

    Intrusão de primeiro molar superior permanente em paciente na fase de dentadura mista, por meio de miniparafuso.

    Cunha ALFR*,Almeida GA, Lelis ER

    Intrusão dental; dentadura mista; mini-implante

    Relato do caso: paciente do gênero masculino, leucoderma, 09 anos e 08 meses de idade, foi encaminhado por odontopediatra para avaliação ortodôntica de extrusão do primeiro molar superior permanente esquerdo. O paciente apresentava o terço ântero-inferior aumentado, má-oclusão Classe I de Angle, o dente 36 com retenção prolongada e o dente 26 extruído. Na anamnese, constatou-se o histórico da presença de um cisto dentígero na região do 36, o qual já havia sido marsupializado por um cirurgião. O paciente apresentava relação satisfatória das bases ósseas, tendência de crescimento relativamente equilibrado e os incisivos encontravam-se levemente vestibularizados e protruídos. O plano de tratamento estabelecido consistiu de barra palatina e miniparafusos, para intrusão do primeiro molar superior esquerdo. Para a intrusão deste dente foram instalados dois miniparafusos, um pela vestibular e outro pela palatina, para melhor controle de movimentação, inter-ligados por um alastik corrente que ao apoiar-se na superfície oclusal do referido molar, desencadeava uma força intrusiva sobre o mesmo. Os objetivos do tratamento foram alcançados, de modo a permitir a devida irrupção do primeiro molar inferior esquerdo, sem comprometer a integridade de seu antagonista.
    Ana Luísa Fogarolli Rodrigues da Cunha
    PB-81 Viabilidade clínica dos implantes temporários em mandíbula totalmente edêntula

    Viabilidade clínica dos implantes temporários em mandíbula totalmente edêntula

    Valente MGS*, Rocha SS, Kroebel JS

    Implante dentário com carga imediata; prótese dentária; prótese total

    Introdução: apesar dos importantes avanços tecnológicos terem melhorado as condições de trabalho dos implantodontistas, permitindo-lhes oferecer aos pacientes reconstruções dentais sobre implante com sucesso, a colocação de próteses removíveis temporárias durante o período de osseointegração dos implantes ainda é uma realidade. Com o surgimento dos implantes temporários instalados juntamente com os implantes convencionais, houve uma substancial melhora nas condições de retenção das próteses totais mucossuportada. Adicionalmente estes implantes podem reduzir o grau de interferência da prótese na osseointegração dos implantes convencionais sepultados e com o material de enxerto. Objetivo: é relatar um caso clínico em que foram empregados dois implantes temporários na mandíbula, concomitante aos implantes principais, e de imediato instalada uma prótese total temporária.
    Monique Gonzaga Silva Valente
    PB-82 Correlação entre disfunção temporomandibular e ansiedade em profissionais da enfermagem

    Correlação entre disfunção temporomandibular e ansiedade em profissionais da enfermagem

    Ferreira Júnior LH*, Fernandes Neto AJ, Lelis ER

    Disfunção temporomandibular; ansiedade; questionário

    Objetivo: avaliar a relação entre o nível de ansiedade e o grau de disfunção temporomandibular (DTM) em profissionais de enfermagem do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia. Material e método: os questionários foram distribuídos a 120 profissionais, sendo que apenas 72 aceitaram participar deste estudo. Os participantes consistiram de 65 mulheres e 7 homens com idade entre 22 a 60 anos, média de 33 anos. O questionário utilizado para avaliar a presença e severidade das DTMs foi o 'Questionário de Fonseca' e para avaliação dos níveis de ansiedade, utilizou-se o 'Questionário Inventário de Ansiedade Traço-Estado (IDATE)'. Os dados foram tabulados e analisados ao nível de significância de p < 0,05. Resultado: obteve-se uma correlação positiva entre grau de severidade de DTM e níveis de ansiedade. Conclusão: a partir dos resultados deste estudo pode-se concluir que a maioria dos profissionais de enfermagem apresentam altos níveis de ansiedade e sinais e sintomas de DTM, sendo necessária uma abordagem multidisciplinar para o sucesso no controle dessas patologias nesses referidos profissionais.
    Luiz Henrique Ferreira Junior
    PB-83 Avaliação óssea maxilomandibular de pacientes em uso de bisfosfonatos por tomografia computadorizada por feixe cônico

    Avaliação óssea maxilomandibular de pacientes em uso de bisfosfonatos por tomografia computadorizada por feixe cônico

    Ferrare N*, Leite AF, Rêgo DF

    Bisfosfonatos; osteonecrose maxilomandibular; tomografia computadorizada por feixe cônico

    Objetivo: identificar e comparar alterações ósseas maxilomandibulares em pacientes em uso de bisfosfonatos por meio de exames clínico e imaginológicos. Material e método: dezenove pacientes em tratamento com bisfosfonatos no Hospital Universitário de Brasília foram avaliados por meio de exame clínico odontológico, exame tomográfico por feixe cônico (I-CAT, Imaging Sciences International, EUA) e exame radiográfico panorâmico (Rotograph Plus, Villa Sistemi Medicali, Italy). Os pacientes com exposição óssea e/ou necessidades odontológicas foram tratados. Resultados: dos 19 examinados, dois apresentaram sinais clínicos e imaginológicos de necrose óssea, como exposição óssea no meio bucal, presença de seqüestros ósseos e destruição de corticais. Quatro apresentaram características imaginológicas sugestivas de lesões iniciais por uso de bisfosfonatos, como presença de áreas com densidade alterada e cicatrização do osso fora dos padrões esperados. Conclusão: os exames por imagem são meio de identificação e descrição de alterações iniciais e tardias relacionadas ao uso de bisfosfonatos que podem levar à exposição óssea, caracterizando uma ferida de difícil tratamento e cicatrização. É recomendada a avaliação de todos os pacientes em uso desses anti-reabsortivos por um cirurgião-dentista e seu acompanhamento por exames clínico e imaginológicos periódicos; de modo a identificar sinais e sintomas iniciais de osteonecrose e prevenir a exposição óssea ou, se tardiamente, determinar o tamanho, a localização e a progressão das lesões ósseas para melhor indicar e acompanhar o tratamento.
    Nathália Ferrare Pinto
    PB-84 Diagnóstico e tratamento de eritema multiforme: atenção odontológica integrada ao ambiente hospitalar

    Diagnóstico e tratamento de eritema multiforme: atenção odontológica integrada ao ambiente hospitalar

    Silva CAM*, Marra E

    Eritema; diagnóstico; tratamento

    Introdução: o Eritema Multiforme ou Polimorfo é um processo inflamatório agudo que apresenta lesões cutâneo-mucosas características. Possui interesse para Odontologia, uma vez que a boca pode ser uma das áreas afetadas, senão a única. Dada a inter-relação entre manifestações bucais e sistêmicas, o paciente que manifesta o Eritema Multiforme deve receber atenção integral e integrada dos profissionais da saúde. A atenção ao sistema estomatognático deve ser exercida pelo cirurgião-dentista a fim de que possa aplicar a melhor conduta terapêutica para a regressão das ulcerações que afetam a mucosa bucal. Tratar da enfermidade que o levou à internação, quanto cuidar das reações imunológicas decorrentes do tratamento é um direito do paciente, assim como uma demonstração efetiva de cuidado por parte dos profissionais envolvidos. Objetivo: abordar um caso clínico a respeito dessa doença com o objetivo de enfatizar a atuação imprescindível do odontólogo frente ao diagnóstico e propedêutica realizados junto à equipe multiprofissional da Enfermaria de Pediatria do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia.
    Cecília Arantes Medeiros Silva
    PB-85 Laudo pericial odontológico: processo na 30ª vara dos feitos de relações de consumo cíveis e comerciais do TJBA

    Laudo pericial odontológico: processo na 30ª vara dos feitos de relações de consumo cíveis e comerciais do TJBA

    Falcão AFP

    Perícia; laudo pericial; odontologia legal

    Relato do caso: cirurgiã-dentista elabora plano de tratamento (PT) para paciente portadora de Parkinson, em 15/08/2007, consistindo em: prótese fixa provisória superior de 10 elementos, provisórias unidades 35 e 44,sendo esta a primeira etapa, e foi planejado tratamento periodontal. A prótese foi instalada em 12/09/2007. Paciente ingressa com processo nº xxx-8/2008, 30ª Vara dos Feitos de Relações de Consumo Cíveis e Comerciais do TJBA, questionando PT, conformidade técnica da protese provisória e necessidade de tratamento periodontal para conclusão do tratamento. Pericianda compareceu 1em 8/11/2009, FOUFBA/NEOL, e após avaliação do PT e documentação radiográfica apresentada, realizou-se exame clínico constatando-se que o PT proposto e realizado está de acordo com a literatura científica. Foram confeccionadas próteses provisórias e encaminhada a paciente para o tratamento periodontal e endodôntico, constatando-se que os mesmos não foram realizados, notadamente: o retratamento endodôntico das unidades 23, 13, 24 e 26, e o tratamento periodontal, como solicitado no plano inicial. Foi detectado a realização de tratamento endodôntico nas unidades 16 e 17, estes dentes se encontram sem tratamento restaurador, com exposição dos condutos tratados ao meio bucal. Unidades 17, 16, 13, 12, 22, 27, 44, pela situação periodontal e cariosa, encontram-se inviáveis para suportar reabilitação fixa. Observou- se comprometimento da função mastigatória, perda de dimensão vertical e placa bacteriana generalizada. Conclusão: paciente possui necessidade urgente de tratamento reabilitador com implantes osseointegrados, próteses fixas implantosuportada, dentosuportada, tratamento da disfunção da ATM.
    Antônio Fernando Pereira Falcão
    PB-86 Perfil do atendimento de urgência odontológica à primeira infância: estudo piloto

    Perfil do atendimento de urgência odontológica à primeira infância: estudo piloto

    Machado GCM*, Costa LRRS, Mundim AP

    Odontopediatria; urgência odontológica

    Objetivo: faltam informações sobre o atendimento de urgências em crianças na primeira infância nos serviços públicos de saúde. Esses dados podem ser valiosos para a formulação de ações transformadoras que atendam à realidade local e que estejam de acordo com a atenção primária em saúde. Objetivo: verificar o perfil do atendimento das urgências odontológicas em crianças menores de 6 anos no Cais Chácara do Governador, em Goiânia-Goiás. Material e método: neste estudo de abordagem quantitativa, foram analisadas 22 fichas clínicas de pacientes menores de 6 anos atendidos nos meses de janeiro e fevereiro de 2011. Foram observados: idade e gênero da criança, data do atendimento, queixa principal, dentes acometidos e procedimentos executados. Os dados foram registrados em formulário e analisados em SPSS 10.0. Resultados: foram atendidas 22 crianças (3,1%), sendo 10 do gênero masculino (45,5%) e 12 do gênero feminino (54,5%). Quanto à queixa principal 22,7% não foram registradas, 36,4% foi ?dor de dente? e 13,5% trauma dentário. Em 45,5% dos casos não houve registro do dente envolvido. Os incisivos centrais superiores (22,7%) e inferiores (27,2%) foram relacionados com trauma ou mobilidade dentária. Foram realizadas 10 exodontias (31,8%), 3 restaurações provisórias (10,9%), 1 criança foi medicada e encaminhada, 2 não permitiram tratamento e a outras foram feitas orientações (27,1%) e pedidos de RX (13,5%). Conclusão: os resultados deste estudo apontam que a exodontia é o procedimento mais executado no serviço de urgência em crianças da primeira infância.
    Geovanna de Castro Morais Machado
    PB-87 Avaliação dos aspectos éticos das placas de consultórios odontológicos na cidade de Jequié - BA

    Avaliação dos aspectos éticos das placas de consultórios odontológicos na cidade de Jequié - BA

    Nery MS*, Mata KR, Yarid SD

    Odontologia; legislação odontológica; marketing

    Objetivo: A presente pesquisa objetivou a avaliação da conduta ética dos profissionais de odontologia que utilizam placas de consultórios para divulgação do seu serviço, no município de Jequié, segundo a Resolução CFO - 71 de 2006. Material e Método: A análise ocorreu a partir das fotografias das placas de anúncio odontológico, fixas e associadas a consultórios e clínicas, realizadas pelos pesquisadores. Resultados: Verificou-se, baseado em aspectos obrigatórios, facultativos e infrações, que 11,76% dos estabelecimentos apresentavam os itens obrigatórios, 88,24% continham itens facultativos e 11,76% estavam em desacordo com algum item do Código de Ética Odontológica. Conclusão: A conclusão aborda que a maioria das propagandas coletadas não estava de acordo à legislação vigente.
    Marine Soares Nery
    PB-88 Parametrização de ensaio mecânico de flexão de pinos pré-fabricados: análise por elementos finitos

    Parametrização de ensaio mecânico de flexão de pinos pré-fabricados: análise por elementos finitos

    Rodrigues RB*, Novais VR, Soares CJ

    Pinos pré-fabricados; propriedade de flexão; análise por elementos finitos

    A geometria e propriedades não isotrópicas de pinos pré-fabricados resultam em discrepâncias no ensaio mecânico de flexão. Este estudo avaliou pelo método de elementos finitos o efeito da conicidade do pino, distância entre os suportes, e propriedades dos pinos, na flexão e tensão máxima. Modelo tri-dimensional de pino de fibra de vidro (RelyX post, 3M-Espe) foi gerado. Simulou-se ensaio de flexão de três pontos variando posições dos suportes inferiores: M1- distância de 10 mm com pino centralizado e sem inclinação; M2- distância de 10 mm, pino centralizado, com inclinação; M3- distância de 10 mm, não centralizado, sem inclinação; M4- distância de 10 mm, não centralizado, com inclinação; M5- distância de 6 mm não centralizado, sem inclinação. Gerou-se um sexto modelo (M6) de pino cilíndrico, centralizado com distância de 10 mm (Controle). Empregou-se propriedades elásticas e simulou características ortotrópicas e isotrópicas. A inclinação dos pinos cônicos para nivelá-los nos suportes teve pouco efeito nas tensões. A flexão aumentou quando 50% da porção carregada do pino envolveu conicidade (M1, M2). Quando envolveu somente 20% da porção cônica do pino (M3, M4), os valores de flexão foram similares a M6. Propriedades ortrotópicas também causaram aumento da flexão comparado ao pino isotrópico. As tensões máximas foram pouco maiores para M1 e M2, enquanto as propriedades ortotrópicas tiveram pouco efeito nas tensões. O teste de flexão de três pontos empregado para avaliação de pinos pré-fabricados é válido quando limita a área de ensaio à porção cilíndrica dos pinos.
    Renata Borges Rodrigues
    PB-89 Reabilitação estética anterior com faceta direta em resina composta

    Reabilitação estética anterior com faceta direta em resina composta

    Vasconcelos LS*, Santos Filho PC, Veríssimo C

    Estética; resina composta; facetas diretas

    Introdução: o tratamento restaurador direto para dentes anteriores, quando bem indicado, apresenta resultados bastante satisfatórios. Em casos onde há severa alteração de cor, a alternativa restauradora exigirá um preparo do remanescente dental para a execução de uma faceta direta. Relato do caso: paciente do gênero feminino, 25 anos, compareceu a Clínica Integrada da Faculdade de Odontologia da UFU, queixando-se de escurecimento no dente 11. Ao exame clinico e radiográfico, percebeu-se que o dente em questão, apresentava-se com tratamento endodôntico e com uma pequena extrusão. Optou-se pela confecção de faceta direta em resina composta. Foi feita a seleção da cor e então, procedeu-se com a redução da borda incisal, previamente à confecção da faceta visando um resultado mais estético. Iniciou-se o preparo vestibular delimitando-se o sulco marginal cervical com ponta diamantada 1014 com profundidade de 0,5 a 0,7 mm. Em seguida foram realizados três sulcos de orientação, levando-se em consideração as três inclinações do dente, com ponta diamantada 2135, com uma profundidade de 0,7 a 1 mm e a união dos sulcos. Foi feito o isolamento absoluto, limpeza com pedra Pomes e taça de borracha, condicionamento com ácido fosfórico 37% e aplicação do sistema adesivo. A resina composta foi inserida de pela técnica de inserção incremental. Posteriormente, foi feito o ajuste oclusal e estético da restauração. Facetas diretas em resina composta é um procedimento que pode ser empregado rotineiramente na prática clínica, restabelecendo a estética de uma maneira fácil e com baixo custo, promovendo satisfação ao paciente.
    Larissa Silva e Vasconcelos
    PB-90 Hemangioma em mucosa jugal tratado com ethamolin: relato de caso

    Hemangioma em mucosa jugal tratado com ethamolin: relato de caso

    Sinatra LS*, Paula DS, Braga EC

    Hemangioma; ethamolin; mucosa jugal

    Introdução: segundo dados da Organização Mundial da Saúde, o hemangioma é considerado uma neoplasia vascular benigna, cuja principal característica é a proliferação de vasos sanguíneos sendo representados clinicamente por bolhas de conteúdo sanguíneo ou até mesmo por manchas de coloração avermelhadas ou arroxeadas que desaparecem momentaneamente à compreensão e retornam ao volume quando aliviados. O tratamento dos hemangiomas podem se dar por meio de radioterapia, eletrocoagulação, crioterapia, embolização, escleroterapia e ressecção cirúrgica, na qual é raramente usada durante a infância. O objetivo do trabalho é relatar um caso clinico de hemangioma diagnosticado na infância e tratado com ethamolin. Relato do caso: paciente P. A. L. C, sexo masculino, 8 anos, feloderma, encaminhado para o serviço de CTBMF do HRC para avaliação de possível neoplasia maligna em mucosa jugal. Após avaliação clínica e manobras locais, chegou-se ao diagnóstico clínico de hemangioma com localização em mucosa jugal direita. A opção terapêutica inicial foi a utilização de injeções intra-lesional com Ethamolin, visto as características clínicas da patologia e se tratar de uma escolha terapêutica conservadora. Após duas aplicações realizadas sob anestesia local, observou-se a regressão total da lesão em mucosa jugal. O paciente encontra-se em controle clínico terapêutico. Conclusão: concluímos que o cirurgião-dentista deve sempre estar atento e apto a realizar um correto diagnostico, bem como instituir tratamento adequado e coerente com cada caso clínico, uma vez que lesões como esta são freqüentemente encontradas na cavidade oral.
    Luciene da Silva Sinatra
    PB-91 Acompanhamento prospectivo de reabilitações mandibulares com overdentures sobre implantes em carga imediata

    Acompanhamento prospectivo de reabilitações mandibulares com overdentures sobre implantes em carga imediata

    Zancopé K*, Neves FD, Simamoto Júnior PC

    Overdentures; implante; acompanhamento

    Objetivo: avaliar o impacto da carga oclusal imediata nos tecidos perimplantares, após um período mínimo de 48 meses. Material e método: foi realizado um acompanhamento prospectivo de um grupo de pacientes tratados na Universidade Federal de Uberlândia, reabilitados com implantes osseointegrados do tipo hexágono externo regular e overdentures mandibulares com carga imediata, no ano de 2006. Para isso, 16 pacientes (4 homens e 12 mulheres, com idade entre 34 e 80 anos) foram avaliados clinica e radiograficamente para determinar parâmetros como: índice de placa, índice de inflamação gengival, índice de mucosa ceratinizada, índice de sangramento, profundidade de sondagem, mobilidade do implante e a presença de dor nos implantes. Os pacientes responderam a um questionário para medir a satisfação dos mesmos com o tratamento. A análise radiográfica consistiu em determinar a perda óssea vertical nos implantes, que teve taxa média de 1,46 mm. Resultados: o índice total de sucesso dos implantes foi de 97,2%. Após análise estatística dos dados (α=0.05), o fator Índice de Placa determinou relação estatística com a perda óssea marginal, assim como o fator gênero, representando maiores valores de perda óssea para pacientes do sexo masculino. Conclusão: conclui-se que implantes hexágono externo regular associados a overdentures mandibulares, submetidos a carga imediata, demonstram uma técnica segura, com altos índices de sucesso, satisfatória e de baixo custo, quando comparada a protocolos convencionais sobre implantes.
    Karla Zancopé
    PB-92 Fibroma ossificante juvenil: relato de caso

    Fibroma ossificante juvenil: relato de caso

    Cardoso GM*, de Paulo LFB, Guimarães TB

    Doenças do osso; lesão fibro-óssea; fibroma ossificante

    Introdução: o fibroma ossificante, classificado como uma lesão fibro-óssea benigna, é um neoplasma verdadeiro e a variante juvenil tem sido distinguida do grupo com base na idade dos pacientes, nos locais mais comuns de envolvimento e no comportamento clínico. Relato do caso: paciente do sexo feminino, 14 anos de idade, melanoderma que compareceu ao Ambulatório de Diagnóstico Estomatológico devido a um aumento volumétrico em mandíbula do lado esquerdo, assintomático, presente há aproximadamente 8 meses, que causava severa assimetria facial. Ao exame intra-bucal foi possível perceber o aumento volumétrico que era duro a palpação, coberto por uma mucosa lisa e brilhante sem sinais flogísticos.Havia também o apagamento do sulco vestibular, mau posicionamento dos dentes da região, e marcas de edentações na mucosa adjacente.Na radiografia panorâmica havia uma imagem de radiopacidade mista, bem delimitada, que expandia as corticais e se estendia do canino à região do segundo e terceiro molares, causando movimentação dos dentes, sem reabsorvê-los.A hipótese diagnóstica foi de fibroma ossificante juvenil.Foi realizada biópsia incisional, utilizando uma trefina, e o histopatológico confirmou a hipótese sugerida.Na tomografia computadorizada foi possível perceber a extensão do tumor que apresentava uma imagem de densidade mista,com vários pontos mais densos no seu interior.A paciente foi submetida à cirurgia para remoção do tumor e está em proservação há 4 meses, sem intercorrências ou sinais de recidivas.Posteriormente será reabilitada com enxerto ósseo e implantes osseointegrados.
    Georgia Mesquita Cardoso
    PB-93 Prevalência de halitose em crianças. Avaliação em escola particular e pública do Distrito Federal

    Prevalência de halitose em crianças. Avaliação em escola particular e pública do Distrito Federal

    Sousa CR*, Piau CGBC

    Halitose; saburra lingual; levantamento epidemiológico

    Introdução: a halitose é uma alteração patológica de variação fisiológica que acomete 30% da população brasileira, dentre esta um grande número de crianças. Interfere no convívio social e incomodam muito os pais. Objetivo: mostrar o levantamento epidemiológico de crianças portadoras de halitose em uma escola particular e uma escola pública do Distrito Federal, correlacionando-a com a presença de saburra lingual e respiração bucal, bem como alertar os profissionais da área de saúde sobre a importância do diagnóstico e tratamento da halitose em crianças. Material e Método: para isso foi realizado o Teste Organoléptico, diferenciados e anotados nos seguintes scores: 0-sem Odor fétido, 1-com Odor fétido e neste caso anotou-se a presença ou ausência de saburra lingual no terço posterior e/ou respiração bucal, baseada em vedamento bucal por 15 segundos. Foi utilizado espátulas de madeira e exame clínico, e dois observadores previamente calibrados. Resultados: na escola pública, o teste foi realizado em 233 crianças, sendo que 24% portadoras de halitose, destas 93% com saburra lingual e 14% respiradores bucais. Na escola particular, o teste foi realizado em 200 crianças, sendo que 109% portadoras de halitose, destas 91% com saburra lingual e 29% respiradores bucais. Conclusão: devido à alta prevalência e sua associação à má higienização e respiração bucal, bem como na alteração com o convívio social do individuo afetado, a halitose deve ser diagnosticada, encaminhada para avaliação e tratamento, junto a profissionais da saúde, dentre eles cirurgiões-dentistas.
    Camila Rubinger Sousa
    PB-94 Remoção cirúrgica odontopediátrica de mesiodens: relato de caso

    Remoção cirúrgica odontopediátrica de mesiodens: relato de caso

    Carvalho GN*, Simões FXPC, Macêdo EC

    Mesiodens; remoção cirúrgica; odontopediatria

    Introdução: a incidência de dentes supranumerários na dentição decídua é menos freqüente, um quinto da incidência em relação à dentição permanente. A radiografia é o exame complementar de fundamental importância para identificar possíveis alterações tais como: anomalias de número, tamanho, forma; presença de tumores, cistos, ectopia de irrupção entre outras. Objetivo: relatar caso de supranumerário na região de incisivos centrais superiores. Relato do caso: o diagnóstico foi realizado com auxílio dos exames clínico e radiográfico. A cirurgia foi realizada após anti-sepsia, anestesia infiltrativa, descolamento, luxação e exérese do supranumerário, curetagem seguida de irrigação, sutura, recomendações ao paciente e seu retorno após 8 dias. Conclusão: o exame radiográfico deve ser realizado o mais precoce possível para detecção de possíveis anomalias dentárias e planejamento adequado.
    Guilherme Nunes de Carvalho
    PB-95 Tumor odontogênico queratocístico periférico: relato de um caso

    Tumor odontogênico queratocístico periférico: relato de um caso

    Borges FC*, Cardoso SV, Servato JPS

    Tumor odontogênico queratocístico

    Introduão: casos de TOQ extraósseos são raros e pouco é conhecido sobre sua incidência, tratamento e prognóstico. Rellato d0 caso: TOQ acometendo uma mulher leucoderma de 53 anos de idade que procurou atendimento odontológico com queixa de aumento volumétrico em rebordo alveolar mandibular (região de pré-molares) associado à prótese mal adaptada sem nenhum sinal radiográfico específico. A paciente negava qualquer história de trauma ou cirurgias prévias nesta região e relatava remoção cirúrgica de outros cistos em outras regiões dos maxilares. Sua história médica pregressa não foi contributiva. Diante das características observadas, trabalhou-se com a hipótese diagnóstica de hiperplasia traumática, prosseguindo-se com a exérese da lesão. A análise microscópica do material revelou cavidade cística revestida por epitélio escamoso estratificado, paraqueratinizado, com espessura de cinco a seis camadas de células, com delicada cápsula de tecido conjuntivo, apresentando moderado infiltrado inflamatório, sendo assim conclusivo de TQO. Dois anos após o tratamento, não evidenciou recidiva. A possibilidade da Síndrome de Gorlin- Goltz foi descartada, pois paciente não apresentava outras características desta doença. Conclusão: este relato ilustra a importância da avaliação dos cistos odontogênicos queratinizantes, tendo em vista que nem todas essas lesões mostram o comportamento agressivo característico do TOQ intraósseo, considera-se que tratamentos mais conservadores são adequados para estas lesões periféricos.
    Fabiana Custódio Borges
    PB-96 Reabilitação estética e funcional por meio da colagem de fragmento dental: relato de caso

    Reabilitação estética e funcional por meio da colagem de fragmento dental: relato de caso

    Santiago FL*, Santos Filho PCF, Queiroz CL

    Traumatismo; estética; colagem de fragmento

    Introdução: o traumatismo dentário representa causa freqüente de danos estéticos e funcionais, podendo causar a perda do elemento dental. Objetivo: relatar tratamento de fraturas coronárias por meio da colagem de fragmentos dentais e a importância do uso de protetor bucal na prevenção de reincidências. Relato do caso: paciente do sexo masculino, 9 anos de idade, compareceu à Clínica de Traumatismo da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia, com fratura coronária dos dentes 11 e 21. Após exame clínico e radiográfico observou-se normalidade na região periapical e resposta pulpar positiva. O paciente apresentou-se com os fragmentos dentários hidratados, com adequada adaptação. Diante desse quadro clínico, optou-se por realizar a colagem dos fragmentos dentais. Para criar espaço para o material restaurador (Z250, 3M/ESPE) e o de proteção, uma canaleta foi feita no interior dos fragmentos, os quais juntamente com seus remanescentes foram hibridizados com ácido fosfórico a 37% e sistema adesivo convencional (Adper Single Bond 2, 3M/ESPE). A colagem foi feita com resina composta de baixa fluidez (PermaFlo, Ultradent). Para evitar reincidências de traumatismos dentários, confeccionou-se protetor bucal de silicone com espessura de 2 mm., buscando prevenir possível laceração de tecidos moles e distribuir forças de impactos frontais diretos. Após 6 meses de acompanhamento, concluiu-se que a colagem de fragmentos dentários representou alternativa eficaz, conservadora e de baixo custo, conseguindo reabilitar esteticamente e funcionalmente o paciente com elemento dentário traumatizado.
    Fernanda Lopes Santiago
    PB-97 Erosão dentária e asma brônquica: existe uma relação?

    Erosão dentária e asma brônquica: existe uma relação?

    Silva TC*, Barata TJE, Schwab CB

    Erosão dentária; asma; saúde bucal

    Introdução: A erosão dentária (ED) é uma lesão não cariosa que acomete um número de pessoas cada vez maior. As principais causas da ED estão associadas aos fatores etiológicos extrínsecos e intrínsecos. É importante ressaltar ainda que algumas doenças sistêmicas poderiam fazer parte dos fatores de risco para a ED. Dentre essas há a hipótese de que a asma aumentaria o risco de desenvolvimento da ED. Objetivos: Avaliar a ocorrência de ED em adultos asmáticos e sua relação com os parâmetros salivares e comportamentos nutricionais (bebidas e alimentos). Material e método: A amostra do estudo foi constituída por voluntários asmáticos de 21-65 anos de idade. Os dados foram coletados a partir de questionário nutricional, avaliação clínica dos parâmetros salivares (fluxo salivar e capacidade tampão) e avaliação da ocorrência de ED, segundo o Índice de Desgaste Dentário (IDD). Resultados: Os dados foram analisados utilizando-se o teste estatístico Qui-quadrado (P<0,05). 262 incisivos foram avaliados. O valor médio de IDD foi de 0,61±0,48 e a ocorrência de ED de 59%. Observou-se que não houve diferença estatística entre ED e doença asma (P=0,92), entretanto ocorreu diferença estatisticamente significativa entre a ED e os parâmetros salivares (P<0,001), bem como entre a ED e o consumo de bebidas ácidas (P<0,001). Conclusão: Não há relação entre a ED e a asma, no entanto, a ocorrência de ED observada estava diretamente relacionada aos parâmetros salivares e ao consumo de bebidas ácidas, o que indica uma condição de dependência direta entre estas e a erosão dentária.
    Tamiris Carolina da Silva
    PB-98 Manifestação bucal da Síndrome de Rendu-Osle-Weber: relato de caso

    Manifestação bucal da Síndrome de Rendu-Osle-Weber: relato de caso

    Gontijo BCS*, Sargentini Neto S, Rosa RR

    Alterações vasculares; telangectasia; epistaxe

    Introdução: a Telangiectasia Hemorrágica Hereditária ou Síndrome de Rendu-Osler-Weber é uma rara displasia fibrovascular que torna a parede vascular vulnerável a traumatismos e rupturas, provocando sangramentos em pele e mucosas. Apresenta herança autossômica dominante. É caracterizada por epistaxes de repetição, telangiectasias mucocutâneas, malformações arteriovenosas viscerais e história familiar positiva. A epistaxe costuma ser a primeira e a principal manifestação. Está associada a malformações arteriovenosas em vários órgãos. São possíveis complicações hematológicas, neurológicas, pulmonares, dermatológicas e de trato gastrointestinal. A terapia é de suporte e de prevenção de complicações. Relato de caso: paciente foi encaminhado para avaliação de lesão vermelho-arroxeada na região de lábio inferior. Na história médica o paciente revelou ser etilista crônico e relatou episódios recorrentes de epistaxe. A história familiar foi positiva para dois irmãos que também apresentavam episódios de epistaxe. Ao exame extra-oral notou-se a presença de múltiplas telangectasias na face, pescoço, ombro e braço e na oroscopia foi possível notar a presença de apenas uma lesão saculiforme avermelhada na região de lábio inferior também compatível com telangectasia. Baseado no critério de Curaçao o diagnóstico de Telangectasia Hemorrágica Hereditária ou Síndrome de Rendu-Osle-Weber foi estabelecido. O paciente foi orientado com relação às possíveis complicações e as formas de prevenção de tais complicações.
    Bruna Camila Silva Gontijo
    PB-99 Mock-up. Classificação da técnica

    Mock-up. Classificação da técnica

    Godoy CV*, Cardoso PC, Ferreira MG

    Simulação; planejamento; estética

    Introdução: o mock-up é considerado um método moderno de simulação do planejamento, permitindo maior previsibilidade ao paciente. Diante da comprovada necessidade do artifício no planejamento e otimização dos casos clínicos e, também, pela diversidade de de técnicas. Objetivo: classificar as diferentes técnicas, bem como, determinar as corretas indicações. Material e método: quatro casos clínicos foram executados: (1) digital, confeccionado em programas de edição de imagem; (2) direto, execução com resina composta direta sobre a estrutura dental a ser restaurada, sem hibridização; (3) semi-direto, realização de enceramento, confecção de guia de silicone e transferência para a boca utilizando uma resina bis-acryl e (4) indireto, transferência das medidas ideais ao técnico que confecciona em resina acrílica. Conclusão: conclui-se que a correta indicação e a execução criteriosa da técnica de mock-up torna-se determinante para o planejamento e, consequentemente, para o sucesso do tratamento das restaurações diretas de resina composta e indiretas de cerâmica.
    Camilla Valtuille de Godoy
  • Poster Grupo C - 24/09/2011
    (Clique aqui para visualizar os trabalhos)

    Montagem - dia 24/09, das 09:00 as 10:00 horas

    Apresentação dia 24/09 das 14:00 as 17:00 horas

    Desmontagem dia 24/09, das 17:00 as 18:00 horas

    Código Título Autor
    PC-01 Distribuição geográfica de cirurgiões-dentistas e faculdades de odontologia no Brasil

    Distribuição geográfica de cirurgiões-dentistas e faculdades de odontologia no Brasil

    Braga AT*, Fernandes Neto AJ, Lelis ER

    Cirurgião-dentista; educação em odontologia; mercado profissional

    Objetivo: este estudo teve como objetivo analisar a distribuição geográfica de cirurgiões-dentistas e de faculdades de Odontologia nas diversas regiões brasileiras, relacionando-os com a saturação do mercado odontológico. Material e método: para esta análise foram utilizados os dados estatísticos disponibilizados pelo Conselho Federal de Odontologia, referentes à atualização realizada ao final de 2010. Resultados: neste ano o país totalizou 242.175 cirurgiões-dentistas e 193 faculdades de Odontologia. Destas, 139 são particulares, 27 federais, 19 estaduais e 8 municipais. A distribuição de profissionais e faculdades pelas diferentes regiões é desigual, de forma que algumas apresentam maior concentração, como a região sudeste que possui 47% das faculdades do país, se beneficiando com a alta complexidade de bens e serviços, enquanto que outras regiões carecem de mão de obra e possuem poucas faculdades de Odontologia, como as regiões norte e centro-oeste, com 10% e 7% das faculdades, respectivamente. Conclusão: a quantidade de faculdades de Odontologia e de Cirurgiões-Dentistas, distribuídos pelas regiões brasileiras, apresentam correlação positiva e contribuem na maior saturação de mercado em algumas regiões e escassez de mão de obra em outras.
    Aline Teixeira Braga
    PC-02 Associação entre técnicas de clareamento de consultório e caseiro: relato de caso clínico

    Associação entre técnicas de clareamento de consultório e caseiro: relato de caso clínico

    Costa PVM*, Santos-Filho PCF, Veríssimo C

    Clareamento; estética; agentes clareadores

    O anseio por dentes mais brancos e por estética tornou o clareamento dental um dos procedimentos mais procurados nos consultórios odontológicos. A associação entre as técnicas de clareamento de consultório e caseiro representa uma modalidade de tratamento que proporciona resultados mais consistentes e com maior longevidade. Paciente jovem, sexo feminino, compareceu a clínica integrada queixando-se da cor de seus dentes. Inicialmente foi feito o exame clínico e a seleção de cor. A cor inicial dos dentes foi determinada como A3 e o tratamento proposto foi à associação entre o clareamento de consultório e caseiro. Para o clareamento dental foi utilizado um gel clareador a base de peróxido de hidrogênio a 35% (Whiteness HP Max ? FGM) em uma sessão clínica com duas aplicações de 15 minutos. Em seguida a paciente foi moldada com alginato para confecção das moldeiras em plastificadora à vácuo utilizando placas de silicone de 1 mm de espessura. A paciente foi orientada a fazer o clareamento caseiro durante 15 dias com um gel clareador a base de peróxido de carbamida a 16% (Whiteness Perfect ? FGM). Após 15 dias, foi feito o polimento do esmalte com feltro associado a uma pasta diamantada. O esmalte dentário que inicialmente era da cor A3 passou para A1 com o tratamento proposto. A associação do tratamento de consultório e caseiro proporcionou resultados satisfatórios, atendendo as expectativas estéticas da paciente.
    Paulo Victor de Moura Costa
    PC-03 Osteíte condensante: relato de caso clínico

    Osteíte condensante: relato de caso clínico

    Trajano RKN*

    Diagnóstico por imagem; pulpite; necrose da polpa dentária

    Introdução: áreas localizadas de esclerose óssea associada a ápices de dentes com pulpite ou necrose pulpar são chamadas osteíte condensante. É vista muito frequentemente em crianças e adultos jovens, mas também pode ocorrer em pessoas mais idosas. A alteração consiste em uma zona localizada e uniforme de radiodensidade aumentada, adjacente ao ápice dos dentes que exibem uma diminuição do espaço periodontal ou uma lesão apical inflamatória. O tratamento de paciente com osteíte condensante consiste em resolução de foco de infecção odontogênico. Após a extração ou tratamento endodôntico apropriado dos dentes envolvidos na maior parte dos casos a osteíte condensante regride, quer parcial, quer totalmente. Relato de caso: paciente Z. P. N de 50 anos e do sexo feminino compareceu ao consultório odontológico com queixa de dor no elemento dental 14, onde existia uma restauração de resina composta. Depois de realizada uma radiografia periapical verificou-se a presença de uma área radiopaca envolvendo o ápice do dente 14 e o mesmo encontrava-se com um quadro de pulpite aguda. A lesão não exibia uma borda radiotransparente, como visto nos casos de displasia cemento-óssea-focal, além disso, a radiopacidade não estava separada do ápice como poderia ser vista na esclerose idiopática. O tratamento endodôntico foi realizado e o paciente está em proservação.
    Renata Kelly Nogueira Trajano
    PC-04 Dor orofacial neuropática. Quais as dificuldades em tratar?

    Dor orofacial neuropática. Quais as dificuldades em tratar?

    Dias DR*, Ribeiro-Rotta RF

    Dor orofacial; dor neuropática; carbamazepina

    Objetivo: discutir diferentes tipos de dores neuropáticas e suas alternativas de tratamento, por meio da apresentação de uma série de casos clínicos. Material e método: foram avaliados de forma descritiva os pacientes com diagnóstico de dor neuropática que compareceram ao Centro Goiano de Doenças da Boca (UFG) desde 2003, e que permanecem em acompanhamento. A amostra foi composta por 8 pacientes. O diagnóstico foi definido a partir de anamnese e inventário de saúde, exame físico e em alguns casos, bloqueio anestésico. Os tratamentos propostos envolveram farmacoterapia (com uso de carbamazepina), laserterapia, e abordagem cirúrgica. Resultados: observou-se que o uso da carbamazepina resultou em diminuição dos eventos e dos níveis de dor em todos os casos, no entanto destaca-se a necessidade de ajuste individual da posologia, e a dificuldade de adesão dos pacientes ao tratamento. A laserterapia foi utilizada como tratamento complementar em cinco casos, apresentando resultados positivos. Abordagem cirúrgica foi realizada em dois pacientes, resultando em melhora da dor, mas por apresentarem recidiva, foi necessário retomar o tratamento medicamentoso. Conclusão: as alternativas de tratamento ainda possuem limitações, e o resultado, ainda que haja melhora da dor, não possui caráter curativo, e sim de controle. A cooperação do paciente e as visitas regulares ao profissional são fundamentais para o sucesso do tratamento.
    Danilo Rocha Dias
    PC-05 Ameloblastoma multicístico em mandíbula: relato de um caso, diagnóstico e tratamento

    Ameloblastoma multicístico em mandíbula: relato de um caso, diagnóstico e tratamento

    Raimundo NP*, Paulo LFB, Freire DR

    Tumor odontogênico; ameloblastoma; tumor epitelial

    Ameloblastoma são tumores que se originam do epitélio odontogênico, geralmente de crescimento lento. Ocorrem em uma ampla faixa etária e não apresenta predileção definida quanto ao sexo ou raça. Os aspectos radiográficos são variáveis, geralmente é uma imagem radiolúcida bem definida, mas pode ser unilocular ou multilocular. No presente relato, uma paciente do gênero feminino, 35 anos de idade, leucoderma compareceu a Clínica de Diangnóstico Estomatológico queixando-se de um aumento volumétrico em mandíbula, presente há aproximadamente 5 meses, assintomático, porém a paciente relatava que continuava aumentando. Ao exame intra-oral foi possível perceber um aumento volumétrico mandibular na região lingual dos pré-molares do lado esquerdo, mole a palpação, de coloração arroxeada. No exame radiográfico foi possível perceber uma área radiolúcida, com algumas projeções radiopacas, que se estendia do canino ao primeiro molar e causava reabsorção radicular e expansão da cortical lingual. Foi realizada uma punção aspirativa, que foi positiva para líquido. A hipótese de diagnóstico sugerida foi de tumor odontogênico, provável ameloblastoma. Então, foi realizada biópsia incisional que após a análise histopatológica confirmou o diagnóstico de Ameloblastoma Multicístico. A paciente então foi encaminhada para a realização da cirurgia de remoção do tumor. Sob anestesia geral, foi realizado o acesso submandibular, ressecção da lesão e colocação de placa de reconstrução. A paciente está em acompanhamento há 4 meses, sem sinais de recidiva da lesão.
    Naêssa da Paixão Raimundo
    PC-06 Cistos odontogênicos: relatos de casos clínicos

    Cistos odontogênicos: relatos de casos clínicos

    Serra APP*, Pinto LV, Souza TCD

    Cirurgia; cisto odontogênico; tratamento

    Os cistos odontogênicos intra-ósseos são lesões que crescem na intimidade dos maxilares.A constituição típica é uma cápsula de tecido conjuntivo revestida internamente por epitélio e contém líquido amarelo citrino ou uma substância pastosa (Domingues et Gil1 2007).
    O cisto radicular é o mais comum dos cistos odontogênicos ,originando-se de restos epiteliais de Malassez. O cisto periapical tem evolução lenta,indolor,pode apresentar mobilidade dental,causar expansão óssea,deslocar dentes vizinhos,mucosa com aspecto normal,há predileção pelo sexo masculino.Radiográficamente revela imagem radiolúcida,com forma circular ou ovalada,limitada por fina linha radiopaca,contínua e nítida.
    O diagnóstico está apoiado em suas características clínicas e exames radiográficos.
    O histológico apresenta epitélio de revestimento do tipo escamoso estratificado.A parede cística apresenta cristais de colesterol,células gigantes e corpos hialinos.(Tommasi4 1998).
    O tratamento dá-se pela cirurgia de enucleação que é um procedimento pelo qual a lesão cística inteira é removida.
    O tratamento pela técnica de marsupialização,tem indicação para lesões císticas grandes onde possa haver injuria as estruturas óssea do maxilar ou mandíbula(Henry Neto et al2).A técnica consiste em abrir uma janela cirúrgica na parede do cisto,esvaziando o seu conteúdo,promovendo a regressão da lesão com a neoformação óssea(Domingues et Gil1 2007).O prognóstico é bom quando removido todo o material cístico.
    Este trabalho tem finalidade apresentar relato de dois casos clínicos sobre cistos odontogênicos.
    Ana Paula Pereira Serra
    PC-07 Estudo da anatomia do primeiro molar superior permanente por meio da tomografia computadorizada de feixe cônico

    Estudo da anatomia do primeiro molar superior permanente por meio da tomografia computadorizada de feixe cônico

    Ponce AO*, Estrela C, Rabelo LEG

    Anatomia dentária; primeiro molar superior; tomografia computadorizada de feixe cônico

    Objetivo: Avaliou-se a morfologia dentária do primeiro molar superior permanente em uma subpopulação Brasileira por meio do exame de tomografia computadorizada de feixe cônico. Material e Método: 51 imagens tomográficas selecionadas de um banco de dados de uma clínica radiológica privada foram analisadas de acordo com o número de raízes e canais e a presença de canais adicionais em função do gênero, idade e posição do dente. Resultados: Foram avaliados ao todo 102 primeiros molares superiores. Oitenta e nove dentes (87,25%) exibiam todas as raízes separadas enquanto que 7 dentes (6,86%) apresentavam a raiz mesio?vestibular fusionada à palatina. Cinquenta e nove dentes (57,84%) possuíam 4 canais, 41 (40,20%) 2 canais e 2 (1,96%) 5 canais. Canais adicionais foram observados em 59,80% dos casos na raiz mesio-vestibular e 1,96% na raiz disto-vestibular. Elevada prevalência de canais adicionais foram observados em pacientes do gênero masculino (43,93%), em dentes localizados no lado esquerdo (38,55%) e em pacientes com idade variando entre 10 a 20 anos (41,66%). Em 74,29% dos casos, canais adicionais na raiz mesio-vestibular foram observados tanto no primeiro molar do lado direito como no primeiro molar do lado esquerdo. Conclusão: O primeiro molar superior permanente em tomografias computadorizadas de feixe cônico em uma subpopulação Brasileira apresentava na maioria dos casos 3 raízes individualizadas, com 4 canais, mais comumente localizados na raiz mesio-vestibular.
    Amanda de Oliveira Ponce
    PC-08 Satisfação do usuário dos serviços de saúde bucal no Programa Saúde da Família

    Satisfação do usuário dos serviços de saúde bucal no Programa Saúde da Família

    Brito JP*, Yarid SD, Alvin CME

    Satisfação do paciente; saúde bucal; serviços de saúde

    Objetivo: Avaliar a satisfação dos usuários dos serviços de Saúde Bucal na Estratégia de Saúde da Família da Unidade Gilson Pinheiro, Jequié-BA.
    Material e método: Foi realizado um estudo quantitativo com aplicação de questionário em usuários (98 = n) do serviço de saúde bucal da USF que tiveram seus tratamentos concluídos no ano de 2009. Trabalho aprovado pelo CEP/UESB nº 015/2010.
    Resultados: Sobre a implantação da ESB na unidade, a maioria considerou muito bom; sobre o acolhimento, a maior parte respondeu que foi muito bem acolhido; quanto a melhora no seu conhecimento sobre escovação, fio dental e dieta, a maioria afirmou que melhorou; foi muito boa a explicação sobre o tratamento e esclarecimento de dúvidas; a relação entre o profissional e usuário foi considerada muito boa pela maioria. A maior parte não teve dificuldade em marcar a consulta odontológica. Predominando o sexo feminino, idade média 31,8 anos e ensino fundamental incompleto.
    Conclusão: A maioria dos usuários considerou muito bom tanto a acessibilidade quanto os serviços de saúde bucal da ESF Gilson Pinheiro.
    Joyce Pereira de Brito
    PC-09 Opacificação de substrato escurecido em faceta direta: relato de caso

    Opacificação de substrato escurecido em faceta direta: relato de caso

    Souza HL*, Cardoso PC, Souza JB

    Estética dentária; facetas dentárias; resina composta

    A restauração de um único elemento dentário anterior com alteração de cor constitui um dos desafios da odontologia estética. A realização de facetas em resina composta tem sido uma alternativa utilizada na clínica odontológica. Para que o resultado almejado seja alcançado o profissional deve possuir experiência clínica e habilidade manual, a fim de reproduzir detalhes anatômicos, nuances de cor e textura. O objetivo deste trabalho é apresentar um caso clínico com faceta direta em incisivo central superior escurecido. Após anamnese e exame radiográfico, realizou-se fotografias intra e extra-orais para análise dos detalhes anatômicos e, posterior, confecção do mapa cromático e ensaio restaurador. Realizou-se o desgaste pela técnica da silhueta e confecção da restauração pela técnica de estratificação: Opacificador Pink (Creative Color, Cosmedent) no terço cervical, resina para dentina A 3,5 (Z 350 XT, 3M ESPE) na cervical, resina Body White (Z350 XT) para reprodução da dentina, CT (Z350 XT) entre os mamelões e a resina de Enamel White (Z350 XT) para esmalte. Após 24h foi realizado acabamento e polimento da restauração. A técnica de opacificação do substrato escurecido foi satisfatória, proporcionando harmonia do sorriso e devolução da auto-estima da paciente.
    Hortência Lopes de Souza
    PC-10 Vestuário branco como uniforme da faculdade de odontologia/UFG: percepção de alunos e professores

    Vestuário branco como uniforme da faculdade de odontologia/UFG: percepção de alunos e professores

    Araujo JA*, Paiva EMM, Souza HL

    Roupa branca; uniforme; relações dentista-paciente

    Introdução: a roupa branca é o vestuário mais usado por profissionais da saúde. Qualquer alteração na aparência do profissional como substituir o uniforme branco, pode ter um grande impacto na aceitação do paciente. Objetivo: o objetivo deste trabalho é avaliar a percepção de professores e alunos das clínicas da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Goiás (FO/UFG) quanto à exigência da roupa branca como vestimenta para cirurgiões-dentistas (CD) e analisar a importância do vestuário do profissional na qualidade do atendimento. Material e método: foi aplicado um questionário contendo 15 perguntas referentes ao tema. A amostra foi de conveniência de professores e alunos das diversas clínicas da FO/UFG (28 professores e 149 alunos). A análise estatística foi obtida com o Programa Epi Info. Resultado: do total da amostra de alunos e professores 94% e 89,3%, respectivamente, concordam completamente que a aparência quanto ao vestuário do CD é importante no atendimento a pacientes. Cerca de 60,1% dos alunos e 85,7% dos professores concordam que, na percepção dos pacientes, um CD com vestuário necessitando de reparos ou troca, é considerado desleixado. 65,8% dos alunos e 46,4% dos professores acham que os professores da FO/UFG devem vestir branco, enquanto que 65,1% dos alunos e 57,1% dos professores acham que os alunos da FO/UFG devem usar o branco no atendimento clínico. Conclusão: conclui-se que o vestuário branco ainda é o favorito e mais aceito por profissionais da Odontologia e que o mesmo, usado como uniforme, representa uma vestimenta padronizada que dá credibilidade ao CD quando limpo e em boas condições de uso.
    Júlia Arantes Araújo
    PC-100 Laminados cerâmicos - restabelecimento de desgaste incisal

    Laminados cerâmicos - restabelecimento de desgaste incisal

    Matos APR*, Cardoso PC, Machado RG

    Laminados cerâmicos; cimento resinoso; desgaste

    Introdução: laminados cerâmicos se destacam no mercado odontológico pela longevidade e excelentes propriedades ópticas. Ojetivo: apresentar a resolução estética e funcional de um paciente de 30 anos que apresentou desgaste incisal dos dentes ântero-superiores por parafunção. Relato do caso: após exame clínico, radiográfico e obtenção de fotografias intra e extra-oral, realizou-se o mock-up com resina bis-acryl. Diante da aprovação do paciente, removeu-se uma restauração Classe IV no 11 e realizou-se arredondamento da ângulos vivos. A moldagem foi realizada pela técnica simultânea com duplo fio. Os laminados, Empress Esthetic, ET1, foram posicionados com pasta de prova transparente. O resultado satisfatório da prova definiu o cimento a ser utilizado. A cimentação foi realizada com RelyX Venner, cor Transparente. O resultado comprovou que é possível reabilitar sem desgaste generalizados, entretanto, o paciente deve ser orientado sobre a necessidade de uso de placa miorrelaxante após finalização do tratamento.
    Ana Paula Rosal Matos
    PC-11 Condromatose sinovial em articulação temporomandibular com extensão extra-articular: relato de caso

    Condromatose sinovial em articulação temporomandibular com extensão extra-articular: relato de caso

    Arantes Filho WM*, Watanabe S, Arantes BM

    Condromatose sinovial; articulação temporomandibular; patologia bucal

    A Condromatose Sinovial (CS) é uma doença não neoplásica e incomum na Articulação Temporomandibular (ATM), caracterizada pelo desenvolvimento de nódulos de cartilagem dentro do tecido conectivo subsinovial, que podem subseqüentemente separar, calcificar e formar corpos soltos flutuantes dentro do espaço articular. Paciente ICF, 44 anos, sexo feminino, leucoderma, queixou-se de dor e creptação nos movimentos de lateralidade em ATM esquerda e abertura bucal limitada. Na radiografia panorâmica observaram-se múltiplos nódulos radiopacos estendendo-se até a incisura mandibular e eminência articular. Na tomografia computadorizada os nódulos mostravam-se envolvendo a região infra-temporal, espaço articular inferior e superior. A cirurgia foi realizada com acesso retro-mandibular, onde foi feita osteotomia vertical do ramo para obter afastamento do coto proximal e ter acesso à lesão, através de uma incisão pré-auricular. Os corpos cartilaginosos foram removidos e o coto proximal reposicionado com placa de 06 furos e parafusos monocorticais do sistema 2.0mm. Não foi necessário o uso de dreno. O exame histopatológico revelou múltiplos nódulos cartilaginosos com calcificações. Observou-se cartilagem atípica com alguns condrócitos binucleados. A radiografia pós-operatória mostrou normalidade e a paciente apresentou melhora dos sinais e sintomas, tendo sido acompanhado por dois anos sem indícios de recidiva.
    Whaine Morais Arantes Filho
    PC-12 Correlação entre o uso do arco lingual de Nance na dentadura mista e a impacção dos segundos molares permanentes

    Correlação entre o uso do arco lingual de Nance na dentadura mista e a impacção dos segundos molares permanentes

    Lelis ER*, Almeida GA

    Ortodontia; dentadura mista; impacção dentária

    Objetivo: analisar a correlação entre a utilização do arco lingual de Nance na dentadura mista, tendo como desiderato o aproveitamento do Leeway Space para a correção de apinhamento ântero-inferior e a impacção dos correspondentes segundos molares. Material e método: amostra de 35 (trinta e cinco) indivíduos que usaram arco lingual na dentadura mista e foram divididos em dois grupos: com impação (grupo I - 15 indivíduos) e sem impacção (grupo II - 20 indivíduos) dos segundos molares permanentes inferiores. Os modelos de gesso, radiografias panorâmicas e telerradiografias foram analisados. As variáveis estudadas foram gênero, classificação de Angle, padrão do esqueleto facial, discrepância de modelos, angulação dos molares, altura do segundo molar em relação ao primeiro, presença de terceiros molares e anomalias dentárias. Os dados foram coletados e análises estatísticas foram aplicadas (teste binomial e t-student). Resultados: o grupo I apresentou uma discrepância de modelos significativamente maior que o grupo II. Não houveram diferenças significativas nas demais variáveis analisadas. Conclusão: houve uma correlação positiva entre deficiência de espaço no arco inferior e impacção de segundos molares permanentes. A utilização do arco lingual de Nance em arcada com apinhamento ântero-inferior severo parece ser um fator a ser considerado quanto a uma maior susceptibilidade de impacção dos segundos molares inferiores permanentes.
    Éverton Ribeiro Lelis
    PC-13 Resolução de fratura coronária associando colagem de fragmento à restauração direta em resina composta

    Resolução de fratura coronária associando colagem de fragmento à restauração direta em resina composta

    Borges JA*, Filho PCFS, Veríssimo C

    Trauma; colagem; restauração

    Introdução: o trauma dental representa uma das principais causas de perdas dentárias. As fraturas coronárias, quando não envolvem exposição pulpar, podem ser resolvidas com a colagem do fragmento dental ou restauração direta em resina composta associada ou não a proteção pulpar. Objetivo: apresentar um caso clínico de fratura coronária reabilitado com colagem de fragmento associado à restauração direta em resina composta com proteção pulpar. Relato de caso: paciente do sexo masculino, 14 anos de idade, procurou a clínica de Clínica de Traumatismo Dento-alveolar da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia apresentando fratura coronária do elemento 21 com parte do fragmento armazenado em leite. Ao exame clínico e radiográfico foi diagnosticada fratura coronária com grande proximidade pulpar. Inicialmente foi realizado teste de sensibilidade pulpar, profilaxia, seleção de cor e anestesia local. Foi realizado isolamento absoluto, e a proteção pulpar indireta. No fragmento foi realizado um alívio com ponta diamantada #1014. Tanto no dente como no fragmento foi realizado condicionamento ácido, lavagem, aplicação de clorexidina e sistema adesivo. O fragmento foi posicionado e na interface foi adicionada uma pequena camada de resina composta Z350. Após a colagem do fragmento, o restante da fratura foi restaurada em resina composta. Conclusão: a associação da colagem de fragmento dentário associado à restauração direta em resina composta apresentou-se como uma técnica viável e como uma boa resolução estética no caso de fratura coronária com presença parcial do fragmento.
    Jéssica Alves Borges
    PC-14 Associação de prótese parcial fixa e prótese gengival na recuperação da estética e função na região anterior maxilar.

    Associação de prótese parcial fixa e prótese gengival na recuperação da estética e função na região anterior maxilar.

    Ferreira MB*, Assunção WG, Anchieta RB

    Prótese gengival; estética; prótese parcial fixa

    Introdução: A substituição de dentes na região anterior maxilar ainda é um desafio para os clínicos, sendo especialmente difícil quando a perda dental é acompanhada de significativa reabsorção óssea e gengival. Várias técnicas estão disponíveis para substituição dos dentes perdidos e recuperação do volume e forma dos tecidos periodontais reabsorvidos, tais como os implantes dentários, próteses parciais fixas, e enxerto ósseo e gengival, respectivamente. Embora as técnicas de reconstrução cirúrgica sejam tratamentos seguros, estes procedimentos aumentam a morbidez, podendo ser contra-indicadas para pessoas idosas ou pessoas acometidas por problemas sistêmicos. Objetivo: ilustrar através de um relato de caso a resolução estética e funcional de uma pessoa idosa com problemas sistêmicos através de prótese parcial fixa convencional metalocerâmica (11 elementos) com ombro cerâmico e prótese gengival acrílica removível. Conclusão: A associação da prótese parcial fixa e da prótese gengival removível foi muito bem aceita pela paciente, sendo uma excelente alternativa para recuperar a estética e função nos casos em que terapias cirúrgicas mais invasivas estão contra-indicadas.
    Mayara Barbosa Ferreira
    PC-15 Faceta laminada: alternativa estética e funcional para reabilitação de um sorriso

    Faceta laminada: alternativa estética e funcional para reabilitação de um sorriso

    Miranda RR*, Silva GR, Carvalho DA

    Faceta; estética; cerâmica

    Introdução: facetas laminadas oferecem uma nova solução restauradora, equilibrando as necessidades estéticas e funcionais na dentição anterior. Objetivo: apresentar um caso clínico envolvendo faceta em cerâmica, incluindo toda a sequência de diagnóstico, planejamento e tratamento. Relato de caso: paciente de 21 anos, sexo feminino, compareceu a clínica de especialização da Universidade Federal de Uberlândia, insatisfeita com a estética de seu sorriso. Ao exame clínico, foi constatada a presença de extensa restauração insatisfatória em resina, no dente 11, em função de um traumatismo. Entretanto o dente apresentava vitalidade pulpar. Para resolução da desamornia do sorriso, optou-se pela confecção de faceta em cerâmica pura reforçada por dissilicato de lítio (IPS e.max Press, Ivoclar Vivadent). Realizou-se o preparo com desgaste de aproximadamente 1 mm na região cervical e 1,5 mm na região incisal. Optou-se pelo término incisal com recobrimento palatino. A moldagem do preparo foi feita com silicone de adição (Swisstec Hydroxtreme, Vigodent). A restauração provisória foi realizada com resina composta fotopolimerizável. Procedeu-se a cimentação com cimento adesivo de dupla ativação (Rely X ARC, 3M ESPE) com 40 segundos de ativação por face. O resultado final mostrou-se satisfatório com relação à estética e funcionalidade, devolvendo harmonia e naturalidade para o sorriso da paciente. Conclusão: a utilização da cerâmica conserva a estrutura dental remanescente quando comparada a coroas totais e permite maior estabilidade de cor do que resinas compostas, resultando em bom prognóstico clínico.
    Rafael Resende de Miranda
    PC-16 Apresentação atípica de cisto dentígero em adulto: relato de caso

    Apresentação atípica de cisto dentígero em adulto: relato de caso

    Mizokami CDP*, Loyola AM, Rosa RR

    Cisto dentígero; cistos odontogênicos; ossos gnáticos

    Introdução: os cistos dentígeros caracterizam-se pela formação de lesões císticas unidas à junção esmalte-cemento de um dente não irrompido ou em desenvolvimento. É o tipo de cisto odontogênico de desenvolvimento mais comum, compreendendo cerca de 20% de todos os cistos epiteliais dos maxilares. Relato de caso: paciente de 41 anos, gênero masculino, procurou o serviço de estomatologia devido a uma lesão na mandíbula encontrada durante exame radiográfico de rotina. Ao exame extra-oral não foi possível perceber assimetria facial e no exame intra-oral notou-se um discreto apagamento do fornix vestibular na região anterior da mandíbula. O exame radiográfico revelou uma lesão radiolúcida bem delimitada por uma linha radiopaca que causava afastamento dentário sem reabsorvê-los e não causava expansão das corticais ósseas. Também era possível notar um canino incluso que em uma visão oclusal parecia estar sendo afastado pela lesão sem, no entanto estar relacionado a ela. A lesão se estendia da região de molares do lado direito até a região de pré-molares do lado oposto. Devido à forma de crescimento da lesão e aos achados radiográficos, a hipótese de queratocisto odontogênico foi proposta. O paciente foi então submetido a um procedimento cirúrgico de marsupialização e após o acesso a lesão notou-se a presença da coroa do canino incluso. A capsula cística foi encaminhada para análise histológica que confirmou o diagnóstico de cisto dentígero. Quatro meses após a marsupialização pôde ser observado grande regressão da lesão e neoformação óssea na região.
    Carla Danielle Prates Mizokami
    PC-17 Múltiplos tumores congênitos de células granulares em neonato: relato de caso com regressão espontânea

    Múltiplos tumores congênitos de células granulares em neonato: relato de caso com regressão espontânea

    Borges LC*, Durighetto Junior AF, de Paulo LFB

    Tumores; neonatos; regressão.

    Introdução: o tumor congênito de células granulares (CGCT), também conhecido como epúlide congênita, é um tumor nodular superficial benigno raro da infância. Apresenta-se como um crescimento gengival geralmente visto no rebordo alveolar maxilar de recém-nascidos do gênero feminino e pode interferir na respiração e alimentação. A remoção cirúrgica é o tratamento de escolha, recidivas e regressão espontânea são raras. Relato do caso: neonato do gênero feminino com 3 dias de vida, apresentando lesões múltiplas, uma localizada na região de rebordo alveolar superior anterior que dificultava o selamento labial e a alimentação e outra na região de rebordo alveolar maxilar, situada posterior a primeira. A lesão maior foi completamente removida sob anestesia local sem intercorrências e a paciente não apresentou sinais de recidiva no pós-operatório de um ano. A lesão menor não foi removida e apresentou regressão completa após um mês de acompanhamento.
    Larissa Cristina Borges
    PC-18 Displasia cemento-óssea florida e o seu significado para a implantodontia

    Displasia cemento-óssea florida e o seu significado para a implantodontia

    Siqueira TP*, Silva CJ, Loyola AM

    DCOF; implantodontia

    Introdução: os implantes dentários têm sido rotineiramente utilizados na reabilitação oral. Critérios como a quantidade e qualidade do tecido ósseo estão associados à osseointegração desses implantes e ao sucesso do tratamento. Assim, fatores de risco sistêmicos e locais, que alteram o metabolismo e a capacidade remodeladora óssea, devem ser considerados na avaliação para indicação cirúrgica. Particularmente, pacientes com doenças ósseas displásicas representam um desafio para a reabilitação oral através dos implantes dentários. A natureza e o comportamento biológico das displasias estão associados a modificações estruturais do osso, podendo interferir na sua vascularização e plasticidade. Lesões da displasia cemento-ósseas constituem-se exemplos típicos desta situação, são altamente mineralizadas, com reduzida vascularização e susceptíveis a formação de cavidades ósseas solitárias. Contudo, a instalação de implantes em pacientes com displasia cemento-óssea florida (DCOF) tem sido relatada com aparente sucesso, sugerindo que alguns conceitos sobre procedimentos reabilitadores nestes quadros displásicos sejam rediscutidos. Relato de caso: paciente portadora de DCOF para o qual foi indicada reabilitação com implante dentário, perdido seis meses após a sua instalação. Muito embora esta indicação possa a primeira vista merecer críticas, uma vez que era evidente a presença do osso displásico na área do implante, o presente trabalho oportuniza a discussão desta indicação, considerando aspectos da patogenia e do comportamento desta doença.
    Tamara Pamplona Siqueira
    PC-19 Tratamento expectante: uma opção de tratamento conservador da vitalidade pulpar

    Tratamento expectante: uma opção de tratamento conservador da vitalidade pulpar

    Silva CV*, Barata TJE, Monteiro ALN

    Diagnóstico; cárie dentária; tratamento expectante

    Introdução: o Tratamento Expectante (TE) representa um procedimento clínico baseado em princípios biológicos para a manutenção da vitalidade pulpar (VP). Objetivo: descrever e discutir o protocolo clínico do TE por meio de um relato de caso. Relato de caso: paciente (TCC), sexo masculino, 15 anos de idade, procurou atendimento odontológico com queixa principal de dor. Ao exame clínico observou-se tratar de sintomatologia dolorosa provocada, no elemento dentário 36, com rápido declínio após a remoção do estímulo térmico e/ou tátil (teste de VP positivo). O exame radiográfico revelou a presença de lesão cariosa profunda, ausência de reabsorções internas e externas e periápice normal. Com base na avaliação clínica e radiográfica o TE foi indicado, uma vez que se trata de um paciente jovem acometido por lesão de cárie aguda e profunda e a polpa encontra-se em estado potencialmente reversível, bem como há um risco iminente de exposição pulpar no caso de tentativa de remoção completa da lesão cariosa. Desta forma, a indicação do TE visa recuperar as funções biológicas do complexo dentinopulpar. Protocolo clínico adotado: Primeira sessão - remoção da dentina infectada, limpeza da cavidade, aplicação de Ca(OH) e selamento provisório. Segunda sessão (após 60 dias) - confirmação do prognóstico positivo de VP (exame clínico e radiográfico), remoção da dentina cariada remanescente e procedimento restaurador direto. Conclusão: diante dos resultados observados pôde-se considerar que o TE foi uma opção viável de tratamento conservador da VP. Ressalta-se, porém, que acompanhamentos longitudinais são necessários.
    Cynthia Vilela Silva
    PC-20 Relação profissional-paciente: médico e cirurgião-dentista enquanto pacientes

    Relação profissional-paciente: médico e cirurgião-dentista enquanto pacientes

    Sampaio TS*, Yarid SD, Barreto JR

    Humanismo; bioética; satisfação dos consumidores

    Objetivo: o objetivo deste estudo foi avaliar o grau de satisfação de médicos e cirurgiões-dentistas com a qualidade do atendimento recebido, das informações recebidas, dos resultados obtidos, da organização dos horários e dos custos dos serviços de saúde, quando se submeteram a atendimento de saúde (consulta e tratamento médico, odontológico, fisioterápico, psicológico, fonoaudiológico, enfermagem e outros) nos serviços público, privado e convênio. Material e método: realizou-se um estudo descritivo quantitativo do tipo inquérito, utilizando-se de um questionário estruturado para a coleta de informações. Participaram deste estudo 53 profissionais da saúde que foram previamente informados sobre os propósitos da pesquisa, e, quando de acordo, de livre e espontânea vontade, responderam a pesquisa. Resultados: a qualidade do atendimento recebido durante o tratamento foi considerada muito boa por 23,5% dos profissionais da saúde, boa por 66,7% e regular por 9,8%, não sendo avaliada como ruim ou muito ruim por nenhum dos participantes da pesquisa. Conclusão: pôde-se concluir que apesar do elevado grau de satisfação dos profissionais da saúde, médicos e cirurgiões-dentistas, enquanto pacientes, em relação à qualidade do atendimento recebido, à qualidade das informações recebidas e aos resultados obtidos com o tratamento, os respondentes demonstraram-se insatisfeitos quando se tratou da organização dos horários e do custo dos serviços, tendo sido estes fatores avaliados de forma regular e ruim por um grande número dos entrevistados.
    Tamires Sampaio Santos
    PC-21 Suscetibilidade do Enterococcus faecalis e Staphylococcus aureus a diferentes antimicrobianos

    Suscetibilidade do Enterococcus faecalis e Staphylococcus aureus a diferentes antimicrobianos

    Chaves GS*, Alves RAA, Capeletti, LR

    Testes de sensibilidade microbiana; Staphylococcus aureus; Enterococcus faecalis

    Objetivo: Comparar a suscetibilidade dos microorganismos das infecções endodônticas do S. aureus e E. faecalis a antimicrobianos pelo teste de difusão em ágar. Material e método: Foram semeadas 20 placas de Petri com 20 mL de BHIA inoculadas com 0,1 mL da suspensão microbiana e colocaram-se cem discos contendo os agentes antimicrobianos nas placas incubadas a 37°C/48h. Mensuraram-se então os diâmetros dos halos de inibição microbiana, indicando eficácia ou não dos antimicrobianos. A - Amoxicilina + ácido clavulânico; B - Amoxicilina; C - Azitromicina; D - Cefalexina; E - Ciprofloxacina; F - Eritromicina; G - Clindamicina; H - Penicilina G; I - Oxacilina; J - Vancomicina. Resultados: Antimicrobianos testados e Halos de Inibição (mm) em 5 discos, respectivamente para o S. aureus e E. faecalis: A - 35 e 25 (em 3 discos); 26 (em 2 discos); B - 34 e 20; C - 25 e 33; D - 29 e 26; E - 25 e 31; F - 25 e 28; G - 30 e 26; H - 35 e 20(em 2 discos) 21(em 3 discos); I - 21 e 0; J ? 15(em 4 discos); 18 (em 1 disco) e 18. Todos os agentes antimicrobianos foram efetivos sobre os indicadores microbianos, exceto a Oxacilina para o E. faecalis. Conclusão: É possível predizer uma resposta clínica favorável ao uso de um determinado antimicrobiano, in vitro, pelo antibiograma, mas deve-se considerar que testes in vitro com cepas bacterianas prontas e antimicrobianos não retratam fielmente a situação clínica, pois deve-se considerar a resistência bacteriana aos antimicrobianos.
    Gustavo Silva Chaves
    PC-22 Planejamento Estético Digital (DSD): o uso da tecnologia em benefício do planejamento reabilitador

    Planejamento Estético Digital (DSD): o uso da tecnologia em benefício do planejamento reabilitador

    Cardoso TDM*, Coachman C, Cardoso PC

    Planejamento; estética; tecnologia

    Introdução: o conceito DSD (Digital Smile Design) é um método de planejamento reabilitador e simulação digital do resultado que oferece a versatilidade e a velocidade de planejamento de diferentes desenhos do sorriso e a antecipação visual de diferentes mock-ups digitais utilizando as ferramentas do sistema proposto como vantagens sobre o planejamento convencional. Permite ainda a interação à distância via skype permitindo a correção do desenho e ajustes estéticos entre profissional e protético. Baseia-se na análise inicial da face para a determinação da linha média facial e o alinhamento horizontal do paciente e, com as duas traçadas digitalmente na face do paciente, transfere-se as mesmas para o modelo de estudo para melhor referência do protético bem como a transferência para uma fotografia intraoral em close-up obtida com afastadores. A partir desta fotografia ampliada com a visualização dos dentes e gengiva, inicia-se a confecção do mock-up digital aplicando os princípios estéticos por adicionar desenhos, linhas e gráficos na própria fotografia digital do paciente. Com o recurso de uma régua digital transfere-se estas medidas com um paquímetro digital para o modelo auxiliando o protético no enceramento diagnóstico do caso. Ao final do processo, tem-se uma sequência de slides que deve ser utilizada para a comunicação com os especialistas, protéticos e principalmente com o paciente. Conclusão: um conceito que traz maior controle técnico, previsibilidade do resultado e melhora a comunicação interprofissional utilizando programas como o Power Point (PC) ou Keynote (MAC).
    Thais Darc Menezes Cardoso
    PC-23 Transformação dental com uso de resina composta nanoparticulada: alternativa estética de baixo custo

    Transformação dental com uso de resina composta nanoparticulada: alternativa estética de baixo custo

    Oliveira IS*, Silva GR, Simamoto VRN

    Estética; resina nanoparticulada; dentes conóides

    Introdução: a estética na área odontológica, é algo muito importante e tem destaque cada vez maior. Relato de caso: paciente A.C.S, gênero feminino, 57 anos, procurou a Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia, queixando-se da estética de seu sorriso. Ao exame clínico, observou-se que os dentes 12 e 22 eram conóides e o dente 13 era decíduo, os quais não possuíam anatomia adequada. Após o diagnóstico e planejamento, propôs-se o uso de resina composta nanoparticulada para devolver a harmonia de seu sorriso. Para que o resultado e a quantidade de material necessário pudessem ser previstos, foi realizada a moldagem dos arcos dentários superior e inferior, montagem dos modelos em ASA e enceramento diagnóstico, então confeccionou-se matriz de silicona por condensação, a partir do modelo encerado. A hibridização dos tecidos dentários foi realizada pelo condicionamento com ácido fosfórico a 37% por 30 segundos, aplicação de clorexidina 2% por 60 segundos, aplicação do sistema adesivo convencional de frasco único e fotoativação por 20 segundos. A técnica de estratificação foi a escolha para a inserção da resina. O acabamento e polimento foram realizados 7 dias após a realização da restauração, com pontas diamantadas de granulação fina e extra-fina, discos de óxido de alumínio e pontas de borracha e feltros associados a pastas diamantadas. O resultado foi satisfatório tanto para a paciente quanto para o profissional. Conclusão: a restauração com resina composta é bastante vantajosa, pois atinge o objetivo que é função e estética, associando preservação de tecidos dentais sadios e custo acessível.
    Isabela Silveira de Oliveira
    PC-24 Previsibilidade tecidual periimplantar x técnicas de confecção imediata de provisórios: relato de casos

    Previsibilidade tecidual periimplantar x técnicas de confecção imediata de provisórios: relato de casos

    Rezende RLS*, Trento CL, Barros MNF

    Implante imediato; provisório; reabilitação protética

    Introdução: existe uma série de considerações estéticas do ponto de vista protético, objetivando excelência na recuperação com implantes na região anterior. No intuito de preservar a arquitetura gengival, proporcionar estética imediata, além de eliminar o segundo estágio cirúrgico e reduzir o tempo e custo do tratamento, diversas técnicas de confecção de provisório tem sido propostas. Relato do caso: o 1° caso clínico relata a reabilitação de um incisivo central superior perdido em função de fratura radicular, com indicação de exodontia com instalação imediata de implante. Realizado a anamnese, exame físico e clinico, radiografias, fotografias e confecção de modelos de modo a determinar as condições da área a ser tratada, foi extraído o dente e instalado o implante imediato com travamento de 60N, que propiciou a instalação imediata do provisório confeccionado anteriormente no laboratório, respeitando os aspectos importantes como selamento marginal do alvéolo, perfil de emergência da restauração, ausência de carga oclusal. A paciente foi dispensada e reavaliada com 15, 90 e 100 dias e concluído o caso. Será também relatado um 2° caso seguindo os mesmos princípios clínicos de avaliação e procedimentos cirúrgicos, modificado apenas na confecção do provisório, no qual será utilizado o próprio dente extraído como restauração provisória.
    Rejane Lenier Santos Rezende
    PC-25 Grau de satisfação dos familiares dos pacientes atendidos pela área de Odontologia Pediátrica

    Grau de satisfação dos familiares dos pacientes atendidos pela área de Odontologia Pediátrica

    Rocha PPM*, Oliveira FS, Tavares SBMB

    Satisfação; pacientes; pediatria

    Introdução: a satisfação do usuário é um dos fatores determinantes na qualidade do atendimento nos serviços da saúde, por meio do qual se obtém dados sobre expectativas e buscam-se soluções para a melhoria do serviço prestado. Objetivo: avaliar o perfil socioeconômico e o grau de satisfação dos familiares dos pacientes atendidos pela Área de Odontologia Pediátrica. Material e Método: foi solicitado aos familiares responderem um questionário contendo 18 questões objetivas sobre perfil socioeconômico, a estrutura da clínica e satisfação funcional e técnica. Participaram do estudo 54 familiares. Resultados: dos 54 familiares, 49 (90,7%) e 5 (9,3%) eram do gênero feminino e masculino, respectivamente, com idade média de 34,28 anos. Com relação à escolaridade, 34 (63,0%), 13 (24,0%) e 7 (13,0%) possuíam ensino médio, fundamental e superior, respectivamente. Do total, 29 (53,7%) trabalhavam e a renda média familiar mensal era de 3,2 salários. O motivo pelo qual os familiares procuraram atendimento foi por questões financeiras (53,7%). A maioria 53 (98,1%) sentiu confiança e 52 (96,41%) identificaram com o aluno que atendeu o seu filho. Com relação à organização, conforto, limpeza e iluminação da clínica, 32 (59,3%), 32 (59,3%), 27 (50,0%) e 29 (53,7%) responderam estarem satisfeitos, respectivamente. A nota média atribuída ao atendimento recebido na clínica de Odontopediatria e/ou Ortodontia foi 9,1 e 53 (98,1%) recomendariam o tratamento odontológico. Conclusão: foi possível concluir que é relevante o grau de satisfação dos familiares dos pacientes atendidos pela Área de Odontologia Pediátrica.
    Patrícia Pinho Martins Rocha
    PC-26 Assistência odontológica a paciente em preparo para transplante renal: relato de caso clínico

    Assistência odontológica a paciente em preparo para transplante renal: relato de caso clínico

    Cortines AAO*, Costa LRRS, Viana KA

    Odontologia hospitalar; insuficiência renal crônica; transplante renal

    Introdução:a insuficiência renal crônica é a perda lenta, progressiva e irreversível das funções renais. Em casos severos, pode exigir substituição da função renal através da diálise ou realização de transplantes. Pacientes que irão se submeter a transplante devem ter possíveis fontes de infecção oral eliminadas. Objetivo: apresentar o caso de tratamento odontológico como preparatório para realização de transplante renal. Relato de caso: paciente sexo feminino, 14 anos, encaminhada pelo Serviço de Hemodiálise do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás ao Serviço de Odontologia do mesmo hospital para avaliação odontológica como parte de exames pré transplante. Exame físico extraoral normal. Ao exame intraoral verificou-se: dentição mista, ausências dentárias, biofilme visível, raiz residual, hipoplasia de esmalte generalizada, mobilidade grau II do dente 11. O exame radiográfico periapical de dentes selecionados indicou reabsorção interna no terço cervical-médio de todos os dentes e detectou a raiz do 31. Após contato com médico responsável e avaliação do estado geral da paciente, foi elaborado o plano de tratamento com realização de orientação de higiene oral, escovação supervisionada, selante em todos os primeiros molares na 1ª sessão; e, na 2ª sessão, exodontias múltiplas sob profilaxia antibiótica e em dia contrário a hemodiálise. A paciente retornou com uma semana para pós-operatório, e a cada mês para acompanhamento. Aguarda transplante renal. Conclusão: essa abordagem ilustra a importância do cirurgião-dentista na fase preparatória de transplantes.
    Andréa Araujo de Oliveira Cortines
    PC-27 Restabelecimento estético-funcional de dentes anteriores com procedimentos cirúrgico, periodontal e restaurador

    Restabelecimento estético-funcional de dentes anteriores com procedimentos cirúrgico, periodontal e restaurador

    Ferreira JA*, Magalhães D, Soares PBF

    Cirurgia periodontal; estética; restauração.

    Introdução: a resolução de problemas estéticos e envolvimentos biofuncionais têm sido busca constante por parte dos pacientes. Tratamentos ortodônticos e restauradores são utilizados isoladamente ou em associação para alcançar estética almejada pelos pacientes. Relato do caso: o objetivo deste trabalho foi descrever relato de caso clínico que envolve paciente do gênero feminino, com 17 anos de idade, que, após o termino da terapia ortodôntica, queixava-se de insatisfação estética, devido a alterações no contorno gengival. Ao exame clinico verificou-se profundidade de sondagem menor que 3 milímetros, regiões interproximais com hiperplasia e ausência de perda de inserção clínica. Quadro que caracteriza ausência de bolsa periodontal verdadeira. Foi indicada técnica cirúrgica de microplastia, que consiste na correção cirúrgica visando remodelamento da arquitetura anatomo-fisiológica da gengiva. Associou-se ao tratamento plástico periodontal restaurações diretas classe IV em resina composta associadas a procedimentos adesivos, solucionando o problema estético e possibilitando a manutenção da saúde periodontal. O caso já tem sido acompanhado por 12 meses e os resultados foram consideravelmente satisfatórios. Conclusão: desta maneira, a inter-relação da periodontia com a dentística restauradora mostrou-se ser de extrema importância para o sucesso do tratamento reabilitador que visa além da função a obtenção da estética do sorriso.
    Jéssica Afonso Ferreira
    PC-28 Técnica de clareamento em consultório com peróxido de hidrogênio a 35% : relato de caso clínico

    Técnica de clareamento em consultório com peróxido de hidrogênio a 35% : relato de caso clínico

    Moura GF*, Quagliatto PS, Dutra MC

    Estética; clareamento dental; peróxido de hidrogênio

    Introdução: o padrão de beleza do sorriso se traduz em dentes claros, bem contornados e corretamente alinhados; por isso a área relacionada aos aspectos estéticos sofreu grande evolução nas últimas décadas. Relato de caso: paciente de 19 anos, queixando-se da coloração de seus dentes procurou a Clínica da FOUFU-Uberlândia . Ao exame clínico e anamnese, não houve contra-indicações para a execução do tratamento clareador, sendo indicado técnica em consultório. Utilizamos o produto Whiteness HP Blue a 35% (FGM Produtos Odontológicos) em uma sessão de 45 minutos. A cor inicial é A3,5 para caninos e A3 para incisivos. Em seguida, foi realizada a profilaxia com taça de borracha e pedra pomes. Na sequência foi aplicado o dessensibilizante KF 2% (FGM), por 10 minutos e colocado o afastador de lábios e o isolamento com barreira gengival Top Dam. O Whiteness HP Blue foi manipulado de acordo com as recomendações do fabricante e aplicado sobre a superfície dentária durante 45 minutos. Com o auxílio de um Cavibrush, o gel foi movimentado sobre os dentes, a cada 5 ou 10 minutos, para liberar eventuais bolhas de oxigênio geradas e para renovar o contato do gel com os dentes. Por fim, o esmalte dental foi submetido ao polimento com discos de feltro e pasta de polimento Diamond Excel. Acompanhamento clínico de um ano não demostrou alteração de cor conseguida pela técnica que ficou entre A1 e A2. Conclusão: o clareamento dental é um procedimento conservador, que deve ser realizado seguindo princípios biológicos, a fim de evitar danos às estruturas orais do paciente.
    Guilherme Faria Moura
    PC-29 Análise da transmissão e distribuição de tensões aplicadas a prótese total convencional reembasada com forradores macios

    Análise da transmissão e distribuição de tensões aplicadas a prótese total convencional reembasada com forradores macios

    Lima SAS*, Lima JBG, Orsi IA

    Prótese total; material reembasador; tensões

    Objetivo: analisar, por meio do método dos elementos finitos, a distribuição de tensões aplicadas na prótese removível total reembasada com forradores macios em diferentes espessuras e a consequente transmissão a mucosa e ao rebordo, definindo a espessura ideal do material reembasador. Material e método: confeccionou-se modelos representando protótipos de uma mandíbula desdentada com uma prótese total apoiada sobre o rebordo. Seis modelos são analisados, sendo o primeiro sem material reembasador (grupo controle). Os demais modelos apresentam próteses totais reembasadas com diferentes espessuras de material reembasador: 0,5mm; 1,0mm; 1,5mm; 2,0mm; 2,5mm. Aplica-se uma força de 60N ao longo eixo dos dentes das próteses, sendo de mesma intensidade bilateralmente e simultaneamente. Resultados: houve concentração de tensões na região anterior da mandíbula, tanto na avaliação da fibromucosa como do osso basal; ocorreu maior tensão no modelo sem material reembasador, sendo concentrada na linha média nas regiões da crista do rebordo ocluso-gengivalmente; as tensões diminuíram com o aumento da espessura do material reembasador em ambas as avaliações; a espessura de 2mm apresentou os menores valores de concentração de tensões, enquanto que a de 2,5mm apresentou comportamento semelhante à espessura de 1 mm. Conclusão: pode-se concluir dentro das limitações do presente estudo, que a espessura do material reembasador é um fator determinante na capacidade de absorção de cargas, porém, estudos adicionais devem ser desenvolvidos para comprovar esta suposição.
    Silvana de Andrade Silvestre de Lima
    PC-30 Sarcoma de Kaposi oral

    Sarcoma de Kaposi oral

    Spini PHR*, Spini TH, Carvalho VF

    Kaposi; antiretroviral; NAPEO

    Introdução: o sarcoma de Kaposi é uma doença neoplásica associada ao vírus herpes do tipo 8 manifestando principalmente em pacientes com AIDS. Relato do caso: paciente, 32 anos, leucoderma, gênero masculino transexual, mecânico de profissão. Em abril de 2011, o mesmo foi encaminhado por Infectologista para o Núcleo de Atendimento ao Paciente Especial em Odontologia (NAPEO, Itumbiara-GO), para avaliação de lesão em maxila direita. A lesão era assintomática e foi observada por ele a cerca de seis meses, não sabendo informar o resultado da biópsia investigada anteriormente. Na história pregressa, registrou-se que o paciente era soropositivo para HIV há três anos, perda cerca de cinco quilos no último semestre, e carga viral alta, com baixa contagem de leucóticos Ao exame intraoral, observou-se lesão nodular com epicentro em mucosa palatina, estendendo-se para o rebordo alveolar até a mucosa vestibular do lado direito, de coloração arroxeada, de consistência flácida, medindo aproximadamente 15mm em seu maior diâmetros. Realizou-se biópsia incisional da lesão palatina, considerando-se como hipóteses de diagnóstico clinico sarcoma de Kaposi ou linfoma. O exame histopatológico tratou-se de neoplasia composta por células ovóides e fusiformes, pleomórficas, aparentemente angiocêntrica, por vezes apresentando fendas intercelulares permeadas por hemorragia e pigmentação hemossiderínica, diagnosticando como de sarcoma de Kaposi. O paciente atualmente está em tratamento com medicação antiretroviral altamente ativa, aguardando encaminhamento para o hospital de Barretos PIO XII.
    Pedro Henrique Rezende Spini
    PC-31 Avaliação comparativa da densidade de células dendríticas no carcinoma espinocelular de lábio e cavidade oral

    Avaliação comparativa da densidade de células dendríticas no carcinoma espinocelular de lábio e cavidade oral

    Martins AFL*, Batista AC, Arantes DAC

    Células dendríticas; carcinoma de células escamosas

    Introdução: as células dendrítica (CDs) imaturas (CD1a+) são capazes de fagocitar antígenos tumorais e apresentá-los às células T naives nos linfonodos. Essas células T ativadas são capazes de migrar para o sítio tumoral e desencadear uma efetiva resposta imune antitumoral. Dados previamente publicados indicam que Carcinoma Espinocelular (CEC) de lábio possui uma resposta imune citotóxica mais efetiva se comparado ao de cavidade oral. Objetivo: neste presente estudo propomos avaliar comparativamente a densidade de CDs CD1a+ em amostras de CEC de cavidade oral com metástase (n=10), sem metástase (n=10), lábio (n=10) e mucosa oral saudável (controle, n=10) por meio da técnica da imunoistoquímica. A relação da densidade de CDs com a sobrevida dos pacientes com CEC de cavidade oral foi também investigada. Resultados: nossos resultados demonstraram que a densidade de CDs nas regiões peri- e intratumoral foi maior no CEC de lábio quando comparado aos demais grupos (p<0,05 para a região peritumoral). Adicionalmente, a densidade de CDs na região intratumoral foi significativamente menor no CEC de cavidade oral sem metástase quando comparado ao CEC de lábio e controle (p<0,05). Além disso, pacientes com CEC de cavidade oral que apresentaram alta densidade de CDs demonstraram uma tendência para maior tempo de sobrevida. Conclusão: nossos resultados sugerem que a elevada densidade de CDs no CEC de lábio pode favorecer uma resposta imunológica antitumoral mais efetiva em tumores nesta localização se comparado com o CEC de cavidade oral, favorecendo, assim, a sobrevida dos pacientes.
    Allisson Filipe Lopes Martins
    PC-32 Características de bebês com cárie da primeira infância encaminhados para o Núcleo de Estudos em Sedação Odontológica

    Características de bebês com cárie da primeira infância encaminhados para o Núcleo de Estudos em Sedação Odontológica

    Mundim AP*, Costa LRRS, Machado, GCM

    Bebês; sedação; cárie da primeira infância

    Introdução: a cárie da primeira infância é um tipo específico de cárie aguda que afeta dentes decíduos, geralmente resultante da ingestão prolongada e frequente de leite ou alimentos enriquecidos de açúcar, durante o dia e nas horas de sono. Objetivo: descrever as principais características de bebês com cárie da primeira infância que procuram o atendimento no Núcleo de Estudos em Sedação Odontológica (NESO) na Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Goiás. Material e método: informações referentes a idade, gênero, condições sistêmicas, orais e comportamentais foram coletadas do banco de dados do NESO (SPSS 10.0) dos pacientes atendidos no ano de 2007 a 2009. Observou-se o comportamento das crianças durante o tratamento (chegada ao ambulatório, primeiro exame, profilaxia e aplicação tópica de flúor) por meio da escala OSUBRS. Resultados: foram atendidas 59 crianças, com faixa etária em média de 31,09 meses; 52,5% do gênero masculino e 47,5% do feminino. Destes, 17,9% apresentavam distúrbios sistêmicos sendo 66,7% do tipo respiratório; 12,7% relataram experiência prévia com sedação, analgesia e/ou anestesia geral; 92,5% foram classificados como ASA 1. Ao exame clínico, 82,5% apresentavam biofilme dentário e 73,9% tiveram sangramento gengival ao escovar os dentes, com índice ceod médio de 5,44 (desvio padrão). Conclusão: conclui-se que os bebês encaminhados ao NESO possuem grande atividade de cárie. Observou-se segundo a escala OSUBRS, que da chegada ao consultório até o tratamento odontológico houve alteração no comportamento das crianças.
    Ana Paula Mundim
    PC-33 Carcinoma ameloblástico: relato de caso

    Carcinoma ameloblástico: relato de caso

    Gonçalves AS*, Mendonça EF, Sousa TO

    Carcinoma ameloblástico; lesão maligna rara

    Introdução: o carcinoma ameloblástico é uma lesão odontogênica maligna rara, que combina os aspectos histopatológicos de ameloblastoma com a presença de atipias celulares. Embora tenha apresentado uma definição controversa no passado, atualmente já se sabe que ele difere do ameloblastoma maligno por apresentar características celulares de malignidade tanto no tumor primário quanto no tumor recorrente. O carcinoma ameloblástico não possui predileção por faixa etária ou gênero e apresenta comportamento biológico agressivo, crescimento rápido, podendo apresentar metástase regional ou pulmonar. Relato do caso: paciente do gênero feminino, melanoderma, que procurou atendimento para tratamento de uma lesão assintomática, de crescimento exofítico e eritematosa na região do tuber da maxila direita, com evolução de dois meses. O diagnóstico clínico foi de lesão proliferativa não neoplásica e os exames radiográficos não indicaram rarefação óssea significativa. A lesão foi totalmente enucleada e os achados microscópicos foram conclusivos para carcinoma ameloblástico. A proservação do paciente foi de dois anos e este encontra-se sob controle e livre de doença. Conforme supracitado, esta é uma lesão rara e que critérios para o diagnóstico devem ser bem estabelecidos pelo patologista em benefício do paciente.
    Andréia de Souza Gonçalves
    PC-35 Recobrimento radicular com utilização de matriz dérmica acelular associada a retalho reposicionado coronalmente

    Recobrimento radicular com utilização de matriz dérmica acelular associada a retalho reposicionado coronalmente

    Pires LM*, Ribeiro CP, Campoli MAO

    Recobrimento radicular; recessão gengival; matriz dérmica acelular

    Introduão: a técnica cirúrgica mais utilizada em Periodontia para o tratamento das recessões gengivais é o reposicionamento coronal do retalho associado aos enxertos autógenos retirados de áreas doadoras ceratinizadas. Devido à maior morbidade operatória e ao desconforto causado ao paciente por um procedimento adicional, a matriz dérmica acelular (Alloderm) tem sido utilizada como substituto destes enxertos gengivais.Trata-se de um material alógeno, doado de bancos de tecido mole humano onde são removidos os elementos celulares da derme deixando uma matriz de colágeno regenerativa. Relato do caso: caso clínico de recobrimento radicular de uma recessão gengival classe I de Miller anterior envolvendo estética com o uso da matriz dérmica acelular (Alloderm).Após 30 dias de observação o processo de cicatrização já estava completo. Aos 90 dias a região enxertada já apresentava biocompatibilidade, estética e função compatíveis com todas as expectativas. Obteve-se sucesso com uso deste material, sem sinais de recorrência após um período longo de acompanhamento.
    Ludmilla Mourão Pires
    PC-36 Tratamento cirúrgico de seqüela de fratura órbito-zigomática, reconstrução com enxerto autógeno: relato de caso clínico

    Tratamento cirúrgico de seqüela de fratura órbito-zigomática, reconstrução com enxerto autógeno: relato de caso clínico

    Prado LF*, Gasperini G, Costa LRRS

    Seqüela de fraturas faciais; reconstrução orbitária; enxerto autógeno

    Introdução: traumas na região do complexo zigomático-maxilar podem acarretar diversas deformidades estéticas na face e incapacidades funcionais do globo ocular. As Tomografias Computadorizadas tem extremo valor na identificação de fraturas que envolvam o continente orbitário. A abordagem cirúrgica e seleção do biomaterial estarão relacionadas ao tamanho do defeito, restauração do volume apropriado e tempo decorrido do trauma. Objetivo: apresentar um caso de seqüela de fratura do complexo zigomático-maxilar com fraturas de assoalho da órbita e arco supra-orbitário que foram satisfatoriamente reconstituídos com enxerto autógeno e aloplástico. Relato do caso: paciente KSF, gênero masculino, 20 anos, procurou atendimento cerca de três meses após acidente motociclistico, apresentando afundamento em região malar e supraciliar lado esquerdo, alterações na oclusão e perda da acuidade visual do mesmo lado. Foi diagnosticado com seqüela de fraturas múltiplas de face, envolvendo cavidade orbitária com lesão irreversível do nervo óptico. O tratamento proposto foi reconstrução total de cavidade orbitária e de osso frontal utilizando enxerto autógeno de crista ilíaca e devolução da projeção zigomática com enxerto aloplástico. Conclusão: a reconstrução do soalho de orbita e região supra-orbitária com enxerto retirado da crista ilíaca demonstrou ser adequada ao tratamento da falta de contorno estético, assim como projeção malar devolvida com a utilização de enxerto aloplástico tendo uma proservação de 04 meses.
    Lucianna de Freitas Prado
    PC-37 A percepção de gestantes sobre os benefícios do aleitamento materno

    A percepção de gestantes sobre os benefícios do aleitamento materno

    Vieira LM*, Oliveira FS, Ferreira JA

    Gestantes; bebê; aleitamento materno

    Objetivo: o objetivo deste estudo foi avaliar o conhecimento de gestantes sobre os benefícios do aleitamento materno para a saúde da mãe e do bebê. Material e método: participaram do estudo 40 gestantes primíparas, no último trimestre de gestação. Os dados sócio-demográficos das gestantes e o conhecimento sobre aleitamento materno foram obtidos por meio de entrevista. Resultados: os resultados mostraram que as gestantes tinham idade média de 24 anos, 65% eram casadas, 40% tinham ensino médio e 55% trabalham. Todas fizeram pré-natal, com média de 8,1 consultas. Do total, 42,5% receberam orientações sobre o aleitamento materno sendo dada principalmente por profissionais da área de enfermagem. Todas responderam que pretendiam amamentar e 35% relataram que o aleitamento era importante para a saúde da mãe e do bebê. Apenas 12,5% responderam que amamentariam até o bebê completar 2 anos de idade. Com relação aos benefícios para a mãe, 80% e 65% não sabiam que a prática favorecia o útero voltar ao normal e que diminuía a perda de sangue após o parto. Do total, 72,5% e 95% também não sabiam que o aleitamento protege do câncer de ovário e da osteoporose. Com relação aos benefícios para o bebê, 52,5% 70%, 75% e 80% desconheciam que o aleitamento protege da diarreia, pneumonia, otite e meningite, respectivamente. Conclusão: concluiu-se que as gestantes apresentaram conhecimento limitado sobre os benefícios para a sua própria saúde e a de seu bebê.
    Lucília Miranda Vieira
    PC-38 Avaliação do potencial erosivo de sucos de fruta

    Avaliação do potencial erosivo de sucos de fruta

    Alves LC*, Marra EMO, Marega AT

    Sucos; pH; agentes adoçantes

    Introdução: deve-se considerar que a dieta ácida parece ser o fator preponderante no desenvolvimento das erosões dentais. Objetivo: considerando a frequência da ingestão de sucos de frutas pela população e o desconhecimento do efeito que eles provocam sobre a dentição, avaliou-se, nesta pesquisa, o potencial erosivo de sucos de frutas diluídos ou não com açúcar ou adoçante dietético e sucos prontos para o consumo através de medidas de pH. Material e método: foram utilizados 5 tipos de sucos concentrados diluídos em água (Maguary) e sucos prontos para o consumo (Del Valle) nos sabores Caju, Uva, Laranja, Maracujá e Abacaxi. Os sucos foram diluídos de acordo com as recomendações do fabricante e adoçados com açúcar cristal (40 g) e 35 gotas para o adoçante dietético, ambos em 500 ml de suco. Para mensuração dos pHs, foi utilizado um Phmetro Quimis, Modelo Q-400A. Resultados: o registro dos pHs para os sucos foram: Caju diluído: 3,52; Caju+adoçante: 3,52; Caju+açúcar: 3,52; Caju pronto: 3,44; Abacaxi diluído: 3,67; Abacaxi+adoçante: 3,7; Abacaxi+açúcar: 3,77; Abacaxi pronto: 3,15; Uva diluído: 3,25; Uva+adoçante: 3,35; Uva+açúcar: 3,18; Uva pronto: 2,86; Laranja diluído: 3,2; Laranja+adoçante: 3,2; Laranja+açúcar: 3,4; Laranja pronto: 3,4; Maracujá diluído: 3; Maracujá+adoçante: 2,9; Maracujá+açúcar: 2,9; Maracujá pronto: 3,02. Observou-se que os sucos atingiram um nível de pH abaixo do considerado crítico para a dissolução do esmalte (5,5). Conclusão: conclui-se que os sucos de frutas avaliados apresentaram um alto potencial erosivo, devido seu caráter ácido e a população deve conhecer os riscos da ingestão abusiva dos mesmos.
    Lorena Cortez Alves
    PC-39 Perfil de produção científica de Endodontia em periódicos de impacto

    Perfil de produção científica de Endodontia em periódicos de impacto

    Chein RPA*, Estrela C, Alencar AHG

    Produção científica; endodontia; perfil

    Objetivo: avaliar o perfil da produção científica de endodontia em revistas especializadas com elevado fator de impacto. Material e método: a estratégia de busca incluiu a verificação individual de todo artigo publicado no banco de dados eletrônico do Journal Of Endodontics (JOE) e International endodontic Journal (IEJ) no período de agosto de 2001 a agosto de 2011. Para tanto, utilizou-se do portal de periódicos disponível eletronicamente no site CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). Os artigos foram distribuídos nas seguintes categorias: Revisão de literatura (sistemática e narrativa); Pesquisa clínica; Pesquisa básica (biologia e tecnologia); Relato de caso; País (ano/ origem); Brasil (universidade e estado). Resultados: a partir de 3600 artigos publicados, observa-se pequena quantidade de revisões sistemáticas de estudos clínicos e epidemiolólicos. Conclusão: Nos últimos anos a pesquisa científica em endodontia desenvolvidas no Brasil tem aumentado em quantidade e qualidade.
    Ranielle do Prado Ataides Chein
    PC-40 Abordagem e uso de crioterapia em tumor odontogênico queratocisto após 12 meses de descompressão

    Abordagem e uso de crioterapia em tumor odontogênico queratocisto após 12 meses de descompressão

    Sousa APA*, Carneiro DS, Silva Júnior AF

    Tumor odontogênico queratocisto; descompressão; crioterapia

    Introdução: O Tumor Odontogênico Queratocístico (TOQ) é uma patologia que era classificada como cisto odontogênico e passou a ser considerada em 2005 como um tumor odontogênico, devido apresentar características intrín¬secas compatíveis com neoplasmas, como sua alta taxa de recorrência e mecanismo de crescimento diferenciado. Embora ainda tenha etiologia desconhecida, acredita-se que sua origem esteja relacionada com os remanescen¬tes da lâmina dentária. Clinicamente apresenta comportamento agressivo e às altas taxas de recidiva. Vários tipos de tratamento têm sido relatados desde métodos mais conservadores à cirurgia radical. Com objetivo de diminuir o potencial de recorrência dessas lesões, alguns autores preconizam o uso de terapias adjuntas como a osteotomia periférica com brocas, tratamento do sítio cirúrgico com a solução de Carnoy´s, eletrocauterização, crioterapia e ressecção.Objetivo: relatar um caso de uma paciente portadora de um TOQ em mandíbula, atingindo grandes proporções. Como forma de tratamento optou-se pela descompressão de 12 meses da lesão para posteriormente curetagem e crioterapia da mesma. Esta conduta é considerada útil e conservadora, pois evita traumatismos a estruturas nobres próximas da lesão.
    Ana Paula de Almeida Sousa
    PC-41 Estudo retrospectivo da prevalência de sinais e sintomas de DTM em acadêmicos de odontologia em Araguaína - TO

    Estudo retrospectivo da prevalência de sinais e sintomas de DTM em acadêmicos de odontologia em Araguaína - TO

    Cardozo TDM*, Senna AM, Lima DA

    Disfunção temporomandibular; dor; prevalência

    Introdução: Disfunção temporomandibular (DTM) é um termo que abrange vários problemas clínicos da articulação temporomandibular, dos músculos mastigatórios e de estruturas a eles relacionadas. A DTM é caracterizada principalmente por dor, sons na articulação e função irregular ou limitada da mandíbula. Sua etiologia é multifatorial e em função da impossibilidade de reconhecer apenas um único fator etiológico desencadeante para a mesma e da necessidade de diagnóstico e tratamento acurados, torna-se importante o estudo de seus sinais e sintomas mais prevalentes. Objetivo: o objetivo desta pesquisa foi avaliar retrospectivamente a prevalência dos sinais e sintomas de desordens temporomandibulares. Material e Método: este estudo, do tipo transversal descritivo, foi realizado durante o ano de 2010 na Clínica Odontológica da Faculdade de Odontologia de Araguaína-TO, após aprovação do comitê de ética em pesquisa. A obtenção dos dados ocorreu por meio de levantamento e análise das fichas clinicas dos acadêmicos avaliados na disciplina de Oclusão nos anos de 2008 e 2009. Para classificar a DTM, foi utilizado o método de Fonseca et al. Resultados: foram avaliadas 143 fichas, sendo 93 do gênero feminino e 50, masculino. Os dados obtidos permitiram considerar que eram portadores de DTM leve, moderada e severa, respectivamente, 32,86%, 4,19% e 0,69% dos estudantes considerados. Conclusão: os sinais e sintomas mais prevalentes foram a presença de dores de cabeça frequentes, a sensação de os dentes não articularem bem e o indivíduo se considerar uma pessoa tensa.
    Tarcísio Duarte Moreira Cardozo
    PC-42 Cor: uma nova concepção de entendê-la sobre diversos substratos dentais.

    Cor: uma nova concepção de entendê-la sobre diversos substratos dentais.

    Gonçalves MMC*, Pacheco AFR, Ferreira MG

    Escala de cor; cor; resina

    Objetivo: diante dos vários sistemas de resina existentes hoje no mercado é notória a dificuldade que alguns cirurgiões-dentistas têm em relacionar o nome de uma resina com a sua cor,assim como de correlacionar a cor de uma porcelana e uma resina.
    No intuito de facilitar o entendimento das cores dos sistemas restauradores atuais propomos uma abordagem que unifique a maneira perceber e interpretar a cor de resinas e cerâmicas através delas mesmas,sem o uso de escalas pré-definidas. Material e método: discos de resinas e cerâmicas padronizados em 1 mm de espessura foram obtidos e sobrepostos a uma um quadrado impresso em papel fosco, dividido ao meio em sentido horizontal e vertical,subdivido,em quatro formas menores,cada uma de uma cor,simulando diferentes substratos.Em sentido horário vê-se amarelo opacificado simulando o efeito do Monopaque 110 da Ivoclair Vivadent,o preto simulando o fundo da cavidade oral,branco com risco preto em diagonal para informar a translucidez da cor e amarelo claro simulando o A2 da escala Vita. As amostras foram encaixadas em suporte fixo e fotografadas individualmente com a máquina fotográfica em configuração e posição também fixas. As imagens formam o banco de dados do software que está sendo desenvolvido. Resultados: 250 imagens a serem usadas como objeto de estudo. Conclusão: o conjunto de imagens demonstra os diferentes aspectos de uma mesma resina e cerâmica sobre diferentes substratos e permite não apenas conhecimento dos diversos sistemas restauradores, assim como infinitas possibilidades de comparações entre as mesmas.
    Melissa Morais de Castro Gonçalves
    PC-43 Associação do aparelho propulsor e da laserterapia de baixa potência sobre a formação óssea do côndilo da mandíbula

    Associação do aparelho propulsor e da laserterapia de baixa potência sobre a formação óssea do côndilo da mandíbula

    Capeletti LR*, Marques MR, Araujo RV

    Côndilo Mandibular; laser; aparelho

    Introdução: o aparelho propulsor da mandibular (APM) estimula a proliferação celular e a expressão gênica na cartilagem do côndilo mandibular (Marques et al., 2008). No entanto, sua associação com a laserterapia de baixa intensidade (LBI) é desconhecida. Ojetivo: avaliar os efeitos do APM associado à LBI sobre a formação óssea no côndilo mandibular. Material e método: vinte ratos Wistar foram divididos em quatro grupos. O Grupo I não recebeu tratamento, o Grupo II foi irradiado na articulação temporomandibular, bilateralmente, com laser diodo de baixa potência (780nm; 10 J/cm2, 40 mW) durante 10s em dias alternados. O grupo III usou aparelho propulsor diariamente, por dez horas e o Grupo IV usou o aparelho diariamente e recebeu irradiação em dias alternados. Após 15 dias os animais foram sacrificados com doses letais de anestésico e tiveram seus côndilos removidos, fixados em solução Methacarn, descalcificados em EDTA 4,13% por 30 dias e processados para inclusão em Paraplast. Cortes seriados sagitais de 5 μm de espessura foram corados pelo método Picrossirius-Hematoxilina. As análises morfométricas foram tratadas por ANOVA, um critério/Tukey. Resultados: os resultados demonstraram que a asociação do APM com a LBI aumentou de forma significativa a formação óssea nos côndilos mandibulares (83,4±8,3) quando comparado ao grupo controle (76,3±13,0) ou aos tratamentos isolados com APM (78,1±10,1) ou LBI (78,0±8,2). Conclusão: esses resultados sugerem que a LBI associada à propulsão mandibular estimula a formação óssea no côndilo da mandíbula.
    Lucas Raineri Capeletti
    PC-44 Relato de acidente envolvendo lesões por ação contundente: importância da análise em perícias civis

    Relato de acidente envolvendo lesões por ação contundente: importância da análise em perícias civis

    Delwing F*, Fernandes MM, Tinoco RLR

    Odontologia legal; deformidade; debilidade.

    Introdução: durante a atividade pericial odontológica, o perito se depara com a necessidade de avaliar diversos tipos de lesões que envolvem o complexo bucomaxilofacial. Objetivo: relatar um caso pericial civil e a avaliação de lesões subseqüentes. Relato do caso: o reclamante compareceu ao Serviço de Assessoramento Pericial da Faculdade de Odontologia de Piracicaba/UNICAMP para exames periciais, em face à ação judicial de ressarcimento de danos. O periciado estava num caminhão que trafegava e havia um trator na beira do acostamento cortando grama, quando uma pedra veio em direção ao pára-brisas do veículo atingindo a sua boca. Após foi atendido no hospital local, onde sofreu intervenção cirúrgica para retirar restos ósseos, sendo que nenhum outro tratamento foi realizado desde então. Aos exames clínicos e radiográficos observou-se perdas dos dentes 12, 11, 21, 22 e 23, com perda óssea dessa região e fratura da coroa do dente 32. Eventos esses relacionados com o acidente e compatíveis com ação mecânica contundente. Tais perdas ocasionaram ao periciado um enfraquecimento de caráter funcional das funções mastigatória, fonética e estética, caracterizando a debilidade permanente dessas funções. O periciado apresenta uma cicatriz, decorrente das lesões sofridas, de caráter aparente, permanente e irreparável por si só, interferindo negativamente em sua vida social e econômica. Em movimentos de fechamento de boca e deglutição, a falta dos dentes perdidos obriga-o a levar a mandíbula para cima e para trás, causando uma impressão vexatória a quem o observa, caracterizando, ainda, uma deformidade permanente.
    Fábio Delwing
    PC-45 Selamento apical de canais tratados com laser diodo 980 nm em diferentes parâmetros

    Selamento apical de canais tratados com laser diodo 980 nm em diferentes parâmetros

    Vieira C*, Souza Gabriel AE, Machado RBP

    Selamento apical

    Introdução: o tratamento com laser altera as paredes do canal radicular e pode favorecer a adesividade do cimento obturador à dentina e assim promover melhor selamento apical. Objetivo: avaliar, in vitro, a microinfiltração apical de canais irradiados com laser diodo 980 nm em diferentes parâmetros. Material e método: trinta e dois caninos superiores foram submetidos ao preparo biomecânico com sistema rotatório, irrigados com NaOCl entre cada instrumento e irrigação final com EDTA. Em seguida, foram divididos em 3 grupos (n = 10): G1 - sem irrigação (controle), G2 - irradiados com laser diodo 980 nm 1,5W/100Hz e G3 - irradiados com laser diodo 980 nm com 3,0W/100Hz. Utilizou-se um dente para o controle negativo e um para o controle positivo. O laser foi aplicado utilizando-se movimento helicoidal no sentido ápice-coroa-ápice por 16s. Os dentes foram obturados com o cimento obturador AH Plus e cones de guta percha. Os dentes foram imersos em tinta nankin, mantidos à 37° c por 96 horas, lavados, submetidos à descalcificação com ácido clorídrico 5 %. Em seguida, os dentes foram desidratados em álcool e posteriormente diafanizados em salicilado de metila. A microinfiltração marginal apical foi quantificada por meio de microscópio de mensuração. Resultados: os valores obtidos (mm) foram: G1 - (0,894 +- 1,265), G2 - (0,615+-0,930) e G3 - (0,099 +-0,219). O teste de Kruskal-Wallis revelou não haver diferença estatisticamente significante entre os grupos (p = 0,7328). Conclusão: conclui-se que a aplicação do laser diodo 980 nm nas paredes do canal radicular não alterou o selamento apical.
    Cleusa Vieira
    PC-46 MASI e conexões de saberes: diálogos entre a universidade e as comunidades populares - MEC/SECAD/UFU

    MASI e conexões de saberes: diálogos entre a universidade e as comunidades populares - MEC/SECAD/UFU

    Carvalho VF*, Oliveira TRC, Belanger APTR

    Idoso; multidisciplinaridade; conexões de saberes

    De acordo com o art. 2.º das disposições preliminares do Estatuto do Idoso a população idosa goza de oportunidades ao seu aperfeiçoamento mental e social, além da preservação da sua saúde. Nesse prisma, o Programa Multidisciplinaridade na Atenção à Saúde do Idoso (MASI) fundamenta em inter e multidisciplinaridade no atendimento aos idosos de Instituições de Longa Permanência, ambulatório Didático de Geriatria e Gerontologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Uberlândia (FAMED/UFU) e Hospital Odontológico (HO/UFU). O MASI conta com a participação de docentes, discentes e profissionais voluntários, além do apoio do Ministério Público, UFU e Conselho Municipal do Idoso de Uberlândia-MG. Com este suporte, tornou-se uma das ações (nº 11) do ?Programa Conexões de Saberes (PCS)? articulada com as ações nº7: Educação nutricional e nº 14: Direito a cidade: Dialogando e Matutando. O PCS é uma iniciativa do Ministério da Educação (MEC), por intermédio da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (SECAD) e execução do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Desenvolveram-se trabalhos de educação e troca de saberes no Ambulatório Didático de Geriatria e Gerontologia da FAMED/UFU com atividades desempenhadas por meio de diálogos, gravuras e informações que representava o elo e troca de saberes. A experiência do trabalho revelou a importância da comunicação direta entre a Universidade e a população, como forma de geração de informação, bem como os benefícios da conexão de conhecimentos entre os acadêmicos.
    Valessa Florindo Carvalho
    PC-47 Cisto dermóide gigante em bochecha: relato de caso tratado por marsupialização.

    Cisto dermóide gigante em bochecha: relato de caso tratado por marsupialização.

    Junior LHF*, Paulo LFB, Rosa RR

    Cisto dermóide; marsupialização; cavidade oral

    Introdução: o cisto dermóide é considerado uma lesão rara causada pela inclusão de celulas epiteliais ao longo das linhas de fusão embrionária. Geralmente o cisto dermóide oral surge como uma massa de crescimento lento, presente na linha media do soalho bucal e casos raros não relatados em língua, bochecha e glândula parótida. Relato de caso: um homem de 59 anos de idade foi encaminhado ao serviço de diagnóstico queixando-se de um grande aumento volumétrico na bochecha do lado direito com aproximadamente 13 anos de evolução.Ao exame clinico foi observada uma massa bem circunscrita, de consistência mole e superfície lisa que ocupava a face direita e que se estendia para dentro da cavidade oral medindo aproximadamente 13 X 8 cm de tamanho. Não apresentava alterações cutâneas no local e a palpação indicava uma lesão assintomática de consistência mole. Foi realizada a punção que exibiu grande quantidade de material pastoso sugestivo de queratina. Baseado nos aspectos clínicos e nos achados da punção aspirativa, a hipótese de diagnóstico foi de cisto dermóide.Devido ao tamanho da lesão e a possibilidade de proximidade com o nervo facial, foi proposto a realização de marsupialização. A análise histopatológica confirmou o diagnóstico de cisto dermóide. Dezoito meses após o tratamento, o paciente apresentou regressão significante da assimetria facial.
    Luiz Henrique Ferreira Junior
    PC-48 Atendimento odontopediátrico sob anestesia geral: relato de uma série de casos clínicos

    Atendimento odontopediátrico sob anestesia geral: relato de uma série de casos clínicos

    Moura LS*, Castro ADV, Prudente CCB

    Anestesia geral; atendimento infantil

    Objetivo: descrever uma série de casos com diferentes indicações para tratamento odontopediátrico sob anestesia geral (AG). Relato do caso: 4 crianças do Curso de Especialização em Odontopediatria (ABO-GO) foram encaminhadas para AG: (1) LCB (menina, 3 anos), apresentando déficit cognitivo e físico (sem diagnóstico neurológico), foi indicada para AG pela falta de colaboração (escore 4 na escala Venham) e não ter permitido a realização dos exames clínico e radiográfico; (2) YNL (menino, 5 anos), bom estado de saúde geral, foi indicado para AG pela complexidade do plano de tratamento, uma vez que apresentava todos dentes com destruição coronária por cárie e indicação de exodontia e comportamento não colaborador (escore 3 de Venham); (3) TFS (menina, 11 anos), bom estado de saúde geral, foi indicada para AG para realização de cirurgia complexa para extração de 7 dentes supranumerários inclusos; (4) ME (menina, 2 anos), bom estado de saúde geral, apresentando cárie de estabelecimento precoce, foi indicada para AG pela dificuldade cognitiva em colaborar com tratamento (cirúrgico-endodôntico-restaurador dos incisivos centrais superiores). Realizou-se todos tratamentos conforme os planejamentos previstos, em sessão única e sem intercorrências anestésicas. Com exceção da criança (1), com dificuldade em colaborar, as demais estão ou em acompanhamento preventivo ambulatorial ou no seguimento do tratamento planejado (3). Conclusão: os casos descritos mostram a pluralidade de indicações que podem cercear o tratamento odontopediátrico sob anestesia geral em âmbito hospitalar.
    Larissa da Silva Moura
    PC-49 Cirurgia de caninos inclusos por acesso palatino com o uso da técnica anestesica extra-oral.

    Cirurgia de caninos inclusos por acesso palatino com o uso da técnica anestesica extra-oral.

    Leite TM*, Buragin Junior JG, Mariano LC

    Caninos inclusos; anestesia extra oral; acesso palatino

    Relato do caso: paciente RMFS, 30 anos, sexo feminino, leucoderma, procurou a clínica de cirurgia da UNIP Campus Brasília, para realizar exodontia dos caninos superiores que se encontravam impactados por indicação ortodôntica. Durante o exame clínico, observou-se presença do dente 63, e ausência dos dentes 23 e 13. Através das radiografias panorâmica e oclusal contatou-se impacção dos caninos. Foi solicitada tomografia computadorizada para confirmar a localização dos dentes. A partir dos exames radiográficos foi definido o planejamento cirúrgico em dois atos operatórios. O paciente utilizou Betametasona 6 mg, uma hora antes da cirurgia. Foram anestesiados os nervos infra-orbitário, por acesso extra-oral, e o nasopalatino. Para exodontia do elemento 63 foi realizada incisão intra sucular, e relaxante tipo Newmam, seguida por sindesmotomia, osteotomia com broca esférica nº 6 em alta rotação sob irrigação com solução salina estéril, odontosecção com broca tronco cônica nº 701, e luxação com alavancas headbrink e apical reta, seguida de sutura em ponto simples. O procedimento realizado no elemento 13 seguiu a mesma sequência de eventos, entretanto o acesso foi por palatino, tendo como técnica anestésica o bloqueio do nervo palatino maior bilateral e acesso cirúrgico através de retalho de três pontos com a incisão em linha média do palato. Foi prescrito azitromicina e toragesic por 3 dias, nos dois procedimentos cirúrgicos. O pós-operatório e o reparo tecidual foram excelentes. As técnicas cirúrgica e anestésica empregadas se mostraram adequadas.
    Thiago Malaquias Leite
    PC-50 Conquistando sorrisos com o uso de laminados cerâmicos

    Conquistando sorrisos com o uso de laminados cerâmicos

    Santos VLJ*, Zavanelli AC, Mazaro JVQ

    Facetas dentárias; estética dental; cerâmica

    Introdução: em decorrência ao aumento de pacientes que procuram por beleza, os profissionais buscam alternativas na odontologia estética para a realização de tratamentos da área estética da maxila. Laminados cerâmicos é uma opção restauradora com previsibilidade clínica para estes casos, uma vez que as cerâmicas atuais garantem trabalhos com excelentes propriedades mecânicas, mimetismo dental e adesividade. Objetivo: demonstrar o passo a passo dos procedimentos clínicos de uma técnica empregada para o restabelecimento do sorriso com o uso de laminados cerâmicos. Relato do caso: paciente LRGF 54 anos, gênero feminino, procurou a Clínica do Curso de Especialização da Universidade Estadual Paulista (UNESP) - Campus Araçatuba com o desejo de finalizar sua reabilitação oral com um tratamento estético. Ao exame extra e intraoral observou-se forma da face, tamanho e linha dos lábios, níveis coronários e gengivais visíveis em repouso, fala e sorriso, harmonia e proporção da linha cervical, linha das bordas incisais, linha do lábio, cor e forma dental, suporte do lábio superior, relação do lábio inferior durante a fonética e referências fonéticas. Propôs-se, assim, o uso de laminados cerâmicos do sistema IPS-e.max, Ivoclar, Vivadent® nos elementos 13,12,11,21,22 e 23. Na sequência clínica realizou-se o enceramento diagnóstico, mock-up, preparo, moldagem, provisórios e cimentação das peças cerâmicas finalizadas. O resultado final demonstra a satisfação estética e funcional atingida com o uso dos laminados cerâmicos.
    Vera Lúcia Jerônimo dos Santos
    PC-51 Influência de diferentes dentifrícios clareadores na cor dental e topografia superficial após ciclos de escovação

    Influência de diferentes dentifrícios clareadores na cor dental e topografia superficial após ciclos de escovação

    Santos DFE*, Fonseca RB, Bueno FG

    Clareamento de dente; dentifrício; escovação dentária

    Objetivo: avaliar o grau de clareamento e rugosidade do esmalte após ciclos de escovação (simulando 7 dias, 1 mês e 6 meses). Material e método: amostras dentais humanas (6x6x6mm), foram manchadas em chá preto e alocadas em 7 grupos (N=5): controle (CT: escovação com água destilada), jato de bicarbonato de sódio (BIC), colgate total 12 convencional (Colg12) e dentifrícios clareadores: Mentadent (Ment), Colgate MaxWhite (ColgMx), Close Up Whitening (Clup) e Colgate Ultra Branco (ColgUB). A cor foi avaliada nos 4 tempos (T1: inicio; T2: 7dias; T3: 1 mês; T4: 6 meses) por espectrofotômetro (aferindo L, a, b e ΔE), e a rugosidade superficial (RA e RT) em rugosímetro. Resultados: a análise de dados pelos testes ANOVA e Tukey (α=0,05) mostrou que para Colg12 não houve alteração em ΔE (T2:6,3; T3: 4,97, T4: 5,96) mas houve redução de Ra (T1:1,46; T4: 1.0). Houve alteração do ΔE para Ment (T2: 2,69; T3: 5,15; T4: 5,95) e ColgUB (T2:5,8; T3:7,25; T4:2,7) mas também aumento de rugosidade Ment Ra (T1:0,97; T4: 1.22) e ColgUB Ra (T1:1,02; T4: 1.32). Já no ColgMx houve alteração do ΔE (T2:3,24; T3:5,6; T4:5,2) e manutenção da Ra (T1:1,04; T4: 1.0). No Clup houve diferença somente de T2 para T3 no ΔE (T2:6,0; T3:8,84; T4:6,3) com redução da Ra (T1:1,01; T4: 0,81). Conclusão: alterações em ΔE somadas à redução de rugosidade possivelmente se relacionem ao efeito clareador, ao passo que a limpeza da superfície pode ocorrer às expensas de maior rugosidade.
    Daniella Fernandes Estevam Santos
    PC-52 Agenesias múltiplas na dentadura mista: relato de caso

    Agenesias múltiplas na dentadura mista: relato de caso

    Ruas LCB*, Jesuíno FAS, Matias KK

    Agenesias; ortodontia; má oclusão

    Introdução: agenesia dental é a ausência congênita de pelo menos um dente. Segundo Tavajohi-Kermani et al, Shalish et al, Peck et al, e Pereira, Ramalho, esta é a anomalia dental mais encontrada no ser humano. Os elementos mais comuns para as agenesias são, com prevalência de 1,5 a 3,1%, o 2º premolar inferior, seguido do incisivo lateral superior e 2º premolar inferior. Elementos menos comuns são, com prevalência de 0,1 a 0,3%, incisivo central inferior, incisivo lateral inferior, 1º premolar superior, canino superior, e 2º molar superior. Fatores infecciosos, nutricionais ou traumáticos podem ser relacionados às causas. Entretanto, a principal responsável é a hereditariedade, o que torna difícil qualquer manobra de prevenção. As condutas a serem realizadas variam de acordo com a condição bucal e também financeira do paciente. O fechamento dos espaços através de aparelhos ortodônticos logo após a esfoliação do dente decíduo ou manter os espaços para uma reabilitação posteriormente, são os tratamentos de escolha. Relato do caso: paciente do gênero feminino, 9 anos, em fase de dentadura mista. A criança apresenta um padrão facial com tendência a má oclusão de Classe III, linha do sorriso baixa, freio labial superior hipertrófico e agenesias múltiplas de dentes permanentes. As agenesias levaram a presença de diastemas múltiplos. A criança recebeu um tratamento interceptativo para má-oclusão e Classe III, melhorando o trespasse anterior. As agenesias serão monitoradas direcionando o tratamento ortodôntico com vistas à reabilitação na dentadura permanente.
    Laryssa Cássia Barbosa Ruas
    PC-53 Contribuição da odontologia legal na solução de caso de perícia de lesão corporal em prótese fraturada

    Contribuição da odontologia legal na solução de caso de perícia de lesão corporal em prótese fraturada

    Rodrigues AC *, Cruz JPP, Barros GB

    Odontologia legal; perícia de lesão corporal; sistema estomatognático

    Objetivo: apresentar um caso no qual, por falta de conhecimento técnico específico, foi requisitada uma perícia para avaliação de perdas dentárias quando, na verdade, havia ocorrido a fratura de uma prótese parcial removível totalmente inadequada.Relato de caso: um indivíduo do sexo masculino foi encaminhado para perícia de lesões corporais como vítima de agressão física, sendo examinado, inicialmente, por um perito médico-legal. Este profissional relatou que o sujeito havia sofrido a avulsão de cinco unidades dentárias anteriores superiores, o que resultaria na debilidade permanente da função mastigatória e fonética, além de deformidade permanente, dada a condição estética do examinado. A vítima foi então encaminhada à perícia odonto-legal que constatou se tratar na verdade de fratura de elementos dentários de uma prótese removível provisória. Neste caso, o perito odonto-legal foi imprescindível à correta avaliação, bem como, à prestação dos esclarecimentos relacionados à verdadeira natureza do fato. Conclusão: o trabalho evidencia como o erro na oferta dos subsídios necessários à qualificação das lesões tem uma séria repercussão na definição das sanções penais. E, além disso, reafirma a importância da atuação da perícia odonto-legal nas perícias de lesões corporais envolvendo o sistema estomatognático
    Ailana Cardoso Rodrigues
    PC-54 Linfoma de células B de alto grau com diferenciação plasmablástica em pacientes HIV - negativo

    Linfoma de células B de alto grau com diferenciação plasmablástica em pacientes HIV - negativo

    Valoz FEF*, Pereira CM, Botelho TL

    Linfoma; células B; auto grau de diferenciação

    Introdução: a associação estreita entre os LNH e o HIV é conhecida há várias décadas. Cerca de 90% dos LNH associados ao HIV são do tipo de células B, sendo quase sempre de alto grau de malignidade. Dois tipos histológicos predominam: linfomas de Burkitt's que correspondem a 30-40 % dos casos e os linfomas B difusos de grandes células com 40-60%. Contudo, alguns linfomas associados ao HIV (cerca de 30%) não conseguem ser classificados em nenhum destes dois tipos. O linfoma plasmablástico (PBL) é um subtipo distinto dos linfoma não-Hodgkin de células B, caracterizado pela presença de imunoblastos com núcleos uniformemente redondos a ovais, um ou mais nucléolos proeminentes e citoplasma abundante originalmente descrito com uma forte predileção para a cavidade oral em indivíduos infectados pelo HIV. Objetivo: os autores se propõem a apresentar um raro caso de Linfoma B de alto grau com diferenciação plasmablástica e características morfológicas e imunofenotípicas de difereciação terminal das células B em paciente soro-negativo para HIV. Relato do caso: paciente V.P.S. , 52 anos de idade, leuoderma procurou atendimento na clínica de Estomatologia da Universidade Paulista em decorrência de aumento de volume facial. Durante anamnese, paciente relatou que o aumento de volume iniciou há cerca de 4 meses, era assintomático e de evolução rápida.
    Felipe Eduardo Ferreira Valoz
    PC-55 Odontologia legal: documentação odontológica e sua relação jurídica em processos contra cirurgiões-dentistas.

    Odontologia legal: documentação odontológica e sua relação jurídica em processos contra cirurgiões-dentistas.

    Gratão LL*, Carvalho ES

    Prontuário odontológico; processos; cirurgião-dentista

    Introdução: o cirurgião-dentista proporciona ao paciente conhecimento específico, complexo, obtido com anos de preparo técnico-científico, logo, é responsável pela execução e qualidade do serviço prestado em igual medida de complexidade e extensão. No Código de Processo Civil brasileiro no Art. 186, aquele que por negligência, imprudência e imperícia violar direito e causar dano a outrem, sendo moral e ou material, comete ilícito. Na odontologia o prontuário é de natureza jurídica contratual, portanto, obrigatório. A documentação odontológica além de resguardar a relação profissional paciente é também de extrema importância na identificação 'Post mortem'. Nos últimos anos a incidência de processos éticos e civis contra cirurgiões-dentistas aumentou expressivamente. Material e méodo: nesse estudo foram avaliados aleatoriamente vinte e três processos na esfera civil no Distrito Federal, já julgados, sendo que em todos eles o profissional foi condenado. Resultados: os resultados foram classificados de acordo com as especialidades em ordem decrescente de freqüência, 09 processos de implante e cirurgia, 06 de prótese, 04 de ortodontia, 02 de endodontia e 02 de dentística. Apenas em 01 processo foi afastado dano moral pelo juiz sendo que nos outros 22 o dano moral foi configurado em julgado. Concluão: o resultado demonstrou claramente que o dano moral caracterizado, no entendimento dos juízes de direito, nesses processos foi em razão da ausência do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, parte obrigatória e fundamental na documentação odonto legal.
    Lara Lenza Gratão
    PC-56 A importância da promoção de saúde para os pacientes com Síndrome de Sotos: relato de caso

    A importância da promoção de saúde para os pacientes com Síndrome de Sotos: relato de caso

    Kock R*, Máximo LS, Peruchi CMS

    Síndrome de Sotos; promoção da saúde; pacientes especiais.

    A Síndrome de Sotos ou gigantismo cerebral é uma síndrome congênita rara que está associada a retardo mental e crescimento ósseo rápido até os 4 anos de idade. Este trabalho teve como objetivo relatar o caso de um paciente diagnosticado com síndrome de Sotos atendido na Clínica de Odontologia de Pacientes Especiais do Curso de Odontologia da UCB-DF onde foi enfatizado a importância da promoção da saúde bucal e a humanização do atendimento odontológico nesses pacientes, além de ressaltar as características da síndrome e os aspectos de maior interesse odontológico. Concluímos que pacientes portadores desta síndrome não necessitam de cuidados odontológicos diferenciados para que se atinjam o sucesso no tratamento, bastando apenas conhecimento sobre a patologia, e a realização de um atendimento odontológico baseado na humanização de promoção de saúde.
    Renan Kock
    PC-57 Avaliação do comportamento de bebês durante atendimento odontológico preventivo

    Avaliação do comportamento de bebês durante atendimento odontológico preventivo

    Santiago LR*, Castro AM, Oliveira FS

    Comportamento; bebês; tratamento preventivo

    Introdução: o comportamento da criança durante a assistência odontológica constitui um grande desafio para o odontopediatra. Objetivo: fazer uma avaliação do comportamento de bebês, entre 2 a 16 meses, durante a assistência odontológica preventiva. Material e método: participaram do estudo 29 bebês dos quais 17 eram do gênero feminino (58,0%) e 12 masculino (41,4%).Na consulta inicial, foi realizada a anamnese e orientações aos pais e em seguida realizou-se o exame clínico e a higiene bucal com gaze e soro fisiológico. O comportamento da criança foi avaliado nos seguintes momentos: durante o posicionamento da criança no colo da mãe ou da técnica joelho a joelho, exame clínico e higiene bucal e categorizado segundo a escala de comportamento de Ohio ( A = comportamento quieto; B = choro, mas sem movimento de interrupção; C = movimento de interrupção, mas sem choro e D = choro com movimentos de interrupção). Resultados: a análise dos dados mostrou que em relação ao posicionamento, 22 crianças apresentaram comportamento A, no momento do exame clínico e da limpeza bucal, 48% dos bebês também apresentaram comportamento A. Conclusão: os bebês tendem a apresentar comportamento mais quieto no momento do posicionamento, mas a partir do exame e da limpeza bucal, o comportamento dos bebês apresentou maior variação.
    Larissa Rodrigues Santiago
    PC-58 Pinos de fibra de vidro e técnicas restauradoras na biomecânica de incisivos centrais tratados endodonticamente

    Pinos de fibra de vidro e técnicas restauradoras na biomecânica de incisivos centrais tratados endodonticamente

    Tavares RP*, Soares CJ, Valdivia ADCM

    Pinos dentários; incisivos tratados endodonticamente; biomecânica

    Objetivo: avaliar o efeito de técnicas restauradoras diretas e indiretas e inserção de pinos de fibra de vidro (PFV) no comportamento biomecânico de incisivos tratados endodonticamente.oMaterial e método: 90 incisivos centrais superiores foram distribuídos em 9 grupos (n=10), sendo um controle (IT) e 8 experimentais: Rc- resina composta sem PFV; Dcv- faceta direta em resina composta sem PFV; Cv- faceta indireta em cerâmica feldspática sem PFV; Cc- coroa em cerâmica feldspática sem PFV; RcGfp- resina composta com PFV; DcvGfp- faceta direta em resina composta com PFV; CvGfp- faceta indireta em cerâmica feldspática com PFV; CcGfp- coroa em cerâmica feldspática com PFV. As amostras passaram por ciclagem térmica, e por ensaio mecânico de extensometria e resistência à fratura (RF). Os dados foram submetidos à análise de variância em fator único e para os grupos restaurados empregou-se análise de variância fatorial (4x2), seguida pelo teste de Tukey (α=,05). O padrão de fratura foi analisado. Resultados: Os resultados de RF (N) foram: RcGfp 894,1(397,4)A; IT 844,8(186,5)AB; Rc 838,8(197,1)AB; DcvGfp 12,1(154,6)BC; Cv 562,3(138,6)C; Dcv 559,4(129,0)C; CvGfp 484,3(97,2)C; Cc 470,9(121,7)C; CcGfp 432,1(89,1)C (Letras diferentes=diferença significante). Os valores de deformação proximal foram mais altos nos grupos IT, Rc e RcGfp e baixo nos grupos Cv e Cc. Conclusão: a presença de PFV não aumentou a RF dos incisivos. Restaurações conservadoras com resina composta apresentaram os maiores valores de RF. Perda de estrutura dental tem influência direta nos valores de deformação e RF.
    Rhanielly de Paula Tavares
    PC-59 Estética em dentes conóides X auto-estima

    Estética em dentes conóides X auto-estima

    Silva AF*, Panazzolo IA, Shida LS

    Estética; dentes conóides; auto-estima.

    Relato do caso: paciente sexo feminino, 20 anos, apresentou-se na faculdade relatando insegurança ao sorrir, constrangida e com limitações sociais, fatores estes atribuídos à estética dental. Durante o exame clínico inicial verificou-se a presença de incisivos laterais superiores com formato conóide, sorriso gengival e desgastes sutis nas bordas de todos os dentes anteriores superiores, conferindo ao sorriso um aspecto desarmônico. A paciente optou pela não realização da cirurgia de aumento de coroa clínica.
    Inicialmente realizou-se moldagem para confecção dos modelos de estudo, fotografias, confecção da grade de Levin, encerramento dos dentes obedecendo à proporção áurea de canino a canino e guia de silicone. Posteriormente, foram confeccionadas restaurações diretas em resina, seguindo o protocolo que consta na literatura vigente. Foi realizada a estratificação das resinas, ajuste oclusal, restabelecimento das guias, acabamento e polimento com brocas, discos, lixas, pasta para polimento e por fim utilizou-se o glaze.
    O primeiro retorno foi realizado após duas semanas e depois mais duas visitas com intervalo de dois meses, para acompanhamento do pós-operatório. Após a realização dos procedimentos restauradores estéticos foi constatada uma significativa mudança na auto-estima da paciente através do estabelecimento de um sorriso harmônico.
    Aline França da Silva
    PC-60 Perfil do serviço de pronto atendimento odontológico de um município do estado da Bahia

    Perfil do serviço de pronto atendimento odontológico de um município do estado da Bahia

    Prado MC*, Casotti CA, Francisco KMS

    Urgência; saúde bucal; saúde coletiva

    Objetivo: este trabalho busca conhecer o perfil dos usuários ao Pronto Atendimento Odontológico Dr. Ademar Ventura Esteves (PAOAV) da Secretaria de Saúde do município de Jequié-BA e identificar os motivos da procura do serviço. Material e método: o estudo realizado é quantitativo, transversal e descritivo, do tipo documental, tendo como alvo os dados do relatório da PAOAV, no período de agosto de 2008 a maio de 2010. Os dados foram tabulados e analisados no programa Epi-info. Resultados: no período estudado, 9053 usuários procuraram atendimento no PAOAV, sendo destes 94,6% residentes na sede do município, 4,9% da zona rural e 0,5% de outros municípios. O dia da semana e horário de maior procura foram respectivamente terça-feira 19,5% e o turno matutino 47,9%. A média de idade dos usuários foi de 27,30 anos (dp±13), com intervalo de 01 a 91 anos. Dos usuários 3,9% relatam ter alergia, destes 95,9% a medicamentos e 4,1% outras substâncias. As principais queixas foram odontalgia 38,30%, abcesso/celulite 4,60%, problemas com prótese dentária 2,7%, consulta 2,4%, trauma 2,3%, distúrbio periodontal 2%, fratura coronária 1,80% e remoção de sutura 1,70%. O fluxo de pacientes foi maior entre as 06:01 e 12:00 horas (47,9%) . No acolhimento 50,2% dos atendimentos foi classificado como urgências e das consultas 10,4% foi encaminhada para serviço especializado. Conclusão: a partir dos resultados conclui-se que o PAOAV foi mais utilizado no turno matutino, por mulheres jovens, residentes na zona urbana e a principal causa dos atendimentos foi em decorrência de odontalgia e abcesso/celulite
    Mateus da Costa Prado
    PC-61 Prevalência e distribuição de lesões orais no CGDB: retrospectiva de 12 anos

    Prevalência e distribuição de lesões orais no CGDB: retrospectiva de 12 anos

    Moreira BC*, Ribeiro-Rotta RF, von Zeidler SV

    Epidemiologia; doenças bucais; estomatologia

    Objetivo: o objetivo deste estudo foi determinar a prevalência e distribuição das lesões bucais diagnosticadas no Centro Goiano de Doenças da Boca (CGDB) entre os anos de 1998 e 2010. Material e método: foram analisados 5466 prontuários e obtidas informações sobre idade, gênero e diagnóstico, sendo as lesões agrupadas de acordo com sua etiopatogênese. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob número 015/2010. Foi realizada análise descritiva dos dados para caracterização da amostra e registros de freqüência, utilizando o software SPSS Statistics 17. Resultados: A população estudada foi constituída predominantemente por indivíduos do gênero feminino (55,3%), com faixa etária entre 41 e 50 anos. Considerando a etiopatogênese das doenças diagnosticadas, as injúrias químicas e físicas da mucosa oral foram as mais freqüentes, com 28,2% dos casos, seguidas pelas alterações dentárias e das estruturas de suporte 12,7%. Doenças menos freqüentes, porém de grande relevância foram diagnosticadas, como as neoplasias malignas (3,1%) e as desordens com potencial de transformação maligna (3,6 %). Conclusão: Observou-se grande número de indivíduos com doenças bucais, exigindo atendimento especializado em Estomatologia, sendo as alterações bucais mais freqüentes associadas a traumas crônicos, principalmente associados a próteses mal adaptadas. Destaca-se a importância dos estudos epidemiológicos para conhecer o perfil da população e contribuir para traçar metas de prevenção e planejamento de ações em saúde.
    Bruna Castro Moreira
    PC-62 Cistadenocarcinoma: relato de um caso clínico em rebordo alveolar

    Cistadenocarcinoma: relato de um caso clínico em rebordo alveolar

    Viana KA*, Vêncio EF, Watanabe S

    Cistadenocarcinoma; tumor de glândula salivar

    Introdução: o cistadenocarcinoma é uma neoplasia maligna rara que se origina do epitélio glandular e se caracteriza microscopicamente pela formação de áreas microcísticas. Ocorre mais comumente em glândulas salivares maiores. Objetivo: apresentar um caso clínico de cistadenocarcinoma com localização em glândula salivar menor, discutindo seus aspectos histopatológicos. Relato do caso: paciente de 72 anos de idade, sexo feminino, apresentou aumento volumétrico assintomático de dois meses de evolução, na região retromolar esquerda sem envolvimento ósseo, conforme documentação radiográfica (panorâmica e periapical). O diagnóstico clínico foi de hiperplasia traumática, sendo realizada biópsia incisional. O fragmento foi encaminhado ao Laboratório de Patologia da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Goiás. Microspicamente, foi observado tumor de glândula salivar composto por inúmeras formações císticas com material hialino no seu interior. As células de revestimento cístico apresentavam-se cúbicas, pequenas e uniformes. Algumas delas apresentavam-se pleomórficas ou hipercromáticas. De permeio, havia células mucosas ou colunares no revestimento epitelial das áreas císticas. No estroma, notou-se intenso infiltrado linfocitário focal. Foi feito coloração especial PAS, que revelou positividade para as células mucosas, indicando origem glandular. O diagnóstico foi de cistadenocarcinoma de baixo grau de malignadade, o paciente encontra-se bem após 4 anos.
    Karolline Alves Viana
    PC-63 Enxerto homógeno em maxila parcialmente edentula: relato de caso clínico

    Enxerto homógeno em maxila parcialmente edentula: relato de caso clínico

    Almeida IO*, Santos EB, Mota DAS

    Implante dentário; regeneração óssea; transplante ósseo

    Relato do caso: paciente ASA 2 com diagnóstico inicial de edentulismo parcial e perda óssea horizontal moderada em região de maxila anterior. Apresentou exames sanguíneos sem alterações significativas, e PA controlada. Etapa cirúrgica dividida em três momentos, sendo primeiramente realizada a enxertia óssea com tecido homógeno de origem de banco de ossos, em segundo momento houve a instalação de implantes intraósseos e no terceiro momento foi realizada a cirurgia de reabertura para exposição dos implantes e confecção de prótese tipo protocolo sobre implantes. Paciente aguardou seis meses entre a enxertia óssea e instalação dos implantes e foi estabelecido o período de quatro meses para reabertura e exposição dos implantes para confecção protética. Paciente encontra-se atualmente no oitavo mês de acompanhamento clinico, no qual será aguardado mais dois meses de período de ósseo integração dos implantes para confecção protética.
    Indira Oliveira Almeida
    PC-65 Identificação humana a partir da análise de fotografias do sorriso: relato de casos

    Identificação humana a partir da análise de fotografias do sorriso: relato de casos

    Santos LPS*, Cruz JPP, Barros GB

    Identificação humana; fotografia dentária; odontologia legal

    Objetivo: o presente trabalho tem como propósito relatar dois casos nos quais as fotografias dos sorrisos foram elementos fundamentais na identificação das vítimas que se encontravam em estado avançado de decomposição. Relato do caso: um dos casos tratou-se de uma jovem garota, com problemas mentais, vítima de homicídio, que teve o corpo abandonando em uma lagoa e o outro diz respeito a um sujeito adulto, do sexo masculino, encontrado em fase de esqueletização, em uma zona rural. Para a conclusão dos casos, foram comparados os dados odontológicos encontrados nos mortos com os achados relacionados aos dentes anteriores, presentes em fotografias dos indivíduos sorrindo. Além disso, foram utilizados parâmetros baseados na antropologia forense, que permitiram não excluir as supostas vítimas. O método de identificação através dos caracteres dentários encontrados nas imagens das vítimas se mostrou de grande eficiência para a resolução dos casos apresentados. Dessa forma, enfatiza-se a necessidade de solicitação de fotografias de supostas vítimas sorrindo dentre os materiais requisitados nessas situações. Especialmente por este ser um procedimento de baixo custo e por apresentar importante potencial resolutivo nos casos envolvendo cadáveres em avançado estado de decomposição ou carbonizados.
    Lília Paula de Souza Santos
    PC-66 Abordagem multidisciplinar para inclusão social de ex moradores de rua: Casa de acolhimento Santa Gemma

    Abordagem multidisciplinar para inclusão social de ex moradores de rua: Casa de acolhimento Santa Gemma

    Rezende LGP*, Carvalho ML, Montes TC

    Inclusão Social; promoção em saúde; equipe multidisciplinar

    Introdução: o projeto de extensão na Casa de Acolhimento Santa Gemma Galgani, em Uberlândia-MG, é realizado por acadêmicos da Universidade Federal de Uberlândia dos cursos de Odontologia, Medicina, Psicologia e Administração. Objetivo: desenvolver ações de inclusão social à ex-moradores de rua; promover ações educativas e preventivas em saúde geral e bucal visando a reinserção no mercado de trabalho e formar profissionais de nível superior com sensibilidade social na abordagem de grupos em situação de exclusão social; capacitação dos acadêmicos e formulação de instrumentos para a resolução dos problemas. Material e método: as ações são educacionais e preventivas, utilizando-se rodas de conversa, oficinas de trabalhos manuais, discussões e debates. Os recursos utilizados são data-show, cartazes, macro-modelos, música, etc. Os temas abordados são doenças infecto contagiosas e transmissíveis, higiene geral e bucal, alimentação saudável, auto-estima e auto-valor, relação interpessoal, atividades lúdicas e de lazer. Conclusão: a educação e prevenção promovem melhores condições de saúde, mudanças de hábitos e comportamentos. O estímulo reconstroi a auto-estima e esperança desses cidadãos marginalizados e pela sociedade. Gerou-se uma mudança de comportamento dos moradores e acadêmicos que atuam no projeto através das trocas de experiência entre ambos. Observou-se o fortalecimento dos vínculos entre os moradores e confiança em relação a equipe de acadêmicos. Os moradores se sentem mais motivados e valorizados para vencer os obstáculos para a sua reinserção na sociedade, na família e no mercado de trabalho.
    Layra Gabriella Pereira de Rezende
    PC-67 Preferência pela odontopediatria como especialidade entre estudantes de odontologia: uma análise de quinze anos

    Preferência pela odontopediatria como especialidade entre estudantes de odontologia: uma análise de quinze anos

    Ferreira AP*, Freire MCM , Ferreira NP

    Odontopediatria; estudantes de odontologia; prática profissional

    Objetivo: analisar a Odontopediatria entre as especialidades de escolha por estudantes de Odontologia recém ingressos em uma Universidade pública, num período de 15 anos. Material e método: os dados foram obtidos por meio de um questionário aplicado aos estudantes recém ingressos da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Goiás, no período de 1993 a 2008. O instrumento era parte de um estudo mais amplo sobre os motivos para a escolha do curso e perspectivas profissionais dos estudantes, aprovado pelo Comitê de Ética da UFG (Parecer 085/06). As questões foram respondidas no início do curso nos anos de 1993, 1994, 1995, 2003, 2006, 2007 e 2008. As variáveis analisadas neste estudo foram sobre a intenção de cursar especialização e, caso afirmativo, qual o curso desejado. Os dados foram analisados no Programa SPSS versão 18, utilizando-se estatística descritiva. Resultados: a taxa de resposta foi de 79,1%. Do total da amostra, 73,3% pretendiam se especializar, 26,1% ainda não sabiam e 1 não pretendia. Um total de 12 estudantes (3,5%) desejavam se especializar em Odontopediatria e o número por ano variou de 1 a 4. Em comparação com as demais, esta foi a 6ª mais citada. A especialização mais frequente foi Ortodontia, seguida de Implantodontia e Cirurgia. Entre os cursos menos almejados estavam Prótese, Endodontia e Radiologia. Conclusão: a Odontopediatria foi uma das especialidades pretendidas pelos estudantes recém ingressos, mas não estava entre as especialidades mais almejadas e essa tendência se mostrou constante no período analisado.
    Aline de Paula Ferreira
    PC-68 Subtração radiográfica digital: uma inovação para a odontologia

    Subtração radiográfica digital: uma inovação para a odontologia

    Sousa DDM*, Carneiro LS

    Cárie; subtração radiográfica

    Objetivo: apresentar um caso clínico envolvendo o uso da técnica de subtração radiográfica digital (TSRD) para o monitoramento da remineralização de uma cárie dentária. A TSRD é um recurso que consiste em comparar duas imagens radiográficas obtidas de um mesmo sitio em diferentes épocas, permitindo a visualização de alterações minerais sutis. Relato do caso: um paciente procurou atendimento odontológico e, frente a suspeita de cárie proximal, foi obtida uma radiografia interproximal posterior rigorosamente padronizada, usando-se posicionador radiográfico, material de registro oclusal e processamento radiográfico padronizado. Uma lesão cariosa de esmalte foi confirmada na mesial do dente 16. O paciente foi submetido a um protocolo de remineralização com aplicação tópica de flúor a 1,23% semanal durante 2 meses e recebeu orientação de higiene oral e controle da dieta. Imediatamente após a terapia, uma nova radiografia interproximal foi obtida do mesmo sítio. As imagens inicial e final foram digitalizadas e submetidas à TSRD usando-se o software DSRâ. A medida da média dos valores de pixels no sítio da lesão na imagem de subtração radiográfica, através do software Image Toolâ, revelou sucesso do protocolo de remineralização da cárie, demonstrando o grande potencial dessa tecnologia para aplicação na Odontologia.
    Douglas Diego Marques de Sousa
    PC-69 Implante de zigomático na reabilitação de pacientes com fissura: casos clínicos

    Implante de zigomático na reabilitação de pacientes com fissura: casos clínicos

    Moraes LA*, Lopes JFS, Badaró MM

    Reabilitação; implante zigomático

    Introdução: a técnica a ser empregada em reabilitações de maxila deve envolver uma análise criteriosa das limitações locais, especialmente quando há fissuras de lábio e palato. O desenvolvimento de técnicas de ancoragem, como a de implantes zigomáticos, permite o manejo desses casos com considerável diminuição da morbidade, rapidez de execução e simplificação do tratamento, principalmente com aplicação de carga imediata. Frente ao comprometimento de uma adequada retenção e estabilidade de próteses, em virtude das limitações anatomofuncionais apresentadas por pacientes com fissura labiopalatina, uma eficiente alternativa para otimizar o uso de dispositivos protéticos recai sobre as fixações zigomáticas, devido à ancoragem na região de corpo de zigoma ou no processo frontal do osso zigomático, sendo portanto indicado em casos como única opção de tratamento em que há atrofia maxilar severa, ampla extensão alveolar de seio maxilar uni ou bilateralmente que impossibilitam a instalação de fixações convencionais. Objetivo: apresentar casos clínicos cujos pacientes com fissuras lábiopalatinas foram impossibilitados de receberem tratamentos reabilitadores convencionais, em função das limitações locais dos tecidos, sendo direcionados para o emprego de próteses implantossuportadas - overdentures e prótese tipo protocolo - com ancoragem em zigomático, atendidos no Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/USP). Conclusão: conclui-se que em virtude de tais manobras, a reintegração social, psicológica e a qualidade de vida de tais pacientes puderam ser readquiridas.
    Letícia Arantes de Moraes
    PC-70 Técnica de reembasamento de pino de fibra de vidro com resina composta dual

    Técnica de reembasamento de pino de fibra de vidro com resina composta dual

    Costa RV*, Rocha SS, Almeida JC

    Pinos dentários; técnica para retentor intra-radicular; raiz dentária

    Introdução: os pinos pré-fabricados surgiram como opção de retentor intrarradicular e em muitas situações clínicas como alternativa viável aos retentores metálicos fundidos. Dentre os diferentes tipos, os de fibra de vidro se destacaram e tem um crescente emprego devido sobretudo às suas características biomecânicas serem bastante similares à estrutura dentária. Por outro lado, pelo fato de serem pré-fabricados não se adaptam com precisão a todos os condutos radiculares preparados para um retentor, exigindo assim uma excessiva espessura do agente cimentante. Mais recentemente tem sido propostas técnicas alternativas no intuito de minimizar a quantidade de cimento entre o pino e as paredes do conduto radicular, haja vista que este é um fator que pode limitar a longevidade clínica dos dentes envolvidos. Objetivo: relatar um caso clínico em que foi empregada uma técnica de reembasamento de um pino pré-fabricado de fibra de vidro com resina composta previamente à cimentação com cimento resinoso.
    Ramon Vaz da Costa
    PC-71 O antibiograma no tratamento endodôntico

    O antibiograma no tratamento endodôntico

    Guimarães MS*, Dirceu RF

    Antibiograma; infecção persistente; endodontia

    Introdução: os microrganismos são os principais agentes iniciadores e perpetuadores das patologias pulpares e periapicais. Mediante sua ação direta ou indireta eles deflagram eventos histofisiológicos responsáveis pela instalação de processos inflamatórios e da doença endodôntica. O controle desses microrganismos constitui-se um elemento para o fim da doença e o reparo por parte do organismo, entretanto a eliminação do processo infeccioso não pode ser obtida mesmo diante de um adequado protocolo de tratamento. Dentre as principais causas relatadas para a persistência dessas infecções observam-se fatores locais e sistêmicos. Em relação aos fatores sistêmicos as doenças que dificultam a resposta do organismo frente aos agentes agressores são os principais. Considerando os fatores locais, temos a presença de microrganismos resistentes, de biofilmes bacterianos e a complexidade da anatomia dos canais radiculares, como principais causas. O tratamento de dentes com infecções persistentes constituem um desafio para quem se dispõe a fazê-lo. A realização de um exame específico para a identificação do microrganismo resistente ao tratamento e da droga a qual é sensível pode ser valido. O antibiograma realizado a partir de material coletado no interior do canal radicular é um exame simples e efetivo que pode aumentar o sucesso do tratamento nas infecções persistentes e evitar a prescrição incorreta de antimicrobianos. Objetivo: descrever de forma simplificada a técnica de realização do antibiograma no tratamento endondôtico, desde a coleta até a apresentação dos resultados.
    Maryanna de Souza Guimaraes
    PC-72 Avaliação da higienização do dorso lingual em pacientes idosos institucionalizados

    Avaliação da higienização do dorso lingual em pacientes idosos institucionalizados

    Rodrigues S*, Miranda AF, Gondim VL

    Saburra; pneumonia aspirativa; atendimento domiciliar

    Introdução: com o crescimento da população idosa, é necessário o aperfeiçoamento dos profissionais de saúde para melhor atender esta parcela importante da sociedade. Uma problemática presente neste grupo é a deficiência na higienização lingual, resultando no acúmulo excessivo de saburra, diretamente relacionada com enfermidades sistêmicas como a pneumonia aspirativa. A prática de atendimento domiciliar pode ser uma alternativa de participação efetiva do odontólogo nas práticas educativas, preventivas e de promoção de saúde bucal. Objetivo: demonstrar as condutas realizadas, em atendimento domiciliar, feitas pelos alunos do curso de Odontologia da Universidade Católica de Brasília, em 34 idosos da Instituição Lar Maria Madalena, no 1º semestre de 2011, localizada no Núcleo Bandeirante, DF e avaliar o grau de higienização do dorso lingual em pacientes em condições de semi e dependência. Resultados: observou-se que dos 34 idosos, 21 (61,76%) afirmaram escovar a língua diariamente e 4 não foram avaliados quanto à presença de saburra. Portanto, dos 30 idosos avaliados 90% (27) apresentavam saburra lingual em pelo menos 1/3 da língua, e destes, 48,14% (13) apresentavam-na em toda extensão lingual. Do total, apenas 10% (3) não apresentavam saburra. Conclusão: concluiu-se a necessidade da conscientização e orientações para os idosos, cuidadores, familiares e profissionais das instituições quanto à importância da higienização da cavidade bucal, principalmente o dorso da língua, devido ao grande risco de associação com o quadro de pneumonia aspirativa, que pode acometer estes indivíduos.
    Simone Rodrigues
    PC-73 Associação de tecnologia CAD e prototipagem para confecção de modelos dentais aplicados nas disciplinas da FOUFU

    Associação de tecnologia CAD e prototipagem para confecção de modelos dentais aplicados nas disciplinas da FOUFU

    Borges BC*, Soares PV, Tizzo LS

    Apoio didático; modelos virtuais; prototipagem

    Introdução: o desafio da relação ensino/aprendizagem objetivando que o aluno assimile as informações transmitidas por seus educadores nas aulas teóricas, nos remete a uma busca que visa a melhora dos materiais didáticos utilizados nesse processo e, dessa forma, permitir entendimento claro e objetivo de detalhes importantes para a realização de procedimentos restauradores do aparelho estomatognático. Objetivo: fornecer apoio didático qualificado sugerindo uma nova didática que favoreça o diálogo, questionamento, autonomia intelectual e troca de experiências entre professores/monitores/alunos para os graduandos do novo projeto pedagógico da Faculdade de Odontologia (FOUFU), matriculados na disciplina Unidade Reabilitadora do Aparelho Estomatognático II, III e IV, correspondentes aos 2º, 3º e 4º períodos, respectivamente, além de estagiários do Projeto de extensão de Atendimento a Pacientes com traumatismo Dento Alveolar (PEIC 026/2009). Material e método: foram gerados modelos virtuais 3D de pré-molares superiores em CAD RhinoCeros (LATE FOUFU), estes modelos foram exportados para o Processador de Prototipagem (CTI-Campinas SP) sendo gerados diferentes modelos em escala Macro, constituídos de nylon industrial, capaz de reproduzir detalhes anatômicos e simulação de cavidades e restaurações. Estes modelos foram aplicados nos laboratórios de ensino das disciplinas URIAE II, III e IV. Resultados: observou-se a melhora do processo ensino-aprendizagem, destacando a evolução dos discentes na assimilação dos conceitos de cavidade e estruturas do preparo cavitário.
    Bruna Cristina Borges
    PC-74 Aspectos relacionados aos danos materiais e morais em processos de responsabilidade contra cirurgiões-dentistas

    Aspectos relacionados aos danos materiais e morais em processos de responsabilidade contra cirurgiões-dentistas

    Rosa MR*, Daruge Jr E, Fernandes MM

    Jurisprudência; cirurgião-dentista; responsabilidade civil

    O presente trabalho tem como proposição analisar retrospectivamente a jurisprudência relacionada à responsabilidade civil promovidas contra Cirurgiões-dentistas no Estado de São Paulo no período de 2007 a 2010, enfocando aspectos relacionados aos danos materiais e morais. O levantamento foi realizado através do inteiro teor das decisões (tanto acórdãos como sentença) disponível na internet utilizando-se o site do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Em pesquisa jurisprudencial, foram levantados 100 julgados, sendo 96 acórdãos e 4 decisões monocráticas. Verificou-se que entre os Cirurgiões-dentistas processados, o sexo masculino obteve 76,9%, a área mais incidente foi a implantodontia (22%), a cidade com maior número processos contra Cirurgiões-dentistas foi São Paulo (26%), o doutrinador mais citado pelos julgadores no que versa sobre o entendimento da responsabilidade do odontólogo foi Rui Stocco (9%). A média dos valores dos danos morais, em primeira instância, foi de R$27.821,60 (Desvio Padrão 55.489,0), já a média dos valores de danos materiais foi de R$11.615,6 (Desvio Padrão 14.081,0). Quanto aos valores referentes aos processos de segunda instância, a média dos danos morais foi de R$32.615,60 (Desvio Padrão 60503,6), enquanto a média dos danos materiais foi de R$7.072,50 (Desvio Padrão 8638,0). Conclui-se que o número de processos julgados procedentes, contra os Cirurgiões-dentistas do estado de São Paulo, mostrou valores arbitrados para os danos morais muito mais elevados quando comparados aos danos materiais.
    Flávia Mariana Rosa
    PC-75 Assimetria labial. Correção com uso do ácido hialurônico

    Assimetria labial. Correção com uso do ácido hialurônico

    Silva RF*, Cardoso PC, Pacheco AFR

    Assimetria labial; ácido hialurônico; sorriso

    Introdução: ante a crescente demanda social por procedimentos estéticos, torna-se imperativo o respeito profissional pelos preceitos éticos e pelos princípios de análise facial, objetivando a excelência nas reabilitações. Dentro deste contexto há de se atentar para a importância das estruturas que emolduram o sorriso, em especial os lábios. A simetria do contorno gengival em relação aos mesmos torna mais agradável, aos olhos do observador, a face. Em contrapartida, assimetrias labiais dificultam a sua harmonização, mesmo com correções cirúrgicas periodontais. Objetivo: relatar, em painel, um caso clínico onde se corrige uma discrepância entre a espessura da porção labial esquerda em relação à direita, pelo preenchimento de ácido hialurônico, utilizando-se a técnica da retro-injeção, otimizando-se assim a resolução do caso. Este artifício até então utilizado apenas por Dermatologistas e Cirurgiões Plásticos, tem-se difundido mais recentemente no meio odontológico e possivelmente fará parte do nosso cotidiano ambulatorial. Vê-se aí a relevância de estudos e divulgação em fórum comum a nossa categoria, para o compartilhamento de conhecimento nas aplicações das inovações materiais e técnicas, sempre pautados nos limites da Ética profissional e apoiados na Literatura Científica.
    Rhodolfo Ferreira da Silva
    PC-76 Adenoma pleomórfico em glândula submandibular: relato de caso

    Adenoma pleomórfico em glândula submandibular: relato de caso

    Ribeiro ESS*, Dib JE, Ferreira MS

    Adenoma pleomorfico; glândula submandibular

    Relato do caso: este estudo apresenta um caso de Adenoma pleomórfico situado na glândula submandibular. Paciente de 28 anos do gênero masculino procurou o Serviço de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial do Hospital de Urgências de Anápolis, queixando-se de um aumento de volume na região submandibular direita. Durante exame clínico notou-se uma lesão na região submandibular direita de consistência dura, móvel e indolor. O tecido epitelial não apresentava quaisquer sinais flogísticos ou de supuração. Relatou ainda que a lesão apresentava um quadro de evolução de aproximadamente quatro anos, e que havia realizado uma biopsia em outro serviço, portando o resultado de Adenoma Pleomórfico. O tratamento cirúrgico foi realizado em ambiente hospitalar, sob anestesia geral, iniciou-se com uma incisão no bordo inferior da mandíbula, fez-se uma dissecação das estruturas anatômicas importantes e em seguida foi realizado a ressecção do ducto da glândula submandibular removendo totalmente a lesão e a glândula acometida pela neoplasia, que foi enviada para exame histopatológico. Após a remoção, fez-se uma sutura e o paciente foi acompanhado por 30 dias. O resultado do exame histopatológico confirmou o diagnóstico de Adenoma pleomórfico. Assim, o paciente foi orientado sobre o controle por, no mínimo, dez anos.
    Emmelyne Sousa Salatiel Ribeiro
    PC-77 Lesões corporais em crianças e adolescentes vítimas de violência atendidas no instituto médico legal de Jequié-BA

    Lesões corporais em crianças e adolescentes vítimas de violência atendidas no instituto médico legal de Jequié-BA

    Silva ISN*, Cruz JPP, Santos TS

    Violência doméstica; ferimentos e lesões; maus-tratos infantis

    Objetivo: Caracterizar as vítimas, os agressores e as lesões presentes nos casos de violência interpessoal contra crianças e adolescentes atendidos no Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Jequié-BA, no ano de 2009. Material e Método: Foram utilizadas informações secundárias no banco de dados presente na instituição. A análise foi obtida pelo levantamento das freqüências, no programa Microsoft Excel for Windows 2007, sendo os resultados analisados por estatística descritiva. Resultados: Verificou-se a predominância das lesões contusas (81,7%), sobretudo escoriações (31,9%). Estas causadas principalmente por seus responsáveis (49,0%), caracterizando uma maior freqüência dos casos relacionados a maus-tratos. Além disso, percebeu-se que as vítimas consistiram predominantemente de adolescentes (62,7%). Conclusão: Dos resultados encontrados, sugere-se a necessidade da elaboração de ações educativas, políticas de prevenção e combate à violência interpessoal envolvendo crianças e adolescentes na população pesquisada.
    Iane Souza Nery Silva
    PC-78 Prontuário odontológico - documentos essenciais para sua construção

    Prontuário odontológico - documentos essenciais para sua construção

    Oliveira PMC*, Menezes LMB, Albano R

    Odontologia; prontuário; legislação

    Introdução: o prontuário odontológico é um dos principais documentos odontolegais e seu preenchimento deve ser detalhado e conter alguns componentes essenciais que auxiliarão no processo de identifica humana, na defesa do próprio CD em casos de ações por responsabilidade profissional, assim como em cobranças judiciais de honorários profissionais. O correto preenchimento do prontuário, é um dos deveres do cirurgião dentista, previsto no código de ética, inciso VIII do art. 5° do Código de Ética Odontológica. Esse preenchimento deve seguir normais técnicas aliado com as particularidades que cada especialidade odontológica necessita. A maneira como cada um elabora seu prontuário odontológico é livre, todavia alguns cuidados devem ser tomados para que se possa ter um prontuário que seja uma fonte confiável de dados. Este deve assegurar ao paciente e ao profissional um total controle sobre a visualização do tratamento em qualquer etapa, assim como no caso de haver discordância entre paciente e profissional, para que tenha validade jurídica. Objetivo: esclarecer ao cirurgião-dentista quais documentos compõem o prontuário odontológico e como este deve ser construído sob a luz da matéria atual sobre o tema.
    Patrícia Maria Costa de Oliveira
    PC-79 Estratégias de Mock-up para planejamento de cirurgia plástica periodontal

    Estratégias de Mock-up para planejamento de cirurgia plástica periodontal

    Correa EJB*, Cardoso PC, Borges GJ

    Simulação; plástica periodontal; sorriso

    Introdução: o conhecimento dos principos estéticos tornou-se indispensável para o correto diagnóstico, planejamento e execução dos tratamentos cirurgicos e restauradores. O planejamento estético periodontal envolve várias dúvidas, que podem ser esclarecidas por meio de um ensaio restaurador ou mock-up executado no início do tratamento, com o objetivo de prever a finalização estética e auxiliar na cirurgia periodontal. Objetivo: demonstrar estratégias de mock-up para planejamento cirúrgico periodontal. Relato do caso: diante da queixa da paciente e dos exames (clínico, radiográfico e fotografias), observou-se que a paciente apresentava sorriso gengival, dentes curtos e restaurações de resina composta nas incisais dos dentes 11 e 21 e nas proximais dos incisivos superiores anteriores. Conclusão: a interação entre periodontia e dentística restauradora, com auxílio do mock-up, possibilitou a obtenção de um sorriso harmônico e equilibrado.
    Elias Jose Barcelos Correa
    PC-80 Busca por biomarcadores através de técnicas proteômicas em modelo in vitro de reabsorção óssea periapical

    Busca por biomarcadores através de técnicas proteômicas em modelo in vitro de reabsorção óssea periapical

    Formiga GV*, Rezende TMB

    Células RAW; RANKL; reabsorção óssea

    Objetivo: avaliar proteínas diferencialmente expressas entre as culturas de células pré-osteoclásticas RAW 264.7 tratadas ou não com recombinante (r) do receptor ativador do fator nuclear Kappa B ligante (RANKL). Material e método: culturas de células RAW estimuladas ou não com (r)RANKL foram incubadas por 7 dias em estufa de CO2, à 37º C, seguidas de testes de viabilidade celular (3-(4,5-Dimetiltiazol-2yl)-2,5-Difenil Brometo de Tetrazolina) (MTT), coloração de Fosfatase Ácida Tartarato Resistente (TRAP) e análises proteômicas (SDS-PAGE, gel bidimensional e análises no software Bionumerics. Resultados: a viabilidade celular foi similar entre os dois grupos estudados. A coloração de TRAP permitiu a visualização de osteoclastos diferenciados nas culturas celulares estimuladas com rRANKL. Os géis bidimensionais, apresentaram maior concentração de proteínas com pIs variando entre 5-8 e massas moleculares variando entre 25 70 kDa. As análises estatística comparando a coincidência de spots proteicos apresentaram R2 acima de 0,8 para ambos tratamentos. Dezessete proteínas foram consideradas ausentes/presentes, enquanto 8 proteínas foram considerados aumentados/diminuídos entre os grupo. Conclusão: a proteômica pode ser aplicada para o entendimento da reabsorção óssea periapical, possibilitando a identificação de biomarcadores para inovações na endodontia. No futuro, estudos in vivo podem ser delineados para o desenvolvimento de novas tecnologias de tratamento, acessíveis a população.
    Gabriella Vaz Formiga
    PC-81 Coaching - técnica inovadora na motivação em tratamentos ortodônticos

    Coaching - técnica inovadora na motivação em tratamentos ortodônticos

    Lucca PCC*, Marques K

    Ortodontia; coach; promoção de saúde

    Introdução: a técnica de coaching pode ser utilizada no tratamento ortodôntico para promover motivação, conscientização, entusiasmo e comprometimento do cliente. Objetivo: apresentar por meio de casos clínicos como estimular crianças e pais a buscar hábitos saudáveis seguindo as metas de: respirar, mastigar, cuidar e sorrir. Material e método: as técnicas motivacionais utilizadas foram os recursos lúdicos (teatro, música e outros), livros educativos, perguntas e respostas assertivas. Conclusão: o sucesso do tratamento é baseado no reconhecimento do hábito, o estabelecimento das metas traçadas no planejamento, a avaliação do desenvolvimento do tratamento, o comprometimento do cliente com técnicas eficazes de feedback e foco nos resultados de promoção de saúde.
    Paulene de Carvalho Cardoso de Lucca
    PC-82 Conhecimentos das mães sobre saúde bucal no centro de saúde da família Pedro Celestino Romero

    Conhecimentos das mães sobre saúde bucal no centro de saúde da família Pedro Celestino Romero

    Silva JC*, Kataoka AS

    Conhecimentos; saúde bucal

    Introdução: grande parte da bagagem social, cultural e educacional de uma criança é adquirida com seus familiares, pois é com esses que, geralmente, elas passam os primeiros anos de vida. Historicamente, a mãe atua com grande destaque no cuidado à saúde dos filhos. Assim, ela apresenta papel de estimuladora de hábitos de saúde bucal. O Pet-Saúde,projeto de âmbito multidisciplinar do Ministério da Educação, propicia contato entre as mães frequentadoras dos Centros de Saúde da Família (CSFs) e os estudantes, o que estimulou a realização desta pesquisa. Objetivo: avaliar o nível de conhecimentos sobre saúde bucal das mães frequentadoras do CSF. Material e método: foi realizado um estudo transversal com mães. Foi solicitado à participante que respondesse uma entrevista com questões relacionadas à saúde bucal. Resultados: a maioria das entrevistadas (98%) acredita que a mãe é a principal estimuladora dos hábitos de higiene bucal. Grande número de mães (94%) respondeu que a alimentação influencia na saúde dos dentes. Em relação a informações sobre saúde bucal, 66% acreditam que para ter acesso ao flúor é necessário ir ao dentista, 52% responderam que a quantidade de pasta ideal é o tamanho de um grão de ervilha, 66% sabem que crianças incapazes de cuspir não podem utilizar creme dental comum, 80% responderam que se deve utilizar fio dental apenas quando existem restos de alimentos entre os dentes e 66% disseram que a higiene bucal deve começar após erupção dos dentes. Conclusão: foi verificado que as mães que participaram da pesquisa têm um médio conhecimento sobre saúde bucal.
    Julianne Coelho da Silva
    PC-83 Mapa cromático e ensaio restaurador: passos para a excelência do resultado

    Mapa cromático e ensaio restaurador: passos para a excelência do resultado

    Lima PLA*, Pacheco AFR, Silva RF

    Ensaio restaurador; resina composta; cor

    Introdução: sentes amplamente restaurados e escurecidos interferem na harmonia do sorriso. O restabelecimento estético e funcional dos mesmos deve ser executado a partir de um planejamento prévio que envolve fotografias, mapa cromático e ensaio restaurador intra-oral. Um ensaio restaurador intra-oral permite ao profissional trabalhar com maior previsibilidade de resultados e conseqüentemente com uma menor margem de erros em casos mais difíceis. Relato do caso: paciente, R.R., apresentou-se à Clínica de Especilização de Dentística da ABO, Seção de Goiás, queixando-se do escurecimento dos incisivos centrais superiores. Inicialmente, realizaram-se fotografias e avaliação estática e dinâmica do sorriso da paciente. A partir da percepção de uma variadade de cromas, optou-se por realizar 4 diferentes mapas cromáticos e, consequentemente, ensaios restauradores intra-orais. Os mesmos foram fotografados e avaliados até se estabelecer um consenso quanto a forma e cor ideais para restabelecer os dentes comprometidos. Conclusão: conclui-se que a excelência do resultado final só foi possível pela informações fornecidas pelo mapa cromátio e ensaio restaurador.
    Pedro Luis Alves de Lima
    PC-84 Tratamentos ortodônticos com finalizações estéticas

    Tratamentos ortodônticos com finalizações estéticas

    Reis CMS*, Capelozza Filho L, Dos Santos AFL

    Tratamento ortodôntico; estética dentária; finalização harmoniosa

    Introdução: os tratamentos ortodônticos necessitam de intervenções multidisciplinares para uma melhor finalização estética e ganho da harmonia do sorriso. Na clínica ortodôntica restaurações estéticas, clareamento, implantes, gengivoplastia ganham cada vez mais destaque para os pacientes que buscam um melhor resultado estético e funcional. Relato do caso: neste trabalho, mostraremos diversos casos clínicos ortodônticos que necessitam de finalizações estéticas. Dentre estes estão dois casos clínicos de incisivos laterais superiores congenitamente ausentes tratados de formas diferentes: um com reanatomização do canino em incisivo lateral e o outro com manutenção do espaço para colocação de implantes osteointegrados unitários. Os outros casos envolvem a realização de cirurgia plástica periodontal empregada para a correção de sorriso gengival; clareamento cujo objetivo foi proporcionar melhora no impacto visual do sorriso de maneira conservadora e por último um planejamento com correto dimensionamento dos dentes anteriores, levando em consideração proporcionalidade e textura superficial. Conclusão: a integração entre as diversas especialidades da Odontologia permite um resultado estético muito favorável. Com um diagnóstico correto e a elaboração de um plano de tratamento adequado entre a Ortodontia e as demais especialidades, pode-se obter o objetivo final, ou seja, aliar estética à relação funcional, bem como à satisfação do paciente com o resultado obtido. Portanto, o envolvimento destas áreas, aliado aos diversos materiais disponíveis no mercado torna possível obter um excelente resultado estético e funcional.
    Camila Matos Santiago Reis
    PC-85 Perfil dos pacientes atendidos pelo Programa de Assistência Domiciliar HC - UFU com ênfase em odontologia

    Perfil dos pacientes atendidos pelo Programa de Assistência Domiciliar HC - UFU com ênfase em odontologia

    Tolentino AB*, Oliveira AG, Ferreira GT

    Odontologia; assistência domiciliar; dados socioeconômicos

    Introdução: uma vez que a saúde bucal é indissociável da saúde como um todo, fatores sistêmicos do indivíduo e do ambiente têm uma relação de mutualismo com o sistema estomatognático, o que torna o conhecimento dessas interações importante para o diagnóstico das reais necessidades dos pacientes. A participação odontológica no Programa de Assistência Domiciliar do HC-UFU ocorre através do atendimento aos pacientes desospitalizados portadores de necessidades especiais e/ou acamados, realizando procedimentos curativos, educativos e preventivos, com enfoque na reabilitação estética e funcional do aparelho estomatognático. Objetivo: conhecer epidemiologicamente o público atendido no programa e os riscos sistêmicos com interação odontológica, para assim delinear um plano de ação integral e integrado. Material e método: foram analisadas as informações dos prontuários e realizada entrevista com os 295 pacientes e/ou seus cuidadores, obtendo os dados socioeconômicos, odontológicos e de saúde sistêmica de cada indivíduo assistido. Resultados: observou-se que a maioria dos pacientes, foi submetida a consulta por um cirurgião-dentista nos últimos 12 meses e possui interesse no atendimento odontológico. Conclusão: as informações obtidas no levantamento permitem direcionar as ações da assistência para as verdadeiras necessidades dos pacientes. O envolvimento odontológico no programa contribui para o bem estar do assistido, através da atuação terapêutica e preventiva, além de proporcionar ao discente do curso de odontologia a experiência em participar de uma nova realidade de trabalho.
    Andrea Barros Tolentino
    PC-86 Cisto odontogênico ortoqueratinizado: relato de caso

    Cisto odontogênico ortoqueratinizado: relato de caso

    Marcelino RV*, Cardoso SV, Borges FC

    Cisto odontogênico ortoqueratinizado; tumor odontogênico queratocístico; região retromolar

    Objetivo: o cisto odontogênico ortoqueratinizado (COO) é uma lesão que muitas vezes se confunde com o tumor odontogênico queratocístico (TQO), mas é reconhecido como uma entidade distinta em decorrência de sua menor agressividade local e menor índice de recidivas. Relato do caso: este trabalho relata o caso de um homem de 20 anos de idade, o qual apresentava abscesso não responsivo a tratamento medicamentoso. Clinicamente, havia inflamação na região retromolar inferior esquerda, com drenagem de pus. Ao exame radiográfico, observou-se lesão intraóssea radiolúcida, unilocular, de limites bem definidos, associada ao dente 38 (incluso), ocupando o ângulo da mandíbula, medindo aproximadamente 6 cm. Diante das características observadas, trabalhou-se com a hipótese diagnóstica de cisto dentígero secundariamente infectado, prosseguindo-se com a enucleação da lesão. A análise microscópica do material revelou cavidade cística revestida por epitélio escamoso estratificado, ortoqueratinizado, com espessura de cinco a seis camadas de células, com delicada cápsula de tecido conjuntivo, apresentando moderado infiltrado inflamatório, sendo assim conclusivo de COO. Três meses após o tratamento, não evidenciou recidiva. Conclusão: este relato ilustra a importância da avaliação dos cistos odontogênicos queratinizantes, tendo em vista que nem todas essas lesões mostram o comportamento agressivo característico do TOQ, considera-se que tratamentos mais conservadores são adequados para os COO.
    Regianne do Vale Marcelino
    PC-88 Onlay cerâmica: preparo, moldagem e cimentação

    Onlay cerâmica: preparo, moldagem e cimentação

    Ribeiro LL*, Cardoso PC, Cardoso TDM

    Cerâmica; E-Max; dente posterior

    Introdução: a restauração estética em dentes posteriores é um desafio frequente na prática da clínica diária. Os avanços da adesão, as inovações dos sistemas cerâmicos e as frequentes falhas (falta de ponto de contato e fraturas de cúspides) do uso inadequado das restaurações diretas em cavidades extensas possibilitaram a evolução das reabilitações indiretas. Objetivo: apresentar um caso clínico de substituição de uma restauração de resina composta direta, extensa e deficiente, em dente desvitalizado e com retentor de fibra de vidro, por uma onlay cerâmica reforçada por dissilicato de lítio. A descrição do caso enfatizará o preparo, provisório, seleção do sistema adesivo e cimentação. Conclusão: conclui-se que a realização da onlay cerâmica possibilitou não somente restabelecer a estética dental, mas principalmente, aliá-la a questão funcional.
    Luciana Leandro Ribeiro
    PC-89 Sobrecontorno estético - estabelecendo a harmonia do sorriso

    Sobrecontorno estético - estabelecendo a harmonia do sorriso

    Nunes SP*, Cardoso PC, Ferreira MG

    Sorriso; resinas compostas; dentística operatória

    Introdução: o Sobrecontorno Estético é a extensão restauradora da cavidade, objetivando preservação da estrutura dental e correção da forma. Objetivo: apresentar o restabelecimento da forma e cor de uma cavidade classe IV. Relato do caso: paciente K.P.B.S., 20 anos, sexo feminino, compareceu à Clínica do Curso de Especialização em Dentística Restauradora da ABO, Seção de Goiás, insatisfeita com o sorriso motivado pela presença de restauração deficiente em todos os aspectos clínicos. Após realização de exames clínico, radiográfico, fotografias e confecção dos modelos de estudo, optou-se pela realização do sobrecontorno estético restaurador da Classe IV para correção de discreta inclinação vestíbulo-palatal. Realizou-se remoção da restauração deficiente e confecção da restauração pela técnica de estratificação. Os resultados comprovaram a dominância dos incisivos centrais e equilíbrio com a face. Conclusão: o estabelecimento estético funcional possibilitou a harmonia do sorriso e consequentemente o equilíbrio da face e satisfação do paciente.
    Sara Parreira Nunes
    PC-90 Síndrome de Gorlin Golts: abordagem interdisciplinar

    Síndrome de Gorlin Golts: abordagem interdisciplinar

    Mendonça VH*, França MMC, Durighetto Junior AF

    Síndrome; queratocistos; carcinoma basocelular

    Apresentamos o caso de uma paciente de 12 anos de idade com queixa de lesão radiolucida encontrada durante avaliação de rotina de acompanhamento médico devido a remoção de meduloblastoma a 3 anos. Ao exame identificamos déficit cognitivo, hipertelorismo, lesões papulares em palmo-plantares (pitz). Ao exame intraoral eram evidentes a má higiene oral, mas sem abaulamentos presentes, ou alterações condizentes com a queixa. Ao exame radiográfico identificamos lesão osteolítica, de margens bem definidas em corpo para angulo de mandíbula e com elemento dentário no centro. Também foram evidentes no exame panoramico lesão mandibular contra lateral de menor dimensão com bordos bem definidos, assim como em região posterior de maxila próximo a tuber maxilar. Foi realizada uma punção na lesão mandibular de maior dimensão e foi compativel com queratina (materia caseoso e brancento). Frente aos achados a hipótese era de queratocistos multiplos. Foi realizada uma biópsia incisional na lesão de maior tamanho que confirmou o diagnóstico. Baseados nos aspectos clinicos e patológicos. O diagnóstico foi de sindorme de gorlin-goltz. A paciente foi então avaliada pela dermatologia que identificou vários nevos na pele sendo que dois no couro cabeludo eram compatíveis com carcinoma basocelular, os quais foram removidos e o diagnostico anatomo patologico confirmou o diagnóstico clínico. A paciente foi submetida a uma descompressão dos cistos maxilares e mandibulares e está em acompanhamento das lesões cisticas à 1 ano.
    Higor Vieira Mendonça
    PC-92 A importância das referências estéticas no planejamento reabilitador

    A importância das referências estéticas no planejamento reabilitador

    Ferreira GC*, Cardoso PC, Ferreira MG

    Proporção; laminados cerâmicos; princípios estéticos

    Introdução: a aplicação de referências de proporcionalidade e harmonia dental são de fundamental importância na elaboração de um plano de tratamento estético. Relato do caso: serão descritos dois casos nos quais o diagnóstico de desarmonia de dimensões dentais foi imprescindível no tratamento executado. Paciente 1 apresentou-se à Clínica de Especialização em Dentística da ABO, Seção de Goiás, queixando-se de sorriso gengival e incisivos laterais superiores pequenos em relação aos demais dentes. Foi realizada cirurgia de aumento de coroa clínica estética da região do segundo pré-molar superior direito ao segundo pré-molar superior esquerdo, e foram confeccionados laminados cerâmicos sem desgaste para os incisivos laterais superiores. Paciente 2, procurou a Clínica de Especialização em Dentística da ABO, Seção de Goiás, buscando objetivamente substituir uma restauração de resina no dente 21 cuja cor se tornou discrepante a dos demais dentes após um tratamento clareador. Entretanto, foi observado falta de dominância dos incisivos centrais superiores, devido a uma largura proporcionalmente excessiva dos incisivos laterais superiores. Foi então sugerido que o dente 11 tivesse sua largura aumentada pela confecção de uma crista distal previamente à substituição da restauração do dente 21. A sugestão de tratamento foi simulada e então aprovada pela paciente. A crista distal no dente 11 foi executada utilizando-se resina composta, e o dente 11 encontra-se em estágio de provisório. Conclusão: em ambos os casos, a aplicação de referências estéticas possibilitou oferecer às pacientes um sorriso mais harmônico.
    Guido Cirilo Ferreira
    PC-93 Sub clinical failure on direct capping of human pulps with a dentin bonding system

    Sub clinical failure on direct capping of human pulps with a dentin bonding system

    Gava E*, Alves JB, Silva GAB

    Sistema adesivo dentinário; capeamento pulpar direto; falhas sub-clínicas

    Objetivos: examinar as falhas sub-clínicas do capeamento pulpar direto com Sistema Adesivo Dentinário. Material e método: os dentes foram submetidos á exposição pulpar, capeadas com o sistema adesivo Single Bond® Adhesive System (SBAS) e divididos em 2 grupos: I (pré-molares extraídos após 1 dia) e grupo II (pré-molares extraídos após 30 dias) e analisados por microscopia de luz (ML) e varredura (MEV). Resultados: imagens sugestivas de polimerização incompleta das camadas de adesivo, visualizadas como bolhas incorporadas na camada de adesivo em contato com o tecido pulpar foram encontrados. A interface adesiva aos 30 dias revelou áreas não polimerizadas com bolhas entre a restauração adesiva e o tecido pulpar. Células gigantes multinucleadas foram observadas junto ao material adesivo. A Microscopia eletrônica revelou falhas de adesão próxima à área da polpa exposta, visualizadas como fendas interfaciais, espaços entre a restauração adesiva e o substrato dentinário. Em maior aumento, a presença de glóbulos não polimerizados foi observada sob a camada de sistema adesivo. O estudo das laterais do bloco de resina mostrou falhas na formação dos tags para o interior dos túbulos dentinários como a malha de colágeno e inúmeros prologamentos odontoblásticos rompidos. Conclusão: a utilização do SABS como sistema de capeamento pulpar direto é desaconselhável, uma vez que falhas adesivas sub-clinicas acontecem invariavelmente na área de contato do material com o tecido pulpar.
    Elisandra Gava de Castro
    PC-94 Odontologia não-invasiva. Reestabelecimento de forma e função com o uso de resina composta

    Odontologia não-invasiva. Reestabelecimento de forma e função com o uso de resina composta

    Carvalho JMS*, Cardoso PC, Pacheco AFR

    Resina composta; cor; forma

    Introdução: as facetas diretas em resina composta tornaram-se, ao longo dos anos, uma ferramenta relevante à Odontologia não-invasiva para reabilitação de dentes anteriores com alteração de cor, forma ou fechamento de diastemas. Os dentes são satisfatoriamente restaurados e a harmonia do sorriso obtda de maneira conservadora graças à tecnologia adesiva e à constante evolução das propriedades dos materiais restauradores. No caso de diastemas, é de suma importância a obtenção de adequadas mensurações faciais e buco-dentais para o correto fechamento dos espaços indesejáveis sem mudar totalmente a forma original do dente e promovendo a naturalidade do sorriso. É essencial que o profissional compreenda a importância do conhecimento sobre cor e forma, disponibilidade de materiais e domínio da técnica a ser utilizada. Relato do caso: o presente trabalho apresenta um caso clínico de restaurações diretas de resina composta feitas de canino a canino sem nenhum desgaste, para fechamento dos diastemas anteriores, objetivando resultados estéticos e funcionais.
    Jamila Maria Sá de Carvalho
    PC-95 Leishmaniose em lábio: relato de caso

    Leishmaniose em lábio: relato de caso

    Sousa GLC*, Lawall MA, Leitão ECV

    Lesão em lábio; leishmaniose mucosa; epidemiologia

    Introdução: a Leishmaniose Tegumentar é uma doença infecciosa, porém não contagiosa. Constitui um problema de Saúde Pública, presente em 88 países, distribuídos em quatro continentes. Apresenta registro anual de 1 a 1,5 milhões de casos. Todas as regiões brasileiras são atingidas. Sua transmissão é vetorial, causada por protozoários do gênero Leishmania. Não é transmitida de pessoa para pessoa. Classifica-se clinicamente na forma cutânea e/ou mucosa, causando deformidades e disseminação sistêmica. O vetor está presente mais em áreas rurais, mas atualmente houve mudanças nos seus padrões epidemiológicos atingindo áreas periurbanas. Tem predominância em gênero masculino adulto, mas, acometem também em crianças. Relato do caso: este trabalho relata o caso clínico do paciente A.R.L., gênero masculino, 34 anos, melanoderma, apresentou-se ao Hospital Regional da Asa Norte, queixando-se de uma lesão no lábio inferior direito. Durante a anamnese o paciente relatou que a lesão estava presente há cerca de 3 meses, em evolução, e aumentando de tamanho. O paciente não apresentava hábitos nocivos como o uso de álcool e fumo. O diagnóstico diferencial clínico foi de carcinoma epidermóide ou lesão fúngica. Realizou-se uma biópsia incisional e o material encaminhado para análise anatomopatológica, obtendo um diagnóstico sugestivo, mas não conclusivo de carcinoma epidermóide. Foi realizada uma nova biópsia incisional, nova análise histopatológica e imuno-histoquímica, e confirmou-se o diagnóstico de leishmaniose. O paciente recebeu tratamento com antimonial, havendo remissão completa da lesão.
    Glenda Lemos Campos Sousa
    PC-96 Substrato escurecido: como restabelecer cor e forma com cerâmica?

    Substrato escurecido: como restabelecer cor e forma com cerâmica?

    Rodrigues DC*, Cardoso PC, Porfírio W

    Substrato escurecido; cerâmica; cor

    Introdução: o escurecimento dental ocasionado por fatores diversos e a dificuldade técnica, tem sido um fator limitante para resolução estética de casos, sobretudo, na região anterior. Entretanto, o aprimoramento dos materiais restauradores e a conjugação de novos sistemas cerâmicos com maior controle de passagem de luz tem oportunizado a reabilitação estética cada vez menos invasiva sobre substratos escurecidos. Ao restaurar indiretamente dentes anteriores escurecidos, os cirurgiões-dentistas devem ser cautelosos na escolha do sistema cerâmico, no protocolo correto do preparo e de cimentação do laminado e também na interação direta com o protético para escolha da cor. Relato do caso: relato de caso clínico sobre o tratamento restaurador em um dente escurecido de uma paciente jovem, devido a trauma e tratamento endodôntico. Realizando-se a análise estética do sorriso observou-se colagem de fragmento dental no ângulo mesial, e intenso escurecimento no dente 11. O tratamento indicado foi facetamento cerâmico do incisivo superior direito. Conclusão: conclui-se que as facetas cerâmicas apresentam resultado bastante satisfatório no tratamento de dentes escurecidos.
    Diana Cristina Rodrigues
    PC-97 Tratamento cirúrgico de fístula buconasal através da técnica palatoplastia de dois retalhos: relato de caso

    Tratamento cirúrgico de fístula buconasal através da técnica palatoplastia de dois retalhos: relato de caso

    Ramos Junior MJP*, Rocha FS, Furtado LM

    Fístula oronasal; palatoplastia; paramediana

    Introdução: A fístula oronasal é uma comunicação entre a cavidade oral e nasal que, geralmente, ocorre em pacientes com fenda palatina. Entretanto, outras condições como traumas faciais, infecções e neoplasias podem ser causadores destas fístulas. Várias técnicas cirúrgicas são propostas para seu tratamento, e suas indicações são baseadas na localização e extensão da lesão. Relato do Caso: paciente, gênero masculino, admitido em nossa instituição, queixando-se de fístula oronasal que havia aparecido após tratamento cirúrgico de fratura Le Fort II associada à fratura sagital da maxila ocorrida há 45 dias. O paciente apresentava disfonia, com nasalização da voz. Ao exame intra-oral foi observada fístula oronasal, medindo 1,5cm em seu maior diâmetro, na região mediana do palato duro. O exame radiográfico oclusal evidenciou a comunicação entre a cavidade nasal e oral. A técnica de palatoplastia de dois retalhos foi escolhida para fechamento da fístula. A margem fistulosa foi incisada, separando a mucosa oral e nasal e duas incisões paramedianas foram realizadas. Os retalhos foram descolados a partir das incisões paramedianas, até atingir a incisão na margem da fístula, o que promoveu maior elasticidade do tecido mole, permitindo a obliteração da fístula sem tensão. Foi realizado fechamento primário na área da fístula e fechamento secundário na área das incisões paramedianas. O paciente foi acompanhado durante seis meses sem queixas, o exame de radiográfico evidenciou manutenção do defeito ósseo e o aspecto clínico mostrou a completo fechamento da fístula oronasal.
    Marden José Pereira Ramos Junior
    PC-98 Acompanhamento clínico de acesso endodôntico atípico em dente anterior para conservação de estrutura dental

    Acompanhamento clínico de acesso endodôntico atípico em dente anterior para conservação de estrutura dental

    Ramos KS*, Soares CJ, Pereira RD

    Tratamento do canal radicular; periodonto; dentística operatória

    Introdução: durante o tratamento endodôntico (TE) adequada abertura coronária (AC) permite acesso direto ao canal radicular. Convencionalmente, a AC é realizada pela face palatina/lingual em dentes anteriores. Relato doc aso: no presente caso clínico é apresentado TE com AC atípica do dente 33. Clinicamente o dente apresentava extensa lesão cariosa na face vestibular expondo a entrada do canal radicular. Após a remoção do tecido cariado realizou-se a AC pela face vestibular, visando preservar a estrutura dental sadia remanescente na face lingual. O canal radicular foi preparado, preenchido com pasta a base de hidróxido de cálcio e o selamento coronário realizado com cimento ionômero de vidro (CIV). Na segunda sessão procedeu-se a obturação endodôntica e o dente foi selado provisoriamente com CIV. A restauração definitiva foi realizada com resina composta, cujo polimento ocorreu após uma semana. Com 1 ano de controle o TE apresentou sucesso clínico e radiográfico, no entanto, o tecido gengival apresentava-se edemaciado na área cervical do dente. Optou-se por realização de retalho gengival, observando-se invasão do espaço biológico e sobre-contorno da restauração. Foram realizados acabamento e polimento da restauração subgengivalmente e reestabelecimento das distâncias biológicas. Atualmente o caso apresenta-se com 2 anos de controle evidenciando sucesso endodôntico, restaurador e periodontal. Conclusão: a AC pela face vestibular representou uma alternativa de preservação de estrutura dentária que contribuiu para o êxito do tratamento endodôntico/restaurador realizado.
    Kelly Santos Ramos
    PC-99 O uso da cerâmica reforçada por dissilicato de lítio sobre substratos escurecidos: relato de caso clínico

    O uso da cerâmica reforçada por dissilicato de lítio sobre substratos escurecidos: relato de caso clínico

    Santos BMM*, Cardoso PC, Matos APR

    Cerâmica; substrato escurecido; E-Max

    Introdução: diante da grande tendência de utilização das restaurações indiretas metal free, torna-se de fundamental importância ter o conhecimento sobre os novos sistemas cerâmicos. Relato do caso: paciente do sexo masculino, E.M., 42, procurou a clínica da ABO-GO, seção de Goiás, com desejo de clarear os dois centrais escurecidos superiores. Após análise clínica e radiográfica, constatou-se presença de mordida topo-a-topo e a presença de restaurações deficientes Classe IV nos dentes 11 e 21. Em virtude da impossibilidade do tratamento ideal (tratamento ortodôntico) pelo paciente, o planejamento proposto foi: clareamento dental associado (caseiro e profissional), inserção de pinos de fibra de vidro, confecção de coroas cerâmicas e ajuste oclusal por meio de desgaste dentário dos incisivos inferiores. Diante do exposto, este trabalho relata o restabelecimento do sorriso com o sistema cerâmico reforçado com dissilicato de lítio, pastilha MO (e.Max Press), mediante a confecção de duas coroas cerâmicas nos incisivos centrais superiores, com ênfase na etapa de prova e cimentação. Conclusão: conclui-se que o uso do E-max sobre substrato escurecido para restaurar forma e função dentária com as características estéticas de cor, translucidez e opacidade, biomimetizando a estrutura dentária, propiciaram resultados satisfatórios.
    Bethânia Motta Martins Santos
  • Fórum Clínico - 22/09/2011
    (Clique aqui para visualizar os trabalhos)

    Código Horário Título Autor
    FCL-1 09:30 Tratamento interdisciplinar com materiais adesivos e implantes.

    Tratamento interdisciplinar com materiais adesivos e implantes.

    Silva WO*

    Sorrisos; implantes; adesivos

    Introdução: Atualmente, a crescente valorização de um sorriso esteticamente agradável faz com que as pessoas frequentemente procurem alternativas de tratamento para melhorar a aparência de seu sorriso. Por essa razão, os procedimentos restauradores estéticos são parte importante da reabilitação oral, sendo que cada vez mais pacientes e profissionais optam por essa modalidade de tratamento. Dentes com alteração de cor, forma e/ou posição, podem ser modificados em poucas sessões clínicas. Para as situações de dentes ausentes, com o advento da osseointegração, o profissional tem hoje a opção de devolver função e estética por meio das próteses implantosuportadas. Objetivo: relatar um caso clínico no qual foram realizados procedimentos adesivos estéticos simultaneamente a implantes dentários.
    Weider de Oliveira Silva
    FCL-2 10:00 Tratamento cirúrgico de ameloblastoma com preservação do N.A.I. e enxerto autógeno imediato.

    Tratamento cirúrgico de ameloblastoma com preservação do N.A.I. e enxerto autógeno imediato.

    Santos HAR*, Costa JMC, Costa SAA

    Neoplasia odontogênica; ameloblastoma

    Introdução: o Ameloblastoma é uma das neoplasias odontogênicas mais comuns que afetam os maxilares. Na verdade é o segundo tumor odontogênico mais comum, sendo o de maior significado clínico. Acomete relativamente ossos maxilares sendo mais freqüente em mandíbula, sem predileção por sexo. É um tumor benigno de origem epitelial incerta. Clinicamente, pode ser classificado em três tipos: sólido ou multicístico, unicístico e periférico. Apresenta crescimento localmente agressivo. E sua remoção pode levar ao aparecimento de distúrbios neurossensoriais relacionados ao nervo alveolar inferior. Atualmente, apesar de a Odontologia ser baseada em evidências, não há consenso quanto à abordagem cirúrgica para o tratamento curativo do ameloblastoma, o tratamento na maioria das vezes é radical, sendo a ressecção de mandíbula com margem de segurança o de maior escolha, porém esta escolha depende de vários fatores, o que torna difícil a escolha correta da forma de tratamento, tornando necessário um diagnóstico preciso. Objetivo: demonstrar com base em revisões da literatura e apresentação de um caso clínico uma forma de tratamento desse tipo de lesão realizada de maneira menos agressiva, preservando o nervo alveolar inferior e adotando procedimentos cirúrgicos menos radicais como escolha, minimizando o prognóstico sombrio desse tipo de lesão.
    Heberth Alexander Rodrigues dos Santos
    FCL-3 10:30 Tratamento reabilitador de avulsão dentária com reimplante tardio em paciente com crescimento facial incompleto

    Tratamento reabilitador de avulsão dentária com reimplante tardio em paciente com crescimento facial incompleto

    Sampaio FC*, Estrela C, Veloso HHP

    Reimplante dentário; avulsão dentária; reabsorção de dente

    Objetivo: apresentar caso clínico de avulsão dentária, seguido de reimplante tardio, visando manutenção de tecido ósseo durante crescimento facial e posterior tratamento reabilitador por meio de implante. Relato do caso: Paciente do gênero masculino, 11 anos, sofreu queda da própria altura durante jogo de futebol, tendo o dente 11 avulsionado. O dente só foi encontrado após 24 horas do acidente, localizado na areia ao lado da quadra e consequentemente mantido a seco até o atendimento, 47 horas depois. A opção terapêutica foi o reimplante dentário associado ao tratamento endodôntico, apesar do prognóstico de reabsorção, e contenção semi-rígida. Decorrido 1 ano do reimplante foi diagnosticada radiograficamente a reabsorção dentária substitutiva. Esta foi proservada, com finalidade de formação de osso, e após 3 anos e 8 meses a porção radicular encontrava-se quase totalmente reabsorvida, com tecido ósseo satisfatório para a reabilitação através de implante. Realizou-se exodontia com implante imediato e, após 6 meses, verificada a osseointegração, foi realizada a confecção de prótese sobre implante. Conclusão: Diante do exposto, fica evidenciado que o reimplante tardio pode ser proservado, a fim de que haja formação de tecido ósseo suficiente para a abordagem cirúrgica de instalação do implante sem necessidade de enxerto ósseo, favorecendo o resultado estético. Além disso, a manutenção do dente em função por alguns anos pode ser considerada como um tratamento de sucesso para casos de avulsão, em especial quando o paciente se encontra em fase de crescimento facial.
    Felipe Cavalcanti Sampaio
    FCL-4 11:00 Odontoma em formação: relato de caso em Odontopediatria

    Odontoma em formação: relato de caso em Odontopediatria

    Castro LP*, Percinoto C, Danelon M

    Odontoma; trauma dentário

    Introdução: Odontoma é um termo que se refere a um tumor benigno de origem odontogênica e de natureza mista, constituída por componentes epiteliais e mesenquimais. Histologicamente, são compostos de várias formações dentárias entre os quais encontramos esmalte, dentina, cemento e em alguns casos, tecido pulpar. Clinicamente, apresentam crescimento lento e são assintomáticos, sendo geralmente descobertos através de exames radiográficos de rotina. Relato do Caso: Paciente do sexo masculino, três anos de idade, compareceu à Bebê Clínica da Faculdade de Odontologia de Araçatuba-UNESP, queixando-se de bolinha perto dos dentes. Durante a anamnese, a mãe relatou que a lesão foi observada logo após um trauma, e que evoluiu aproximadamente em menos de 1 mês. Ao exame clínico intra-oral observou-se que havia uma lesão ulcerada com 0,8cm de diâmetro, localizada na região inferior e anterior entre os dentes 81 e 82, notando-se também a distalização das coroas. Após o exame radiográfico notou-se uma área radiolúcida e afastamento das raízes. Na ausência de características radiográficas e clínicas que conduzissem à um caso de odontoma, o diagnóstico diferencial foi com lesão periférica de células gigantes e granuloma piogênico. Assim, realizou-se punção da área, entretanto, não havendo presença de líquido, optou-se pela remoção cirúrgica da lesão, seguida pelo estudo histopatológico, o qual apresentou como diagnóstico definitivo um caso sugestivo de odontoma em formação. O paciente vem sendo acompanhado há três meses para a avaliação clínica e radiográfica.
    Luciene Pereira de Castro
    FCL-5 11:30 Caso raro de manifestação de linfoma não-Hodgkin difuso de grandes células B em ossos gnáticos

    Caso raro de manifestação de linfoma não-Hodgkin difuso de grandes células B em ossos gnáticos

    Siqueira ICR*, Gasperini G, Costa LRRS

    Linfoma; linfoma difuso de grandes células B; neoplasias maxilomandibulares.

    Relato do caso: paciente, 53 anos, gênero feminino, foi admitida no atendimento de urgências do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás (HC/UFG), pelo serviço de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial (CTBMF), em dezembro de 2010, com queixa álgica intensa, edema difuso em região mandibular bilateral em evolução há seis meses. Segundo relato, a evolução do quadro álgico se agravou após exodontia seriada de dentes em região anterior da mandíbula, por volta de seis meses da admissão no serviço de CTBMF/HC. Ao exame clínico intrabucal, notou-se crescimento irregular de tecido mucoso e exposição óssea em região anterior de mandíbula com drenagem de secreção purulenta; crescimento nodular em rebordo alveolar direito, de superfície lisa e eritematosa, séssil e palpação firme. Na admissão foi realizado biópsia incisional de partes moles e osso mandibular e encaminhado para o estudo histopatológico. A análise resultou em Linfoma não Hodgkin Difuso de Grandes Células B (LNHDGCB). Paciente foi encaminhada ao serviço de Hematologia Clínica do HC/UFG, iniciando o estadiamento e tratamento do linfoma. Após realização de seis ciclos do esquema quimioterápico Rituximabe-CHOP (anticorpo monoclonal associado ao esquema antineoplásico), durante seis meses, encontra-se em remissão do Linfoma não Hodgkin, na etapa de estadiamento da doença. Conclusão: o diagnóstico correto do LNHDGCB nos ossos genéticos é essencial para o início do tratamento e melhor prognóstico da doença, tendo o cirurgião-dentista, papel importante na investigação da patologia.
    Isabel Cristina Rodrigues de Siqueira
    FCL-6 13:30 Luxação condilar recorrente após extração do terceiro molar: uma rara complicação tratada por eminectomia

    Luxação condilar recorrente após extração do terceiro molar: uma rara complicação tratada por eminectomia

    Zoccoli LVJ*, Zanetta-Barbosa D, Oliveira MTF

    Exodontia do terceiro molar; luxação condilar recidivante

    Relato de Caso: Paciente feminina, 18 anos, foi submetida à cirurgia para extração dos terceiros molares inferiores. Durante o procedimento realizou-se osteotomia e odontossecção. Para a extração foram usadas alavancas. De acordo com a anamnese, a paciente não apresentava nenhuma alteração da articulação temporomandibular (ATM). Durante o pós-operatório imediato, a paciente queixou-se de limitação de abertura de boca e dor articular moderada. Entretanto, no nono dia pós-operatório, apresentou luxação dos côndilos mandibulares, sendo necessária intervenção para redução manual da mandibula. A paciente recebeu orientações quanto os cuidados preventivos para se evitar a recorrência da luxação, no entanto, os episódios se tornaram frequentes. Por volta do vigésimo dia após a cirurgia dos terceiros molares, apresentou cerca de quatro episódios de luxação diários, desenvolvendo uma maneira de reduzir manualmente a própria mandibula. Diante desta situação, foi proposta a instalação de barras de Erich e aplicação dos elásticos no intuito de limitar a abertura bucal, prevenindo a luxação. Mesmo com o uso de elásticos, a paciente apresentava recorrentes luxações. Devido à condição clínica a paciente e seus familiares optaram pelo tratamento cirúrgico. A cirurgia para eminectomia foi realizada sob anestesia geral e a paciente apresentou um bom pós-operatório. Resultados: Os episódios de luxação condilar desapareceram e a paciente não apresentou mais queixas durante todo o acompanhamento pós-operatório.
    Leandro Valentini Junqueira Zoccoli
    FCL-7 14:00 Distração osteogênica para ganho de projeção em terço médio da face em paciente vítima de fraturas múltiplas em face

    Distração osteogênica para ganho de projeção em terço médio da face em paciente vítima de fraturas múltiplas em face

    Cheim-Junior AP*, Hochuli-Vieira E, Pereira-Filho VA

    Distração osteogênica; fratura facial; deficiência da face

    Introdução: Grandes reconstruções maxilomandibulares frente a situações de trauma ou deficiências severas mostram-se procedimentos com grande possibilidade de recidiva, instabilidade, longos períodos de recuperação e alto custo. Neste contexto, procedimentos de distração osteogênica fazendo uso de aparelhos distratores internos mostram-se recursos ideais por promoverem um ganho progressivo da área deficiente (tecidos duros e moles), controle da movimentação durante o período pós-operatório e possibilidade de avanços maiores diminuindo a recidiva. Objetivo: relatar um caso clínico de seqüela de 3 anos de fraturas do terço médio da face. Material e Método: Foi realizada, sob anestesia geral, procedimento cirúrgico para osteotomia Lefort III modificada e instalação de distratores osteogênicos internos, fazendo uso de modelo estereolitográfico, para reposição de projeção ântero-posterior e harmonia facial. Posteriormente, foram realizadas reintervenções cirúrgicas para refinamento do caso, que atualmente encontra-se no seu terceiro ano de proservação.
    Adonai Peixoto Cheim Júnior
    FCL-8 14:30 Reabilitação total de maxila com implantes e coroas unitárias: relato de caso

    Reabilitação total de maxila com implantes e coroas unitárias: relato de caso

    Crosara MB*, Torres EM, Rocha SS

    Condicionamento gengival; coroas provisórias; prótese sobre implante

    Objetivo: discutir a importância de um planejamento multidisciplinar em casos de reabilitação com implantes e apresentar os resultados estéticos e funcionais alcançados com o auxílio de coroas provisórias, condicionamento gengival e cirurgia periodontal na reabilitação total de maxila com coroas e implantes unitários. Relato de caso: paciente MCAT, gênero feminino, 64 anos, compareceu à clínica da ABO-GO para reabilitar proteticamente implantes previamente instalados na maxila, referentes aos dentes 11, 12, 14, 15, 16, 17, 21, 22, 23, 25 e 26, e substituir coroas metalocerâmicas sobre as raízes dos dentes 13 e 24. O planejamento protético foi realizado com auxílio de modelos de estudo montados em ASA, fotografias e enceramento diagnóstico. Por razões financeiras, após ser devidamente esclarecida quanto aos planos de tratamento possíveis, a paciente optou pela reabilitação apenas do arco superior. O implante na região do dente 17 não pode ser reabilitado por falta de espaço oclusal. Para obter previsibilidade do tratamento final e realizar ajustes estéticos e funcionais, foram instalados provisórios sobre os implantes e dentes superiores, os quais possibilitaram restabelecimento funcional com recuperação da DVO e foram trabalhados ao longo de várias sessões para formação de perfil de emergência gengival. Foi realizada cirurgia plástica gengival. Após período cicatricial, os provisórios foram substituídos por coroas metalocerâmicas. Obteve-se ótimo resultado estético e funcional e a paciente relatou satisfação. O caso possui proservação de 6 meses.
    Mariana Borges Crosara
    FCL-9 15:00 Relato de caso: o uso de radiografias periapicais endodônticas e sua importância na identificação humana

    Relato de caso: o uso de radiografias periapicais endodônticas e sua importância na identificação humana

    Benedicto EN*, Daruge Júnior E, Lima SHR

    Odontologia legal; antropologia forense; tratamento do canal radicular

    Objetivo: O relato de caso procurou demonstrar a importância do uso de radiografias periapicais nos casos de identificação humana em indivíduos carbonizados. Materiais e Métodos: Na zona rural da cidade de Piracicaba-SP, ocorreu um incêndio em um veículo no qual foram encontrados remanescentes de um humano carbonizado, juntamente com objetos pessoais, os quais sugeriram que a vítima fosse uma mulher de 30 anos. Um suposto parente da vítima apresentou seis radiografias periapicais e uma ficha dentária da pessoa desaparecida. Além de vários dentes terem sido perdidos pelo calor, especialmente os anteriores; quatro elementos perderam suas coroas durante o processo de calcinação. Também foram encontrados no veículo um dente restaurado e cinco raízes, mas não a mandíbula. Resultado: Após o exame radiográfico, a equipe realizou o confronto odonto-legal das radiografias, encontrando similaridades essenciais entre os registros antemortem e postmortem, incluindo morfologia radicular, restaurações dentais, tratamentos e pinos endodônticos, e contorno do seio maxilar. Em um curto período de tempo a identificação foi positiva para a vítima, a um baixo custo graças às radiografias e registros odontológicos fornecidos pelo clínico da vítima. Conclusão: O caso apresenta a importância das radiografias odontológicas para a identificação humana, especialmente as imagens radiculares, em casos de incineração. A anatomia e a posição radicular são fontes preciosas de comparação, e em caso de perda da coroa, são comumente os únicos fatores que podem levar a identificação positiva.
    Eduardo de Novaes Benedicto
    FCL-10 16:00 Utilização de stent acrílico como alternativa de imobilização de enxerto gengival livre em regiões periimplantares

    Utilização de stent acrílico como alternativa de imobilização de enxerto gengival livre em regiões periimplantares

    Ribeiro MSG*, Carvalho AL

    Enxerto gengival; estética periimplantar

    Introdução: o sucesso em longo prazo nas reabilitações implanto-suportadas depende entre outros fatores, da presença de gengiva inserida na região periimplantar. Assim na busca de resultados mais previsíveis e satisfatórios do ponto de vista estético e funcional, procedimentos de enxerto, tais como o gengival livre, é de fundamental importância quando se visa aumentar a faixa de gengiva queratinizada nas áreas periimplantares. Entretanto, alguns fatores podem interferir na quantidade de gengiva inserida obtida durante o procedimento cirúrgico. Na região mandibular a ação da musculatura é um desses fatores e em determinadas situações pode resultar em grande retração do enxerto. Objetivo: o propósito do presente trabalho é apresentar um relato de caso clínico fundamento na literatura, de um paciente que possuía implantes na região posterior da mandíbula bilateralmente com ausência de gengiva queratinizada e que necessitava, portanto de enxerto gengival livre. Relato do caso:A técnica de enxerto gengival livre foi realizada tendo como área doadora o palato. Posteriormente, foi realizada uma técnica operatória no intuito de minimizar a ação da musculatura no período pós-operatório do enxerto. Um stent acrílico foi instalado no implante com uma extensão vestibular de forma a permitir a imobilização do enxerto.
    Marcelo Shin Iti Gondo Ribeiro
    FCL-11 16:30 Novas tendências no clareamento de dentes vitais e não-vitais : relato de casos

    Novas tendências no clareamento de dentes vitais e não-vitais : relato de casos

    Bitencourt EMC*, Fonseca RB, Lopes LG

    Clareamento dental; agentes clareadores; dessensibilizante

    Apesar do alto índice de satisfação pelos pacientes e tratar-se de procedimento conservador, o clareamento dental não está livre de inconvenientes como hipersensibilidade em dentes vitais e risco de reabsorção radicular externa em não-vitais.
    Objetivo: Este trabalho relata dois casos nos quais se utilizou tendências técnicas atuais com intuito de evitar ou minimizar tais efeitos adversos.
    Material e Método: Caso 1 - paciente FGB, 21 anos, gênero masculino procurou tratamento estético com queixa principal de insatisfação pela cor dos dentes. No exame clínico inicial, registrou-se a cor A3 e optou-se pela técnica de clareamento vital em consultório, que foi realizado em sessão única, com peróxido de hidrogênio 35% sem luz, e aplicação prévia de dessensibilizante. Caso 2 - paciente AS, 24 anos, gênero masculino, apresentava elemento 11 bastante escurecido. Na anamnese e exame clínico, constatou-se dente na cor A3, com tratamento endodôntico decorrente de trauma. O tratamento foi clareamento não-vital com aplicação interna e externa de peróxido de hidrogênio 35% sem luz, que foi realizado em duas sessões.
    Resultados: Em ambos os casos, os tratamentos resultaram em cor final A1. E o paciente do clareamento vital relatou sensibilidade apenas no 22 e 12 e ?pontada? no 33, que cessou em 24hs.
    Conclusões: Pode-se concluir que, nos dois casos, o clareamento desejado foi alcançado; e o uso prévio de gel dessensibilizante à base de fluoreto de sódio não prejudicou o resultado do clareamento, reduzindo as chances de sensibilidade durante e após os procedimentos clínicos.
    Érika Maria Carvalho Bitencourt
    FCL-12 17:00 Tratamento endodôntico do elemento 22 com ápice aberto, lesão periapical e dens in dens com plug de MTA

    Tratamento endodôntico do elemento 22 com ápice aberto, lesão periapical e dens in dens com plug de MTA

    Paulo AO*

    Plug apical; MTA; ápice aberto

    Objetivo: apresentar uma alternativa nas biopulpectomias e necropulpectomias em dentes permanentes jovens(ápice aberto) com o plug ou tampão apical de MTA.Será apresentado o caso clínico do tratamento endodontico do elemento 22 com ápice aberto, lesão periapical e dens in dens classe I. Neste dente após preparo químico cirúrgico foi feito o tampão apical de MTA e o restante do canal obturado com guta percha e cimento obturador endodontico(sealer 26), sendo realizada uma proservação de 24 meses na qual podemos perceber o reparo ósseo.
    Anderson de Oliveira Paulo
    FCL-13 17:30 Acesso transconjuntival para fraturas da região zigomático-orbitário: relato de caso clínico

    Acesso transconjuntival para fraturas da região zigomático-orbitário: relato de caso clínico

    Toledo IC*, Azevedo RA

    Acesso transconjuntival; estética; fraturas zigomáticas-orbitárias

    Introdução: o acesso transconjuntival para fraturas da região zigomático-orbitário proporciona ao cirurgião adequada exposição das fraturas ocorridas com baixo índice de complicações e excelentes resultados estéticos. Este tipo de acesso elimina a necessidade de incisões transcutâneas em pálpebra inferior assim como suas complicações: cicatrizes perceptíveis, retração de pálpebra inferior e ectrópio. O acesso transconjuntival, propicia exposição de fraturas em margem infra-orbitária, assoalho de órbita e margem lateral com a utilização de cantotomia lateral. Relato do caso: paciente procurou o ambulatório de cirurgia e traumatologia Buco-Maxilo-Facial da Universidade Federal da Bahia com história de acidente desportivo. Após exame clínico e imaginológico, foi realizado planejamento cirúrgico das fraturas da região zigomático-orbitário pelos acessos transconjuntival e fronto-zigomático e utilização de material de síntese para fixação. No momento paciente encontra-se em acompanhamento pós- operatório de 70 dias com resultado estético e funcional dentro do planejamento esperado.
    Ítalo Cordeiro de Toledo
  • Fórum Científico - 23/09/2011
    (Clique aqui para visualizar os trabalhos)

    Código Horário Título Autor
    FCI-1 09:30 Efeito do laser de baixa potência na redução das complicações orais do tratamento do câncer de cabeça e pescoço

    Efeito do laser de baixa potência na redução das complicações orais do tratamento do câncer de cabeça e pescoço

    Oton-Leite AFO*, Mendonça EF, Morais MO

    Laserterapia; câncer de cabeça e pescoço; complicações orais

    Introdução: o câncer de cabeça e pescoço (CCP) apresenta alta taxa de mortalidade e requer tratamento multidisciplinar. Cada modalidade de tratamento apresenta diferentes toxidades e efeitos adversos na função física, podendo ter efeitos substanciais na qualidade de vida do paciente. Dentre as complicações orais mais comuns destacam-se: mucosite, dor e a redução do fluxo salivar. Objetivo: avaliar o efeito do Laser de Baixa Potência (LBP) na redução do grau da mucosite oral (MO), da dor e do fluxo salivar em pacientes com CCP submetidos à radioterapia (RT). Material e método: sessenta pacientes foram divididos aleatoriamente em dois grupos: Laser (I) e Controle (II). O grupo I recebeu aplicações diárias do laser (685 nm, 35 mW de potência e fluência de 2 J/cm2). Já o grupo II recebeu simulações da laserterapia. Foram realizadas avaliações clínicas do grau de mucosite oral, da dor e fluxo salivar antes, durante e após a RT. Resultados: Nossos achados demonstraram que os graus de mucosite oral e a intensidade da dor foram significativamente menores no grupo laser quando comparados com controle (p<0.05). Houve redução significativa do fluxo salivar em ambos os grupos, entretanto essa redução foi estatisticamente menor no grupo I (p<0.05). Além disso, nossos resultados revelaram que os pacientes do grupo laser interrompem menos o tratamento radioterápico quando comparados com os do grupo controle (p<0.001). Conclusão: a laserterapia é um recurso terapêutico alternativo que controla os efeitos adversos do tratamento radioterápico em pacientes com câncer de cabeça e pescoço.
    Angélica Ferreira Oton Leite
    FCI-2 10:00 Avaliação de conhecimento sobre cariologia de estudantes de odontologia no transcorrer do curso de graduação

    Avaliação de conhecimento sobre cariologia de estudantes de odontologia no transcorrer do curso de graduação

    Ferreira NP*, Cury JA, Leles CR

    Ensino; cárie dentária; estudantes de odontologia

    Introdução: o controle da cárie como doença biossocial e o tratamento de suas sequelas requer a formação de profissionais tecnicamente capazes e socialmente engajados na solução desse problema de saúde pública. Objetivo: avaliou-se o conhecimento dos estudantes da Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) sobre Cariologia ao longo do curso de graduação. Material e método: o estudo foi aprovado pelo CEP da FOP-UNICAMP (protocolo nº 006/2010) e 275 estudantes responderam ao Questionário de Conhecimento sobre Cariologia (QCC), que contém 45 questões das áreas básica, clínica e de saúde coletiva. Os escores obtidos dos acertos nas questões foram comparados entre as turmas de graduação e tipos de questões (ANOVA e GLM para medidas repetidas), e feita análise de segmentação (K-means cluster para identificação dos perfis de conhecimento dos estudantes) e comparação com a turma de graduação (qui-quadrado para tendência). Resultados: de um escore máximo de 45, o escore total médio obtido foi de 26,0 (DP=4,9). Os escores foram influenciados pela interação do ano de graduação em curso e grupos de questões (p<0,001), sendo que os conhecimentos clínico e de saúde coletiva aumentam e se mantêm a partir do segundo ano do curso (p<0,05). Na formação dos clusters foram identificados três perfis de estudantes (básico, clínico e generalista), caracterizando a evolução do conhecimento e a integração dos ciclos de ensino no caminhar do curso (p<0,001). Conclusão: o conhecimento sobre cariologia evoluiu e mostrou-se como indicador da formação generalista ao final do curso de graduação da FOP-UNICAMP.
    Naiara de Paula Ferreira
    FCI-3 10:30 Influência da temperatura e do tempo de polimerização nas propriedades de sorção e solubilidade de um compósito

    Influência da temperatura e do tempo de polimerização nas propriedades de sorção e solubilidade de um compósito

    Castro FLA*, Reges RV

    Resinas compostas; temperatura alta; absorção

    Objetivo: avaliou-se neste estudo a influência da temperatura e do tempo de polimerização na sorção e solubilidade de um compósito. Material e método: espécimes (n=75; 8x2mm) foram confeccionados usando-se a resina ICE, SDI. Testou-se 3 temperaturas (10, 25 e 60ºC) e 5 tempos de polimerização (5, 10, 20, 40 e 60s). Os espécimes foram pesados, de acordo com a armazenagem em álcool/água (75%/25%): M1-antes do armazenamento; M2- 7 dias depois; M3- 8 dias depois (7 dias + 1 dia de secagem). Com as dimensões e a massa de cada espécime, calculou-se a sorção e a solubilidade. Os dados foram analisados por meio dos testes de ANOVA e T2 de Tamhane (α=5%). Resultados: mostraram que tempo e temperatura influenciaram a sorção e a solubilidade do material (p<0,01). A interação entre variáveis foi significante para solubilidade (p<0,01). Os tempos de polimerização geraram médias diferentes entre si (p<0,05), exceto quando se comparou 40s com 60s (sorção) e 40s com 20s e 60s (solubilidade). Houve aumento da sorção e da solubilidade com diminuição do tempo de polimerização. Para a temperatura, sorção e solubilidade foram menores para 60ºC do que para 10ºC (p<0,05). Para a interação, houve diminuição da solubilidade com aumento do tempo de polimerização e da temperatura, porém, isto só foi significante comparando-se 5s/60ºC com 20s/25-60ºC e 5s/60ºC com 40-60s/10-25-60ºC. Também foram encontradas diferenças entre 40s/10ºC e 40s/25-60ºC e entre 40s/10ºC e 60s/10-25-60ºC. Conclusão: concluiu-se que, em condições específicas, o pré-aquecimento da resina diminuiu a sorção e a solubilidade do material.
    Fabrício Luscino Alves de Castro
    FCI-4 11:00 Impacto da saúde bucal sobre a qualidade de vida de pacientes com a doença de Charcot-Marie-Tooth tipo 2

    Impacto da saúde bucal sobre a qualidade de vida de pacientes com a doença de Charcot-Marie-Tooth tipo 2

    Rezende RLS*, Araújo AAS, Neves ELA

    CMT 2; índice CPOD; questionário OHIP-14

    Introdução: a doença de Charcot-Marie-Tooth (CMT) é a neuropatia periférica hereditária mais comum em seres humanos apresentando uma incidência de 1:2500. Trata-se de uma doença de evolução lenta e progressiva caracterizada clinicamente por alterações motoras, sensitivas e tróficas. Objetivo: sabendo-se que o município de Tobias Barreto-SE possui uma família multigeracional com a doença CMT tipo 2 e que a progressão da doença é de distal para proximal, o objetivo deste trabalho foi realizar uma avaliação bucal e associar esses dados com a qualidade de vida. Material e método: foi realizado exame clínico com aplicação do índice CPOD ? OMS (Who-1997) para análise do índice de dentes cariados, perdidos e obturados e avaliação da qualidade de vida através do Questionário Short OHIP-14 (Slade, 1997). Participaram do estudo 14 pacientes com idade entre 13 e 55 anos, sendo seis homens e oito mulheres. Resultados: o exame clínico bucal mostrou que os indivíduos de CMT 2 apresentaram péssima higiene oral, contudo, na avaliação dentária (CPOD) os resultados obtidos foram: média de 24,86 (hígidos), 2,29 (cariados), 1,86 (restauração sem cárie), 0,07 (restauração com cárie), 0,86 (ausente por cárie). No questionário de qualidade de vida foi encontrado um nível de satisfação alto relacionado à saúde oral. Conclusão: associando os resultados, conclui-se que o índice CPOD corrobora com o questionário de qualidade de vida que apresentou bons domínios, apesar das limitações no aspecto de higiene oral. Nesta perspectiva, novos estudos serão realizados com o objetivo de justificar o bom índice CPOD apesar da deficiência de higiene oral.
    Rejane Lenier Santos Rezende
    FCI-5 11:30 Concordância entre os diagnósticos clínico e microscópico em um serviço de patologia bucal em um período de 54 anos

    Concordância entre os diagnósticos clínico e microscópico em um serviço de patologia bucal em um período de 54 anos

    Andrade OL*, Vêncio EF, Capeletti LR

    Serviço de patologia bucal; diagnóstico; epidemiologia

    Introdução: o Laboratório de Patologia Bucal da Faculdade de Odontologia (FO) da Universidade Federal de Goiás (UFG) atende à comunidade local e regional desde 1956. Objetivo: avaliar a utilização deste serviço num período de 54 anos, assim como avaliar a concordância dos diagnósticos clinico e anatomopatológico. Material e método: os dados clínicos foram retirados de fichas anatomo-patológicas do arquivo local. Resultados: os resultados mostraram que 7204 lesões do complexo bucomaxilofacial foram diagnosticadas no período de 1956 a 2010. Na primeira década (1956 a 1965), 133 espécimes foram processados aumentando em 22,3 vezes (2973 lesões) no período de 2006 a 2010. O número de casos diagnosticados entre 2006 e 2010 significa cerca de 70% do período de 1956 a 2005. A compatibilidade dos diagnósticos clínico e microscópico foi analisado em scores 0, 1 e 2 conforme o índice de acerto. Os resultados mostram índice de acerto score 2 foi de 35% na primeira década alcançando 57% na última. A ausência da informação sobre o diagnóstico clínico variou de 30% na primeira década alcançando 7% no último período . Dados clínicos mostram que o número de pacientes idosos atendidos ao longo de 54 anos passou de 3% para 17% da amostra. Conclusão: conclui-se que houve um aumento significativo da utilização dos serviço de Patologia bucal, assim como da melhora nas informações clínicas, o que se deve provavelmente à maior conscientização do Cirurgião-Dentista na utilização deste tipo de serviço.
    Ludmila Oliveira de Andrade
    FCI-6 13:30 Versão brasileira do Dental Discomfort Questionnaire: validação e análise preditiva de dor em pré-escolares

    Versão brasileira do Dental Discomfort Questionnaire: validação e análise preditiva de dor em pré-escolares

    Castro ADV*, Costa LRRS

    Dor de dente; pré-escolar; medição da dor

    Objetivo: realizar a validação no Brasil do Dental Discomfort Questionnaire (DDQ). Material e método: responsáveis de pré-escolares responderam o DDQ-p (versão traduzida e adaptada), preenchendo 12 questões sobre comportamentos relacionados à dor e uma dicotômica da presença da dor de dente (DOR). Comparou-se a variável DOR com a presença de cárie (índice ceo-d, feito por examinador calibrado, Kappa=0.9) (Qui-quadrado). Para análise psicométrica avaliou-se a estabilidade (Coeficiente de Correlação Intra-classe), a consistência interna (alpha de Cronbach e correlações), e a validade de construto (associação do DDQ-p com DOR e correlação com ceo-d) (Kuskal-Wallis e Spearman). Os itens preditores de crianças com dor e o valor preditivo do DDQ-Brasil (versão final) foram testados (regressão logística e Curva ROC). Resultados: 170 questionários foram incluídos (104 meninos), com idade média de 49,8 meses (DP=13,3). As crianças com cárie apresentavam mais DOR (60,2%) (P<0.001). Seis itens foram removidos (correlação item-total<0,40) e estabeleceu-se o DDQ-Brasil (alpha=0.80), com média de escore total (E) de 2,99 (DP=2,66), correlação positiva com ceo-d (rho=0.31, p<0.001) e associação com DOR significante em quatro itens (P<0.05). Os DDQ-Brasil com E ≥ 2 detectaram 82% de crianças com dor. O choro durante as refeições ou à noite, assim como a mão na boca durante a mastigação foram comportamentos mais presentes em crianças com cárie e dor. Conclusão: o DDQ-Brasil mostrou-se um instrumento consistente e válido para avaliação da dor de dente em crianças brasileiras.
    Anelise Daher Vaz Castro
    FCI-7 14:00 Tratamento de superfície de retentores intrarradiculares reforçados por fibra: caracterização micro estrutural em MEV

    Tratamento de superfície de retentores intrarradiculares reforçados por fibra: caracterização micro estrutural em MEV

    Dantas TS*, Neves FD, Naves LZ

    Pinos de fibra; tratamento de superfície; cimentação

    Objetivo: Pinos de fibra de vidro (PFV) e Pinos de fibra de carbono (PFC) foram investigados em Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV), após diferentes tratamentos de superfície. Material e método: Trinta pinos, sendo 15 PFV e 15 PFC foram divididos em 5 grupos com diferentes tratamentos de superfície (n=3): C - etanol 70% (controle); HF 4% - imersão em ácido fluorídrico 4% por 1 minuto; H3PO4 37% - imersão em ácido fosfórico 37% por 30 segundos; H2O2 10% - imersão em peróxido de hidrogênio 10% por 20 minutos; H2O2 24% - imersão em peróxido de hidrogênio 24% por 10 minutos. Resultados: Caracterização de superfícies em MEV revelou modificação morfológica da superfície dos pinos, após todos os tratamentos quando comparados com o grupo controle, para ambos os grupos. O ácido HF penetrou ao redor das fibras do grupo PFV promovendo alterações superficiais. A superfície dos pinos PFC se apresentaram inertes ao tratamento com HF 4%. Dissolução de resina epóxica e exposição das fibras superficiais foram observadas em ambos os grupos, independente do tipo de fibra de reforço, tratados com H2O2. Uma superfície relativamente lisa relativa foi produzida pelo tratamento com H3PO4 37%, mas com características semelhantes ao grupo não tratado. Conclusão: O tratamento com peróxido de hidrogênio modificou significativamente a superfície dos pinos avaliados, o que pode ser fator determinante na retenção micromecânica e química ao compósito restaurador.
    Talita Souza Dantas
    FCI-8 14:30 Influência do UCLA calcinável ou sobrefundido no destorque e desajuste de próteses unitárias implantossuportadas

    Influência do UCLA calcinável ou sobrefundido no destorque e desajuste de próteses unitárias implantossuportadas

    Bhering CLB*, Mesquita MF, Takahashi JMFK

    Desajuste marginal; próteses sobre implante; torque

    Objetivo: O objetivo no presente estudo foi avaliar a influência do método de obtenção dos componentes protéticos e da ciclagem mecânica no torque de afrouxamento de parafusos protéticos e no desajuste marginal de próteses unitárias implantossuportadas.
    Materiais e Métodos: Foram confeccionadas 20 amostras, compostas por um conjunto de implante (HE 3,75x13mm), pilar protético (UCLA calcinável ou sobrefundido) e parafuso de união. Os parafusos protéticos foram submetidos ao torque de 30Ncm, e as amostras à avaliação da força de torque de afrouxamento e de desajuste marginal em dois momentos: 24 horas após o apertamento dos parafusos e após a realização da ciclagem mecânica. As amostras foram submetidas a um milhão de ciclos mecânicos, realizados com 2Hz de frequência e carga de 130N. Os resultados foram submetidos à análise de variância para medidas repetidas, seguido de teste de Tukey HSD (α=0,05).
    Resultados: Não foi observado diferença no torque de afrouxamento dos parafusos protéticos para todos os grupos avaliados (p≥0,05). Os pilares calcináveis apresentaram desajuste marginal superior aos pilares sobrefundidos (p≤0,05) independente do tempo de avaliação. Não houve diferença no desajuste marginal antes e após a ciclagem mecânica para ambos os grupos (p≥0,05).
    Conclusão: Dentro das limitações deste estudo, conclui-se que os pilares sobrefundidos apresentam valores de desajuste marginal inferiores aos pilares calcináveis e que o processo de ciclagem mecânica não influencia o desajuste marginal e o torque de afrouxamento de infraestruturas de próteses unitárias.
    Cláudia Lopes Brilhante Bhering
    FCI-9 15:00 Fluorose dentária e fatores sociodemográficos em escolares de 12 anos em Goiânia-GO, 2010

    Fluorose dentária e fatores sociodemográficos em escolares de 12 anos em Goiânia-GO, 2010

    Vasconcelos DN*, Freire MCM, Nunes MF

    Fluorose dentária; escolares; epidemiologia

    Objetivo: Conhecer a prevalência de fluorose dentária e a relação com fatores sociodemográficos em escolares de 12 anos no município de Goiânia-GO, em 2010. Material e Método: Estudo transversal com o delineamento da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal do Ministério da Saúde (Projeto SB BRASIL 2010). A amostra examinada foi de 2.075 escolares (taxa de resposta=79,65%), selecionados aleatoriamente em 39 escolas das redes pública e privada do município. Os exames bucais realizados nas escolas, sob luz natural, com a utilização do índice de Dean. Os fatores sociodemográficos foram o sexo dos escolares, a escolaridade da mãe, o tipo de escola (pública e privada) e os sete Distritos Sanitários do município, referentes à localização geográfica de cada escola. A pesquisa foi aprovada no Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Goiás (Parecer no 226/2010). Para comparação entre os grupos utilizou-se o teste qui-quadrado. Resultados: A prevalência de fluorose foi de 18,5% (n=384). Os graus de severidade: 11,2% (n=233) muito leve; 4,2% (n=87) leve; 2,6% (n=53) moderada e 0,5% (n=11) grave. A fluorose foi mais frequente em escolares na rede pública (19,6%) que na rede privada (15,7%) (p=0,037). Por Distrito Sanitário a prevalência variou de 12,2% no Campinas-centro a 27% no Noroeste (p=0,000). Não houve diferenças significativas quanto aos demais eventos estudados. Conclusão: Apresentou-se acentuada a prevalência de fluorose dentária nos escolares de 12 anos, com predomínio dos níveis leves e associação com fatores relacionados às escolas e aos Distritos Sanitários.
    Daniela Nobre Vasconcelos
    FCI-10 16:00 Influência do tipo de adesivo e do uso de resinas de diferentes viscosidades na microinfiltração e fendas marginais

    Influência do tipo de adesivo e do uso de resinas de diferentes viscosidades na microinfiltração e fendas marginais

    Torres CRG*, Gutierrez NC

    Microinfiltração; fenda marginal; ciclagem termo-mecânica

    Objetivo: O objetivo desse estudo foi avaliar o uso de resinas de diferentes viscosidades (V) e tipos de adesivos (TA) na formação de fendas marginais (FM) e microinfiltração (MI) após envelhecimento artificial (EA). Material e método: 240 incisivos bovinos com cavidades padronizadas e foram divididos em dois grupos, de acordo com a V da resina utilizada: GR - Grandio SO - convencional, GF - Grandio SO Heavy Flow - baixa viscosidade. Cada grupo foi dividido em 6 subgrupos, de acordo com o TA aplicado: FBM - Futura Bond M, FDCF - Futura Bond DC fotopolimerizado, FDCQ - Futura Bond DC ? apenas presa química, CS - Clearfil S3, CDCF ? Clearfil DC fotopolimerizado, CDCQ - Clearfil DC apenas presa química. Cada subgrupo foi dividido em outros dois, realizando-se ou não o EA com ciclagem termo-mecânica. A maior FM foi mensurada em µm e a MI em mm. Os resultados foram analisados com ANOVA 3 fatores e teste de Tukey. Resultados: A ANOVA mostrou diferenças significativas em todos os fatores para FM e MI (p=0,00). Os resultados para TA foram: FM (CDCQ - 28.67a, CDCF - 32.25b, CS3 - 34.12bc, FDCF - 36.10cd, FBM - 36.50cd), MI (FBM - 2.85a, CDCQ - 3.00ab, FDCF - 3.08ab, CDCF - 3.15b, CS3 - 3.16b, FDCQ - 3.19b). Os resultados para V foram: FM (GR - 28.1a, GF - 40.6b), MI (GR - 2.68a, 3.46b). Os resultados para o EA foram: FM (Com - 29.05a, Sem - 39.65b), MI (Com - 2.66a, Sem - 3.48b). Conclusão: O uso da resina com viscosidade convencional resultou em menores FM e MI que a fluída. O EA aumentou a MI e a largura das FM. Foram observadas diferenças entre o TA e a fotopolimerização.
    Carlos Rocha Gomes Torres
    FCI-11 16:30 Tomografia computadorizada de feixe cônico na detecção de anormalidades em seios maxilares de pacientes assintomáticos

    Tomografia computadorizada de feixe cônico na detecção de anormalidades em seios maxilares de pacientes assintomáticos

    Sousa TO*, Mendonça EF, Rege ICC

    Tomografia computadorizada de feixe cônico; seio maxilar; anormalidade

    Introdução: O uso da tomografia computadorizada por feixe cônico (TCFC) tem sido crescente na odontologia. Com isso, o papel do cirurgião-dentista na avaliação de estruturas anatômicas próximas ao complexo maxilo-mandibular e seus aspectos de normalidade tem sido discutido. Objetivo: investigar ocorrência, tipo e localização de anormalidades em seio maxilar (SM) de pacientes assintomáticos por meio de exames de TCFC. Material e Método: 1113 exames de TCFC foram avaliados por 2 examinadores para identificar a presença ou não de anormalidades do SM. Os casos positivos foram reavaliados e identificou-se o tipo de anormalidade e localização no interior da cavidade sinusal. Foi realizada análise por estatística descritiva e teste do qui-quadrado. A concordância entre examinadores foi calculada por meio da estatística Kappa. Resultados: Anormalidades foram diagnosticadas em 760 pacientes (68,2%) (kappa 0,83 coeficiente). Houve maior ocorrência no gênero masculino (p <0,001). Não houve diferença em relação às faixas etárias (p <0,05). Espessamento mucoso foi a alteração mais prevalente (66%), seguido de cisto de retenção (10,1%) e opacificação (7,8%). Anormalidades sinusais foram mais frequentes na parede inferior (46,2%), anterior (29%), média (25,7%) e parede lateral (21,5%). Não foi observada associação entre a proximidade da lesão periapical e presença e tipo de anormalidades inflamatórias (p=0,124). Conclusão: Os achados enfatizam a importância de uma interpretação abrangente pelo radiologista dentomaxilofacial de todo o volume de imagens de TCFC, incluindo todo o SM, de forma rotineira.
    Thiago Oliveira Sousa
    FCI-12 17:00 Avaliação comparativa de maturação esquelética entre ossos metacarpianos e vértebras cervicais

    Avaliação comparativa de maturação esquelética entre ossos metacarpianos e vértebras cervicais

    Lima SHR*, Haiter Neto F, Daruge Junior E

    Vértebras cervicais; desenvolvimento ósseo; carpo

    Objetivo: Este estudo objetivou propor um método mais confiável ao cirurgião-dentista para um diagnóstico mais certo do estágio de desenvolvimento do paciente, propondo uma nova forma da avaliação das vértebras cervicais e um posicionamento mais preciso na curva de crescimento puberal. Material e Método: Foram utilizadas telerradiografias cefalométricas e carpais de 50 indivíduos leucodermas, sendo 27 do sexo feminino, com idade entre 11 e 16 anos e 23 do sexo masculino, com idade entre 12 e 17 anos. As radiografias carpais foram avaliadas pelo método Greulich & Pyle (1950) inspecional e as vértebras cervicais pelo método de Hassel & Farman (1995), analisando separadamente os corpos vertebrais das bordas inferiores. Todos foram posicionados na curva de crescimento puberal. Resultados: Apurou-se, com os ossos metacarpais, uma correlação fortíssima com a idade padrão, sendo r= 0,9538 para ambos os sexos, r=0,9341 para o feminino e r=0,9792 para o masculino. Avaliado os estágios vertebrais, apurou-se, em relação à idade padrão, os valores de r=0,8534 para ambos os sexos, r=0,8688 para o sexo feminino e r= 0,8729 para o sexo masculino; e em relação à idade metacarpal, r= 0,8277 para ambos os sexos, e r= 0,8390 para o sexo feminino e r= 0,8551 para o sexo masculino. Este método alcançou correlação maior que outros estudos com o mesmo objetivo. Conclusão: Os resultados obtidos foram confiáveis, tanto para a estimativa de idade óssea por meios dos estágios vertebrais, como no posicionamento do indivíduo na curva d crescimento puberal.
    Silas Henrique Rabelo de Lima
    FCI-13 17:30 Avaliação da manutenção da pré-carga de parafusos de retenção de abutments e cilindros em implantes de cone morse

    Avaliação da manutenção da pré-carga de parafusos de retenção de abutments e cilindros em implantes de cone morse

    Ferreira MB*, Assunção WG, Delben JA

    Prótese dentária; implante dentário; torque de inserção destorque

    O afrouxamento do parafuso de retenção de próteses sobre implante é uma falha mecânica comum que pode ser influenciado por diferentes fatores como o torque de inserção e a pré-carga. Sendo assim, o objetivo desta pesquisa foi avaliar a manutenção do torque de inserção de parafusos de retenção de abutments cônicos e cilindros de implantes de conexão Cone morse diante de sucessivos reapertos através da mensuração do valor de destorque. Foram formados 2 grupos de estudo (n=12) de acordo com diferentes componentes conectado a implante através de parafuso de retenção em titânio, Grupo II ? cilindro com base metálica conectado a abutment cônico de implante através de parafuso de retenção em titânio. Três minutos após a aplicação do torque inicial, foram mensurados os valores de destorque por meio de um medidor analógico de torque. A mensuração do destorque foi realizada 10 vezes para cada um dos parafusos de retenção dos grupos I e II, totalizando 120 mensurações de destorque em cada grupo. Os dados obtidos foram submetidos a ANOVA e teste exato de Fischer (P<0,05). Os dois grupos apresentaram redução do valor de destorque (P<0,05) em relação ao torque de inserção em todos os períodos de mensuração. Houve diferença estatisticamente significante (P<0,05) do valor de destorque entre o primeiro período de mensuração e demais períodos para o parafuso de retenção do abutment. Não houve diferença estatisticamente significante (P>0,05) do valor de destorque entre os períodos de mensuração para o parafuso de retenção do cilindro.
    Mayara Barbosa Ferreira
  • Fórum Acadêmico - 24/09/2011
    (Clique aqui para visualizar os trabalhos)

    Código Horário Título Autor
    FA-1 09:30 Avaliação do reparo ósseo em alvéolos dentários de cães preenchidos com Biogran® ou Biosilicato®. Estudo piloto

    Avaliação do reparo ósseo em alvéolos dentários de cães preenchidos com Biogran® ou Biosilicato®. Estudo piloto

    Brito KP*, Roriz VM

    Biomateriais; alvéolo dentário; reparo ósseo

    Objetivo: Este estudo foi desenvolvido com o intuito de comparar histologicamente a resposta tecidual de alvéolos de cães após exodontias, preenchidos ou não com Biogran® ou Biosilicato®. Material e Método: Foram utilizados três cães, que tiveram os pré-molares bilaterais mandibulares extraídos e seus respectivos alvéolos preenchidos (grupos teste) ou não (grupo controle) com esses biomateriais. Depois de 12 semanas, foi realizada nova cirurgia para realização de três biópsias ósseas nos rebordos com trefina para análise histológica do tecido neoformado. Resultados: Em relação às características histológicas das biópsias, observou-se bastante semelhança entre os grupos Biosilicato® e Biogran®, no entanto, com uma ligeira tendência de substituição por novo osso, mais rápida, para o Biogran®. Em diversos espécimes foi encontrada a formação de osso novo, sem a identificação dos grânulos de biomateriais, podendo ser observada a presença de osteoblastos em intensa atividade, com lacunas de reabsorção e osteócitos incluídos na matriz óssea. Nos espécimes do controle observou-se resposta tecidual caracterizada por formação óssea bastante semelhante à descrita para os grupos teste, em que não se visualizava a presença de partículas. Conclusão: Pelos achados desse estudo, pôde-se concluir que os biomateriais apresentaram respostas teciduais bastante semelhantes após terem sido colocados nos alvéolos de cães, por período de 12 semanas, sendo que o Biosilicato® pode ser considerado um possível substituto seguro para o Biogran® nestes tipos de defeitos ósseos.
    Karine Pereira Brito
    FA-2 10:00 Lesões do complexo bucomaxilofacial em crianças e adolescentes: um estudo epidemiológico

    Lesões do complexo bucomaxilofacial em crianças e adolescentes: um estudo epidemiológico

    Antonelli LR*,Vêncio EF, Siqueira TM

    Adolescentes; crianças; epidemiologia

    Introdução: Estudos epidemiológicos em crianças e adolescentes apontam as lesões inflamatórias como as mais prevalentes. No Brasil, há poucos registros epidemiológicos. Objetivo: apresentar um levantamento epidemiológico em crianças e adolescentes em um período de 54 anos (1956 a 2010). Material e Método: Foram revisados arquivos anatomopatológicos e os dados registrados conforme gênero, idade, localização e histopatologia. Resultados: Do total de 7.142 lesões, 1.065 foram diagnosticadas em crianças (0 a 9 anos) e adolescentes (10 a 19 anos), sendo que 28,9% acometeram crianças e 71,1% adolescentes.Com relação ao gênero, 55,2% foi para o gênero feminino e 44,8% para o masculino. A mandíbula foi o local mais atingido com 32,5%, seguido da maxila com 28,4% e lábio com 19,1%. As lesões inflamatórias foram as mais prevalentes com 53,3%, seguido das lesões císticas com 23,5% e tumores odontogênicos com 9,7%. Das lesões neoplásicas, 23 foram benignas e 10 malignas. Dentre as lesões inflamatórias, o mucocele foi o mais prevalente, seguido pela hiperplasia traumática (21,6%) e granuloma radicular (11,6%). Das lesões císticas, destacaram-se o cisto dentígero (45%) e cisto radicular (40,6%). O tumor odontogênico mais frequente foi o tumor odontogênico queratocístico (33,6%), Odontoma (26,9%) e ameloblastoma (15,8%). O odontoma composto representou 64,2% e o ameloblastoma unicístico 68,7%. Conclusão: Neste trabalho, os adolescentes apresentaram maior número de lesões com predomínio para o gênero feminino; a mandíbula foi o local mais atingido e as lesões inflamatórias e císticas foram as mais prevalentes.
    Laíne Ribeiro Antonelli
    FA-3 10:30 Avaliação das populações de linfócitos T em lesões periapicais de dentes

    Avaliação das populações de linfócitos T em lesões periapicais de dentes

    Lima NCS*, Estrela C, Batista AC

    Lesão persistente; infiltrado inflamatório; resposta celular

    Objetivos: Identificar e quantificar em lesões periapicais persistentes, os seguintes tipos celulares: linfócitos T (CD3+), linfócito T citotóxico (CD8+), linfócito T memória (CD45RO+) e linfócito T regulatório (foxp3+). Material e método: Foram selecionados, da Disciplina de Urgência e Endodontia da Faculdade de Odontologia - UFG , 20 pacientes (G2) que apresentavam dentes permanentes tratados endodonticamente com infecção secundária. O grupo controle (G1) foi composto por 10 pacientes com lesões periapicais associadas a dentes não tratados endodonticamente. As amostras foram submetidas à técnica de rotina (Métodod HE) para diferenciação histopatológica e à técnica da imunoistoquímica (Método LSAB) para identificação celular. Resultados: A análise histopatológica do G1 revelou: 06 granulomas periapicais (GP) e 04 cistos periapicais(CP); das 20 amostras do G2, 10 foram identificadas como GP e 10 como CP. A análise quantitativa dos dois grupos não apresentou diferença estatisticamente significativa para as populações celulares. No entanto, uma maior densidade de células foxp3+ e menor densidade de células CD45RO+ foram encontradas no G2 em comparação com o G1. Conclusão: Portanto, não foi encontrada diferença estatisticamente significativa da expressão de células CD3+, CD8+, CD45RO+ e foxp3+, embora tenha sido observada maior expressão de foxp3+ e menor expressão de CD45RO+ no G2, o que pode indicar modificação no microambiente dessas lesões e possivelmente refletir em um mecanismo de prevenção da exacerbação da inflamação nas lesões persistentes.
    Nathalia Caroline de Souza Lima
    FA-4 11:00 Modelos didáticos virtuais 3D e prototipagem aplicada na melhoria das aulas de preparos cavitários FO-UFU

    Modelos didáticos virtuais 3D e prototipagem aplicada na melhoria das aulas de preparos cavitários FO-UFU

    Fonseca CQ*, Soares PV, Zeola LF

    Preparos cavitários; prototipagem; modelos 3D

    Introdução: A utilização de equipamentos visuais nas salas de aula tem modificado as técnicas de ensino. No entanto, as demonstrações bidimensionais podem dificultar o aprendizado. Objetivo: Foi facilitar o ensino dos preparos cavitários, paredes e ângulos envolvidos em restaurações diretas para as disciplinas Unidade Reabilitadora Integrada do Aparelho Estomatognático II e III do novo Projeto Pedagógico da FOUFU, empregando técnicas de modelagem tridimensional e prototipagem. Material e Método: Pré-molar superior hígido foi degradado com HCl 2%-10min. Cada estrutura exposta foi digitalizada com scanner de contato. Os dados foram exportados para software de desenho RhinoCeros-3D. Sobre os aquivos STL foram criadas as superfícies NURBS e preparos cavitários virtualmente. Empregou-se software de captura de filmes Camtasia Studios visualização. Foram gerados modelos sólidos reais por meio de prototipagem, para o ensino laboratorial. Elaborou-se uma ficha com 3 níveis de avaliação: Docente, Discente Graduação e Pós-graduação. Quantificou-se o tempo gasto para assimilar cada conceito, princípios da aula de preparo, interação e comunicação aluno-monitor-docente nas aulas teórico-práticas. Resultados: Com aplicação do recurso 3D associado com os modelos de prototipagem, o período de tempo das aulas foi reduzido, e após avaliação obteve-se níveis de aceitação: 100%, 98% e 95% para as categorias aluno, monitor e docente, respectivamente. Conclusão: As sugestões foram coletadas durante primeira aplicação, e esta técnica facilitou o diálogo, autonomia intelectual e aprendizado.
    Camila Queiroz Fonseca
    FA-5 11:30 Significância clínica dos macrófagos associados ao tumor em carcinoma espinocelular de cavidade oral

    Significância clínica dos macrófagos associados ao tumor em carcinoma espinocelular de cavidade oral

    Arantes DAC*, Batista AC, Martins AFL

    Macrófago; carcinoma de células escamosas

    Introdução: os macrófagos associados ao tumor (MAT) desempenham uma diversidade de papéis que podem contribuir tanto com a imunidade antitumoral como com a angiogênese e progressão neoplásica. Neste contexto, existem poucos estudos que avaliaram a significância clínica dos MAT em carcinoma espinocelular (CEC) de cavidade oral. Objetivo: o objetivo do presente estudo foi identificar e quantificar macrófagos CD68+, em amostras de CEC de cavidade oral metastático, não-metastático e mucosa oral saudável, bem como avaliar a relação dessas células com a presença de metástase e sobrevida dos pacientes. Material e método: foi realizada a técnica da imunoistoquímica em amostras de CEC de cavidade oral metastático (n=20), não-metastático (n=26) e mucosa oral saudável (controle, n=10). Resultados: nossos resultados revelaram que a proporção de macrófagos CD68+ foi significativamente maior no grupo de CEC metastático quando comparado ao não metastático e controle (p<0,05). Adicionalmente, a proporção dessas células foi significativamente maior no grupo de CEC não metastático quando comparado com o controle (p<0,05). Com relação à sobrevida, os pacientes com alta proporção de macrófagos CD68+ apresentaram uma menor sobrevida do que aqueles com baixa proporção dessas células, no entanto esse resultado não foi estatisticamente significativo (Kaplan-Meier, Log Rank, P>0,05). Conclusão: nossos resultados sugerem que o aumento da proporção de macrófagos no microambiente tumoral pode desencadear eventos que possam favorecer assim a metástase e agressividade tumoral.
    Diego Antônio Costa Arantes
    FA-6 13:30 Influência da aplicação prévia de dessensibilizantes no clareamento dental

    Influência da aplicação prévia de dessensibilizantes no clareamento dental

    Silva SAS*, Fonseca RB, Lopes LG

    Clareamento; agentes dessensibilizantes; MEV

    Introdução: O uso de dessensibilizantes pode afetar o grau do clareamento dental. Objetivo: avaliar o grau de clareamento dentinário após o uso de dessensibilizantes (Fluoreto de sódio, nitrato de potássio, arginina, cloreto de estrôncio, e grupo controle) previamente à aplicação de peróxido de carbamida 16% ou hidrogênio 35%. Material e Método: os fatores em estudo dessensibilizante e clareador resultaram em 10 grupos onde espécimes de 2mm de dentina bovina (N=10) foram manchadas e após avaliação de cor inicial, foram aplicado os dessensibilizantes, exceto no grupo controle, e então feito o clareamento. Terminado o clareamento, foi avaliada a cor final por Espectrofotômetro, Escala Vita Clássica, Escala Vita 3D-Master. Resultados: Não houve interação entre fatores (p=0,65); apenas o clareador foi significante (p=0,001), com os grupos 35% clareando mais (ΔE=10,23±4,6) que os 16% (ΔE=6,02±3,46), independente do dessensibilizante. Houve semelhança entre controle e grupos com dessensibilizante no nível de clareamento (p=0,71). Nos grupos 16%, os valores antes e após clareamento, mostraram diferença para a* (7,36 e 4,16;p=0,001) e b* (37,34 e 34,76;p=0,01) e não para L* (58,35 e 60,45; p=0,5), o mesmo ocorrendo para 35%, com a* (9,69 e 1,98;p=0,001) e b* (37,44 e 27,45;p=0,001) e L* (54,21 e 55,88; p=0,63). Os avaliadores (escalas de cor) reportaram cores mais claras entre grupos de mesmo clareador independente do dessensibilizante (p=0,72). Conclusão: O uso de dessensibilizantes previamente não interfere no resultado do clareamento, embora seu nível seja maior nas amostras clareadas com peróxido 35% do que 16%.
    Soray Alvarinda Sousa da Silva
    FA-7 14:00 Percepção do magistrado brasileiro quanto às provas digitalizadas

    Percepção do magistrado brasileiro quanto às provas digitalizadas

    Oliveira KN*, Yarid SD, Peres AS

    Legislação; informática odontológica; odontologia legal

    Objetivo: Conhecer a percepção do Magistrado Brasileiro quanto aos meios de provas digitalizadas. Métodos: Foram encaminhados 137 e-mails para magistrados das cinco regiões do País, com a questão: Muito se tem comentado, com prós e contras, a utilização de radiografias digitalizadas (armazenadas em programas de computador) em detrimento da radiografia convencional (chapas, raios-X). Qual é a percepção do Magistrado quanto aos meios de prova digitalizados?. Material e Método: Buscou-se coletar depoimentos por escrito dos sujeitos da pesquisa que permitissem o acesso aos dados da realidade de caráter subjetivo. Utilizou-se como estratégia metodológica em pesquisa qualitativa a construção do Discurso do Sujeito Coletivo. Resultados: Recebeu-se 105 respostas via mensagem eletrônica (e-mail) contemplando a maioria dos estados do país. Conclusão: Após a análise das respostas pôde-se concluir que os documentos digitalizados podem ser utilizados, não havendo vedação legal de seu aproveitamento, desde que, possa ser constatado, inclusive por perícia, se necessário, que são arquivos que representam com exatidão o fato, sem falsificações ou outras formas de macular a verdade.
    Kalita Nunes de Oliveira
    FA-8 14:30 O tratamento com insulina reverte os efeitos do Diabetes mellitus no côndilo mandibular de ratos

    O tratamento com insulina reverte os efeitos do Diabetes mellitus no côndilo mandibular de ratos

    Capeletti LR*, Marques MR, Araujo RV

    Diabetes; côndilo mandibular; insulina

    Introdução: o Diabetes Mellitus (DM) pode afetar diversos órgãos e ultimamente sugere-se uma correlação entre DM e doenças articulares. O côndilo mandibular é um importante centro de crescimento da mandíbula e compõe a articulação têmporo-mandibular. Objetivo: avaliar o efeito do DM no côndilo. Material e método: utilizou-se 19 ratos Wistar machos adultos, divididos nos grupos controle, diabético e diabéticos tratados com insulina. DM foi induzido por Estreptozotocina (60 mg/kg). Por 15 dias antes do sacrifício o grupo tratado recebeu 6U de insulina pela manhã e 2U à tarde, diariamente. Após 6 meses os animais foram sacrificados e os côndilos removidos foram fixados em metacarn, desmineralizados em EDTA 4,13% e incluídos em Paraplast. Cortes sagitais seriados foram corados por Picrossírius e as análises morfológicas e morfométricas foram tratadas por ANOVA, um critério/Tukey. Resultados: os resultados demonstraram que o DM aumentou o comprimento (1250±198,8) e diminuiu a altura dos côndilos (68,1±18,1) quando comparado ao grupo controle (1158,8±147,8 p<0,01 e 83,9±23,2 p<0,05, respectivamente). O tratamento com insulina recuperou o comprimento (1092±199,5) mas não a altura dos côndilos (64,5±18,9). A porcentagem de matriz óssea foi diminuída nos animais diabéticos (70±16,6) comparado ao grupo controle (83,4±9,7; p<0,01) e o tratamento com insulina recuperou esta matriz (81,5±13,2 p<0,01). Conclusão: sugere-se que o DM altera a morfologia e diminui a matriz óssea no côndilo mandibular de ratos e o tratamento com insulina reverte parcialmente estes efeitos.
    Lucas Raineri Capeletti
    FA-9 15:00 Influência da temperatura e da técnica de polimerização da resina composta em suas propriedades de sorção e solubilidade

    Influência da temperatura e da técnica de polimerização da resina composta em suas propriedades de sorção e solubilidade

    Souza SR*, Castro FLA, Reges RV

    Resina composta; sorção; solubilidade

    Objetivo:i avaliar a influência da temperatura e da técnica de polimerização de um compósito em suas propriedades de sorção e solubilidade. Material e Método: Trinta corpos de prova foram confeccionados com auxílio de uma matriz metálica circular (8x2mm) e usando uma resina composta disponível no mercado (ICE, SDI). Seis grupos experimentais foram testados observando-se 3 temperaturas (10, 25 e 60ºC) e 2 técnicas de polimerização (convencional e pulso tardio). Após confeccionados, os corpos de prova foram pesados em balança analítica em 3 situações distintas: antes de serem armazenados em água destilada 25%/álcool etílico 75% (M1), 7 dias após estarem armazenados (M2) e após terem sido armazenados por 7 dias e secados por mais 1 dia (M3). O diâmetro e a largura de cada corpo de prova foram medidos usando-se paquímetro digital e de posse destas medidas e da massa dos corpos de prova foram calculados o volume de cada espécime e em seguida a sorção a solubilidade da resina composta. Os dados obtidos foram testados usando-se os testes de ANOVA (dois critérios: temperatura e técnica de polimerização) e de Tukey, ambos considerando α=5%. Resultados: mostraram que, para sorção, apenas a variável temperatura influenciou as médias obtidas (p=0,004), sendo os valores encontrados com 60ºC menores que aqueles obtidos com 10ºC (p<0,05). Para solubilidade, não houve influência de nenhum dos fatores estudados (p>0,05). Conclusão: o pré-aquecimento da resina influenciou somente na propriedade de sorção do material e apenas comparando-se 10ºC com 60ºC.
    Samara Ramos de Souza
    FA-10 16:00 Exodontias em pacientes usuários de anticoagulantes orais: estudo prospectivo realizado em 108 pacientes brasileiros

    Exodontias em pacientes usuários de anticoagulantes orais: estudo prospectivo realizado em 108 pacientes brasileiros

    Oliveira Júnior DA*, Pereira CM, Carneiro DS

    Anticoagulante; hemorragia; extração dentária

    Introdução: o tratamento odontológico em pacientes que fazem uso contínuo de drogas anticoagulantes orais é cada vez mais comum nos consultórios. Para estes pacientes torna imprescindível a realização de uma anamnese cuidadosa assim como uma avaliação clínica multiprofissional quanto ao risco e controle de episódios hemorrágicos ou tromboembólicos. Objetivo: avaliar episódios de hemorragias após exodontias em pacientes que utilizam medicamentos anticoagulantes em um período de 48 meses ininterruptos. Resultados: dos 108 pacientes avaliados, foram realizadas 215 exodontias onde em apenas 1 caso houve sangramento pós-operatório. A Varfarina foi utizada por 98 pacientes, varfarina associado a ácido acetil salicílico em 9 pacientes e ácido acetil salícilico apenas em 1 paciente. Em relação aos testes sorológicos realizados, o IRN variou de 0,8 à 4,9, com uma média de 3,15. Conclusão: exodontias em pacientes que fazem uso de anticoagulantes orais devem ser feitas de maneira menos traumática possível. Não é necessário a remoção do anticoagulante para realização de exodontias. Técnicas locais hemostáticas como suturas obliterativas por si só já são suficientes para evitar complicações hemorrágicas.
    Diones Antunes Oliveira Junior
    FA-11 16:30 Resposta de defesa de linfonodos metastáticos e não metastáticos de pacientes com carcinoma espinocelular de boca

    Resposta de defesa de linfonodos metastáticos e não metastáticos de pacientes com carcinoma espinocelular de boca

    Gonçalves AS*, Batista AC, Costa NL

    Carcinoma espinocelular; células dendríticas; linfócitos T

    Objetivo: avaliar comparativamente a densidade de CDs imaturas CD1a+, linfócitos T citotóxicos CD8+Peforina+ e da proteína citotóxica Granzima B (GB) em amostras de linfonodos cervicais de pacientes com carcinoma espinocelular (CEC) de boca. Material e método: foi utilizada a técnica de imunoistoquímica para a identificação das células. As amostras de linfonodos cervicais removidos de pacientes com carcinoma espinocelular (CEC) primário de boca em estágio T3/T4 foram divididas em três grupos: linfonodos não-metastáticos de pacientes que não apresentaram nenhum linfonodo metastático (LNM1) (n=10), linfonodos não-metastáticos (LNM2) (n=10) e metastáticos (LM2) (n=10) de pacientes que apresentaram metástase. Resultados: o número de CDs imaturas foi significativamente maior nos LM2 quando comparado aos LNM1 e LNM2 (P<0,05). Por outro lado, a densidade de células CD8+/Perforina+ e GB+ foi significantemente menor nos LM2 quando comparados aos LNM1 e LNM2 (P<0,05). Conclusão: evidências científicas demonstraram que para as CDs ativarem os linfócitos T citotóxicos é necessário que estas passem pela maturação, todavia o tumor pode produzir mediadores imunossupressivos que impedem esse processo, assim nossos dados sugerem que o acúmulo de CDs imaturas nos LM2 possa representar um mecanismo utilizado pelas células neoplásicas para escapar da imunovigilância, fato que pode contribuir para a progressão tumoral.
    Andréia de Souza Gonçalves
    FA-12 17:00 Dor associada a comportamento de crianças em tratamento odontológico sob sedação moderada ou estabilização protetora

    Dor associada a comportamento de crianças em tratamento odontológico sob sedação moderada ou estabilização protetora

    Anabuki AA*, Costa LRRS, Antunes DE

    Assistência odontológica para crianças; dor; comportamento infantil

    Introdução: estudos sobre sedação em odontopediatria não têm avaliado sistematicamente a ocorrência de dor durante a sedação. Objetivo: avaliar a relação entre dor e comportamento em crianças submetidas a tratamento odontológico sob estabilização protetora associada ou não à sedação moderada. Material e Método: estudo observacional transversal incluiu arquivos digitais de vídeos de crianças menores de 48 meses de idade, de baixo nível sócio-econômico, que apresentaram necessidade de tratamento odontológico invasivo devido à cárie da primeira infância e nunca haviam se submetido a tratamento odontológico. Para a avaliação da dor da criança, utilizou-se a escala comportamental FLACC. A avaliação do comportamento da criança foi baseada na escala OSUBRS. Dois examinadores calibrados assistiram independentemente aos vídeos e avaliaram a dor da criança segundo a escala FLACC e o comportamento segundo a escala OSUBRS. Os escores, para cada escala, foram atribuidos a cada minuto de filmagem. Resultados: foram analisados 35 vídeos referentes ao atendimento de 17 crianças. As escalas para avaliar comportamento e dor apresentaram correlação positiva forte ou moderada em todos os momentos avaliados. A análise de cluster determinou dois grupos que se distinguiram conforme os escores OSUBRS. Conclusão: as alterações de comportamento de pré-escolares, durante o tratamento odontológico da cárie dentária, podem estar associadas a desconforto ou dor percebidos pela criança. Apoio: CNPq.
    Anna Alice Anabuki
    FA-13 17:30 Correlação entre a expressão de osteocalcina com RANK, RANKL e OPG em sítios implantáveis da maxila e mandíbula

    Correlação entre a expressão de osteocalcina com RANK, RANKL e OPG em sítios implantáveis da maxila e mandíbula

    Silva DC*, Ribeiro-Rotta RF, Pereira AC

    Implantes dentários; imunoistoquímica; remodelação óssea

    Introdução: O estudo dos marcadores da remodelação óssea e dos seus aspectos moleculares pode trazer novas informações para a melhor compreensão da qualidade óssea. A nível molecular, possíveis alterações das vias de reabsorção e formação óssea ainda não foram estudadas nos diferentes padrões de osso normal. Objetivo: correlacionar a expressão das moléculas reguladoras da formação óssea (OSTEOCALCINA) e da reabsorção óssea (RANK, RANKL e OPG) em sítios ósseos da maxila e mandíbula. Material e método: a amostra foi composta por 44 sítios implantáveis de 32 voluntários. Estes sítios foram classificados de acordo com 3 diferentes métodos: a) classificação baseada somente em imagens periapical e panorâmica (PP); b) classificação de Lekholm e Zarb, baseada em radiografias junto à percepção tátil do cirurgião e c) a classificação de Lindh. Os espécimes ósseos foram removidos com o uso da trefina durante a primeira perfuração do sítio para colocação dos implantes dentários. As amostras de tecido ósseo foram submetidas à técnica da imunoistoquímica para análise das proteínas RANK, RANKL, OPG e Osteocalcina. A contagem das células foi realizada por dois examinadores previamente calibrados. Resultados: a correlação entre a Osteocalcina e os marcadores da reabsorção óssea foi percebida apenas quando relacionada à densidade de células Osteocalcina+ com a densidade de osteócitos RANK L+ e OPG+. Conclusão: as moléculas reguladoras da remodelação óssea parecem não exercer influência nos aspectos morfológicos da maxila e mandíbula.
    Donizete de Castro e Silva

                                    

 

 

INSCRIÇÃO DE TRABALHOS

 

Data de início para envio de resumos: 25/03/2011
Data Limite para envio de resumos: 13/08/2011 

 

O 16º CIOGO proporcionará aos profissionais, pesquisadores e acadêmicos de Odontologia, a oportunidade de apresentar e discutir estudos e pesquisas em Odontologia. Caso tenha interesse em divulgar seus trabalhos, inscreva-se fazendo opção por uma das modalidades disponíveis. As informações necessárias para sua participação no evento estão abaixo discriminadas. Os trabalhos enviados ao 16º Congresso Internacional de Odontologia de Goiás poderão ser inscritos nas formas de apresentações ORAIS ou PÔSTERES, abordando temas nas diversas especialidades da Odontologia.

 

NORMAS E ORIENTAÇÕES

 

Inscrição: Para efetuar a inscrição do (s) trabalho (s), o apresentador deverá efetivar adesão ao 16° CIOGO.

Modalidade: Serão aceitas inscrições de trabalhos para as formas de apresentação: ORAL (Fórum Clínico, Fórum Científico ou Fórum Acadêmico) ou PÔSTER.

Autores: Os trabalhos na forma de apresentação ORAL ou PÔSTER poderão ser inscritos com 01 (um) apresentador, 01 (um) orientador e (01) um co-autor. A presença do apresentador é obrigatória no evento.

Cada congressista poderá inscrever apenas 01 (um) trabalho como apresentador em cada modalidade.

Comitê de Ética: A Banca Examinadora exigirá no dia da apresentação a aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa dos trabalhos que envolverem pesquisas científicas em seres humanos ou animais, incluindo questionários e levantamento de fichas e arquivos com dados de pacientes.

Resumo: O resumo será publicado exatamente conforme for enviado e deve conter:

 Título - no máximo, 120 caracteres digitados no software Word for Windows, fonte Arial 11 em negrito (não escrever o título completo em letras maiúsculas).

 Autores - separados por vírgulas; último sobrenome por extenso, não dar espaçamento entre as iniciais. Exemplo: Adabo GL*, Rocha SS, Cruz CAS. (Atenção: sobrenome e iniciais de autor apresentador do trabalho devem ser identificados pelo asterisco).

Conteúdo – Os trabalhos de pesquisa deverão ter o resumo estruturado em tópicos: objetivo, material e método, resultados e conclusão. Os resumos dos relatos de casos clínicos deverão sintetizar o diagnóstico da situação inicial, sequência dos procedimentos operatórios e informações sobre a resolução do caso (explicitar o período de proservação). O texto deverá ter, no máximo, 1.600 caracteres digitados no software Word for Windows, fonte Arial 11. Ao final do resumo, deverão ser selecionados até 3 (três) palavras-chave que representem o conteúdo do resumo.

 Apresentação do trabalho: A data e horário de apresentação dos trabalhos aprovados serão informados antecipadamente no site do 16º CIOGO. Nas apresentações ORAIS a apresentação terá duração máxima e improrrogável de 20 (vinte) minutos e 05 (cinco) minutos destinados a perguntas e respostas.

Banca Examinadora: Uma banca examinadora escolhida pela Comissão Científica se encarregará de coordenar, avaliar os trabalhos e emitir o resultado da avaliação; ao qual não caberá a interposição de qualquer recurso, uma vez que sua decisão é irrevogável. Serão aceitos aqueles temas de comprovado interesse para a Odontologia e devidamente fundamentado no resumo.

Material e Equipamento: será disponibilizado nas salas de apresentações ORAIS: 01 (um) projetor multimídia e 01 (um) microcomputador com leitor de CD-room e entrada USB.
Certificado: Para cada trabalho apresentado será emitido 01 (um) certificado com nome de todos os participantes. O não cumprimento das normas inviabilizará o recebimento do certificado.

Premiação: Serão concedidas premiações aos três primeiros colocados, de cada uma das categorias: Fóruns Clínico, Científico, Acadêmico e Pôster.
Observação: A identidade dos pacientes deve ser preservada, inclusive nas fotografias.

 

FÓRUM CLÍNICO

São de inscrição restrita aos Cirurgiões-Dentistas graduados. As apresentações orais tem o objetivo de divulgar condutas clínicas de destaque, preferencialmente com acompanhamento a longo prazo, ou técnicas/protocolos de tratamento inovadores. Todos os trabalhos deverão ter embasamento científico.

 

FÓRUM CIENTÍFICO

São de inscrição restrita aos Cirurgiões-Dentistas graduados. As apresentações orais têm o objetivo de incentivar e difundir conhecimentos científicos por meio da pesquisa. Deverão ser inscritos somente trabalhos de pesquisa, com metodologia científica, originais e concluídos.

 

FÓRUM ACADÊMICO

São de inscrição restrita aos acadêmicos de odontologia. As apresentações orais têm o objetivo de incentivar e difundir conhecimentos científicos por meio da pesquisa. Deverão ser inscritos somente trabalhos de pesquisa, com metodologia científica, originais e concluídos.

 

PÔSTERES

Esta sessão destina-se à apresentação de trabalhos impressos na forma de pôsteres utilizando-se de fotos, radiografias, gráficos, diagramas, tabelas, com a finalidade de divulgar informações científicas e trocas de experiências entre profissionais. Podem ser abordadas discussões de Casos Clínicos, de Técnicas Inovadoras, Levantamentos Epidemiológicos ou Pesquisas Científicas. Não serão aceitas revisões de literatura.
O pôster deve obedecer o seguinte padrão:
Dimensões - O espaço destinado ao pôster será de 1,70 m de altura por 0,90 m de largura.
Título - Deve ser exatamente o mesmo utilizado no resumo . Abaixo do título e com letras menores, devem aparecer os nomes dos autores, do laboratório, do departamento, da instituição, da cidade e do estado onde o trabalho foi realizado.
Autores - separados por vírgulas; último sobrenome por extenso, não dar espaçamento entre as iniciais. Exemplo: Adabo GL*, Rocha SS, Cruz CAS. (Atenção: sobrenome e iniciais de autor apresentador do trabalho devem ser identificados pelo asterisco). É obrigatória a fixação de uma foto do apresentador no canto superior direito do pôster.
Corpo do pôster - Deve ser auto-explicativo, de preferência com o mínimo possível de texto e o máximo de ilustrações (figuras, diagramas e tabelas). Sugere-se que as conclusões sejam colocadas na forma de ítens. Abaixo segue modelo esquemático de um PÔSTER:

 

 

                                    

 

 

 

Todos os direitos reservados a ABO-GO                                                                                                          criação e desenvovimento GOSites